Conecte-se agora

Desprestigiada por lideranças da FPA, Perpétua lamenta não ter sido escolhida para disputar a prefeitura

Publicado

em

Em nota distribuída à imprensa no final da tarde desta sexta-feira, 02, a deputada Perpétua Almeida, rejeitada pela Frente Popular do Acre para disputar a prefeitura de Rio Branco, lamentou a indicação do engenheiro Marcus Alexandre, do PT e disse que a coligação da qual faz parte faz 20 anos, “hoje precisa corrigir seu jeito de ouvir o povo”.

Sem dar nomes, a deputada federal do PCdoB deixa claro a sua mágoa com os irmãos Viana: “…Eu, sinceramente, apostei na possibilidade de ser a candidata à prefeita de Rio Branco pela Frente Popular porque acreditei que a minha história de dedicação e militância fosse pesar na hora da decisão. Esperei um gesto de lideranças importantes do PT, que eu sempre disse presente, quando fui chamada na hora de defendê-los e elegê-los”.

No final da nota, Perpétua Almeida deixa claro que não torce pelo sucesso do candidato escolhido pela Frente Popular: “Esse momento só me dá mais força interior para continuar acreditando. E eu acredito que ninguém consegue mudar o curso de um rio”.

Em nenhum momento a comunista faz referencia de apoio ao candidato sacramentado pelos partidos aliados da FPA.

Leia a íntegra da nota:

Nota ao Meu Povo De Rio Branco

Eu não me considero uma profissional na política. Só sei fazer política de forma apaixonada, com toda a minha alma, a minha alegria, a minha disposição.
Ainda na juventude vi no PCdoB um lugar onde eu poderia depositar meus sonhos, minha esperança na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. A minha história de vida, nascida numa família de quinze irmãos, nos seringais de Porto Walter, me deu a sensibilidade de perceber as angústias que afetam os que têm menos, os que vivem à margem, os que não têm quase nada.
Sempre fiz política com muita dedicação e firmeza. Não tenho medo de enfrentar debates, de enfrentar os assuntos mais polêmicos. Quem me conhece sabe que não me escondo atrás de mandato ou de ninguém, não busco negociatas. Acredito que a nossa vida é um exercício diário de sinceridade e verdade com nós mesmos. Aprendi com meus pais a ter posição na vida, a ter lado.
Milito há vinte anos na Frente Popular porque acredito que é um movimento originado de um desejo do povo, um movimento que se iniciou de partidos pequenos, de pequenas estruturas e sonhos e ideais gigantes. Mas que hoje precisa corrigir seu jeito de ouvir o povo. Nunca encarei a política como uma carreira. E nem concordo com quem a usa para realização de projetos pessoais. E as pessoas me conhecem. Tudo que faço, procuro fazer da melhor maneira possível. Faço sem medir esforços e energia. E o que me encanta, fascina e inspira é os mandatos que tenho recebido do povo é a possibilidade de ajudar a criar condições melhores na vida para as pessoas. É a capacidade de unir-se em torno de um objetivo comum, em torno de um sonho. Dizem que na política é necessário ser racional, pragmático, mas eu não abro mão, por nada, de ser eu mesma. De ser verdadeira, espontânea e agir de forma clara e sem rodeios. Às vezes, me pergunto quanto ainda tenho da sindicalista que fui. Será que esse meu jeito de fazer política é o problema? Será que ter posições, agir de forma firme e apaixonada limita caminhos? E continuo a me perguntar: será que, realmente, há espaço para, nós, mulheres, nesse mundo da política tão dominado por homens?  Lembro que algumas até já desistiram.
Nesses últimos meses ao sair nas ruas de Rio Branco tenho recebido as mais honradas e sinceras demonstrações de respeito pela minha trajetória política. Desconfio que os institutos de pesquisa não conseguem abarcar isso. As pessoas são carinhosas, gentis nos comentários, elogiando o nosso mandato de Deputada Federal e dizendo que eu deveria ser candidata a prefeita de Rio Branco. Foram tantas as insistências, gritos e animação nas ruas. Por onde passava a abordagem era sempre a mesma: “minha prefeita! Tô com você”. Eu levei esse processo todo muito a sério. Eu, sinceramente, apostei na possibilidade de ser a candidata à prefeita de Rio Branco pela Frente Popular porque acreditei que a minha história de dedicação e militância fosse pesar na hora da decisão. Esperei um gesto de lideranças importantes do PT, que eu sempre disse presente, quando fui chamada na hora de defendê-los e elegê-los. Pensei, sinceramente, que o fato de o nosso país ter, pela a primeira vez na história, uma presidente mulher, seria levado em consideração também na hora de decidir.  Mas o fato é que ainda não existem espaços reais para as mulheres na política. As que conseguem chegar é com muita luta.
E é claro que isso tudo me deixa triste. Até chorei com a decisão que a Frente Popular tomou. Mas não posso me abater. Não fui ensinada a correr da luta. Na política prendi a reconhecer resultados, mesmo os que não me são favoráveis.
8 de março se aproxima, é válido refletirmos mais esse significado ao invés de fazermos homenagens plastificadas.
Para honrar minha personalidade e os que em mim acreditam, eu vou continuar lutando.
As eleições estão próximas, a vida continua sendo vivida. Mas compartilho uma pergunta que me vem com a mesma frequência que meu coração pulsa: é isso mesmo? E se a Frente tivesse tido a capacidade de ouvir a militância dos seus partidos, essa seria a decisão?
Portanto, companheiros, não há recuo, não há temor e tampouco haverá quedas. O PCdoB faz parte da minha vida. A altivez se faz necessária nos momentos mais delicados e é com essa altivez que seguirei.
Esse momento só me dá mais força interior para continuar acreditando. E eu acredito que ninguém consegue mudar o curso de um rio.
E mais uma vez agradeço a todos que apostaram e acreditaram. Eu também acreditei.

Perpetua Almeida
Deputada federal (PCdoB)

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Conectar

Deixe uma resposta

Acre

Prefeituras do Acre tem R$ 168 milhões em emendas no OGU 2021

Com R$97,3 milhões, Rio Branco é cidade brasileira mais beneficiada

Publicado

em

As prefeituras do Acre vão receber R$ 168,1 milhões do Orçamento 2021, a partir de 69 emendas.

Deputados e senadores destinaram R$ 4,879 bilhões para prefeituras em 2.806 emendas impositivas ao Orçamento 2021. Isso equivale a 28,7% de todos os recursos de emendas individuais e de bancada, que somam R$ 16,972 bilhões.

A maior parte dos recursos vai para Desenvolvimento Regional (R$ 53,6 milhões com 6 emendas), Saúde (R$ 52,2 milhões com 24 emendas) e economia (R$ 19,5 milhões com 16 emendas).

Mais da metade das emendas para prefeituras trazem recursos para ações na área de Saúde. São R$ 2,8 bilhões, de 1.412 emendas, alocados por meio do Fundo Nacional de Saúde. Os parlamentares também favoreceram ações na Economia (R$ 785 milhões em 430 emendas); Desenvolvimento Regional (R$ 738,1 milhões em 234 emendas) e Cidadania (164,4 milhões em 275 emendas).

No Acre, Rio Branco é o município mais atendido e tem dezesseis emendas que somam R$ R$ 97,3 milhões, o maior valor entre todas as cidades brasileiras. Capixaba aparece em segundo lugar, com cinco emenda. Ao menos 39 emendas não tem nome da cidade e somam R$ 73.240.950,00.

Além do dinheiro para as prefeituras, os municípios podem receber recursos federais a partir de transferências para governos estaduais, instituições privadas sem fins lucrativos ou mesmo aplicações diretas de ministérios e outros órgãos.

No entanto, como algumas emendas são repartidas entre várias cidades, apenas 1.489 apresentam o nome do município, sendo que 713 cidades estão relacionadas. Os dados são da Câmara dos Deputados.

Continuar lendo

Acre

Governo marca reunião com aprovados no cadastro de reserva da PM após 12 horas de protesto

Publicado

em

Os integrantes do Cadastro de Reserva (CR) do último concurso da Polícia Militar do Acre estão acampados há mais de 12 horas em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) em busca da convocação do restante dos membros que ficaram de fora da última convocação.

De acordo com um dos representantes da PM, Júlio Eduardo, 26 anos, o secretário de governo, Alysson Bestene, esteve presente na manifestação e garantiu que o governo deverá se reunir com os membros do cadastro de reserva na manhã de terça-feira, 3. “Ficou agendado para amanhã às 9 horas da manhã. Vamos ouvir a proposta se é vantajoso pra gente ou não”, declarou.

O representante do grupo alegou que a proposta do governo em remanejar parte dos aprovados para o Corpo de Bombeiros não contempla a categoria. “Ele chamando 125, ainda sobram muitos. Somos 300, e muitos já passaram em outros concursos”, argumentou.

O concurso da Polícia Militar PM-AC foi lançado em março de 2017, com 250 vagas para o cargo de soldado combatente no nível médio e técnico.

A convocação dos aprovados, de forma imediata, foi uma das promessas de Governo durante a campanha eleitoral do governador em 2018.

A validade do concurso da PM era de seis meses, a contar da divulgação do resultado final do certame, que ocorreu em junho de 2018. Porém, o prazo foi prorrogado por mais dois anos no mesmo mês, menos de dez dias depois.

Continuar lendo

Acre

Acre registra mais duas mortes e 39 novos casos de Covid-19

Publicado

em

Em boletim divulgado nesta segunda-feira, 02, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), registrou 39 novos casos de infecção por coronavírus, sendo todos confirmados por exames RT-PCR, fazendo com que o número de infectados salte para 87.186 nas últimas 24 horas.

Duas notificações de óbitos foram registradas nesta segunda-feira, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.802 em todo o estado. De acordo com o boletim, 27 pessoas seguem internadas entre leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e de enfermaria.

Até o momento, o Acre registra 239.015 notificações de contaminação pela doença, sendo que 151.816 casos foram descartados e 13 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. 84.869 pessoas já receberam alta médica da doença.

Continuar lendo

Acre

Imunização de adolescentes em Rio Branco deve iniciar nesta semana

Publicado

em

A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco (Semsa) deverá iniciar a vacinação contra Covid-19 de adolescentes nesta semana. Segundo a assessoria da Semsa, a imunização começará pelos adolescentes de 17 anos com ou sem comorbidades. O imunizante utilizado será da Pfizer.

Segundo a pasta, o que falta ainda para o início da vacinação desse público é uma autorização da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que deverá ser reunir nesta segunda-feira, 02, ou terça-feira (03).

A Semsa afirmou que a decisão de começar apenas com uma faixa-etária ocorre devido ao público alvo de adolescentes entre 12 a 17 anos ser muito grande em Rio Branco. Ao total, são 50 mil, segundo dados colhidos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Segundo levantamento da equipe do ac24horas junto à Semsa, mais de 193 mil pessoas adultas já foram imunizados com a primeira dose, sendo que 61.798 pessoas já completaram o ciclo de imunização com as duas doses ou dose única, ou seja, mais de 70% da população [284 mil] de Rio Branco já tomou a primeira dose.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas