Conecte-se agora

Mãe vê filha passando mal na UPA e diz que “não há amor ao próximo” na saúde do Acre

Publicado

em

A área de acolhimento do sistema de Saúde do Acre parece estar numa grande crise. Nem mesmo o trabalho de humanização dos serviços de saúde foi capaz de evitar o desabafo de uma mãe, no início da tarde desta terça-feira, 17, feito na recepção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no 2º Distrito de Rio Branco.

Um vídeo, encaminhado ao ac24horas, mostra o desespero de duas mães que acompanham menores para atendimento na unidade de saúde. Quando uma criança começa a vomitar, a mãe se desespera e pede atendimento médico, questionando se não há possibilidades de encaminhamento rápido, visto o estado da criança.

Recebendo resposta negativa, mesmo com o quadro crítico da menina, a mulher começa a chorar e causa preocupação e revolta em outros usuários que aguardam no local.

De repente, outra mãe, que estava próxima a mulher, começa a dar um verdadeiro sermão nos funcionários da Upa. Inicialmente ela diz: “Isso é um descaso, um negócio desse (sic)”. A mulher argumenta que o atendimento às crianças que ali chegam demora por vezes mais de uma hora. “A gente traz a criança para cá passando mal e passa de uma hora esperando”. Ela também questiona onde estão os médicos: “Cadê os médicos daqui?”.

Para a mulher, “o ser humano não tem mais amor ao próximo”. Ela também pede para não ser “discriminada” pelos servidores do hospital. “Não me discrimina não! Porque de onde tu veio eu também vim. Só por que você tem uma mer** de diploma? Você vai virar cinza do jeito que eu vou virar”, argumenta a usuária.

De acordo com a mulher, o médico plantonista estaria em horário de almoço e, por isso, não poderia proceder com o atendimento das pacientes. “Meu sogro morreu. Eu nem posso tá lá no velório porque eu estou aqui com o meu filho. E o médico daqui está no horário de almoço”, reclama a mulher chorando, ao destacar que as pessoas “são tratadas como lixo”.

Procurada, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), informou que iria averiguar a situação e punir, se necessário, os funcionários que tenham sido negligentes durante o atendimento dos usuários. O órgão informou ainda que já iniciou o processo de levantamento de dados para identificar a mulher que faz os questionamentos no vídeo.

Em conversa com o secretário da pasta, Armando Melo, a informação é de que “problemas no acolhimento dos cidadãos não serão tolerados pela SESACRE” e, ainda segundo o gestor, serão adotadas as “medidas cabíveis, tanto para reprimir o mau atendimento, quanto para prevenir situações como esta”.

Armando garantiu que “a Gerência já está averiguando” a situação e que “vai reunir as informações e mandar para a SESACRE”. Para ele, “quem tiver faltado ao seu dever arcará com as consequências, tudo dentro de um procedimento legal”, alerta o secretário de Saúde.

Destaque 2

Aplicações financeiras dos candidatos ao governo do Acre chegam a R$ 760 mil

Publicado

em

A maioria dos candidatos ao governo do Acre possui algum tipo de aplicação ou investimento declarado na Justiça Eleitoral como patrimônio. Além de investimento em ouro, o governador Gladson Cameli (PP), que disputa reeleição, possui vários consórcios não contemplados (o consórcio é um ativo imobilizado) e aplicações em CDB e outros fundos que somados passam dos R$ 660 mil.

Já o petista Jorge Viana (PT) também tem aplicações em renda fixa e variável em valores que chegam a R$14 mil. Do patrimônio de R$ 183 mil, Mara Rocha (MDB) diz possuir pouco mais de R$ 3,3 mil em poupança.

O senador licenciado Marcio Bittar, do União Brasil, não tem aplicações, mas possui quinhões de capital de mais de R$ 52 mil. Já o também senador licenciado Sergio Petecão, do PSD, não declarou aplicações, mas uma poupança para construção no valor de R$ R$ 30.020,44.

Já David Hall, do Avante, só possui veículos, segundo a declaração no Tribunal Superior Eleitoral, assim como o professor Nilson Euclides, do PSOL, que declarou dois veículos.

Continuar lendo

Blog do Crica

Com Jorge Viana no jogo, eleição ao governo caminha para o 2º turno

Publicado

em

NEM entre os adversários não resta mais dúvida de que a entrada no cenário do ex-senador Jorge Viana (PT) como candidato a governador, deve jogar a decisão da disputa para o segundo turno. Com Gladson Cameli (PP), Sérgio Petecão (PSD), Jorge Viana (PT), Márcio Bittar (União Brasil), Nilson Euclides (PSOL), David Hall (AGIR) e Mara Rocha (MDB), ficou mais longe a briga pelo Palácio Rio Branco ser liquidada já no primeiro turno.

 Os números das pesquisas devem mudar depois do fim do mês, quando já teremos tido 15 dias de campanhas nas ruas. E, campanhas costumam pregar peças, quem está em cima pode vir para baixo e vice e versa. 

Ninguém comemore e ninguém se sinta derrotado, antes da campanha atingir os grotões dos votos. Porque ninguém é dono desses votos. Ponto.  

JOGOU PIMENTA NA DISPUTA

QUEIRAM ou não, gostem ou não gostem dele, mas o grande fato político do último dia das convenções, ontem, foi o anúncio da candidatura do Jorge Viana (PT) ao governo. Não meçam o JV pela régua do PT, tem votos bem além dos muros petistas. Jogou pimenta na disputa. E embolou o jogo com a chapa que ainda tem o Marcus Alexandre (PT) de vice e a Nazaré Araújo (PT), para o Senado. Será uma chapa muito competitiva.

MELHOR VICE, DISPARADO

SEM dúvida alguma o vice que mais vai agregar de todas as chapas, é o Marcus Alexandre (PT). Seria deputado estadual, com certeza, e entre os mais votados. Abriu mão de uma disputa previsível por uma imprevisível. Colocou o PT acima do interesse pessoal. É para poucos.

SÍNDROME DE PETER PAN

O MDB, no tocante ao debate interno, pelo menos no estado, é orgânico, sem golpismo. A executiva regional reuniu e decidiu, está decidido. Foi o caso da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado da chapa emedebista. Um grupo com síndrome do Peter Pan (o menino que nunca cresceu), ainda tentou melar a escolha, para colocar o Flaviano Melo (MDB) na disputa do Senado. Mas, o próprio Flaviano desestimulou a manobra.

CLAQUE DO VELHO LOBO

A CLAQUE que apoia a candidatura do deputado federal Flaviano Melo (MDB) á reeleição, era a mais animada e numerosa da convenção de ontem do partido. O velho Lobo sabe o caminho das pedras, ele é favorito na busca de novo mandato. Disputa a sua última eleição.

A EMOÇÃO NÃO É BOA CONSELHEIRA

O Alan Rick (União Brasil) é um excelente deputado. Sem dúvida. Mas está sendo muito açodado na sua candidatura a senador pelo União Brasil. Não vai ter paz na campanha. O Márcio Bittar (União Brasil), candidato ao governo, vai exigir seu apoio. Se negar o acionará na justiça por infidelidade partidária. Terá que contratar advogado para se defender. E a sua campanha vai virar um inferno. A prudência é uma virtude. Na política, quando se perde uma batalha (como da vice), se busca outro caminho. Brigar pela reeleição num cenário de paz, seria o ideal. Tem como pedir votos pelo belo mandato que exerceu até aqui. A emoção não é boa conselheira política.

NÃO PODE CONTAR COM O GLADSON

TEM AINDA um ponto que o deputado federal Alan Rick (União Brasil) tem de observar: não poderá contar com o apoio do governador Gladson Cameli, depois que este colocou o Ney Amorim (PODEMOS) no seu colo para o Senado. É um fato que deve ser bem analisado por ele.

PELO PODER, NÃO FOI DAS MELHORES

POR estar no poder, o Gladson poderia ter formado uma chapa majoritária bem mais forte. Este foi o comentário majoritário ouvido ontem nas mais diversas rodas.

CAPITULOU DEPOIS DA VITÓRIA

A SENADORA Mailza Gomes (PP) viveu um personagem surreal nesta história. Impediu o Gladson de detonar sua candidatura a mais um mandato, manteve uma briga contra forças poderosas, venceu, e agora capitulou para ser vice do governador Gladson. Faltou coerência no ato.

E, AGORA, BOCA?

O PREFEITO Bocalom me ligou ontem irritado com uma nota que colocava um membro do seu grupo como defensor da senadora Mailza Gomes (PP) ser vice do governador Gladson. Negou veementemente. Disse que o compromisso com a direção nacional era dela ser candidata ao Senado e não a vice. Feito o registro. Mas, antes de encerrar, uma pergunta: a Mailza Gomes é a vice na chapa do Gladson Cameli: e agora, velho Boca?

DISPUTA SEM FAVORITO

NAZARÉ ARAÚJO (PT), Vanda Milani (PROS), Sanderson Moura (PSOL), Dimas Sandas (AGIR), Márcia Bittar (PL), Alan Rick (União Brasil), Ney Amorim (PODEMOS), Jenilson Leite (PSB). São os candidatos ao Senado. O que se pode dizer, de cara, é que é uma chapa onde não existe um amplo favorito. Será uma disputa acirrada.

PARA QUE LADO VAI O BOCALOM?

NÃO HÁ DÚVIDA de que o fato da senadora Mailza Gomes (PP) ser a vice do Gladson Cameli, não muda uma vírgula do seu apoio ao Petecão para o governo. A Mailza não é mais candidata a senadora. Quem é que, o Tião Bocalom (PP) apoiará agora, para o Senado?

VOLTA DAS VELHAS

NUMA POSTAGEM dura e ferina o candidato ao Senado pelo PSOL, Sanderson Moura, situou a chapa majoritária do PT, só com militantes, como a volta das velhas caras.

DIFERENÇA GRITANTE

QUANDO o PT estava no poder, nas campanhas, todos os militantes iam para as ruas brigar por votos e balançar as bandeiras. Com os comissionados do governo Gladson não é assim, são acomodados. Se viu isso na candidatura da Socorro Neri para a PMRB. O Ney Amorim (PODEMOS), que viveu o momento do PT, vai sentir essa diferença com sua candidatura ao Senado.

TURMA DO PETECÃO EUFÓRICA

QUEM estava ontem eufórica, era a turma de cima da candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo, com o novo cenário para o Senado. Acham que a candidata Vanda Milani (PROS) entra de vez no jogo.

SORRISO ABERTO

QUEM ESTAMPAVA um sorriso aberto ontem na convenção do PT, era o candidato a deputado estadual, Cesário Braga (PT). Diz que, com a saída do Marcus Alexandre do páreo, boa parte do seu espólio virá para a sua candidatura.

CANDIDATURA POSTA

NUM ATO mais com os candidatos a deputado, o senador Márcio Bittar (MDB) teve ontem a sua candidatura homologada para governador; e do deputado federal Alan Rick (União Brasil) para senador.

DEFENSOR NÚMERO UM

O EX-PREFEITO Vagner Sales (MDB) é hoje dentro do partido o defensor número um da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado, na chapa emedebista.

ENTRA COM EXPERIÊNCIA

O presidente da FIEAC, empresário José Adriano (PP), nota-se, está nesta eleição com uma campanha melhor estruturada do que a passada, e pode surpreender dentro da chapa do PP. É uma chapa sem favoritos.

ESTÁ NA BRIGA

O PSB confirmou ontem a candidatura do deputado Jenilson Leite (PSB) ao Senado. A posição do PT de lhe cozinhar em banho-maria, não o demoveu da ideia de continuar na disputa. Resta saber quem o PSB apoiará para governador, depois do rompimento com o PT. 

FRASE MARCANTE

“Há amigos que são como andorinhas: acompanham-nos no verão da prosperidade e voam no inverno das aflições”. Cícero.

Continuar lendo

Destaque 2

Galeria do ac24horas mostra os melhores momentos da Cavalgada 2022

Publicado

em

Após dois anos de pandemia de Covid-19, o estado do Acre voltou a realizar uma das festas mais tradicionais da região, a cavalgada. O evento abre oficialmente as nove noites de atividades no Parque de Exposições Wildy Viana, arrastando milhares de pessoas para a ExpoAcre.

O fotojornalista Sérgio Vale registrou os melhores momentos da cavalgada que saiu da Gameleira por volta das 8h30 deste sábado (30).

Veja as imagens:

Continuar lendo

Destaque 2

Com marido e sogra em lados opostos, Fernanda Hassem diz que deve apoiar Gladson

Publicado

em

O governador Gladson Cameli se reuniu nesta quinta-feira, 28, no hotel do Sesc de Cruzeiro do Sul, com 14 dos 17 prefeitos que o apoiam na reeleição para o governo do Acre. Na mesa com a prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem, e Isaac Lima, de Mâncio Lima, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT), adotou um tom ameno e conciliador.

Cameli disse que precisa do apoio dos gestores e afirmou que vai “procurar todos” para caminharem juntos, referindo-se ao senador Márcio Bittar e sua ex-esposa, Márcia Bittar. Nesse quesito, foi apoiado pela maioria dos prefeitos, principalmente o de Sena Madureira, Mazinho Serafim, Padeiro, de Bujari, Maria Lucineia, de Tarauacá e Zequinha Lima de Cruzeiro do Sul.

“Eu preciso do apoio de vocês porque não tem eleição ganha não. Eu sei da importância do senador licenciado Márcio Bittar e vou procurar todos em busca de um entendimento” , destacou Cameli.

Fernanda Hassem relatou que a tendência é “caminhar com o Gladson, sim”. Presente com lugar de destaque na mesa de Cameli, a prefeita de Brasiléia disse que tudo que indica que irá a caminhar com Gladson na eleição de outubro. “As coisas podem mudar, mas a minha tendência é sim caminhar com o governador Gladson Cameli, até porque meu partido não tem tem candidato a governo”, citou.

Estiveram presentes os prefeitos de Cruzeiro do Sul, Sena Madureira, Brasileia, Feijó, Tarauacá, Plácido de Castro, Manoel Urbano, Porto Walter, Bujari, Senador Guiomard, Mâncio Lima, Jordão e Capixaba. Na lista dos que o apoiam, faltaram ao evento os prefeitos de Porto Acre, Bene Damasceno e Assis Brasil, Jerry Correia.

Também estiveram no encontro o senador Eduardo Veloso, deputado federal Jesus Sérgio, deputados estaduais Nicolau Junior, presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Meire Serafim, Luis Gonzaga e Manoel Moraes, além do presidente da FIEAC em exercício, João Paulo.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!