Conecte-se agora

Alerta! Rio Acre volta a subir em Brasileia e preocupa Defesa Civil

Publicado

em

Luciano Tavares,
da redação de ac24horas
[email protected]

O nível do Rio Acre em Brasileia voltou a preocupar. Nesta quinta-feira, o manancial atingiu dez metros, que é a cota de alerta do manancial no município.

Autoridades da Defesa Civil temem um repiquete (enchente parcial e rápida), não só em Brasileia, como em Rio Branco.

O Coordenador Municipal da Defesa, Gilvan Vasconcelos não descarta um novo alagamento. “Pode acontecer uma nova enchente. Historicamente já aconteceu em oitenta e oito, em setenta e seis, depois de grandes alagações. Pode ser maior que a última e pode ser menor”, disse Vasconcelos.

Em função da possibilidade da nova cheia, a Defesa Civil formou um novo plano de contingência de proteção as famílias quês moram em regiões alagadiças.

 

 

 

 

  

 

Acre

Nenê Junqueira foi multado por dirigir carro da SEPA embriagado

Publicado

em

O ex-secretário Nenê Junqueira, da pasta de Produção e Agronegócio (SEPA), foi flagrado numa caminhonete da secretaria no trevo de Senador Guiomard, na Rodovia AC-40, quando retornava de uma viagem à Xapuri no final da tarde do último dia 16 de abril, cinco dias antes de ser exonerado do cargo.

De acordo com o auto de infração, o próprio Nenê, que se chama José Aristides Junqueira Franco Júnior, dirigia a caminhonete pertencente à SEPA de placas QWN0C23. Ao ser parado, o ex-secretário apresentava sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Por isso, foi multado por dirigir sob influência de álcool e a caminhonete só foi liberada com a chegada de uma outra pessoa habilitada. O valor da multa, sem os descontos, se aproxima dos R$ 3 mil. A infração é considerada gravíssima pelo Código de Trânsito Brasileiro e custou 7 pontos na CNH de Nenê Junqueira.

A reportagem falou com Nenê Junqueira que confirmou que se recusou a fazer o bafômetro e afirma que já recorreu da multa. “Estou recorrendo dessa multa, eu me recusei a fazer o bafômetro e na multa consta que foi álcool zero, por isso estou recorrendo. As duas são infrações distintas”, disse Junqueira, sem negar que estava dirigindo sob efeito de álcool.

Junqueira foi uma indicação do senador Márcio Bittar (MDB) para ocupar a SEPA, mas recentemente foi substituído pelo médico veterinário Edivan Maciel. Desde da exoneração, Junqueira tem adotado uma postura de defender Bittar nas redes sociais e de vez ou outra alfinetar a gestão do governador Gladson Cameli, evidenciando ainda mais o racha dos dois grupos.

Continuar lendo

Acre

Acre acumula 273 focos de queimadas em 2022

Publicado

em

O acumulado de focos de queimadas no estado do Acre, do início do ano (1/1/2022) até o dia 19/5/2022 chega a 276 focos de queimadas, segundo os registros fornecidos pelo satélite S-NPP, um dos que abastecem o sistema de dados da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Povos Indígenas (Semapi).

No período, o município de Tarauacá apresentou maior percentual de queimadas, de 14,4%, com total de 40 focos.

Em seguida aparece Cruzeiro do Sul (13,4%) com 37 focos; Brasileia (11,6%) com 32 focos.

Foram registrados 53 focos de queimadas segundo outra plataforma utilizada pela Semapi, o Satélite de Referência AQUA. Por esses dados, o município de Cruzeiro do Sul apresentou maior percentual (24,5%) com total de 13 focos desde o primeiro dia de 2022. Em seguida aparece Xapuri (16,9%) com 9 focos, Rodrigues Alves (15%) com 8 focos.

A detecção de focos de queimada é feita a partir de imagens captadas por satélites. Cada satélite, seja ele polar ou geoestacionário, possui um sensor ótico. O uso de focos de queimadas do “Satélite de Referência” permite a comparação com dados e períodos prévios e ao longo dos anos. Os demais satélites, com as devidas diferenças, possuem sensores de configurações, atualizações e resolução de pixel variáveis.

 

Continuar lendo

Acre

Expoacre 2022 deve movimentar mais de R$ 100 milhões

Publicado

em

Após 2 anos suspensas por causa da pandemia da Covid-19, as duas principais feiras que mais movimentam o setor empresarial do Acre, Expoacre e Expojuruá, estão de volta, e prometem gerar um balanço financeiro muito maior que em anos anteriores.

Somente em 2019, a Expoacre foi responsável por circular mais de R$ 74 milhões em negócios. O setor da indústria teve mais de R$13 milhões no ano em questão. Em 2022, com a participação de pequenos e grandes produtores e empresários da indústria, comércio, entretenimento, lazer e do agronegócio, a expectativa de movimento é de R$ 100 milhões.

Já na Expojuruá, o fluxo de movimentação financeira, gira em torno de R$5 milhões por edição. Em 2019, teve a colaboração de mais de 200 expositores, se tornando o evento que beneficia maiores oportunidades para a economia do Juruá.

Nas duas festividades, são incluídos a venda de imóveis, comercialização de bares e restaurantes, shows, comércio, serviços, venda de veículos, movimentações bancárias, setor agro, indústria moveleira e pequenos negócios.

“Estamos preparando uma grande feira e os empreendedores e empresários estão acreditando e apoiando. Com certeza, iremos superar os números da última feira. Toda a cadeia produtiva do Estado está ansiosa por esse evento”, disse o secretário de Estado de Empreendedorismo e Turismo, Jhon Douglas.

Existe uma expectativa de investimentos muito grande por parte dos empresários e Instituições que fazem parte da organização das feiras. A Sebrae e a Federação das Indústrias do Acre (Fieac) devem investir em torno de R$ 1 milhão, a Federação da Agricultura e Pecuária do Acre (Faeac) mais R$ 1 milhão, os empresários do ramo dos shows, mais de R$ 2 milhões e o comércio, mais de R$ 1 milhão, nos dois eventos.

“Queremos fazer dessa Expoacre a maior de todos os tempos. Estamos muito ansiosos por essa feira que gera emprego e renda. É a maior feira de negócios do Estado e isso só é possível graças ao empenho dos empresários e Instituições parceiras que acreditam e investem junto com o Governo do Acre”, destaca o governador Gladson Cameli.

Continuar lendo

Acre

“Aldeia em Manoel Urbano vive epidemia de suicídio”, diz indígena

Publicado

em

O filósofo indígena e locutor, Eliton Gomes Kaxinawá, foi o entrevistado desta sexta-feira, 20, do Cipódcast, programa no canal do YouTube Na ponta do Cipó, transmitido pelo ac24horas.

O convidado falou de sua vivência dentro da cultura indígena e sua passagem na aldeia, que por sofrer por enfermidades, precisou deixar o lugar com 5 anos de idade e ir morar na cidade com seus pais. Hoje, conquistou a graduação em filosofia e teologia, estuda marketing e possui ainda uma pós-graduação em seu histórico.

Durante a conversa, Eliton abordou que há muito tempo existe uma invasão ao ambiente dos povos originários por parte de representações religiosas, que acabam por apagar a identidade cultural destas pessoas.

“Hoje o índio não tem mais o seu ritual sagrado, porque a Igreja Pentecostal tem invadido as aldeias. Existe pastores “convertendo” indígenas, coisa que eu não concordo, apesar de ser cristão. Mas você não pode chegar em um lugar e impor sua cultura, alegando que se você não aceitar, vai para o inferno”, explicou.

Segundo o entrevistado, a prática e ensinamentos evangélicos, tem mudado o formato de vida dentro das povoações indígenas. Mas além disso, a aproximação com a vida na cidade tem levado maiores problemas para as aldeias.

“Além destes problemas, tem coisas maiores que não deveriam nunca ter entrada na vida dessas pessoas. Hoje em dia até as facções estão dentro das aldeias, existem indígenas participando destas organizações e praticando crimes”, abordou.

Com mais de 1 hora de programa, o filósofo abordou outras questões que envolvem os povos indígenas, como a demarcação de terras, o alcoolismo, a prostituição, e a epidemia de suicídio na aldeia Kulina em Manoel Urbano. De acordo com ele, existem informações de que durante 3 meses, até 5 pessoas cometeram esta infelicidade, entre outros exemplos.

“A cultura indígena está sendo muito massacrada hoje em dia. Dentro da etnia Kulina, por exemplo, está acontecendo um número muito grande de suicídio entre os jovens. E está sendo feito um estudo sociológico para tentar descobrir os motivos desta causa”, pontuou.

Confira a íntegra da entrevista:

video
Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!