Conecte-se agora

No Acre: alagamento santo de cada eleição!

Publicado

em

Para quem esta no poder há mais de 13 anos e nunca pensou em planejamento urbano para uma capital ribeirinha e mais uma dezena de cidades do Estado nas mesmas condições, as “tragédias naturais” que as chuvas repetem quase todos os anos no Acre é uma verdadeira “benção eleitoral”.

Os Vianas devem estar espocando champanhas em suas mansões, agradecendo e comemorando essa desgraça que se abate sobre o povo sofrido desse pedaço do Brasil esquecido e desprestigiado pelo Governo Federal petista.

Ilhado do resto do Brasil pelas cheias atuais e pela seca em tempos de estiagem – quando o rio Madeira eviscera seu leito arenoso – as terras conquistadas pela liderança do gaúcho Plácido de Castro, vivem hoje um desgaste moral e político nunca antes vivido na história republicana.

Com “líderes” políticos sub judice, como são o governador Tião Viana e seu irmão, senador Jorge Viana – que enfrentam processos na justiça eleitoral e em outras esferas – os desmandos e atrocidades políticas-administrativas são cada vez mais escancaradas, num flagrante sentimento de impunidade daqueles que se sentem acima do bem e do mal, donos do destino de um povo.

Com atitudes mesquinhas e de cunho eleitoreiro, determinam à políticos carreiristas a “coordenação” das ações de ajuda e recuperação dos danos e efeitos da “tragédia natural”.

Rejeitados pela presidente Dilma e tratados como escória do PT, nem sequer conseguiram uma visita presidencial de verificação dos estragos e solidariedade política. Vivem um fuso-horário político de dar dó!

O povo acreano a tudo percebe através dos raios luminosos que escapam, através das redes sócias, do bloqueio de informação imposto pelos mandatários do poder e soberanos da verdade.

As últimas eleições já mostraram o quando estão desgastados esses Vianas e sua panelinha de apaniguados. A luz do final do túnel já ilumina mentes e corações e anuncia novos tempos com as eleições municipais que se aproximam.

Bolos de dinheiro, retirados dos cofres públicos, já foram encontrados nas mãos e casas de políticos da tal “Frente Popular” e a PF e o MPE já se sentem mais “autorizados” a vigiar os possíveis reincidentes.

Dessa vez, senhores governantes, o povo do Acre quer saber e vai saber a verdade que as urnas – infelizmente – “esconderam” no pleito passado.

Ao contrário do processo que corre na justiça, o julgamento da vossa trupe já esta marcado para o próximo mês de Outubro.

Como diriam os bolivianos que viveram por aí no passado: hasta la vista!

Escrito por José Américo e publicado no Facebook de João Correira.

Acre 01

Dependentes do Auxílio Brasil é 25% maior que os trabalhadores de carteira assinada no Acre

Publicado

em

No Acre, o número de beneficiários do Auxílio Brasil é 25% aos trabalhadores com carteira assinada. São 111.112 pessoas atendidas pelo seguro social e 85.502 empregados formais no Estado, segundo os dados mais recentes.

Um levantamento do G1 publicado nesta quarta-feira (18) mostra que essa situação não é só no Acre: quase metade das unidades da Federação do país tinha mais beneficiários do Auxílio Brasil do que trabalhadores com carteira assinada em março deste ano.

em 13 estados o número de famílias que vivem do dinheiro do Auxílio Brasil é maior que o das que vivem da renda do trabalho formal, com vínculo CLT.

Os cálculos do G1 mostram que as maiores diferenças entre o número de beneficiários do auxílio e empregados com carteira assinada estavam nos Estados do Maranhão (576.411 mais beneficiários do que CLT), Bahia (412.290), Pará (332.706), Piauí (241.874), Pernambuco (155.548), Paraíba (188.546), Alagoas (118.974) e Ceará (110.915).

Conforme já noticiou o ac24horas, o desemprego no Acre, que subiu para 14,8% em março, é o 5º maior do País e apenas 64,9% da massa de trabalhadores tem carteira assinada.

Continuar lendo

Acre

Governo troca mais de uma dezena de cargos comissionados

Publicado

em

O governador Gladson Cameli voltou a fazer mudanças em cargos comissionais em seu governo pelo Diário Oficial desta quarta-feira, 18. Com a definição nos próximos dias de quem caminhará definitivamente com o governo no apoio à reeleição, mudanças devem continuar acontecendo.

Confira a lista de nomeados e exonerados desta quarta:

Nomeações

Jeferson Ferreira Dias – CEC-1, na Fundação de Cultura Elias Mansour – FEM

Josilda Lima Da Silva – CEC-3, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Bruna Roana da Silva Delilo – CEC-7, na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Julyane Silva Yarzon – CEC-4, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

Joelson Queiroz Souza Amorim para exercer o Cargo em Comissão, referência CEC-5, na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG

Taylon Lemos Pereira – CEC-1, na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

José Alberto Castro Lima ­- CEC-4, na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão – SEPLAG.

Thais Ferreira de Araujo – CEC-6, na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Políticas Indígenas – SEMAPI.

Exonerações

Vitor Oscar da Silva Marques – CEC-4, nomeado através do Decreto nº 8.135, de 26 de fevereiro de 2021

Marcel Magalhães Lima – CEC-5, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional – SEDUR

Dimitrius Carvalho de Barros – a pedido – CEC-1, da Fundação de Cultura Elias Mansour – FEM

Leyde Dhayane da Silva – CEC-3, da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA

Continuar lendo

Luiz Calixto

Nó da engenhoca

Publicado

em

Márcio Bittar é o presidente do União Brasil, partido que tem o deputado federal Alan Rick como pré-candidato ao Senado. Ocorre que Bittar apoia obsessivamente a pretensão de sua ex-mulher, Márcia Espinosa, que disputará o mesmo posto pelo PL.

Israel Milani, filho da deputada federal Vanda Milani, pré-candidata ao Senado pelo PROS em coligação com o PSD, do senador Sérgio Petecão, tentará uma vaga na Câmara Federal pelo Republicanos, que, por sua vez, é um partido integrante da holding Bittar S/A, cujo presidente é João Paulo Bittar, filho que herdou o DNA da prepotência e arrogância de Márcio e Márcia.

Filiados a partidos distintos, a deputada Vanda declinou ao direito de pleitear à reeleição para ceder o lugar ao filho Israel. Todavia, para não ficar fora, Vanda está anunciada como candidata ao Senado por um partido desertor da aliança inicial de Gladson Cameli, o PSD.

Entre outros espaços no governo, Vanda foi contemplada com a Secretaria do Meio Ambiente, para a qual indicou o filho, o médico Israel.

Atraído pelo canto da sereia de Bittar, Israel marcou filiação ao PP, de Gladson Cameli, mas, no aos 44 do segundo tempo, assinou a ficha no Republicanos, do conglomerado partidário da família Bittar.

Mais uma vez, Cameli foi vítima do “ fez 99, mas não fez 100”, pois não há registro na história política do Acre de gestão na qual partidos tenham sido tratados à pão de ló.

Até os adversários petistas ficam tontos com o desempenho pessoal do governador aferido em pesquisas.

A impressão é que o surrado ditado popular” melhor sozinho que mal acompanhado” surtiu efeitos positivos.

Nas rodas e colunas políticas fala-se que o controlador da holding negará a legenda no Republicanos para Israel, por não admitir que este apoie uma candidatura fora do seu arco de alianças.

Na base do “ faça o que eu digo, não faça que eu faço”, Bittar vai exigir a fidelidade que ele não cumpre com candidato de seu próprio partido, o União Brasil.

Cá entre nós eu duvido que Bittar tenha coragem para frear os Milanis. Meu desconfiômetro aponta, inclusive, que essa jogada é ensaiada.

Alan precisa ficar esperto e colocar o favoritismo nas pesquisas embaixo do braço para se impor junto a direção nacional de seu partido. Caso contrário terá que disputar a reeleição arriscando perder o milionário Fábio Rueda.

Aos leitores que não estiverem entendendo nada, minhas sinceras desculpas. Ultimamente é mais fácil explicar a relação de tempo e espaço da teoria da relatividade de Albert Einstein do que a engenhoca política do Acre.


Luiz Calixto escreve todas às quartas-feiras no ac24horas.com

Continuar lendo

Cotidiano

Tempo no Acre nesta quarta-feira será com dia quente e seco, mas a noite gelada

Publicado

em

O tempo segue firme, seco e ventilado, com noite fria, nesta quarta-feira, 18, no Acre. Segundo o portal O Tempo Aqui, a semana terá clima de deserto, com dias quentes e seco, mas as noites geladas.

Não deve chover em Rio Branco, Brasileia e Sena Madureira, mas o dia será frio, com ventos intensos, cujas rajadas podem passar de 40km/h. O mesmo deve acontecer em Cruzeiro do Sul e Tarauacá.

Temperaturas:

– Rio Branco, Senador Guiomard, Bujari e Porto Acre, com mínimas oscilando entre 14 e 16ºC, e máximas, entre 22 e 24ºC;

– Brasileia, Epitaciolândia, Xapuri, Capixaba, Assis Brasil e Santa Rosa do Purus, com mínimas oscilando entre 13 e 15ºC, e máximas, entre 22 e 24ºC;

– Plácido de Castro e Acrelândia, com mínimas oscilando entre 14 e 16ºC, e máximas, entre 22 e 24ºC;

– Sena Madureira e Manuel Urbano, com mínimas oscilando entre 15 e 17ºC, e máximas, entre 23 e 25ºC;

– Tarauacá e Feijó, com mínimas oscilando entre 15 e 17ºC, e máximas, entre 23 e 25ºC;

– Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima e Rodrigues Alves, com mínimas oscilando entre 16 e 18ºC, e máximas, entre 23 e 25ºC;

– Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Jordão, com mínimas oscilando entre 15 e 17ºC, e máximas, entre 23 e 25ºC.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!