Conecte-se agora

Movimento dos Direitos Humanos denuncia: famílias alojadas nos abrigos públicos de Rio Branco estão sendo expulsas sem ter para onde ir

Publicado

em

O coordenador do  Movimento de Direitos Humanos do Acre- MDH/AC, Jocivan Santos, vem denunciando que ás famílias abrigadas no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, estão sendo pressionadas pelas equipes da prefeitura e do governo do estado do Acre com a apoio da Policia Militar, a deixaram os abrigos improvisados mesmo sem terem para onde irem, tendo em vista que alegam a enchente do rio Acre literalmente destruiu as suas moradias.

Josivan disse que “recebi várias ligações dando conta da prisão de um dos ex-abrigados do local aconteceu por ser contrario a retirada das famílias. O cidadão Rosemilson Araujo ficou detido dentro do parque de exposição por varias horas, depois foi encaminhado ao 1º Distrito Policial  sobe a acusação de perturbar o “trabalho público social”, onde permaneceu até 01 hora da madrugada de ontem (18) e foi liberado” relata.

Dado a pressão da PM para que os desabrigados saíssem dos abrigos, [prazo esse estipulado pelas autoridades até as 19h do último sábado], um grupo de ao menos 40 manifestantes decidiram interditar a rodovia AC 40  para chamar a atenção da imprensa. Eles consideram que a retirada é feita de forma “agressiva e arbitrária” do Parque de Exposições.

O assunto imediatamente virou um intenso debate nas redes sociais onde pessoas manifestavam apoio as vítimas da enchente, enquanto o secretária especial do Partido dos Trabalhadores, André Kamai , alegava que “toda assistência estava sendo dada as famílias e que as notícias divulgadas na internet  eram mentirosas um desserviço ao trabalho do governo.

O trabalho de retorno as famílias vítimas da enchente do rio Acre durante a  Operação Volta Para Casa, segundo a coordenação municipal de Defesa Civil, vem sendo feito de forma ordeira e humana e deve ser concluído ainda na manhã desta segunda-feira (19). Quanto as denúncias feitas pelo coordenador do MDH/AC, não quiseram comentar sobre o assunto.

Salomão Matos
Da redação de ac24horas
[email protected]

Acre

Tesouro concede B ao Acre em capacidade de pagamento

Publicado

em

De acordo com a análise da capacidade de pagamento (CAPAG) realizada em 2022, 21 Estados possuem nota de capacidade de pagamento A ou B, a qual permite que o Ente receba garantia da União para novos empréstimos. Com boa saúde financeira, o Acre recebeu nota A novamente. Essa nota, concedida no final de novembro pelo Tesouro Nacional, se sucede ao longo da gestão de Gladson Cameli.

Parte dos Estados sofre para regularizar suas finanças. Goiás e Rio de Janeiro passaram das notas C e D para as respectivas notas B e C. Tocantins também melhorou sua capacidade de pagamento, que mudou de C para B. Por outro lado, Maranhão deixou de ser elegível a operações de crédito com a garantia da União, ao passar da classificação B para C em 2022.

A maioria dos Estados sem boa classificação de capacidade de pagamento (A ou B) possuem Índice de Liquidez (IL) maior ou igual a 100%. Para esses Estados, o volume de obrigações de curto prazo das fontes de recursos não vinculadas é superior aos recursos em caixa, o que resultou na perda da boa classificação de capacidade de pagamento.

Alguns Estados também possuem indicador de Poupança Corrente maior ou igual a 95%, o que indica que a capacidade de pagamento foi afetada por uma relação entre receitas e despesas correntes com pouca margem para o crescimento das despesas obrigatórias estaduais.

No caso do Acre, o Estado ficou com nota B no indicador de capacidade de endividamento; B em poupança corrente; e A no índice de liquidez, o que resultou em nota geral B em CAPAG.

Continuar lendo

Acre

PRF age rápido e desobstrui trechos bloqueados em Rondônia

Publicado

em

A assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou na tarde desta quinta-feira, 1°, que os trechos bloqueados nos municípios de Ariquemes e Cacoal, no estado de Rondônia, foram totalmente desobstruídos.

A rodovia havia sido fechada por um grupo de manifestantes bolsonaristas que estão acampados às margens da rodovia da BR-364, em Rondônia, em protesto contra o resultado das eleições que ocorreram há um mês e que teve Lula declarado vencedor.

No entanto, apesar do desbloqueio na rodovia, informações extraoficiais dão conta que, os manifestantes pretendem, novamente, fechar a estrada que liga o Acre ao restante do país.

Continuar lendo

Acre

Acre tem novo caso suspeito de Varíola dos Macacos

Publicado

em

Um novo caso suspeito de Monkeypox (varíola dos macacos) foi notificado no Estado, nesta quinta-feira, 1°, pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), por meio de Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Sendo assim, o número de casos chegam a 34, sendo um confirmado, 31 descartados, um suspeito e um com perda de seguimento.

Os sintomas comuns da doença são, erupções cutâneas, lesões em mucosas, febre, dor de cabeça, inchaço dos linfonodos (ínguas), dores nas costas, dores musculares e fadiga.

Em situações suspeitas, os atendimentos estão sendo disponibilizados em qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) ou de pronto atendimento (UPAs). A rede conta com insumos para coleta de amostras das lesões cutâneas para análise laboratorial.

Continuar lendo

Acre

Saúde do Acre identifica casos das subvariantes BQ 1.1 e BE. 9 da Covid

Publicado

em

O relatório de circulação de linhagens do SARS-CoV-2, emitido pela Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) nesta quarta-feira, 30, aponta que as novas subvariantes da covid-19, identificadas no Brasil, inicialmente no estado do Amazonas, em outubro deste ano, BQ 1.1 e BE.9, já estão em circulação no Acre.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), de 6 amostras de pacientes com sintomas da Covid-19, residentes nos municípios de Rio Branco (AC), Sena Madureira (AC) e Boca do Acre (AM), e coletadas em 17 de novembro, duas foram identificadas com as linhagens BQ 1. 1 e quatro com a linhagem BE. 9, ambas derivadas da variante Ômicron, mesma cepa que circula atualmente na Europa e causou o aumento das infecções em países como Alemanha e França.

A chefe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), Débora dos Santos, afirma que não há mudanças em relação aos sintomas, que continuam sendo para a maioria dos pacientes: dor de cabeça, tosse, febre, dor de garganta, cansaço, perda de olfato e paladar.

“Também é preciso dar ênfase à transmissibilidade, que é mais elevada. Uma série de ações permite reduzir os riscos da transmissão da covid-19 e de outras doenças como a gripe e resfriados. Além do uso de máscara, medidas de higiene como a lavagem das mãos, o uso de álcool gel e distanciamento de pessoas sintomáticas contribuem para reduzir os riscos da infecção”, destacou Débora.

A principal recomendação é estar com o calendário vacinal completo e atualizado, incluindo as duas doses de reforço. O cuidado deve ser redobrado nos casos de gestantes, idosos, crianças de baixo peso, imunossuprimidos e portadores de comorbidades crônicas descontroladas. Caso os sintomas apareçam, procure atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e faça testagem para o vírus.

“Por enquanto, nenhuma das duas parece provocar o aumento relevante de hospitalizações e mortes, contudo, a melhor forma de prevenção a sintomas graves da doença continua sendo a vacinação, incluindo as doses reforço para aumento da imunidade. Foi aprovado pela Anvisa recentemente a vacina bivalente contra a covid, que será mais uma dose de reforço. Temos expectativas de que chegue no Brasil no início deste mês de dezembro e assim que for liberada no Acre convocaremos para a ministração”, finalizou Daila Timbó, responsável pelo Centro de Referências para Imunobiológicos Especiais (Crie).

Com informações da Agência de Notícias do Acre.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.