Conecte-se agora

“O PT não pode mais ficar deitado em berço esplêndido”

Publicado

em

corte_02

Conversei nessa terça, 27, com o senador acreano Jorge Viana (PT). Conforme a coluna já havia adiantado, Jorge anda muito preocupado com o rumo da política no Brasil. Não concorda com determinadas práticas do seu partido nem a nível nacional e nem estadual. “O PT não pode ficar deitado em berço esplêndido senão vamos ser condenados pela opinião pública sem julgamento. Os legados do PT no Acre e no Brasil estão se perdendo pelas suspeições de corrupção e mal feitos. São inegáveis os avanços sociais do país a partir das gestões do PT. Mas existe um comodismo que pode ter um preço alto. O grande problema é um defeito nosso que não fizemos a necessária Reforma Política. Essa é a raiz dos problemas que a democracia brasileira enfrenta. Qualquer grande partido que assumir o Governo nessa conjuntura terá dificuldade de governar e ficará refém dos pequenos partidos e dessa “coisa ruim” e rasteira que existe atualmente na política. A política virou sinônimo de “coisa ruim”. Deixou de ser um instrumento para as grandes transformações sociais e, a opinião pública detectou. E os culpados são os políticos profissionais que não pensam no coletivo. Para eles não interessam mudanças que a Reforma Política poderá trazer. Para esse quadro mudar é preciso urgente uma pressão popular. Afinal, não se pode frustrar o sonho das pessoas,” desabafou.

Ativo
Jorge Viana está empenhado em manifestar as suas opiniões internamente. Tem participado mais ativamente das gestões da Capital e do Estado. No Senado poderá continuar a ser vice-presidente do Senado ou presidente de uma das mais importantes comissões da Casa, a CAE (Comissão de Assuntos Econômicos).

Equilíbrio necessário
O senador acha importante a eleição do deputado federal Sibá Machado (PT) à liderança da bancada do PT na Câmara dos Deputados. Ele acha que isso poderá trazer grandes vantagens ao Acre. E também admite que a liderança de Sibá traria um equilíbrio interno maior ao PT acreano.

Jogo acertado
A eleição para a mesa diretora da ALEAC não trará nenhuma novidade. Aquilo que a imprensa tem divulgada deverá se confirmar na sessão inaugural da Casa no próximo domingo, dia 1. Ney Amorim (PT) será o presidente, Manoel Moraes (PSB) o secretário e Éber Machado (PSDC) o vice-presidente.

Regimento esquecido
Segundo regimento interno da ALEAC a eleição da mesa diretora deveria acontecer só na terceira sessão. A questão foi levantada pela deputada Eliane Sinhasique (PMDB). Mas como isso acarretaria também numa paralização de 15 dias dos trabalhos legislativos resolveram votar na primeira sessão mesmo.

Projeto à vista
Os disparates do Regimento Interno da ALEAC já gerou uma primeira missão à deputada Sinhasique. Ela vai apresentar um projeto para mudanças no Regimento que se adequem a atual realidade da Casa.

Osso duro de roer
Manoel Moraes me contou que ficou mais de três horas reunido com o novo deputado Raimundinho da Saúde (PTN) para resolver a questão da eleição da primeira secretaria. Apesar de toda conversa parece que Raimundinho ainda não está completamente convencido.

Mais pretendentes à prefeitura de Rio Branco
Na coluna anterior citei alguns personagens da política acreana que poderão se candidatar, em 2016, na Capital. Mas esqueci do nome da candidata a deputada federal derrotada Marfisa Galvão (PSD). A esposa do senador Petecão (PSD) continua fazendo política como se estivesse ainda em campanha.

Estilo próprio
Marfisa tem uma maneira própria de fazer política. Quem pensa que a mulher vive à reboque de Petecão se engana. Ela perdeu a eleição para federal por menos de 100 votos e continua a frequentar as comunidades de Rio Branco.

Sem nada a perder
Uma possível candidatura de Marfisa à prefeitura da Capital só trará ganhos ao seu partido. Mantém vivo o seu nome e ainda poderá dar possibilidade da mulher mostrar as suas ideias em relação a gestão pública.

Mais um jurista pretendente
O advogado Leandrius Munis me escreveu o seguinte: “Não tem nada ganho e nem perdido. Já anunciei ao meu partido (PSDB) que sou pré-candidato à prefeitura de Rio Branco, em 2016.” Então está registrado.

Dois turnos
Rio Branco é o único munícipio do Acre que tem eleitores suficientes para a eleição municipal ser em dois turnos. Assim a tendência é realmente que surjam muitos pretendentes em 2016. A tese de união das oposições fica mais difícil de emplacar.

Líder
O deputado estadual Lourival Marques Filho (PT) será o líder do PT na ALEAC. Jonas Lima (PT) não aceitou a espinhosa missão. Afinal teria que lidar no dia-a-dia com alguns desafetos internos do partido. Fica claro que Jonas, que é de uma tendência interna divergente, a DS, gosta da independência. Não sendo líder poderá fazer um mandato menos comprometido com as questões partidárias. Levará seu barco politicamente conforme as conveniências do momento. Elogiar e criticar conforme o momento. Assim realmente é bem mais fácil…

Coluna do Nelson

Recurso para assentado da reforma agrária será via cartão magnético em seu nome

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

MDB e PDSB devem travar uma “briga” intensa por secretário da ALEAC

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Depois de 20 anos, prefeitura de Cruzeiro terá a parceria do Governo

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Gladson Cameli realizou o sonho de infância de ser governador do Acre

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!