Conecte-se agora

PGE recupera créditos do extinto Banacre tidos por perdidos

Publicado

em

A Coordenadoria de Execução da Procuradoria-Geral do Estado do Acre (PGE) foi  responsável por realizar acordos judiciais em 2011 que renegociaram dívidas de aproximadamente R$ 5 milhões referentes a créditos do antigo Banacre. Os valores resgatados são de dívidas de pessoas físicas e jurídicas com o banco dadas até então como perdidas, os chamados “créditos podres”.

Os créditos foram renegociados com o parcelamento em dinheiro e também sob a forma de dação de pagamento de bens imóveis que, em 2011, totalizaram cerca de 60 mil metros quadrados de terras, extinguindo várias obrigações dos devedores com o Estado.

De acordo com informações do analista bancário José Carlos da Silva, que auxilia a PGE na operacionalização dos acordos, no período de 2000 a 2011, foram renegociados mais de R$ 25 milhões de dividas originadas no antigo Banacre, referentes a mais de 1.100 acordos realizados entre Estado e devedores no período. Só em 2011, o valor renegociado foi o maior dos últimos 10 anos, R$ 4.983.458,35, referente a 46 acordos.

O aumento dos valores se deveu à estratégia da Coordenadoria de Execução da PGE de focar seus esforços para renegociar as maiores dívidas. O resultado disso foi o aumento do valor renegociado em mais de 40% no exercício de 2011 em relação ao ano anterior, mesmo com um número menor de acordos – em 2010 foram 87 acordos, que alcançaram quase R$ 3 milhões.

“A estratégia foi bem-sucedida porque procuramos conversar com os devedores, buscando as melhores condições possíveis para recebermos esses créditos, seja parcelando ou aceitando bens para pagamento. São recursos que, a princípio, eram mesmo considerados praticamente irrecuperáveis e agora poderão ser revertidos em prol dos cidadãos, nas mais diversas áreas de atuação do Estado”, destacou o Procurador do Estado João Paulo Setti, Coordenador de Execução da PGE.

Entenda o caso – Em 1998 o Estado do Acre comprou ativos do Banacre – créditos compostos basicamente por uma carteira imobiliária e uma carteira de crédito com alto índice de inadimplência -, pois o banco precisava de recursos para cobrir o déficit de caixa em razão de inúmeras operações de crédito realizadas sem lastro, cujo índice de inadimplência comprometeu o capital da instituição, além dos altos custos operacionais, principalmente junto ao mercado financeiro, onerando sua permanência no setor.

A partir daí, adotaram-se medidas visando ao encerramento das atividades bancárias do Banacre, que teve seu objeto social alterado para empresa não financeira, e se encontra atualmente em processo de liquidação ordinária, utilizando os recursos levantados para pagamento proporcional de suas dívidas.

Com base na aquisição dessa carteira de créditos, o Estado do Acre, por meio da PGE, vem cobrando judicialmente e negociando esses créditos, que eram dados como perdidos.

Acre

Acre será cenário da nova série da Disney+ com Xuxa no elenco

Publicado

em

Em julho deste ano começam as gravações da nova série da Disney+, chamada Tarã. O projeto marca o retorno de Xuxa Meneguel como atriz, após dez anos, e terá o Acre como cenário.

A história faz um alerta sobre a destruição da natureza, com uma mensagem de conscientização da preservação ambiental. Além do estado acreano, os episódios também acontecerão no Rio de Janeiro e em São Paulo. A produtora de conteúdos Formata será a responsável pela ficção.

As informações são da colunista Patrícia Kogut, do Jornal O Globo. A plataforma de streaming não deu mais detalhes sobre a obra, mas a expectativa é que a exibição aconteça em 2023.

Continuar lendo

Acre

Após discussão, Mazinho sofre infarto e vai parar na UTI

Publicado

em

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, passou mal após discutir com o deputado Gerlen Diniz no plenário da Assembleia Legislativa. O gestor da cidade que fica a 143km da capital Rio Branco, sentiu uma forte dor no peito e foi encaminhado às pressas ao Pronto-Socorro de Rio Branco.

Acompanhado pelo médico-cardiologista Welber de Lima, Mazinho deu entrada no PS e logo em seguida foi retirado do local para fazer um cateterismo no Hospital Santa Juliana, Unidade Hospitalar autorizada para fazer o procedimento.

O ac24horas apurou que os médicos colocaram um Stent para revascularizar a artéria do coração. Logo após o procedimento, ele foi encaminhado a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital para observação. Mazinho está lúcido e deve ficar bem, segundo informes apurados pela reportagem.

Continuar lendo

Acre

Após ser chamado de “criminoso”, Mazinho rebate: “seu vagabundo”

Publicado

em

Tudo indicava que a sessão desta quarta-feira, 25, da Assembleia Legislativa terminaria de forma tumultuada. O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (Republicanos), que foi acusado na sessão de ontem de cometer vários crimes na administração pública pelo deputado Gerlen Diniz (Progressistas), foi até ao plenário do parlamento hoje para acompanhar os trabalhos, acompanhado de sua esposa, a deputada estadual Meire Serafim.

A confusão iniciou quando o deputado Gerlen Diniz resolveu provocar o prefeito, afirmando que fez diversas denúncias acerca de desmandos em Sena Madureira e estaria ratificando e reiterando tudo o que disse. “Um patrimônio de R$ 3 milhões está em mãos de particulares”, disse.

Neste momento, o prefeito Mazinho começou a gritar e xingar o deputado Gerlen. “Presidente, me garanta a palavra”, pediu Diniz em meio aos berros de Mazinho.

O presidente da Mesa Diretora na ocasião, deputado Antônio Pedro, suspendeu a sessão e a confusão continuou.

Revoltado, Mazinho pediu para que o deputado o fosse retirar do parlamento. “Venha me retirar, seu vagabundo, O povo de Sena Madureira está te esperando nas urnas de novo. Pilantra, não faz nada por aquela cidade. Você tem que respeitar a minha mulher”, disse o prefeito, que foi contido pelo seu colega de partido, o deputado Roberto Duarte (Republicanos).

Após Mazinho ser retirado por aliados, Gerlen retomou a palavra e afirmou que se acontecer com ele, “já sabem quem é o mandante”. O parlamentar afirmou ainda que tem certeza que Mazinho será preso.

“Pensa que com gritos, intimidação, vai conseguir me calar. Não tenho medo, mas se algo acontecer comigo já sabem quem vai ser o mandante, pois lá de onde ele vem isso é comum”, disse o deputado.

Diniz vê dilapidação do patrimônio público na gestão de Mazinho, que segundo o deputado demoliu um armazém que servia para o produtor rural estocar a produção. “Vejam o tipo de gestor. Quando o cara sai gritando daqui é porque sentiu o golpe. É covarde, canalha, não tenho um pingo de medo desse cidadão”, afirmou Gerlen Diniz.

“Essa pessoa já agrediu camelô, vereador, já saiu espancando no meio da rua. Ele estava gritando aqui porque tinha um monte de segurança. Na rua, ele dobra esquina quando me vê”, relatou.

Para Diniz, Mazinho porta-se como um animal e, portanto, deve ser enjaulado como um animal.

Segundo o parlamentar, o presidente da Mesa, Antônio Pedro, poderia ter evitado o tumulto e a vergonha que está submetida a Aleac ante ao berreiro de Mazinho e pediu ação do Ministério Público e da Polícia Civil às denúncias que faz.

video
Continuar lendo

Acre

Viagem de diretora da Funtac causa revolta entre servidores

Publicado

em

Já faz algum tempo que a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) deixou de ser o centro de pesquisas e busca pelo desenvolvimento da tecnologia que já foi um dia. Culpa do pouco investimento dos governos no setor. Além da crise financeira, a atual direção convive com a insatisfação de alguns servidores da casa. Um dos motivos é uma viagem feita nos últimos dias ao Rio de Janeiro.

A atual diretora- presidente da Funtac é Missara Oliveira, esposa do ex-presidente da fundação, Antônio Aurisergio, conhecido como Tom Sérgio, que deixou a presidência porque vai ser candidato à Assembleia Legislativa nas próximas eleições, mas conseguiu emplacar a esposa no cargo. Tom é irmão do deputado federal Jesus Sérgio (PDT) e como é gestor de políticas públicas do governo, ficou lotado na própria Funtac. Ocorre que no último dia 20 de maio, a diretora-presidente foi convidada a participar do encontro Finep + Confap, ocorrido no Rio de Janeiro. Missara resolveu levar o esposo para acompanhá-la na viagem.

“O que nos revolta é que faz muito tempo que a Funtac não tem a atenção devida. Quando surge uma oportunidade dessas, servidores da casa deveriam ser contemplados. O ex-presidente vai ser candidato, se ganhar, assume o mandato e se perder não tem nenhuma garantia que vai continuar trabalhando na Funtac, afinal não sabemos quem vai ser o próximo governador. Enquanto esse ou qualquer outro governo que o conhecimento precisa ser da instituição e não de poucos, não vamos conseguir avançar e tornar a Funtac forte de novo como já foi um dia”, afirma um servidor, que prefere não ser identificado.

Além da escolha pelo marido, a reclamação é também pelo custo das passagens. Compradas em cima da hora, a ida e volta de Tom Sérgio ao Rio de Janeiro custou mais de R$ 6 mil, sem mencionar outros R$ 1,5 mil reais em diárias. “Aqui não se tem dinheiro para nada. Esse custo de R$ 6 mil reais para uma única pessoa é falta de planejamento. Enquanto isso, o pessoal que é terceirizado e ganha um salário mínimo está com o salário atrasado”, diz o servidor.

A reportagem conversou com Missara Oliveira. A diretora-presidente explicou porque levou o marido ao evento. “O Antônio Aurisergio é gestor de Políticas Públicas, sendo assim funcionário permanente do estado pode ocupar cargo em qualquer secretaria/ Órgão do Estado. Como estou a pouco tempo a frente da Fundação, preciso da experiência dele e do contato que tinha com os órgãos financiadores., A reunião foi com o Ministro de Ciência Tecnologia e Inovação, Paulo Alvim, na FINEP e nós conseguimos numa nova forma de pagamento nas nossas contrapartidas em projetos pela Fundação de Amparo a Pesquisa, FAPAC. As demais denúncias não procedem”, afirma Missara.

Apesar de ter negado que exista atraso no pagamento de terceirizados, a reportagem conversou com duas pessoas que prestam serviço de forma terceirizada que confirmaram que o salário do mês está atrasado. Os vencimentos deveriam ter sido pagos até o último dia 10, mas até o momento ainda não caiu nas contas dos trabalhadores.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!