Conecte-se agora

CPT e CIMI do Acre denunciam violência e ameaças de morte contra seus integrantes

Publicado

em

“Estou ligando para você avisar aos seus amigos da CPT que morreu gente no Pará, em Rondônia e que agora vai ser no Amazonas e no Acre. E é daí por diante”. A ameaçada foi feita por telefone ao agente da Comissão da Pastoral da Terra (CPT) Cosme Capistano da Silva.

O clima é de tensão na CPT e no Conselho Indigenista Minissionário (CIMI) no Acre, que cumprem a missão de acompanhar as comunidades rurais e indígenas do estado e sul do Amazonas, e que por isso, divergem de interesses econômicos do latifúndio, madeireiros e fazendeiros.

Telefonemas e ameaças presenciais viraram rotina, além de invasões à sede política da CPT. Em 8 de junho de 2011 o agente Célio Lima da Silva recebeu uma ligação no telefone fixo da CPT. Um homem desconhecido avisou: “ você diga aquele seu amiguinho Cosme lá de Boca do Acre e aquela sua amiguinha Darlene que eles estão na lista”.

Várias outras ameaças foram feitas contra indígenas. Francisco Siqueira Arara, cacique do povo Apolima-Arara, fez mais de dez denúncias de ameaças que vem sofrendo, sempre envolvendo questões relacionadas à lua pela terra.

Veja a nota assinada por integrantes do Cimi e da CPT no Estado em seus portais na internet:
A CPT e o CIMI Acre, desde suas respectivas fundações, cumprem a missão de acompanhar as comunidades rurais e indígenas do estado e sul do Amazonas. Temos claro que mexer com interesses econômicos do latifúndio, madeireiros e fazendeiros, não é uma tarefa fácil.

Todas as ações contrárias ao saque legalizado e oficialmente subvencionado à floresta acreana incomodam um grupo cuja ação tem sido a sistemática inviabilização da permanência das comunidades em seus territórios. Historicamente, eles não receiam em utilizar meios violentos para seguirem expropriando.

O que não foi diferente com as equipes da CPT e CIMI Acre que, ultimamente, sofrem ameaças porque incomodam e incomodam muito. Telefonemas e ameaças presenciais, além de invasões à sede política da CPT, são as maneiras usadas para jogar ela intimidação.

No enfrentamento a esta realidade, soma-se o CIMI, com foco mais específico na realidade indígena, igualmente questionadora do latifúndio e das novas formas de apropriação dos meios naturais coletivos para transformá-los apenas em capital de acúmulo para alguns.

Nesta mesma frente, portanto, encontram-se lideranças indígenas, trabalhadores rurais, agentes e missionários da CPT e do CIMI, numa cronologia cuidadosamente desenhada e inadmissível.

OS FATOS – CPT

1 – Em 3 de junho de 2011 o Agente Pastoral Cosme Capistano da Silva, recebeu uma ligação no seu celular, um homem lhe disse: “Estou ligando para você avisar aos seus amigos da CPT que morreu gente no Pará, em Rondônia e que agora vai ser no Amazonas e no Acre. E é daí por diante”.

2 – Em 8 de junho de 2011 o agente Célio Lima da Silva recebeu uma ligação no telefone fixo da CPT, um homem desconhecido que lhe disse: “ você diga aquele seu amiguinho Cosme lá de Boca do Acre e aquela sua amiguinha Darlene que eles estão na lista”.

3 – Em visita às comunidades da bacia hidrográfica do riozinho do rola (comunidade atingida pelo manejo madeireiro) a equipe da CPT foi abordada por um veículo e Mozar Marcondes Filho parou seu veículo e tirou fotografia do veículo da CPT Acre.

4 – No dia 15 de agosto de 2012 arrombaram a sede da CPT Acre e nada levaram. No dia 25 de agosto de 2012, entraram novamente na sede da CPT, arrombaram todas as portas, entraram na sala da coordenação e nada levaram. Nas salas tinham cheques assinados, dinheiro em espécie, equipamentos e nada levaram. E ainda deixaram o dinheiro e cheques que estavam na gaveta em cima da mesa, bem visível, comprovando assim que não era roubo.

OS FATOS – CIMI

5 – No dia 09 de abril de 2012, durante reunião, Pedro Jaminawa, indígena do povo Jaminawa, Terra Indígena Caiapucá, tornou públicas as ameaças que ele e sua família vinham sofrendo por parte de fazendeiros que exploram ilegalmente a madeira na terra indígena. “Que o João tome cuidado que o pessoal vai matar ele”. Outra ameaça feita à irmã de João: “Fala pro João que enquanto a terra não for demarcada, vão continuar retirando madeira e que se o João continuar atrapalhando vamos dar um fim nele.”

6 – No dia 17 de abril de 2012, Lindomar Dias Padilha, coordenador regional do CIMI Amazônia Ocidental, recebeu uma ligação, não identificada, onde uma voz masculina dizia: “Cuidado mais pessoas podem morrer”.

7 – No dia 18 de maio, Lindomar recebe outra ligação e uma voz masculina não identificada diz: “Você está na nossa lista.”

8 – No dia 1º de junho, Francisco Jaminawa e outros três indígenas foram ouvidos por um funcionário da Funai, onde narraram as várias ameaças de morte que vinham sofrendo. Não tivemos até agora nem cópia do documento e não sabemos de nenhum encaminhamento. Francisco é cacique da aldeia São Paolino e lá toda a comunidade está presa em suas casas porque, segundo afirmam, se saírem serão mortos pelos jagunços dos fazendeiros.

9– No dia 14 de julho, dois missionários do Cimi se preparavam para viajar quando Lindomar recebeu nova ligação: “Tome cuidado com a viagem. Essa estrada é perigosa e acidentes podem acontecer”.

10 – Várias outras denúncias foram feitas por indígenas. Só Francisco Siqueira Arara, cacique do povo Apolima-Arara, fez mais de dez denúncias de ameaças que vem sofrendo, sempre envolvendo questões relacionadas à lua pela terra.

Por fim, entendemos (CIMI e CPT) que medidas precisam ser tomadas, pois é urgente a garantia do território às comunidades ribeirinhas e seringueiras, além da demarcação das terras indígenas – cujos processos estão paralisados desde o ano de 2000. Só com essas medidas a paz voltará ao campo e a vida garantida aos povos que nele vivem.

Acre

Idoso que escapou da Covid-19 comemora aniversário em hospital

Publicado

em

Internado com Covid-19 desde o dia 19 no Hospital de Campanha de Rio Branco, o aposentado José Ambrosio de Lima Filho, completou 69 anos nesta quarta feira, 23, com direito a bolo e visita da família dentro da unidade hospitalar. Todos os protocolos sanitários foram seguidos pelos familiares e o paciente pôde interagir com parentes e equipe no aniversário.

“Tenho muito o que comemorar porque escapei da Covid e estou vivo. Agradeço a essa equipe maravilhosa, a minha família e a Deus por esse momento de alegria. Estou mais confiante agora que sairei daqui sem sequela para viver feliz ao lado da minha família”, citou emocionado.

O diretor do INTO e Hospital de campanha, médico Osvaldo Leal, destaca todo o trabalho em torno da recuperação dos pacientes. “Celebrar a vida de nossos pacientes tem se tornado um hábito de nossa equipe. Importante nestes momentos destacar a luta pela vida e o trabalho em torno da recuperação de nossos pacientes”, conclui o gestor.

Continuar lendo

Acre

Rio Branco amanhece sob forte nevoeiro; veja as fotos

Publicado

em

Diversos pontos na região central de Rio Branco amanheceram com uma forte neblina nesta quinta-feira (24). O fotojornalista do ac24horas, Sérgio Vale, registrou algumas imagens.

Nas fotografias é possível constatar que os motociclistas devido a intensidade do nevoeiro tiveram que levantar a viseira de seus capacetes para tentar alguma visibilidade. Em outra imagem, uma parte da ponte Sebastião Dantas.

Segundo os meteorologistas da Climatempo, o fenômeno é mais comum no inverno, mas aconteceu agora por haver bastante umidade na atmosfera.

Segundo o meteorologista, o tempo nesta quinta-feira (24) será de bom, sem chuvas, com baixa umidade do ar, que vai predominar no Acre, em Rondônia, no Amazonas (sudeste, sul e sudoeste), em Mato Grosso, na Bolívia (planícies) e no Peru (região de selva).

Nas demais áreas do Amazonas, poderão ocorrer chuvas fortes, acompanhadas de raios. No Distrito Federal, em Goiás e na maior parte de Mato Grosso, tempo seco, com sol e poucas nuvens. Em Brasília, em Goiânia e nos arredores, a temperatura cai rapidamente durante a noite.

Fotos: Sérgio Vale/ac24horas (PROIBIDA A REPRODUÇÃO)

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Continuar lendo

Acre

Mais de 72 mil estão aptos a tomar a segunda dose da vacina no Acre

Publicado

em

Ao menos 72.768 acreanos devem procurar os postos de saúde em todo o Estado para tomar a segunda dose das vacinas contra a Covid-19.

O Acre aplicou até agora, de acordo com os dados que constam na plataforma do E-SUS Notifica, alimentada pelos municípios, cerca de 205.656 1ª doses, dessas já estão aptas a tomar a 2ª dose, explica o epidemiologista da Secretaria de Estado da Saúde, Marcos Lima: “conforme os critérios de tempo definidos pelo Ministério da Saúde, 116.989 pessoas, sendo que 44.221 pessoas já fizeram isso, ainda faltam 72.768”.

O Ministério da Saúde indicou que o último lote de vacinas enviados ao Acre, com 19.250 doses, é para essa finalidade -a de completar a imunização.

Continuar lendo

Acre

Após reunião, ExpoAcre deve ocorrer entre outubro e novembro deste ano

Publicado

em

A secretária Estadual de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, revelou nas redes sociais que esteve reunida com a Associação Comercial, Industrial, de Serviço e Agrícola do Acre (ACISA) para definir as tratativas de realização da ExpoAcre 2021. Além disso, existe a possibilidade do governo promover a tradicional Cavalgada.

Sinhasique destacou que o governo estuda a possibilidade da realização da feira agropecuária entre os meses de outubro e novembro. Segundo a gestora, a realização da maior feira do Acre deve levar em conta o avanço da vacinação. “Começamos as tratativas que levam em conta a vacinação que está avançando rapidamente, as adequações sanitárias, o clima e o tempo, as estruturações que precisam ser readequadas para essa realidade, a data, os shows, as reformas e inscrições de participantes”, declarou.

Sinhasique ressaltou que a partir de agora terá muito trabalho pela frente. “Com responsabilidade, trabalhos em conjunto e todas as medidas que precisam ser adotadas vamos fazer a retomada da economia e da vida no Acre”, explicou.

A tradicional feira ocorre anualmente na segunda quinzena de julho, no entanto, a última ExpoAcre ocorreu em 2019, pois em 2020 o evento foi cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus.

A festa é a maior no campo do agronegócio no estado. Em 2019, durante nove dias, a ExpoAcre movimentou mais de R$ 74 milhões e atraiu mais de 200 mil pessoas.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas