Conecte-se agora

Oposição quer CPI para investigar rombo no Proacre

Publicado

em

Ray Melo,
da redação de ac24horas
[email protected]

Os deputados de oposição questionaram, nesta quarta-feira, 14, as investigações sobre os desvios dos recursos do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Acre (Proacre), iniciada pela Polícia Civil, no ano passado, que teria resultado na prisão de provisória de cinco pessoas. Os deputados entrarão com um pedido de CPI para investigar a aplicação dos recursos do programa, nos demais municípios acrianos.

A proposta da CPI será apresentada na quinta-feira, 15. Os oposicionistas esperam com a iniciativa, trazer os envolvidos na investigação da Polícia Civil, para prestar esclarecimentos na Aleac. O suposto mentor intelectual, de acordo com o inquérito da polícia, o coordenador do Proacre, no Vale do Juruá, Márcio Klinger será um dos convocados pelos deputados, para fornecer detalhes de como funciona o esquema de desvio dos recursos do Proacre.

Segundo os parlamentares, as autoridades estaduais criaram uma grande expectativa em torno da questão, mas recuaram em investigar as prefeituras que são administradas por partidos aliados a Frente Popular do Acre (FPA). “Foi feito um carnaval em razão da prisão de Randon (PMDB), que irá arcar com seus erros. Não somos a favor da impunidade, mas queremos deixar nossa desconfiança com o processo que envolve vários outros prefeitos”, diz Major Rocha (PSDB).

O líder do governo, Moisés Diniz (PCdoB) se antecipou aos pronunciamos seguintes e mostrou uma relação de prefeitos da situação, que teriam sido punidos por supostos atos ilícitos. Diniz falou da cassação prefeitos da base aliada, que teriam sido tratadas na Casa. “Nós tratamos na tribuna desta casa, como líder do governo, a cassação de prefeitos da base. O prefeito de Tarauacá, Wando Torquato (PP), do Nilson Areal (PP) e Neuzari Pinheiro (PT), com retorno”.

De acordo com o comunista, “cinco prefeitos nossos foram investigados e vossas excelências vêm aqui com essa intolerância. Paulinho Almeida , Neuzari Pinheiro, Juarez Leitão, Nilson Areal e Wando Torquato responderam na Justiça. Que insatisfação é essa com à Justiça? Gostaria de ajudar vocês, mas o local não é este, procurem o Ministério Público. Na tribuna não é o local. Não vou tratar nem a questão do prefeito Randson. Não tratamos estas prisões e cassações como alguns fizeram e está registrado nos anais”, destaca Moisés Diniz.

O parlamentar se referiu ao deputado Gilberto Diniz (PTdoB) que teria ido a tribuna e elogiado à Justiça pela cassação do prefeito Nilson Areal, de Sena Madureira. “Este deputado, que não vou falar o nome, fez rasgados elogios quando a Justiça cassou o prefeito desafeto seu. Um ano depois, à Justiça retornou este prefeito ao cargo e este deputado não deu um pio em relação à Justiça”, disse Moisés Diniz.

A resposta ao governista veio em seguida. O deputado Gilberto Diniz voltou à tribuna e criticou a operação realizada pela Polícia Civil. “A operação que foi desencadeada pela Polícia Civil deixou muita gente de fora. O prefeito Neuzari Pinheiro está complicado com esta situação do Proacre. Sabemos que o Proacre começou aqui, nós aprovando os empréstimos para o Governo do Acre. Dai vemos o dinheiro público ser jogado pelo ralo e os governistas querem que viremos as costas para tudo isso?”, questiona.

O parlamentar de oposição ilustrou com os recursos destinados a uma pequena localidade do interior. “No Itauba realizaram uma festa para deixar R$ 5 milhões. Vamos lá, hoje, não vemos onde este dinheiro foi aplicado. Não se ver sequer uma obra que justifique os gastos. E agora a Aleac é obrigada a colocar uma venda nos olhos e não questionar para onde está indo tanto dinheiro. As torneiras estão abertas, nós deveríamos primeiro correr e fechar as torneiras, antes de se preocupar com os juros do endividamento”,  protesta Gilberto Diniz.

Gilberto Diniz questionou ainda, a participação de nomeados pelas administrações petistas, no esquema que teria desviado R$ 1,2 millhão em municípios do Vale do Juruá. “Não é hora para brigarmos para renegociar dividas, mas seria hora de tentarmos estancar a sangria de dinheiro público. Márcio Klinger tem que vir a esta casa se explicar como foi feito este esquema de desvio de dinheiro. Esta Casa tem que apurar e ver para onde está indo este dinheiro. Vemos o noticiário dos investimentos, mas não sabemos como ele vem sendo aplicado”, finaliza Diniz.

A proposta de CPI foi apoiada pelos demais membros do bloco de oposição. Os deputados querem ainda, ouvir um funcionário público, que teria ingerido veneno de rato. O servidor seria apontado como envolvido em outros desvios de verbas federais e estaduais.

Acre

Tesouro concede B ao Acre em capacidade de pagamento

Publicado

em

De acordo com a análise da capacidade de pagamento (CAPAG) realizada em 2022, 21 Estados possuem nota de capacidade de pagamento A ou B, a qual permite que o Ente receba garantia da União para novos empréstimos. Com boa saúde financeira, o Acre recebeu nota A novamente. Essa nota, concedida no final de novembro pelo Tesouro Nacional, se sucede ao longo da gestão de Gladson Cameli.

Parte dos Estados sofre para regularizar suas finanças. Goiás e Rio de Janeiro passaram das notas C e D para as respectivas notas B e C. Tocantins também melhorou sua capacidade de pagamento, que mudou de C para B. Por outro lado, Maranhão deixou de ser elegível a operações de crédito com a garantia da União, ao passar da classificação B para C em 2022.

A maioria dos Estados sem boa classificação de capacidade de pagamento (A ou B) possuem Índice de Liquidez (IL) maior ou igual a 100%. Para esses Estados, o volume de obrigações de curto prazo das fontes de recursos não vinculadas é superior aos recursos em caixa, o que resultou na perda da boa classificação de capacidade de pagamento.

Alguns Estados também possuem indicador de Poupança Corrente maior ou igual a 95%, o que indica que a capacidade de pagamento foi afetada por uma relação entre receitas e despesas correntes com pouca margem para o crescimento das despesas obrigatórias estaduais.

No caso do Acre, o Estado ficou com nota B no indicador de capacidade de endividamento; B em poupança corrente; e A no índice de liquidez, o que resultou em nota geral B em CAPAG.

Continuar lendo

Acre

PRF age rápido e desobstrui trechos bloqueados em Rondônia

Publicado

em

A assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou na tarde desta quinta-feira, 1°, que os trechos bloqueados nos municípios de Ariquemes e Cacoal, no estado de Rondônia, foram totalmente desobstruídos.

A rodovia havia sido fechada por um grupo de manifestantes bolsonaristas que estão acampados às margens da rodovia da BR-364, em Rondônia, em protesto contra o resultado das eleições que ocorreram há um mês e que teve Lula declarado vencedor.

No entanto, apesar do desbloqueio na rodovia, informações extraoficiais dão conta que, os manifestantes pretendem, novamente, fechar a estrada que liga o Acre ao restante do país.

Continuar lendo

Acre

Acre tem novo caso suspeito de Varíola dos Macacos

Publicado

em

Um novo caso suspeito de Monkeypox (varíola dos macacos) foi notificado no Estado, nesta quinta-feira, 1°, pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), por meio de Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Sendo assim, o número de casos chegam a 34, sendo um confirmado, 31 descartados, um suspeito e um com perda de seguimento.

Os sintomas comuns da doença são, erupções cutâneas, lesões em mucosas, febre, dor de cabeça, inchaço dos linfonodos (ínguas), dores nas costas, dores musculares e fadiga.

Em situações suspeitas, os atendimentos estão sendo disponibilizados em qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) ou de pronto atendimento (UPAs). A rede conta com insumos para coleta de amostras das lesões cutâneas para análise laboratorial.

Continuar lendo

Acre

Saúde do Acre identifica casos das subvariantes BQ 1.1 e BE. 9 da Covid

Publicado

em

O relatório de circulação de linhagens do SARS-CoV-2, emitido pela Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) nesta quarta-feira, 30, aponta que as novas subvariantes da covid-19, identificadas no Brasil, inicialmente no estado do Amazonas, em outubro deste ano, BQ 1.1 e BE.9, já estão em circulação no Acre.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), de 6 amostras de pacientes com sintomas da Covid-19, residentes nos municípios de Rio Branco (AC), Sena Madureira (AC) e Boca do Acre (AM), e coletadas em 17 de novembro, duas foram identificadas com as linhagens BQ 1. 1 e quatro com a linhagem BE. 9, ambas derivadas da variante Ômicron, mesma cepa que circula atualmente na Europa e causou o aumento das infecções em países como Alemanha e França.

A chefe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), Débora dos Santos, afirma que não há mudanças em relação aos sintomas, que continuam sendo para a maioria dos pacientes: dor de cabeça, tosse, febre, dor de garganta, cansaço, perda de olfato e paladar.

“Também é preciso dar ênfase à transmissibilidade, que é mais elevada. Uma série de ações permite reduzir os riscos da transmissão da covid-19 e de outras doenças como a gripe e resfriados. Além do uso de máscara, medidas de higiene como a lavagem das mãos, o uso de álcool gel e distanciamento de pessoas sintomáticas contribuem para reduzir os riscos da infecção”, destacou Débora.

A principal recomendação é estar com o calendário vacinal completo e atualizado, incluindo as duas doses de reforço. O cuidado deve ser redobrado nos casos de gestantes, idosos, crianças de baixo peso, imunossuprimidos e portadores de comorbidades crônicas descontroladas. Caso os sintomas apareçam, procure atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e faça testagem para o vírus.

“Por enquanto, nenhuma das duas parece provocar o aumento relevante de hospitalizações e mortes, contudo, a melhor forma de prevenção a sintomas graves da doença continua sendo a vacinação, incluindo as doses reforço para aumento da imunidade. Foi aprovado pela Anvisa recentemente a vacina bivalente contra a covid, que será mais uma dose de reforço. Temos expectativas de que chegue no Brasil no início deste mês de dezembro e assim que for liberada no Acre convocaremos para a ministração”, finalizou Daila Timbó, responsável pelo Centro de Referências para Imunobiológicos Especiais (Crie).

Com informações da Agência de Notícias do Acre.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.