Conecte-se agora

Desprestigiada por lideranças da FPA, Perpétua lamenta não ter sido escolhida para disputar a prefeitura

Publicado

em

Em nota distribuída à imprensa no final da tarde desta sexta-feira, 02, a deputada Perpétua Almeida, rejeitada pela Frente Popular do Acre para disputar a prefeitura de Rio Branco, lamentou a indicação do engenheiro Marcus Alexandre, do PT e disse que a coligação da qual faz parte faz 20 anos, “hoje precisa corrigir seu jeito de ouvir o povo”.

Sem dar nomes, a deputada federal do PCdoB deixa claro a sua mágoa com os irmãos Viana: “…Eu, sinceramente, apostei na possibilidade de ser a candidata à prefeita de Rio Branco pela Frente Popular porque acreditei que a minha história de dedicação e militância fosse pesar na hora da decisão. Esperei um gesto de lideranças importantes do PT, que eu sempre disse presente, quando fui chamada na hora de defendê-los e elegê-los”.

No final da nota, Perpétua Almeida deixa claro que não torce pelo sucesso do candidato escolhido pela Frente Popular: “Esse momento só me dá mais força interior para continuar acreditando. E eu acredito que ninguém consegue mudar o curso de um rio”.

Em nenhum momento a comunista faz referencia de apoio ao candidato sacramentado pelos partidos aliados da FPA.

Leia a íntegra da nota:

Nota ao Meu Povo De Rio Branco

Eu não me considero uma profissional na política. Só sei fazer política de forma apaixonada, com toda a minha alma, a minha alegria, a minha disposição.
Ainda na juventude vi no PCdoB um lugar onde eu poderia depositar meus sonhos, minha esperança na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. A minha história de vida, nascida numa família de quinze irmãos, nos seringais de Porto Walter, me deu a sensibilidade de perceber as angústias que afetam os que têm menos, os que vivem à margem, os que não têm quase nada.
Sempre fiz política com muita dedicação e firmeza. Não tenho medo de enfrentar debates, de enfrentar os assuntos mais polêmicos. Quem me conhece sabe que não me escondo atrás de mandato ou de ninguém, não busco negociatas. Acredito que a nossa vida é um exercício diário de sinceridade e verdade com nós mesmos. Aprendi com meus pais a ter posição na vida, a ter lado.
Milito há vinte anos na Frente Popular porque acredito que é um movimento originado de um desejo do povo, um movimento que se iniciou de partidos pequenos, de pequenas estruturas e sonhos e ideais gigantes. Mas que hoje precisa corrigir seu jeito de ouvir o povo. Nunca encarei a política como uma carreira. E nem concordo com quem a usa para realização de projetos pessoais. E as pessoas me conhecem. Tudo que faço, procuro fazer da melhor maneira possível. Faço sem medir esforços e energia. E o que me encanta, fascina e inspira é os mandatos que tenho recebido do povo é a possibilidade de ajudar a criar condições melhores na vida para as pessoas. É a capacidade de unir-se em torno de um objetivo comum, em torno de um sonho. Dizem que na política é necessário ser racional, pragmático, mas eu não abro mão, por nada, de ser eu mesma. De ser verdadeira, espontânea e agir de forma clara e sem rodeios. Às vezes, me pergunto quanto ainda tenho da sindicalista que fui. Será que esse meu jeito de fazer política é o problema? Será que ter posições, agir de forma firme e apaixonada limita caminhos? E continuo a me perguntar: será que, realmente, há espaço para, nós, mulheres, nesse mundo da política tão dominado por homens?  Lembro que algumas até já desistiram.
Nesses últimos meses ao sair nas ruas de Rio Branco tenho recebido as mais honradas e sinceras demonstrações de respeito pela minha trajetória política. Desconfio que os institutos de pesquisa não conseguem abarcar isso. As pessoas são carinhosas, gentis nos comentários, elogiando o nosso mandato de Deputada Federal e dizendo que eu deveria ser candidata a prefeita de Rio Branco. Foram tantas as insistências, gritos e animação nas ruas. Por onde passava a abordagem era sempre a mesma: “minha prefeita! Tô com você”. Eu levei esse processo todo muito a sério. Eu, sinceramente, apostei na possibilidade de ser a candidata à prefeita de Rio Branco pela Frente Popular porque acreditei que a minha história de dedicação e militância fosse pesar na hora da decisão. Esperei um gesto de lideranças importantes do PT, que eu sempre disse presente, quando fui chamada na hora de defendê-los e elegê-los. Pensei, sinceramente, que o fato de o nosso país ter, pela a primeira vez na história, uma presidente mulher, seria levado em consideração também na hora de decidir.  Mas o fato é que ainda não existem espaços reais para as mulheres na política. As que conseguem chegar é com muita luta.
E é claro que isso tudo me deixa triste. Até chorei com a decisão que a Frente Popular tomou. Mas não posso me abater. Não fui ensinada a correr da luta. Na política prendi a reconhecer resultados, mesmo os que não me são favoráveis.
8 de março se aproxima, é válido refletirmos mais esse significado ao invés de fazermos homenagens plastificadas.
Para honrar minha personalidade e os que em mim acreditam, eu vou continuar lutando.
As eleições estão próximas, a vida continua sendo vivida. Mas compartilho uma pergunta que me vem com a mesma frequência que meu coração pulsa: é isso mesmo? E se a Frente tivesse tido a capacidade de ouvir a militância dos seus partidos, essa seria a decisão?
Portanto, companheiros, não há recuo, não há temor e tampouco haverá quedas. O PCdoB faz parte da minha vida. A altivez se faz necessária nos momentos mais delicados e é com essa altivez que seguirei.
Esse momento só me dá mais força interior para continuar acreditando. E eu acredito que ninguém consegue mudar o curso de um rio.
E mais uma vez agradeço a todos que apostaram e acreditaram. Eu também acreditei.

Perpetua Almeida
Deputada federal (PCdoB)

Acre

Petecão já levou plano de governo a mais de dez instituições

Publicado

em

O candidato a governador pela coligação “Com a Força do Povo”, Sérgio Petecão (PSD), mantém uma intensa agenda de trabalho desde que registrou sua chapa no Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), na semana passada. Ao lado do projeto de Petecão ao governo está o advogado João Tota Filho (PSD) como candidato a vice-governador, e a deputada federal Vanda Milani (Pros), candidata ao Senado Federal. A agenda do candidato sempre tem início nas primeiras horas da manhã e se estende até tarde da noite.

Nesta quarta-feira (10), Petecão se reuniu pela manhã com líderes evangélicos que integram a Associação de Ministros Evangélicos do Acre (Ameacre). Foram discutidas questões ligadas às políticas públicas voltadas ao bem estar da população. Uma das propostas de governo de Petecão é aproximar as organizações religiosas do governo, no sentido de melhorar a assistência social à população. “Torcemos para que de fato ele possa concretizar esse projeto, e que isso possa se converter em melhores condições de vida para a população”, afirma Eldo Gama, presidente da Ameacre.

Petecão também se reuniu com dirigentes do Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo do Acre – CAU/AC para apresentar a proposta do plano de governo e discutir questões ligadas à infraestrutura, obras públicas e à situação dos profissionais da arquitetura que integram o quadro de servidores públicos do Estado, e que estão com salários defasados há quase uma década.

“Ele se mostrou muito aberto para colocar em pauta as questões que dizem respeito à nossa atividade profissional, então ficamos muito honrados com a visita e desejamos boa sorte a ele”, declara a presidente do Conselho, Dandara Lima.

Na última terça-feira. Petecão foi recebido pela diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Acre. O candidato apresentou a proposta de plano de governo e discutiu as medidas que irá implementar para alavancar o desenvolvimento do estado, caso seja eleito. O plano de governo do candidato, elogiado pela direção da entidade, também traz em suas diretrizes o incentivo à atividade econômica por meio do fomento à indústria.

No início desta semana, Petecão se reuniu com a diretoria da Associação de Delegados da Polícia Civil do Acre (Adepol), para mostrar o plano de governo e discutir questões ligadas à Segurança Pública, como as políticas de prevenção e combate à violência. O candidato também recebeu representas dos oficiais e praças da Polícia Militar do Acre, que expressaram ao candidato insatisfação com a atual situação da corporação em relação às condições de trabalho.

Na semana passada, Petecão visitou também as instituições representativas dos trabalhadores da área da saúde. Em visitas que fez ao Conselho Regional de Enfermagem – Coren-AC, e ao Sindicatos dos Médicos – Sindmed-AC, o candidato apresentou a proposta de plano de governo e debateu questões ligadas à melhoria da oferta dos serviços públicos de saúde em todo o estado.

A primeira instituição visitada pelo candidato, logo após efetivar o registro de candidatura, foi a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/AC. O convite partiu do próprio candidato a vice-governador Tota Filho (PSD), que também é advogado, onde foram tratados temas ligados ao fortalecimento da democracia e à atuação dos órgãos de controle externo da gestão pública.

Na última semana, Petecão já se reuniu com dirigentes de 12 instituições representativas da sociedade organizada para apresentar as propostas de plano de governo e discutir os principais problemas que o Acre enfrenta. “Todas as entidades tem se mostrado receptivas à nossa visita, tenho sido muito bem recebido e essa será uma marca de nosso governo. Vamos governar ouvindo a sociedade”, diz Petecão.

Continuar lendo

Acre

Presidiário é encontrado morto dentro de cela na FOC

Publicado

em

O presidiário Erik Bascio Braga, 26 anos, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira, 10, dentro de uma cela do pavilhão Q (pavilhão de triagem), do Complexo Penitenciário Francisco D’Oliveira Conde, em Rio Branco.

Segundo informações do Instituto de Administração Penitenciária (IAPEN), Erick deu entrada na unidade na tarde no dia 09, após passar pelo exame de corpo de delito na Polícia Civil que constatou que o detento estava com lesões pelo corpo. O detento, que foi preso pelo crime de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, dividia a cela com outros três presidiários e pela manhã os presos tentaram acordar Erick e perceberam que ele estava morto.

Policiais Penais foram chamados pelos detentos e quando chegaram na cela encontraram Erick sem vida. Policiais Penais informaram a reportagem do ac24horas que o detento não foi agredido na cela pelos outros presidiários.

A ambulância do suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e o Médico atestou a morte do detento.

A área foi isolada para os trabalhos do Perito em criminalística. O corpo do presidiário foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos.

O caso será investigado pela Polícia Civil.

Continuar lendo

Acre

Acre tem mais de 300 casos e uma nova morte por Covid-19

Publicado

em

O estado do Acre voltou a registrar óbito em decorrência de complicações da infecção pelo novo coronavírus nesta quarta-feira (10). Além disso, foram registrados 313 novos casos da doença. O número de infectados notificados é de 146.883 em todo o estado.

O número oficial de mortes por covid-19 suba para 2.022 em todo o estado. O paciente P. J. B, de 40 anos, morador de Rio Branco, faleceu no dia 26 de julho em uma unidade hospitalar da capital.

Até o momento, o Acre registra 352.723 notificações de contaminação pela doença, sendo que 205.833 casos foram descartados e 7 exames de RT-PCR aguardam análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 129.179 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 19 continuavam internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS) e estão sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Continuar lendo

Acre

Casa que desabou não tinha permissão para construção

Publicado

em

A capital acreana contabilizou três ocorrências devido ao vendaval que acometeu em vários bairros de Rio Branco no final da tarde dessa terça-feira (9). Segundo o Corpo de Bombeiros, a edificação que desabou e acabou ferindo um cachorro não tinha permissão para ser construída.

“Foi por má construção da uma edificação. O proprietário foi notificado de que não poderia construir e mesmo assim continuou e ela acabou caindo”, informou o coronel Cassiano.

Outra ocorrência foi no bairro Mocinha Magalhães, onde o vendaval destelhou casas e provocou danos materiais. Outra ocorrência grave foi a queda de uma árvore sobre uma residência. A família teve de retirada para outro local.

“Quando acionado, o Corpo de Bombeiros vai ao local, faz o corte da árvore e dá suporte à família. A gente aciona a secretaria de assistência social, consegue o caminhão e assim faz a mudança da família para o aluguel social, através da prefeitura de rio Branco”, detalhou o coronel.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!