Conecte-se agora

“A Polícia Civil está à beira de um colapso”, denuncia sindicalista

Publicado

em

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Acre (Sinpol), Itamir Lima denunciou nesta segunda-feira (7), que a Polícia Civil está a beira de um colapso no estado.

O sindicalista desabafa e afirma que os gestores da área de segurança estariam “empurrando com a barriga” a situação da instituição que se agrava e prejudica o trabalho dos agentes em todo Acre.

Segundo Itamir Lima, enquanto a violência cresce o quadro funcional da Polícia Civil diminuiu drasticamente. “Em 2001, o quadro era de 1.500 agentes – hoje temos apenas 672. Até 2014, mais de 300 policiais civis estarão aposentados. Atualmente, 200 agentes estão com o tempo de aposentadoria vencido, podendo requerer o benefício a qualquer momento”, informa.

O sindicalista reclama ainda da morosidade do governo do Acre para convocar os aprovados no concurso da Polícia Civil. “O concurso completou um ano, mas ninguém foi chamado. Mesmo que convoquem em caráter de urgência, os novos agentes precisariam de no mínimo seis meses para fazer exame, investigação social e o curso de formação”, afirma Itamir Lima.

Sindicalista“A Polícia Civil está à beira de um colapso. Em várias delegacias do interior temos apenas dois agentes. Cito como exemplo os municípios de Porto Walter, Marechal Thaumaturgo e Tarauacá que tem apenas um policial por plantão. Estes números são apenas dos agentes sem contar com a deficiência no quadro de peritos, escrivães e papiloscopistas”, diz Itamir – FOTO.

De acordo com o sindicalista, o estado teria apenas 92 escrivães para 76 delegados. A proporção mínima seria de dois escrivães para cada delegado. O quadro também é caótico na área de médicos legistas. “Temos cinco médicos legistas para atender todo o Acre. Em 2001, ficou estabelecido que o número mínimo seria de 15 profissionais”, revela Itamir Lima.

O presidente do Sinpol está empreendendo uma verdadeira peregrinação em busca de apoio para solucionar o déficit do quadro funcional da Polícia Civil. “Precisamos que os aprovados no último concurso sejam convocados de imediato. O governo precisa lançar edital de um novo concurso, já que a atual administração não trabalha com cadastro de reserva”, enfatiza Itamir.

A diretoria do Sinpol pretende apresentar um relatório com a situação da Polícia Civil no estado, durante a realização de uma audiência pública que será realizada pela Assembleia Legislativa para debater os problemas de segurança pública no Acre.

 

 

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas