Menu

Antonio Rocha (PSOL) planeja uma campanha pé no chão e promete radicalizar para conquistar democracia plena

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

Praticamente não aparecendo nas pesquisas de opinião pública e ainda com menos de um digito, Antônio Rocha, do PSOL, acredita na bandeira socialista e na força da juventude que foi às ruas em junho do ano passado como principais trunfos para vencer as eleições este ano. No dia em que registrou sua candidatura majoritária no TRE-AC, Antônio disse que sua luta será contra o domínio oligárquico no Acre e de grupos políticos.


A Coligação define slogan de campanha neste final de semana e prepara seu material de propaganda para definitivamente entrar em campo com um cronograma “pé no chão” que tem como plataforma os princípios que movem a Justiça Social. Antônio afirma que é preciso discutir e, discutir bem com a sociedade, o desenvolvimento que a floresta suporte e que leve o bem estar para o ser humano.


SEBASTIÃO CHAMADAO partido também vai defender radicalidade na democracia, que Antônio explicou ser o combate a corrupção e a participação direta da sociedade na formação do plano de governo. Uma ferramenta para a contribuição do povo do Acre na construção desse plano deverá ser definida até a próxima semana.

Publicidade

A ordem nacional é que o ser humano debata antes, durante e depois da campanha, qual o Plano de governo adequado para as grandes mudanças no país e nos estados. “Nosso plano não é um livro fechado”, acrescentou Antônio.


As mobilizações populares que sacudiram o país em junho de 2013 – e que prosseguem em menor grau – mudaram a agenda da política. Para a direção do PSOL no Acre, já não é possível aos velhos partidos continuarem alheios à voz das ruas. Esse é o texto de apresentação da plataforma 50, ressalta esse movimento como forte bandeira a ser utilizada durante as eleições deste ano em todo o Brasil e no Acre não será diferente.


Marcio ChamadaSem muitos recursos financeiros, a ideia do PSOL no estado é mobilizar a juventude que protestou sem medo durante as manifestações no ano passado. Uma das principais figuras políticas do partido no cenário nacional, o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), veio ao Acre motivar essa luta.


Chico chamou atenção dos eleitores para o que chamou de sabonetes com embalagens novas, ao se referir para as candidaturas vendidas através dos marqueteiros nos programas de rádio e tv. O PSOL não terá nenhum grande publicitário contratado, aposta na prata da casa, em um conjunto de amigos que se reuniram para produzir o material de campanha deste ano.


Com pouco mais de um minuto disponível para apresentar seu programa de governo no rádio e na tv, Antônio promete estar na telinha durante o horário nobre fazendo um trabalho de coerência política. “O que estiver certo seja proposta de oposição ou situação nós vamos aplaudir, o que estiver errado nós vamos criticar”, explicou o candidato.


Bocalom_CHAMADAA ideia é fazer oposição ideológica e não personalista. Para a direção do partido, a postura tem que ser programática. O foco, segundo um dos candidatos majoritários, o professor Fortunato – que concorre a uma vaga no Senado – será o debate sobre educação e a geração de emprego e renda.


A construção desse programa que seja expressão do desejo de mudança social se dará no corpo a corpo, onde a mensagem de que os atuais governantes não possuem mais capacidade de mudança será levada a cada eleitor. O partido também vai apresentar projetos para reduzir o número da taxa de analfabetismo e melhorias ao setor produtivo.


A implantação de sítios autossustentáveis é uma das promessas inseridas no programa de governo desta eleição. A ideia vem da vice, Daniscleia Mendonça, que é natural de Xapuri, onde tem forte atuação no movimento rural. Com fortes potencialidades geográficas, o PSOL aponta como saída econômica para o Acre, a integração entre campo, cidade e floresta.


antonio rocha debate

Publicidade

O mais novo candidato ao governo entre os que postulam o mais elevado cargo da política acreana, Antônio da Cruz da Rocha Alves, 40 anos, é funcionário público estadual. Ele já foi candidato a prefeito em 2008, obteve 1.946 votos. Solteiro e professor de música, Antônio estuda qual será o ritmo adotado para levar sua mensagem nos 22 municípios do Acre. “Se eu poder conhecer todos os municípios já será um grande sonho, mas nossa mensagem chegará em todos os locais através da nossa militância”, garantiu.


Dividindo uma casa com a irmã, no bairro Boa Esperança, em Rio Branco, ousadia é uma das palavras que norteará a campanha do partido. E ousadia é o que não falta na vida de Antônio. Nascido no Rio Gregório, em Tarauacá, ele pratica artes maciais para equilibrar o corpo e a mente.


“Com ousadia e coragem o Acre vai mudar”, disse.


Dados de Antônio Rocha
Nome: Antônio da Cruz da Rocha Alves
Idade: 40 anos (22/04/1974)
Naturalidade: Tarauaca
Estado Civil: Solteiro(a)
Ocupação: Servidor Público Estadual
Escolaridade: Superior incompleto


Urna_ Rocha_PSOLCandidato a Governador Antonio Rocha 50
Número: 50
Nome para urna: Antonio Rocha
Cargo a que concorre: Governador
Estado: Acre
Partido: Partido Socialismo e Liberdade
Coligação: PSOL


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido