Conecte-se agora

Aécio recebe membros da oposição para discutir 2014 e confirma vinda ao Acre

Publicado

em

Acompanhado dos deputados Gladson Cameli (PP), Antônia Lúcia (PSC), Flaviano Melo (PDMB) e do senador Sérgio Petecão (PSD), o deputado Marcio Bittar (PSDB-AC) se reuniu na tarde desta quarta-feira, 12, com o presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG),pré-candidato a presidente da república, para comunicar a formação da aliança ‘Por um Acre melhor’, integrada por 11 partidos, a maior aliança regional de partidos de oposição com vista às eleições de outubro.

bittar_aecio (1)

“A aliança será o palanque de Aécio no Acre”, disse Bittar. Durante o encontro, o senador Petecão convidou Aécio para ir ao Acre ainda no primeiro semestre deste ano. O convite foi aceito de imediato.

Bittar disse que os partidos de oposição farão uma grande festa para recepcionar Aécio no Estado.

“A oposição do Acre está dando um exemplo de unidade”, disse Aécio Neves após ser informado por Bittar e os demais parlamentares sobre a formação da aliança com 11 partidos. Na oportunidade, Aécio agradeceu o empenho dos partidos, especialmente daqueles que estão em outra frente no plano nacional, como é o caso do PP e do PMDB.

Na opinião de Flaviano Melo (PMDB), reuniões como a de hoje, além de estreitar a proximidade com o candidato a Presidência da República, servem para traçar um panorama sobre a realidade atual do Acre.

“Deixamos claro a Aécio que nossa missão com o Acre é tirá-lo do atoleiro e torná-lo próspero e desenvolvido”, disse Bittar.

Gladson Cameli e Antônia Lúcia disseram a Aécio que o compromisso do bloco oposicionista, além de trabalhar pelo desenvolvimento do Estado, será também no sentido de devolver a liberdade aos acreanos.

“O Acre é vive um totalitarismo”, lembrou Antônia Lúcia. “É um Estado dominado”, arrematou Bittar. “Para mudar essa realidade, viemos hoje hipotecar nosso apoio ao senador Aécio na corrida rumo à Presidência”, acrescentou Gladson Cameli. 

A data da visita de Aécio Neves ao Acre será divulgada futuramente por sua assessoria.

 

Destaque 3

Calegário não tem condições de promover concurso, diz promotor

Publicado

em

O promotor de Justiça de Tarauacá, Flávio Bussab, recomendou ao prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, que anule todo o concurso da Saúde, por causa da descoberta de plágio nas provas para o cargo de enfermeiro. O certame, que previa o preenchimento de 150 vagas, foi realizado há duas semanas no município com a participação de mais de cinco mil candidatos.

5310a16b-02a8-485e-93cd-2fe3f52f3d94

Promotor diz que empresa não tem condições de promover concurso

“A empresa atua ilicitamente, imoralmente, indignamente”, disparou o promotor Flávio Bussab, ao se referir à empresa Calegário, responsável pela realização do concurso público.

LEIA MAIS:
>Com 5 mil prejudicados, Calegário nega motivos para cancelar concurso em Tarauacá

“Realmente o concurso apresentou ilegalidade no início do seu processamento e na feitura das provas. Plágio é crime. E em um dos casos, no de enfermagem, houve plágio total das 40 questões. Nós havíamos feitos várias reuniões com o proprietário da empresa e ele garantiu cabalmente que as questões não seriam plagiadas e seriam questões inéditas”, completou.

O promotor isentou a prefeitura de qualquer responsabilidade sobre o certame. “Eu isento a responsabilidade do prefeito do município, porque o executor material, o executor direto do concurso, da elaboração do concurso, foi a empresa Calegário. O concurso tá maquiado. O concurso tem que ser nulo na sua integralidade para todos os cargos”, diz.

Nesta quarta-feira, em entrevista ao ac24horas, Fagner Calegário, sócio-proprietário da empresa organizadora, disse que não há motivos claros para a ocorrência do cancelamento, visto que todos os procedimentos necessários foram tomados tão logo se percebeu a duplicidade das questões em provas e horários diferentes. “Vamos proteger o direito de mais de cinco mil pessoas que tinha sonhos e que fizeram esse concurso. São 4.200 candidatos que fizeram as provas, prejudicados”, disse o empresário ao ac24horas.

O prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, lamentou o transtorno ocorrido. Ele não descarta a possibilidade da rescisão contratual com a Calegário.

“Uma das penalidades pode ser sim a rescisão contratual, que ainda não foi estabelecida. Ao meu ver a Calegário diante de todas essas denúncias, diante de todos esses transtornos a população de Tarauacá, do estado e também de fora do estado que foram participar, a gente vê que a Calegário nesse momento não nutre as condições adequadas pra pleitear a realização desse novo concurso público, porque não tem a credibilidade necessária para realizar o certame.”

O assessor jurídico da prefeitura de Tarauacá, Emerson Pereira, afirmou que a empresa só foi contratada para realizar o certame porque entrou com um pedido liminar na Justiça pedindo o direito de participar da licitação. Porém, a idéia da prefeitura era manter uma parceria com alguma fundação com mais condições para realizar o concurso público.

“A idéia da gestão era que a gente oportunizássemos a participação de fundações públicas e até mesmo privada, algumas instituições que gozassem de algum conceito mais abalizado na área de concurso público, tendo em vista que um concurso público nosso anterior tinha sido feito pela Fundape. Nós queríamos contratar ou a Fundape ou uma empresa que fosse do seu quilate, mas infelizmente a Calegário entrou com um mandado de segurança na Justiça e o juiz concedeu pra eles uma liminar dizendo que essa exigência nossa de colocar apenas empresas sem fins lucrativos restringia o universo licitante”, explica.

A prefeitura ainda não marcou a data do novo concurso.

Continuar lendo

Blog do Crica

A eleição de Rio Branco passa pelo impeachment de Dilma em Brasília

Publicado

em

O PMDB não tem entrado na defesa do candidato único para a prefeitura de Rio Branco no momento, mas ninguém se engane, pois, tudo não passa de uma estratégia do seu presidente Flaviano Melo (PMDB). É ardiloso. Joga com a possibilidade de Dilma cair no próximo domingo, Michel Temer (PMDB) assumir a presidência, o que fortaleceria a candidatura da deputada Eliane Sinhasique (PMDB) à PMRB, e tornaria inevitável os demais partidos da oposição lhe hipotecarem apoio. Flaviano é um jogador da política. Sabe também que se a Dilma não for apeada, a sua candidata ficará isolada na disputa da prefeitura de Rio Branco. São as cartas do PMDB que estarão na mesa até domingo. Até lá nenhuma carta será movida na oposição.

Trabalhando pela queda
O deputado federal Wherles Rocha (PSDB) foi ao presidente do SOLIDARIEDADE, Paulinho da Força, a quem mostrou uma foto do ex-deputado federal Junior Betão (SOLIDARIEDADE), com o Marcus Alexandre e com o Tião Viana, como prova de aliança do partido com o PT, no Acre.

Contra tudo e contra todos
Mesmo contra o PT, o prefeito de Sena Madureira, Mano Rufino (PSB), irá disputar a reeleição.

Proibição no regimento
Rocha ouviu do deputado federal Paulinho da Força (SOLIDARIEDADE), que comanda o movimento pelo impeachment da Dilma, que “aliança com o PT é proibida no Regimento Interno” e que após domingo, ordenará que o SOLIDARIEDADE se junte à oposição.

Domingo é o “Dia D”
Após o resultado de domingo, caia ou não caia a presidente Dilma, muda tudo na política nacional e com reflexos naturais no Acre. Por isso não se pode fazer qualquer previsão até lá.

Nada que justifique
Por mais que chovam explicações sobre o fechamento dos Postos Policiais da Vila do V e Vila Campinas vão convencer os moradores, que ficarão desprotegidos. É bom para os bandidos.

Lugares de muita violência
E ainda porque Campinas e a Vila do V são duas comunidades atingidas pela violência.

PP entra na disputa
O PP vai para a eleição para a prefeitura de Capixaba com José Augusto (PP), que na eleição passada já se mostrou muito competitivo, e agora com a vantagem do desgaste do prefeito Vareda (PR), que não conseguiu deslanchar a sua pífia administração.

Falta-lhe gestão
O prefeito Vareda (PR) foi honesto na condução da prefeitura de Capixaba. Não se discute. Mas não foi um bom administrador. Tem que ser honesto e também ser um gestor de realizações, o que não é o caso do Vareda, que apenas cumpriu o tempo de mandato.

Não se limpa pela metade
O país só começaria a iniciar o caminho pela sua recuperação caso a presidente Dilma perdesse o mandato, mas que junto fosse também o vice-presidente Michel Temer.

Um é continuidade do outro
Michel Temer (PMDB) foi até ontem parceiro da desastrada presidente Dilma, que levou o Brasil ao descrédito internacional, à recessão, por isso não deve ser visto como uma salvação.

Virando uma brincadeira
Virou uma brincadeira este puxa-encolhe com os taxistas de Brasiléia que fazem fretes para Rio Branco, que são obrigados a deixar os passageiros na Gameleira e nem mais um centímetro adiante. A deputada Leila Galvão (PT) vai cobrar uma posição do prefeito Marcus Alexandre.

Está todo mundo reclamando
Fui parado por vários comerciantes com protestos à nova forma de cobrança do ICMS, que além de ser pago na entrada das mercadorias, antes da venda, não aceitam parcelamento. O assunto virou tema de debates ontem na Aleac, com o deputado Antonio Pedro (DEM).

Tomou gosto
O deputado Josa da Farmácia (PTN) tomou gosto pela candidatura a prefeito de Cruzeiro do Sul, mesmo não sendo o preferido dos petistas do município, que terão que lhe engolir, e se firmou como candidato oficial da FPA. Ao PT caberá apenas indicar o seu vice.

Nenhum passo
O ex-deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) diz que nenhum movimento será tomado na escolha do candidato a vice-prefeito na chapa do prefeito Marcus Alexandre até o julgamento do impeachment. Para o comunista, que também luta para manter o espaço da vice, até domingo nada anda.

Uma luta pessoal
Um importante dirigente do PMDB me ligou ontem para dizer que, a candidatura da deputada Eliane Sinhasique (PMDB) chegou a um patamar no partido de unanimidade e por isso será mantida. “Foi uma luta pessoal para chegar aonde chegou”, justificou a fonte na sua defesa.

Placar quase zerado
A grande imprensa tem publicado o placar do impeachment e mudando a cada momento. Com o número se aproximando do total de votos para a cassação da presidente Dilma, o perigo para a presidente é o “efeito manada”, em que os indecisos acompanham a maioria.

Os números avançam
Pelo placar do ESTADÃO na parte da tarde de ontem já havia a confirmação de 326 votos a favor do impeachment e com 62 deputados indecisos. Precisam de 342 para a cassação da Dilma. Hoje, este número poderá já ter aumentado, porque tudo está sendo muito volátil.

Candidatura reafirmada
Quem esteve ontem pela Assembléia Legislativa foi o ex-prefeito Tião Bocalon (DEM), se dizendo candidato a prefeito de Rio Branco e na defesa da candidatura única na oposição.

Ninguém sabe o que pode acontecer
Há também um componente que ninguém pode prever: o que acontecerá na “Lava-Jato” até o próximo domingo. A cada minuto, a cada hora que passa, tudo se torna mais emocionante.

Entrou em parafuso
O prefeito de Epitaciolândia, André Hassem (PR), até que no início do ano manteve equilibrada a sua administração, com obras, mas tudo indica que não conseguiu fazer o enfrentamento da crise econômica e está tudo parado no município. E acoplado a um desgaste gigante.

Ao meu caro zorro (Gemil Junior)
O secretário de Saúde, Gemil Junior, que costuma vestir uma fantasia que é um misto de Batman-Robin e Zorro para dar palestras motivacionais aos servidores, poderia mandar devolver a ambulância de Xapuri. Minha caixa de e-mail lotou com pedidos.

Político equilibrado
Nem tudo é negativo na política. Como em qualquer categoria existem bons e maus políticos. Só que na política tem mais tranqueira que gente séria. Um político sério da nova safra petista é o deputado Ney Amorim, elogiado até pela oposição na condução da Aleac.

Duas frentes
A oposição está dividida em duas frentes na disputa da prefeitura de Rio Branco. DEM-PSDB-PR-PEN-PSC-PRTB-PMN-PSD formam um lado. Do outro, o PMDB sem aliados. É o quadro atual.

Não existe no dicionário
No dicionário da oposição não existe a palavra “humildade” todo mundo quer ser cacique, e cada um achando que deve tomar o norte que bem entender. Não aprenderam nem depois de tantas surras nas urnas para os candidatos do PT. Igual mulher de malandro, apanhando e pedindo mais.

Independente da queda
Não pense a oposição que com o impeachment da presidente Dilma a candidatura do prefeito Marcus Alexandre é boi indo para o matadouro, independente de tudo entra na disputa muito forte. Com Temer presidente terá mais dificuldades na eleição, mas não o menosprezem.

Candidatos a vereador de Rio Branco
Helder Paiva (PSB), Geraldo (PSOL), Lene Petecão (PSD), Marcelo Jucá (PSDC), Raimundo Fernandes (PMDB), Dr. Jferson (PRB), Evandro Cordeiro (PSC), Cachorrão (PHS), Rose Costa (PT), Walter Prado (PR), Pastora Sandra (PDT), são alguns dos candidatos a vereador da Capital.

Trombando contra a cúpula
O deputado Jonas Lima (PT) vai para a trombada com a cúpula petista, que quer como candidato a prefeito de Porto Acre, o ex-deputado Bené Damasceno (PROS), como único nome da FPA. É um dos articuladores e um dos maiores defensores da candidatura do ex-prefeito Zé Maria (PT), em que pese ter feito uma desastrada administração. Jonas articulou-se e conseguiu maioria dentro do diretório municipal do PT de Porto Acre, o que deixa seu candidato como irremovível dentro das regras partidárias. Mas, o principal adversário o deputado Jonas Lima (PT), dificilmente, conseguira derrotar: a rejeição popular ao Zé Maria.

Continuar lendo

Destaque 5

Fieac é contra o impeachment da presidente Dilma

Publicado

em

Ao contrário das principais federações das indústrias dos estados, como a Fiesp e a Firjan, a Fieac é contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A informação foi confirmada por meio de um artigo publicado no site da entidade na tarde desta quarta-feira, 13, assinado pelo presidente da federação, José Adriano Silva.

“Não apoiamos o impeachment conduzido por interesses obscuros nem um presidente da Câmara dos Deputados réu no Supremo Tribunal Federal por crime de corrupção. Não podemos ser cúmplices de um crime contra a história da democracia brasileira. É inaceitável fecharmos os olhos a um espetáculo de horrores cujos principais atores são carentes de credibilidade para julgar”, diz um trecho do artigo.

De acordo com o presidente da Fieac, “a indústria brasileira sente os efeitos gerados pela instabilidade política, que trouxe impactos profundos na economia, provocando estagnação e a incerteza quanto ao futuro”.

E usa a palavra “golpe”, repetida pela chamada militância de esquerda que defende o PT e é contra o impeachment, para defender “que toda e qualquer decisão que venhamos a tomar seja amparada na nossa Carta Magna, sob pena de sermos vistos na história como patrocinadores de golpe, atendendo a interesses nem sempre nobres e órfãos do sentimento da soberania nacional”.

“Aqui, do Acre, rogamos pelo bom senso, pela política grande, pelo olhar de uma indústria forte e comprometida com a democracia e a estabilidade nacional. Entendemos que qualquer quebra de regra constitucional não é benéfica para a nação. Que toda e qualquer ação que possa ser vista como golpe gerará instabilidade e, consequentemente, mais prejuízo para a indústria brasileira”, completa José Adriano Silva.

Continuar lendo

Destaque 2

Acre decreta situação de emergência contra a dengue, zika e chikungunya por 180 dias

Publicado

em

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 02, entre o governador Sebastião Viana e o secretário de Saúde do Estado, Armando Melo, foi decretado situação de emergência estadual, por 180 dias, em razão da entrada do zika vírus e chikungunya.

Armando Melo ressalta que com o decreto de emergência, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), o poder público pode adotar providências mais enérgicas com relação ao combate ao mosquito Aedes aegypti no Acre.

Secom_Acre.GM0202166221

“As ações que a Sesacre já vinha executando serão reforçadas. Não temos casos de zika e chikungunya confirmados pelo laboratório de referência para o Norte e Nordeste, Instituto Evandro Chagas, mas por uma questão de prevenção, de controle e monitoramento e, para evitar que tenhamos que tomar medidas repressivas, o governador, em contato com a Presidência da República, decreta esta situação de emergência estadual”, explica.

O secretário destaca ainda que a determinação é evitar que o mosquito Aedes aegypti se prolifere no Acre e cause risco à população. Armando Melo lembra que o governo do Acre já vem executando ações no combate ao mosquito em atividades coordenadas e executadas pela Sala de Comando e Controle de Combate à Dengue, Zika e Chikungunya.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.