Conecte-se agora

Meu pirão primeiro

Publicado

em

O deputado Edvaldo Sousa (PSDC) confirmou ontem na tribuna nota do blog que foi convidado pela direção nacional do PSDC para ser candidato a prefeito da Capital. Logo após descer da tribuna, mas, adiantou ao blog sua resposta: “Vou mesmo é disputar a reeleição”.

Fato consumado

Em relação à Brasiléia, Edvaldo Sousa diz estar tudo fechado para a candidatura do delegado Messias Ribeiro (PSDC) a prefeito, possivelmente, tendo o vereador Lacerda (PCdoB) de vice.

Doação total

O deputado Astério Moreira (PRP) comunicou ao governo que, a sua emenda parlamentar, no valor de 100 mil reais, deve ser destinado para ajudar aos alagados da Capital e Brasiléia.

No ninho tucano

PSDB e PRP tiveram uma conversa inicial com direito a convite para uma aliança feita pelos tucanos para a disputa da prefeitura. O interlocutor do PRP foi o dirigente Américo Junior.

Nem dourado

Outros setores do PRP andaram tentando entabular uma conversa para a volta do PRP à FPA, mas não foi avante, porque o governador Tião Viana quer o presidente do PRP, Julinho, longe.

Única hipótese

A única hipótese do retorno do PRP à FPA seria com outra direção partidária.

Grande novidade!

O PDT anuncia com pompa que o seu candidato a prefeito de Rio Branco será Marcus Alexandre (PT). O fato é tão novidade como dizer que Rio Branco sofre uma alagação.

Meras firulas

O deputado Luiz Tchê (PDT) defende que o governo federal não cobre as dívidas contraídas pelo estado. E o deputado Eber Machado (PSDC) que sejam anistiadas. Duas meras firulas.

Vale com pedido

As duas propostas se encerram na boa intenção, são possibilidades nulas de serem atendidas.

Merreca vergonhosa

A ajuda destinada pela presidente Dilma, na opinião do deputado Walter Prado (PDT), é uma merreca vergonhosa que não dá nem para recuperar os estragos da cheia em Brasiléia.

Ponto final

Os deputados Astério Moreira (PRP) e Lira Moraes (PRP) já comunicaram ao Tião Viana que, não seguirão o presidente do PRP, Julinho, com candidatura própria à PRMB ou na oposição.

Datas abertas

Deverá ser sexta-feira próxima ou na segunda-feira, no máximo, a reunião dos partidos da FPA para o anúncio oficial do candidato que irá disputar a prefeitura de Rio Branco.

Presença comunista

A reunião só não aconteceu ontem por a cúpula do PCdoB se encontrar em São Paulo.

Sem volta

Não vejo como o ex-deputado federal João Correia (PMDB) conseguir legalmente transferir a data das prévias para a escolha do candidato à PMRB, dia 2, por ser prerrogativa do partido.

Fato sacramentado

Ao João Correia vai restar o protesto, a candidatura de Fernando Melo (PMDB) é um fato sacramentado na cúpula peemedebista, que quer ver Correia longe, no Afeganistão.

Pesquisa define

Caminha para se definida em pesquisa de opinião pública a escolha do candidato a prefeito de Plácido de Castro da oposição, tal grande é o número de candidatos com os egos inflamados.

Fora de cogitação

Assessores do deputado federal Gladson Cameli (PP) dão como boato sem sentido sua candidatura ao governo, sua meta é preparar sua candidatura ao Senado para 2014.

Pedra no caminho

Moralmente o vice-prefeito de Cruzeiro do Sul, Mazinho Santiago (PMDB), é intocável, mas o prefeito Wagner Sales (PMDB) cometerá uma burrice se não substituí-lo por um vice do PP.

Eleitorado jovem

Wagner e Mazinho somam mais de um século, é preciso um nome que atraia os votos jovens.

Bombardeio áreo

Quem visita Tarauacá tem a nítida sensação que a cidade sofreu um bombardeio aéreo.

Agressão pessoal

O deputado Werles Rocha (PSDB) tem toda legitimidade para criticar o governador Tião Viana e seu governo, mas não tem para chamá-lo de “canalha”, numa agressão pessoal descabida.

Debate político

O debate tem que ficar limitado ao campo político, jamais descambar para os ataques à honra.

Fora de cena

Com o recurso de sua cassação preste ser julgado pelo TSE, a deputada federal Antonia Lucia (PSC) sumiu da cena política. O TSE amacia tanto, que não me admiro se reverter a cassação.

Preferência estável

O favoritismo da candidatura de Tião Bocalon (PSDB) à PMRB continua estável, é a dedução que se tem ao ouvir as vozes roucas das ruas. Se ele vai manter na campanha, aí é outra coisa.

Ou vai ou racha

O deputado Gilberto Diniz (PTdoB) ameaça: se a Toinha Vieira não for candidata a prefeita de Sena Madureira eu serei candidato. O recado tem endereço certo: Mazinho Serafim (PMDB).

Caminho perigoso

Da sua fundação até aqui a FPA perdeu nomes de votos como Sérgio Petecão (PSD), Gilberto Diniz (PTdoB), Fernando Melo (PMDB), Gladson Cameli (PP), José Bestene (PP),  Chico Viga (PSD), Mazinho Serafim (PMDB), num caminho político perigoso de desagregação interna. Os dirigentes do PT, esqueceram a velha lição: não se cisca para fora em candidatura majoritária.

Por Luis Carlos Moreira Jorge

Blog do Crica

Balsa para Manacapuru, o simbolismo dos políticos derrotados e mandados ao exílio

Publicado

em

QUE ME LEMBRE, e lá se vão décadas, quem primeiro vi forjar nas suas crônicas do jornal “O RIO BRANCO” o simbolismo da Balsa para Manacapuru (município do interior do Amazonas), como transporte fluvial dos candidatos derrotados para fora do Acre (uma espécie de exílio), foi o saudoso advogado e cronista Aloisio Macedo Maia. Isso no início da década de setenta. Fomos companheiros de redação.

 Foi dele o jargão de que os derrotados iam na balsa ouvindo o “choro do surubim”. Quem é pescador sabe que o peixe surubim quando fisgado, costuma emitir um ruído como o som de suspiro de um choro. O certo é que a Balsa para Manacapuru entrou no registro histórico da política acreana. E ela, solene, silenciosa, altiva, já se aproxima para atracar no dia 2 de outubro no Porto da Gameleira, para pegar uma leva de políticos derrotados. 

A balsa não perdoa. Não adianta espernear. A entrada é obrigatória. Boa viagem para Manacapuru, senhores e senhoras derrotados.  E, até a próxima eleição.

APRENDAM DE VEZ

CONFIAR nos que têm mandatos no Executivo para garantir uma eleição de senador, deputado federal, deputado estadual, é uma roubada. Não existe nada mais difícil na política do que a transferência dos votos.

POLE POSITION

O DEPUTADO Manoel Moraes (PP) chega nesta reta final da eleição, com uma campanha redonda. Deve ser o mais votado em Xapuri, seu reduto eleitoral. E tem razão de ser o favorito no município, ninguém mais que ele fez discurso na ALEAC a favor da construção da ponte de Xapuri.  Moraes, estará entre os mais votados do PP.

SOUBE CONSTRUIR

CANDIDATURA a deputada estadual tem que ser linear no começo da campanha, meio e na reta final. E, foi o que conseguiu. Além de Xapuri, Manoel Moraes deverá ser muito bem votado na capital.

BRIGA DOS NÚMEROS

É FERRENHA a briga dos números das pesquisas internas dos partidos. Há consenso entre as lideranças da oposição de que o quadro não é este das pesquisas divulgadas, e que há clima favorável de segundo turno.

EXISTE PRECEDENTE

EXISTE um precedente recente das pesquisas não conseguirem registrar a voz rouca das ruas, a disputa para a PMRB, onde o Bocalom figurava como uma carta fora do baralho e quase se elege no primeiro turno.

CADA ELEIÇÃO É UMA ELEIÇÃO

Cada eleição é diferente, porque é disputada dentro de um outro contexto. Aguarde-se as urnas. Citei o caso da disputa da PMRB para mostrar, que existem pontos fora da curva. Quem podem aparecer ou não numa votação.

PUXA A FILA

QUEM DEVE encabeçar a corrida por uma vaga dentro do PP para deputado federal, é a Socorro Neri. A briga por uma provável segunda vaga embolou entre José Adriano, Gérlen Diniz, Zezinho Barbary e Samir Bestene.

DE DIFÍCIL PREVISÃO

PELA lógica das pesquisas o candidato a senador favorito para ganhar a eleição, é o Alan Rick (União Brasil), mas não se sabe o que pode acontecer no chamado “Dia D”, com adversários bem estruturados financeiramente, como os que disputam com ele a única vaga do Senado.

TAPINHA NAS COSTAS NÃO ELEGE

SE DE FATO o Palácio Rio Branco queria fazer do Ney Amorim (PODEMOS) senador, deveria ter entrado com a máquina estatal com mais vigor, é o que se viu foi mais tapinha nas costas, jogo de cena nos atos políticos, só que isso, numa eleição disputada; não soma votos necessários para eleger um candidato, que tem um adversário poderoso, que caiu na graça popular, como o deputado federal Alan Rick (União Brasil).

EMPENHADO E COLADO

PODE se acusar o Ney Amorim (PODEMOS) de qualquer coisa nesta eleição; menos de que não colou o nome do candidato do poder ao governo nos atos da sua campanha para o Senado. Teve um momento da campanha que colocou a sua candidatura em segundo plano. Vamos aguardar para ouvir a voz das urnas.

TEM MUITO QUE APRENDER

NA POLÍTICA, cada eleição é um aprendizado diferente. E, o senador Márcio Bittar (União Brasil) não assimilou isso. Ninguém mais do que ele trouxe recursos para o estado, e acabou abandonado pelo poder; não conseguindo emplacar a Márcia Bittar (PL) como vice e nem como a candidata ao Senado da máquina estatal.

EXPULSÃO CERTA

O melhor, que os prefeitos do PT que não estão apoiando o Jorge Viana (PT) ao governo podem fazer, é pedir desligamento do partido. Depois da eleição a expulsão por infidelidade partidária de todos é certa.

FRASE BASILAR

HÁ UMA FRASE pragmática e basilar do deputado federal Flaviano Melo (MDB) de que, em termos de recursos, um prefeito precisa mais de um deputado federal e um senador do que de um governador.

DIFÍCIL VIRAR

COM poucos dias para a votação, e com o Lula (PT) abrindo uma boa vantagem, como registrou ontem a pesquisa do DATA-FOLHA, tudo indica que a reeleição do presidente Bolsonaro está indo para o sal. Difícil virar.

MOSTROU FORÇA

QUEM mostrou força ontem com um ato na Praça do Juventus, foi o candidato a deputado estadual pelo PSD, Jeferson Pururuca. Briga na cabeça dentro da chapa.

CAMPANHA PORTENTOSA

TODOS os caminhos são no sentido do deputado Nicolau Junior (PP) sair desta eleição, como o mais votado para a ALEAC. Sua campanha está fincada do Juruá ao Alto Acre. 

BISA OS MANDATOS

O grupo do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) deve bisar os mandatos da mulher Antônia Sales a deputada estadual; e da filha Jéssica Sales para deputada federal.

DEBATE NA AGULHA

O PRÓXIMO debate entre os candidatos a governador está marcado para o dia 27, na TV-GAZETA. A emissora deverá trazer um mediador de fora para a condução.

DETALHE PARA SER LEMBRADO

A mídia não elege ninguém, mas quando bem usada pode criar um perfil positivo do parlamentar, no meio da população. O Alan Rick (União Brasil) é um exemplo; qualquer ato do seu mandato de deputado federal divulgava nos mais variados meios de comunicação. Foi o melhor da bancada federal que soube se comunicar.

MASSA DE MANOBRA

NINGUÉM está sendo mais usado como massa de manobra por políticos nesta eleição do que os servidores terceirizados, votando teleguiados para não perderem os seus empregos.

FRASE MARCANTE

“O trabalho afasta de nós três grandes males: o tédio, o vício e a necessidade”. Voltaire.

Continuar lendo

Blog do Crica

Flaviano Melo libera militância para Jenilson

Publicado

em

O DEPUTADO FEDERAL Flaviano Melo (MDB) revelou ontem ao BLOG que liberou os militantes da sua candidatura para pedir votos na campanha do candidato ao Senado pelo PSB, Jenilson Leite.  Melo justificou que a sua militância não quer votar no nome do partido para o Senado. Jenilson já foi visto esta semana participando de um bandeiraço do emedebista, no bairro São Francisco.

 No casarão dos Melos, na área central da cidade, tem uma placa da candidatura do Jenilson. Esta decisão não foi um fruto do acaso, já tinha havido uma conversa anterior na residência do Flaviano, na Chácara das Araras, com o candidato do PSB. 

Na pré-campanha, Jenilson já tinha sido convidado para disputar um cargo majoritário pelo MDB, mas optou em continuar no PSB. A política é cheia de fatos novos. Nada de anormal.

PACTO FECHADO

O PREFEITO Tião Bocalom e o senador Márcio Bittar (União Brasil) fizeram um pacto político de caminharem juntos na próxima eleição. Bittar se antecipou e quer estar na linha de frente na campanha de reeleição do Bocalom, ao qual prometeu recursos para a PMRB.

META É O SENADO

NINGUÉM vá se admirar se o prefeito Tião Bocalom aparecer na próxima eleição estadual, como candidato a senador. Seu foco futuro está muito além da PMRB.

DEUS NOS ACUDA

ESTÁ um Deus nos acuda nesta reta final da campanha, com candidatos a deputado federal e deputado estadual buscando acordos, por não receberam a ajuda financeira que esperavam. É a turma que vai morrer na praia.

PERDA DE TEMPO

DAR recursos neste final de campanha para candidato a deputado ou a prefeito, é como rasgar dinheiro. Pode fazer uma ou outra reunião, vai embolsar o dinheiro, e tratar unicamente de buscar votos para sua candidatura.

NINGUÉM PULOU MAIS DE GALHO

TEM um prefeito de município próximo, que começou apoiando para deputado federal o Israel Milani (REPUBLICANOS), depois pulou para o Fábio de Rueda (União Brasil), prometeu apoiar o Orleilson Cameli (PDT); e agora jurou fidelidade à Socorro Neri (PP). A conferir se até a eleição, não volta a pular de galho.

BELA DE UMA VIRADA

CONVERSEI ontem com um importante político que está na oposição ao Gladson Cameli; e este foi textual ao prever que, se não houver reação forte dos candidatos de oposição nos dias que faltam, a eleição pode acabar se decidindo a favor do Gladson no primeiro turno.

NÃO É O QUE PENSAM

MAS NÃO É o que pensam os candidatos a governador Jorge Viana (PT), Sérgio Petecão (PSD) e Mara Rocha (MDB), todos convictos do jogo ter dois turnos.

DISCUSSÃO DE SEXO DOS ANJOS

TER OU NÃO TER segundo turno na disputa do governo, é uma discussão de sexo dos anjos. É deixar de lado o assunto é aguardar o cantar dos votos nas urnas.

NOME DO PSDB

CONVERSO com segmentos políticos antagônicos, antes de dar uma nota. E, o que escuto é que a candidatura do Minoru Kinpara (PSDB) a deputado federal tem boa aceitação. Leva vantagem de ter memória eleitoral.

NÃO ADIANTA DISCUTIR

NÃO ADIANTA abrir discussão. Estamos bem perto de saber se os institutos de pesquisas sairão por cima, com as urnas confirmando seus resultados para governador ou senador; ou se vão errar feio e se desmoralizarem.

CHAPA DA MORTE

A chapa a estadual do PSD, virou uma espécie de “chapa da morte”, com corpo para ficar com três cadeiras na ALEAC. E, com um mínimo de oito nomes na disputa.

MUITO BEM CALÇADO

ENTRE estes nomes na disputa, pelas informações que recebo, está o do Paulo Ximenes; colado em vários ex-prefeitos e com muito apoios na Saúde municipal.

JOGO EMBOLADO

FICA difícil apontar hoje um extremamente favorito na chapa do estadual do PSD, porque a chapa é parelha.

MAIS VOTADA

É CONSENSO até entre os adversários de que a vereadora Michelle Melo (PDT) deve vir como a mais votada de Plácido de Castro para deputada estadual.

DIFÍCIL TRANSFERIR

PELO QUE VI ontem no “GAZETAL ALERTA”, apresentado pelo jornalista Astério Moreira; as nuvens estão negras para a gestão da prefeita de Senador Guiomard, Rosana Gomes. É duramente criticada pela população. Assim, fica difícil transferir votos aos candidatos que ela apoia.

É UMA GUERREIRA

GOSTAR OU NÃO da candidata ao Senado, Márcia Bittar (PL), é direito de cada um. Mas, ela tem o mérito de ser uma guerreira. O que apanhou até aqui, e se manter altiva na campanha para o Senado, é digno de registro.

JOGO TRAVADO

UM NOME que se mostra consolidado nas pesquisas, é o do candidato ao Senado, Alan Rick (União Brasil). Mas a eleição está com o jogo travado. Com 11 dias para a eleição; se acontecer um fato novo de extrema relevância, posições podem se inverter, porque os seus adversários mais próximos têm esquemas poderosos.

MERCADORIA EM FALTA

O prefeito de Manuel Urbano, Tanízio de Sá (MDB), apoia a candidatura do José Adriano (PP) a deputado federal; o vereador Emerson Jarude (MDB) apoia o Alan Rick (União Brasil) ao Senado. Fidelidade partidária é mercadoria que sempre faltou nas prateleiras do MDB.

É O QUE SE FALA

COMENTA-SE nos bastidores a formação de um exército de 80 mil apoiadores de uma candidatura ao Senado, nas ruas, no dia da eleição. O sistema é do jogo bruto.

PURURUCA DÁ O GRITO

QUEM dá o grito na sua candidatura a deputado estadual hoje, no início da noite, na Praça do Juventus, é o Jeferson Pururuca (PSD), com promessa de grande mobilização. As eleições são decididas na reta final.

NÃO JOGOU A TOALHA

AO CONTRÁRIO do que andou se propalando, a candidata a senadora, Vanda Milani (PROS) não jogou a tolha; ontem estava no Juruá, e na sua contabilidade pessoal está vir com 70 mil votos do interior. A conferir.

PDT BRIGANDO POR TRÊS

O PDT está brigando para ter três vagas na ALEAC. Embolados, a disputa é travada entre os deputados Pedro Longo, Luiz Tchê, Marcos Cavalcante e Chico Viga; e pelos vereadores Joaquim Florêncio e Michele Melo, e pelo Tom Sérgio, irmão o deputado federal Jesus Sérgio.

ANTONIO CHUMBÃO

FOI um nome citado ontem pelo deputado federal Flaviano Melo (MB); que por ser da Cidade do Povo, poderá ter muitos votos num reduto muito povoado.

PARECE QUE ESTAMOS NUM CONVENTO

UM FATO a ser registrado mais uma vez como positivo nesta eleição, é que até aqui transcorreu sem atos de violência. Parece estarmos num convento. Isso é bom.

NÃO DENUNCIAM

O QUE MAIS se ouve falar nesta reta final de campanha, é na montagem de listas nos bairros por cabos-eleitorais profissionais; para vender votos que não possuem aos candidatos. E, como tem otário para tudo, alguns acreditam e pagam. E, se desconhece até o momento uma denúncia junto à justiça eleitoral. Depois, candidato derrotados reclamam que, a eleição é comprada. No Acre, a verba fala mais alto que o verbo.

CANOA ERRADA

PODE acontecer até das urnas desmentirem; mas o médico e ex-prefeito Rodrigo Damasceno (PODEMOS), deveria ter entrado na canoa para deputado estadual, e não para deputado federal. Teria bem mais chance.

ELEIÇÃO ESTRANHA

O EXPERIENTE deputado Luiz Gonzaga (PSDB) me disse ontem que, ele nunca disputou uma eleição mais estranha do que a atual, em que nota o eleitor muito silencioso, não querendo manifestar o seu voto.

UM PLUS

A ENTRADA da publicitária Charlene Lima deu um plus á candidatura do Eduardo Veloso (União Brasil) a deputado federal, isso pode ser visto no volume de campanha, que melhorou muito após sua chegada.

PROBLEMAS CASEIROS

O POBLEMA do candidato Eduardo Veloso (REPUBLICANOS) é que, para ganhar tem de derrotar duas candidaturas bem estruturadas e muito fortes, a Meire Serafim e o Fábio de Rueda. Não é nada fácil. 

FRASE MARCANTE

“Na falta de outro tirano, a opinião pública se levanta como tal”. Bulwer-Lyton.

Continuar lendo

Blog do Crica

A balsa está próxima de ancorar na Gameleira 

Publicado

em

CHEGAMOS na parte mais perigosa de uma campanha para quem disputa as vagas de governador, senador, deputado federal e deputado estadual: a reta final. O candidato pode ter feito tudo certinho até o momento, mas se falhar nos compromissos assumidos neste final, pode perder tudo o que investiu. 

Geralmente, políticos profissionais, deixam para jogar tudo nesta reta, virar o jogo ou garantir o que já foi conquistado. Estamos chegando também próximo de saber se as pesquisas para governador e senador foram confiáveis ou se foram embaladas por interesses estranhos. Para os que não conseguirem se eleger, vai restar o choro do surubim e uma penosa viagem de balsa até a distante Manacapuru. 

Mas, eleição sempre será festa e choro. Solene, sisuda, a balsa já navega para ancorar na gameleira, na espera da fila numerosa dos derrotados.

NÃO PODE SER COINCIDÊNCIA

PODE, se alguém quiser, duvidar do alto número de intenções de votos atribuídos pela pesquisa do IPEC, ao Gladson Cameli (PP); mas não há cancha para se duvidar que, ele lidera a corrida ao Palácio Rio Branco. Disso nem os adversários duvidam.

NOS DOIS CENÁRIOS

NÃO VEJO clima para um dos adversários lhe tomar a a frente nesta reta final; e havendo segundo turno, também, o Gladson Cameli (PP) entrará na dianteira.

ME RESERVO AO DIREITO

E PELA MINHA experiência em campanha, me reservo ao direito de não acreditar que o candidato ao governo, senador Sérgio Petecão (PSD), terá apenas 5% dos votos.

ATENDIMENTO NOTA 10

FUI ontem tomar uma vacina na UPA do Segundo Distrito. Do primeiro atendimento ao último, foi nota 10 por parte dos funcionários. Faço o devido registro. Sinal que, as coisas andam bem na pasta da Saúde, na PMRB.

SAIU DAS PAUTAS NEGATIVAS

SE MEDE muito a atuação de um prefeito pelas críticas que recebe. Criticado em massa no começo da gestão, já não se vê essas críticas ao Bocalom, sinal que melhorou a sua aceitação. E, não faltam notícias vindas da SECOM.

APOSTA NO VOTO SILENCIOSO

SEGUNDO colocado em todas as pesquisas registradas até o momento, o candidato ao governo Jorge Viana (PT) joga as suas fichas no chamado “voto silencioso”, que geralmente não manifesta sua opinião e que costuma pregar peças nas urnas. Garra não faltou até aqui ao JV.

NINGUÉM ACREDITA

DENTRO da federação PT – PV – PCdoB, todos acreditam piamente que haverá segundo turno, e que o Jorge Viana (PT) estará na disputa pela oposição.

CHAPA APERTADA

A LÓGICA é a de eleger dois deputados estaduais. E, estão nesta briga mais direta, no REPUBLICANOS, o Gélen Diniz, Clodoaldo Rodrigues, Eber Machado, Jairo Carvalho. Claudinha e Jamil Asfury. Fora as zebras.

VIRA COELHO

NA DISPUTA para deputado estadual não adianta largar na frente, ter prefeito apoiando; o que vale voto é manter uma campanha linear do início até a reta final.

TÁBUA DE PIRULITO

COM oito candidatos regionais a deputado estadual, fora os candidatos de fora que montaram base no município, os votos de Brasiléia estão mais furados que tábua de pirulito. 2.500, deve ser a média do mais votado. Lá, se trava uma das disputas mais virulentas.

ROMANO GOUVEIA

PELAS postagens que recebo, o candidato a deputado pelo PSD, Romano Gouveia; entra pela noite fazendo campanha nos bairros, sem problemas. Sua campanha está estruturada na periferia. Romano está no jogo.

BRIGA POR DUAS VAGAS

Israel Milani, Antônia Lúcia, Keiliane Cordeiro, Roberto Duarte, estão na guerra travada no REPUBLICANOS, por prováveis duas vagas para deputada federal.

BOLA OU BURICA

EXISTEM DUAS vertentes nesta eleição a governador: ou os institutos de pesquisas confirmam nas urnas os números divulgados para governador e senador; e se não for confirmado, sairão desmoralizados. Estamos perto de saber, qual das duas vertentes prevalecerá.

NA POLÍTICA, UM ERRO PODE SER FATAL

PRATICAMENTE só, o candidato ao Senado, Jenilson Leite (PSB), chegou aos dois dígitos nas pesquisas. Se ele tivesse sido candidato apoiado por um partido grande; o que conquistou até agora teria dobrado, e ele estaria disputando nas cabeças a única vaga de senador.

OPINIÃO QUE MAIS ESCUTO

A SOCORRO NERI deve puxar a votação e com alta chance de ficar com a primeira vaga; e disputando a segunda Gérlen Diniz, José Adriano e Samir Bestene. É a opinião que mais escuto sobre a disputa na chapado PP para deputado federal. Fora desse quadro, seria zebra.

PROBLEMA QUE ENTRAVA O PDT

A CHAPA DO PDT para deputado federal, com perspectiva de ter votos, se limita aos candidatos Jesus Sérgio e ao Orleilson Cameli. Para eleger um federal, vai depender dos dois terem uma votação estourada.

BANCADA DOS ANTIGO

NA AVALIAÇÃO de um político que conhece como poucos os corredores da disputa de deputado estadual, um mínimo de doze atuais parlamentares deve manter o mandato. Estariam apenas doze vagas em disputa.

VAGAS ABERTAS

SÓ DE VAGAS abertas por deputados que não disputarão a reeleição são cinco, o Roberto Duarte, Meire Serafim, Jonas Lima, Jenilson Leite e Gerlen Diniz.

JEFERSON PURURUCA

UM DOS CANDIDATOS a deputado estadual do PSD que chega com uma campanha redonda nesta reta final, é o Jeferson Pururuca. Quem chega bem, normalmente, se elege. Pururuca é primeiro suplente de deputado.

SANTO DE CASA

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) disse confiar mais nas pesquisas internas que tem em mãos, do que nos números divulgados por outros institutos. E, que por isso aumentou ainda mais seu volume de campanha. 

MULHER DE QUALIDADE

Não basta ser mulher para entrar na política; mas ser mulher com qualificação. E, nos quesitos qualificação e combatividade se enquadra a candidata a deputada estadual, vereadora Michelle Melo (PDT). Tem ainda o plus de ser uma das revelaçōes políticas da Câmara Municipal de Rio Branco. A sua campanha embalou na capital é no interior. Quanto mais mulheres no parlamento, melhor para a política.   

FRASE MARCANTE

“Todo sapato bonito um dia se torna chinelo”. Ditado chinelo.

Continuar lendo

Blog do Crica

Barba, cabelo e bigode

Publicado

em

O candidato a governador pelo PSOL, professor Nilson Euclides, foto, foi o único sobrevivente do burocrático debate de ontem, na TV-CULTURA, entre os candidatos ao governo. Foi o único que conseguiu desenvolver com lógica e base as teses que defende para uma gestão estadual, e ainda soube explorar os pontos fracos dos seus adversários. Este desfecho foi bom para mostrar que num partido nanico como o PSOL, se pode ter candidatos com qualidade para disputar um governo. E, o desfecho serviu ainda para quebrar o ciclo que só os políticos profissionais podem ser protagonistas numa eleição. Se o professor Nilson Euclides (PSOL) será eleito, é um assunto para as urnas resolverem; mas no debate de ontem na CULTURA, ele fez barba, cabelo e bigode nos demais candidatos a governador.

LONGE DE SER O JV
O Jorge Viana (PT) de ontem, esteve longe de ser aquele candidato que domina o vídeo, e que sabe defender com rigor e clareza os seus projetos. O que se viu foi um JV tenso e titubeante. Não conseguiu ser destaque, em nenhum ponto do debate. Perdeu boa oportunidade.

BRIGOU COM O TEMPO
O CANDIDATO Gladson Cameli (PP), também, não esteve na sua melhor noite. Passou boa parte do seu tempo brigando com o cronômetro, não conseguiu concluir os raciocínios que iniciou e divulgou sem ênfase sua gestão. Limitou-se a ficar apanhando passivamente no debate.

FICOU PERDIDO
Cronômetro – se é que existia no improvisado estúdio do debate – é para ser seguido, sob pena do candidato ser interrompido. Esqueceram de dizer isso ao candidato Sérgio Petecão (PSD). Já vi um Petecão melhor na televisão na defesa de suas ideias, mas no debate de ontem, não foi bem; nem na defesa e nem no ataque.

ESPERAVA-SE MUITO MAIS
SE SOBRESSAIU pela postura no vídeo, que domina, por ter sido apresentadora de programa de televisão. Passou o tempo desancando os adversários (e deveria fazê-lo); mas se esqueceu de mostrar com vigor os projetos para o Acre, se vencer a eleição. Na sua atuação de ontem, ficou abaixo do que se era esperado dela.

FRANCO ATIRADOR
O candidato Márcio Bittar (União Brasil) entrou como franco atirador, porque nem na sua campanha está de cabeça. Usou mais o seu tempo para defender o presidente Bolsonaro, atacar o conceito de florestania, poupou o governador, e fechou pedindo votos para sua candidata ao Senado, Márcia Bittar (PL). Não pode nem ser avaliado de forma mais profunda, porque não mostrou seus projetos para o Acre; se limitando a apontar recursos já liberados. Poderia ter saído como protagonista, mas não conseguiu.

NÃO É DESCULPA
A BAIXA qualidade técnica da transmissão do debate; o tempo escasso para as respostas, os deixando engessado; não é desculpa para o baixo desempenho dos candidatos. O único que conseguiu fazer do limão uma limonada, foi o candidato Nilson Euclides (PSOL). O mediador José Alex cumpriu seu papel de ser rigoroso na cronometragem. Mas, enfim, valeu pela democracia.

NÃO MUDA NADA
UMA COISA pode se afirmar sem nenhum temor de errar, a de que o debate da TV-CULTURA não terá nenhuma influência para mudar a tendência do eleitorado na escolha de quem vai votar para governador.

OBSERVAÇÃO DE UM POLÍTICO
UM parlamentar que esteve no fim de semana em Plácido de Castrou, revelou ontem ao BLOG que, nunca viu rolar tanto dinheiro para deputado estadual. Diz que deixou seu pessoal para colher provas e enviar à justiça.

BRASILÉIA NÃO FICA ATRÁS
TAMBÉM já ouvi de muitos candidatos que tem ido à Brasiléia, que lá a compra de votos está sendo feita de forma descarada, na busca de uma vaga na ALEAC.

TUDO MUITO SIMPLES
CASO esteja acontecendo isso em Plácido de Castro e Brasiléia, é só os candidatos que estão sendo massacrados pelo poderio financeiro dos que financiam estas campanhas, colher provas e enviar à justiça eleitoral. Não podem ficar apenas no lamento.

MÃOS DO GOVERNO
AS DUAS mãos do governo estão no ombro da candidata a deputada federal Socorro Neri (PP). Sei de seis secretários que lhe apoiam, sem falar em diretores e outros ocupantes de cargos de confiança. Some-se a isso a sua garra na campanha; e não será surpresa, se ela vir a aparecer como a puxadora de votos na chapa do PP.

CORRERIA DE DEPUTADOS
ANDARAM fazendo muitas promessas financeiras e não cumpriram. Por conta disso vários deputados me disseram que, por isso estão pedindo votos só para eles, e todos torcendo para que tenha segundo turno; para fazer a cobrança com juros e correção monetária.

PESQUISA DO IPEC
NO FINAL da tarde tem pesquisa do IPEC para governador e senador, na TV-ACRE. Não brigo com resultado de pesquisa. A pesquisa não elege ninguém, mas ela bem feita, retrata um momento e dá um norte.

SONHO MORTO
O deputado Nicolau Junior (PP) esperava ter o apoio fechado à reeleição do prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha, a quem ajudou a se eleger, mas não tem.

PREFEITURA FATIADA
NA PREFEITURA de Cruzeiro do Sul, cada secretário apoia o candidato a deputado quem bem entender.

CHEGAM AOS DOIS DÍGITOS
SERÁ muito difícil os principais candidatos a governador da oposição não chegarem aos dois dígitos nesta eleição. Mas, na eleição nem sempre a lógica prevalece, mas a vontade do eleitor. Aguardemos, pois, as urnas.

CANDIDATURA CONSOLIDADA
QUEM está com uma candidatura consolidada para deputado federal é o Israel Milani (REPUBLICANOS), com bases nos municípios e na capital. Chega bem na reta final da campanha. É um dos favoritos da sua chapa.

FRASE MARCANTE
“Guarda uma semente na terra, que a terra te dará uma flor”. Gibran Kahlil.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.