Menu

Justiça Eleitoral do Acre inocenta Denilson Segóvia e Antônia Lúcia sobre denúncia de compra de votos e abuso de poder econômicos

Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

A Corte Eleitoral do Acre julgou na tarde de quinta-feira, 8, Ação de Investigação Judicial Eleitoral ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral, em face de Antonia Luciléia Cruz Ramos, Silas Câmara, Denílson Segóvia de Araújo, Gilson Tagina da Silva, Antônio José da Silva Santana e Iderson Márcio Enes Ribeiro. Consta dos autos que nas eleições de 2010, estes foram acusados de compra de voto, entre outros crimes.


O Ministério Público Eleitoral requereu a condenação dos representados por abuso de poder econômico, com a aplicação da sanção de inelegibilidade por oito anos, a contar do fato, com a cassação de seus registros ou diplomas, ante a lesividade dos atos praticados.


O relator do processo, desembargador Roberto Barros, entendeu que com nulidade de todo o suporte probatório, em especial das interceptações telefônicas ilegalmente autorizadas, não se sustentam as acusações contra a deputada federal eleita em 2010 e os outros representados. Deste modo, votou pela improcedência do pedido, no que foi acompanhado pelos demais membros da corte.

Publicidade

Com informações do TRE/AC


 


 


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido