Conecte-se agora

Rio Acre ultrapassa cota de alerta na manhã deste sábado, em Rio Branco

Publicado

em

A medição do Rio Acre realizada pela Defesa Civil às 6h da manhã aponta que o manancial ultrapassou a cota de alerta e esta com 13,54 metros em Rio Branco na manhã deste sábado, 13. Na capital acreana choveu 1,4mm nas últimas 24 horas.

Os níveis em Assis Brasil, Brasileia, Xapuri e Capixaba apresentaram baixa no volume de água. O nível do Riozinho do Rola, um dos principais afluentes do Rio Acre na Capital, elevou o nível em 41 centímetros.

A cota de alerta do Rio Acre em Rio Branco é de 13, 50 metros e a cota de transbordamento 14 metros. O prefeito Marcus Alexandre e a equipe da Defesa Civil realizam, nas primeiras horas do dia, vistoria nas áreas que primeiro são afetadas pela cheia do Rio, como é o caso do bairro Aírton Sena, Baixa da Habitasa e Seis de Agosto. Até o momento nenhuma família foi afetada pelas águas. Mas o monitorando segue durante todo o final de semana.

No Parque de Exposições os 100 primeiros boxes para abrigar famílias que venham a ser atingidas pela cheia do Rio, já estão em fase final. Outras medidas estão sendo tomadas no abrigo público para receber as famílias em caso de continuidade de subida do manancial.

Cotidiano

Preço do gás de cozinha tem nova alta nas distribuidoras a partir desta segunda-feira

Publicado

em

A partir desta segunda-feira (14) o gás de cozinha está mais caro. O preço médio de GLP sofreu reajuste de 5,9% nas distribuidoras, passando para R$ 3,40 por quilograma (kg), o que representa aumento médio de R$ 0,19 por kg. A Petrobras anunciou o aumento na última sexta-feira (11).

Antes deste último aumento, o botijão de 13 kg já podia ser encontrado por mais de R$ 100 na cidade de São Paulo. Na região Norte da capital, por exemplo, o preço chegava a R$ 113. Em maio, o preço do gás de cozinha subiu 1,24%, em média, em todo o Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Já o gás encanado teve aumento de 4,58%.

Este não é o primeiro reajuste do gás de cozinha no ano. Em janeiro, a Petrobras elevou o preço em 6%. No mês seguinte, a alta foi de 5,1%. Em março, um novo reajuste médio de R$ 0,15 por quilo foi anunciado e, em abril, o aumento foi de 5%.

Vale dizer que a conta de luz subiu 5,73% e a conta de água e esgoto teve aumento de 1,61%, o grupo Habitação foi o que teve mais impacto no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em maio, sendo responsável pelo incremento de 0,28 percentual. No mês passado, a inflação oficial do Brasil avançou 0,83%, a maior taxa para o mês desde 1996.

Nesta sexta, a Petrobras também anunciou redução de 2% da gasolina nas refinarias, a partir de sábado (12). O preço médio do diesel, por sua vez, não sofrerá alterações.

“Importante reforçar o posicionamento da Petrobras que busca evitar o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais. Nossos preços seguem buscando o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo”, afirmou a companhia, em comunicado.

A Petrobras reforçou ainda que “os valores praticados nas refinarias são diferentes dos percebidos pelo consumidor final no varejo”. A empresa lembra que até chegar ao consumidor são acrescidos “tributos federais e estaduais, custos para envase pelas distribuidoras, além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores”.

Perspectivas do preço

Para quem se pergunta se o preço do gás vai cair, o cenário não é tão animador assim.

Primeiro, temos que entender os fatores que determinam o preço do gás no Brasil. O economista e professor da FGV-RJ (Fundação Getulio Vargas) Mauro Rochlin conversou com o CNN Brasil Business para explicar a formação de preço do combustível.

O gás de cozinha ou encanado é um derivado do petróleo. Portanto, o preço do combustível fóssil é o principal fator para a formação de preço do botijão. E é aí que a coisa começa a ficar complicada.

O barril do petróleo Brent era negociado a US$ 72,40 nesta quinta-feira, muito próximo do patamar pré-pandemia –em 20 de maio de 2019, a cotação alcançou US$ 72,83. No período mais agudo da recente crise econômica, o preço do barril do Brent chegou a afundar para US$ 22,74.

Portanto, se o petróleo está mais caro, o gás na sua cozinha também ficará.

Ainda é preciso considerar que a commodity é negociada em dólares. Hoje, cada dólar vale cerca de R$ 5. É verdade que o real está se valorizando ante a moeda norte-americana, mas a alta do preço do petróleo vem anulando este que seria um fator positivo no preço do gás.

O governo interveio e zerou a alíquota de PIS e Cofins que incide sobre o gás de cozinha, mas a redução no preço não chegou ao consumidor porque as empresas aproveitaram para ter alguma margem de lucro.

“Muitas companhias já avisaram que, analisando a planilha de custos, não poderão repassar a queda do imposto, ou seja, a medida só vai ajudar a aumentar a lucratividade das distribuidoras”, disse, em março, o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo (Asmirg), Alexandre Borjaili.

FONTE: CNN BRASIL

Continuar lendo

Acre

Entidades preparam manifestação contra Bolsonaro para sábado (19)

Publicado

em

Foto: Eldérico Silva/Rede Amazônica Acre

Um novo protesto contra o presidente Jair Bolsonaro está marcado no Acre. O evento está marcado para o próximo sábado, 19, onde diversas entidades estão convocando a população para mais um ato “Vacina, Pão, Saúde e Educação” e pelo Fora Bolsonaro e Mourão! Vacina no braço e comida no prato!

De acordo com a Associação dos Docentes e das Docentes da Universidade Federal do Acre, com apoio doAndes-SN, uniu-se ao Sinasefe, ao MUP, à UJC, ao Movimento Negro Unificado, ao Sindicato dos Bancários, à Unidade Classista, à Juventude da Revolução Socialista, e outros movimentos estudantis o objetivo é provar para a sociedade que o governo é o responsável pela morte de milhares de pessoas pela pandemia em todo o país.

“Precisamos intensificar a mobilização contra esse governo genocida, que é mais perigoso que o vírus e o grande responsável pela morte de mais de 470 mil brasileiros e brasileiras e pelo aumento da pobreza e da fome no nosso país. Por isso, em 19 de junho voltaremos às ruas em defesa da vida”, diz o convite divulgado nas redes sociais.

A convocação do ato lembra ainda da importância de todas e todos que forem ao ato respeitem as regras de distanciamento, usem máscaras e higienizem as mãos frequentemente com álcool em gel.

Programação do ato presencial no dia 19 de junho.

16h Concentração na Gameleira

16h30 Passeata até o Palácio Rio Branco

17h Ato no Palácio do governo com falas políticas e atrações culturais

Continuar lendo

Cotidiano

Aberto prazo para quem teve isenção da taxa de inscrição negada no Enem

Publicado

em

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 que tiveram o pedido de isenção da taxa de inscrição indeferido podem entrar com recurso a partir desta segunda-feira, 14, até o dia 18 de junho. Os resultados dos recursos estão previstos para serem divulgados no próximo dia 25 .

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a aprovação da justificativa ou da solicitação de isenção não garante a inscrição no Enem 2021. As inscrições deverão ser realizadas normalmente, entre 30 de junho e 14 de julho, por meio da Página do Participante.

As provas do Enem 2021 serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro, tanto na versão impressa como na digital. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, 101.100 vagas estarão disponíveis exclusivamente para a versão digital do exame.

Podem solicitar isenção de taxa pessoas que cursaram todo o ensino médio em escola pública ou que foram bolsistas integrais durante toda a etapa educacional têm direito à isenção da taxa de inscrição do exame.

Alunos que estão cursando a última série do ensino médio na rede pública, no ano de 2021, também podem de pedir a isenção.

Continuar lendo

Acre

Rosana diz que Gladson é inimigo da Educação e greve continua no Acre

Publicado

em

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, usou as redes sociais na manhã desta segunda-feira (14) para afirmar que a greve da educação está mantida.

Rosana lembrou que em toda a história de luta em defesa da educação do Acre, nunca se viu um governo tratar tão mal os trabalhadores da educação. “Há dinheiro sim para a educação, apesar do governador de maneira tirânica se empenhar para justificar o injustificável. Seus assessores não foram capazes de apresentar uma proposta viável para a categoria. Humilha, explora e escraviza os servidores desde que assumiu o governo”, declarou.

A sindicalista lembrou que durante a campanha de 2018, o governo fez compromisso de atender o piso dos profissionalizados e das carreiras, resolver a situação dos não concursados e realizar concurso. “Ganhou a eleição e virou inimigo dos servidores da educação e, como tal, passou a tratar como um verdadeiro algoz. Desde o início do governo, em 2019, optou por enganar, mentir e enrolar toda uma categoria na mesa de negociação. Naquele ano, foram várias propostas, desde auxílio alimentação de 350 reais, não pagou, ofereceu 12,99%, não pagou. Em 2021, ofereceu VDP antecipada, mais uma vez não pagou, reposição inflacionária em setembro de 2021 e reestruturação da tabela e revisão do PCCR para 2022, seguindo o histórico negativo, tratou como mais uma brincadeira. Será lembrado como um governo inimigo da educação”, disparou.

Nascimento relatou que para prejudicar e castigar ainda mais a categoria, o governo não pagou os direitos do PCCR, como gratificação de aluno especial, difícil acesso, além disso, deixou de pagar a bolsa da educação em tempo integral.

“Gladson Cameli, será lembrado como um governo da mentira, que além da enganação, da enrolação, que escraviza os servidores, não oferecendo as condições básicas de trabalho. As aulas remotas de 2020, só aconteceram, porque trabalhadores tiveram que se endividar para garantir, com os seus poucos recursos, as condições mínimas de trabalho, comprando equipamentos, tais como: computadores, celulares, notebooks e custeando com o pagamento de pacotes de Internet. Nenhuma outra categoria e seus servidores foram tão cobrados, e mal reconhecidos pelo governo, por seu empenho, por se doarem ao cumprimento de suas funções. São escravos do trabalhador, além de sua carga horária sem receber pelas horas e dias extras, extrapolam a carga horária, sem receber o que lhe é de direito, mesmo sabendo que há dinheiro sim para a educação. Há ainda, os que se aventuram em dizer que o professor não trabalha”.

Por fim, a professora destacou que os servidores cansaram de tanta desvalorização, com isso, garantem que só devem voltar às aulas caso tenha uma proposta viável apresentada e aprovada, com reestruturação das tabelas com piso em 2022. “Apresentar um auxílio alimentação para 2022 é desrespeito e uma humilhação, pois este mesmo governo, já havia entregue a proposta.Tem dinheiro sim, não aprova a proposta na Aleac porque trata a educação com desprezo, é inimigo da Educação. Contra fatos não existem argumentos.

O sindicato alega que o FUNDEB aumentou consideravelmente neste ano de 2021 em mais 2,5% desde fevereiro, aumentando o valor custo aluno superando a queda de 2020.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas