Conecte-se agora

Acre tem a maior redução de casos de malária do Brasil

Publicado

em

Romerito Aquino – De Brasília

O Acre teve a menor redução do número de casos de malária na Amazônia e no Brasil de janeiro a outubro do ano passado, quando foram notificados no estado 17.176 casos contra os 28.125 casos registrados no mesmo período de 2010, com redução de 38,9%, percentual bem superior à queda de 23% observada em toda a região.

Os dados são do Ministério da Saúde, que divulgou ontem o balanço da situação da malária nos primeiros 10 meses de 2011 nos nove estados da Amazônia Legal, que respondem por 99% dos casos de malária do Brasil. Em toda a Amazônia, de janeiro a outubro, foram registrados 217.298 casos contra os 281.586 casos notificados no mesmo período de 2010. As internações na região também diminuíram de 3.859 em 2010 para 3.215 no ano passado, com redução de 17%.

Resultado do reforço das medidas tomadas pelo governo Tião Viana para combater essa doença que tanto atormenta a população do interior, a redução dos casos de malária no Acre segue uma tendência de declínio da doença no estado, que tem contado, nos últimos anos, com a ação dos mosquiteiros impregnados de inseticidas que impedem a ação dos mosquitos nas residências amazônicas.

Muito usados nos países asiáticos, os mosquiteiros impregnados com inseticidas foram trazidos para o Acre pela ação política do então senador e hoje governador Tião Viana e já se transformaram na principal arma usada pelo Ministério da Saúde para combater a malária em toda a região amazônica.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, comemorou os resultados da redução da doença na Amazônia. “Estamos animados porque vencemos mais uma batalha e conseguimos a diminuição dos casos de malária. Agora, vamos agir antecipadamente para intensificarmos o trabalho nas áreas consideradas endêmicas”, disse Padilha.

A diminuição do número de casos foi verificada na maioria dos estados da Amazônia Legal. Além da queda de 38,9% no Acre, a redução na malária se deu em 23% no Amazonas, 17% no Maranhão, 28% no Mato Grosso, 30% em Rondônia, 33% em Roraima 33%, 30% no Tocantins e 18% no Pará. Somente no Amapá foi registrado acréscimo de 8%, quando o número de infecções pelo Plasmodium falciparum passou de 39.978 de janeiro a outubro de 2011 para 24.634 no mesmo período de 2010. O Plasmodium falciparum é um dos três protozoários do gênero que causam a malária na região, provocando a forma grave da doença.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, assinalou que a diminuição dos casos de malária é conseqüência da descentralização das ações de prevenção e controle da doença, da inclusão de derivados de artemisina no tratamento dos pacientes e do atendimento até 72 horas depois do aparecimento dos primeiros sintomas. “O engajamento de gestores, agentes de saúde e entidades parceiras, também contribuiu para a diminuição desse quadro”, assinalou Barbosa.

Mais de um milhão de mosquiteiros com inseticidas

O Ministério da Saúde informou que os 47 municípios mais vulneráveis a malária irão receber do Ministério da Saúde R$ 15 milhões de repasses financeiros. Os recursos são direcionados à instalação de mais de um milhão de mosquiteiros com inseticidas.

Além dos recursos, esses municípios já receberam 194 microscópicos para ampliar a rede de diagnósticos da malária, 39 novas caminhonetes e 250 mil testes rápidos para diagnóstico da doença subsidiados pelo Fundo Global de Luta Contra Aids, Tuberculose e Malária. Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o mosquiteiro é uma arma fundamental para reduzir cada vez mais os casos de malária no Brasil.

A malária é uma doença infecciosa aguda, causada por protozoários parasitas do gênero Plasmodium. A transmissão ocorre por meio da picada da fêmea do mosquito do gênero Anopheles, que se infecta ao sugar o sangue de uma pessoa doente.

Os criadouros preferenciais do mosquito transmissor da malária são os igarapés, por terem como características água limpa, sombreada e parada. Em seres humanos, se não for tratada, a malária pode evoluir rapidamente para a forma grave e levar a óbito. Entre os sintomas, os mais comuns são dor de cabeça, dor no corpo, fraqueza, febre alta e calafrios. O período de incubação varia de oito a 17 dias, podendo, entretanto, chegar a vários meses em condições especiais.

A malária tem cura e o tratamento é eficaz, simples e gratuito. Ainda não existe uma vacina disponível contra a doença. Contudo, algumas medidas de proteção individual contra picadas de insetos devem ser utilizadas, principalmente nas áreas de risco. O uso de mosquiteiro impregnado com inseticida; de telas nas portas e janelas; de repelente e, ainda, evitar locais de banho em horários de maior atividade do mosquito – manhã e final da tarde – são exemplos de medidas que devem ser adotadas para evitar a transmissão.

Acre

Homem que divulgava blitz em WhatsApp é preso no Acre

Publicado

em

Um homem foi preso em flagrante nesta quinta-feira, 27,  pela Polícia Militar do Acre  quando parou próximo à uma blitz e divulgou em grupos de Whatsapp a operação policial que era realizada próximo ao Igarapé Preto, na cidade de Cruzeiro do Sul.

Segundo o artigo 265 do Código Penal, o  crime em questão é o de atentado contra o serviço de segurança pública, com pena prevista de reclusão de 1 a 5 anos e multa.

O comandante do Pelotão de Trânsito da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente Robson Belo, conta que ao ser indagado pelos policiais, o rapaz confessou o crime e mostrou as mensagem e os grupos em que postava os locais onde a PM faz as abordagens a motoristas. O militar avisa que os demais participantes dos grupos também serão investigados.

“Estamos realizando a operação Relâmpago II  com o intuito de melhorar a segurança viária e  somos surpreendidos por condutas como esta. Agora que tivemos acesso ao celular do rapaz, estaremos apresentando todos os números que estão nesses grupos para a investigação e punição dos envolvidos. Condutas como esta acabam por retirar a eficiência das operações e deixam os criminosos livres para circular” afirmou o tenente.

Ainda durante a Operação Relâmpago II,  a PM recuperou uma moto roubada e prendeu um homem com uma arma de fogo falsa, um simulacro.

Continuar lendo

Acre

Congelamento de ICMS dos combustíveis no Acre será mantido

Publicado

em

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) decidiu nesta quinta-feira (27) prorrogar até 31 de março de 2022 o congelamento do preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do ICMS sobre os combustíveis. No Acre, o governo já havia adiantado ao ac24horas que não descongelaria o imposto e referendou a medida, alinhada com o que propõe o governo federal, com o voto no Confaz.

A decisão do Confaz foi por unanimidade, com voto favorável dos 27 secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal. O congelamento do PMPF, que serve de base de cálculo do ICMS a ser recolhido sobre o preço final da gasolina, diesel e etanol, foi decidido inicialmente em 29 de outubro de 2021, em decisão do Confaz, com validade até 31 de janeiro. A decisão desta quinta-feira mantém inalterado por mais 60 dias o PMPF vigente em 1º de novembro de 2021, que terá sua validade estendida até 31 de março.

A questão dos preços dos combustíveis e o congelamento do PMPF tem sido amplamente discutida nos últimos dias. Nesta quarta-feira (26), o Fórum dos Governadores divulgou nota recomendando a aprovação do congelamento do PMPF como uma medida provisória para contribuir com o controle dos aumentos dos combustíveis. Os governadores defendem, porém, que sejam criadas soluções estruturais para a estabilização dos preços dos combustíveis, como um fundo de equalização de preços.

Os secretários de Fazenda, por meio do Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal, entendem que só o congelamento do ICMS não é suficiente para impedir os reajustes dos combustíveis, visto que os elementos centrais dos aumentos são a variação do dólar e a política da Petrobras de paridade com o mercado internacional do petróleo.

O Comsefaz apoia a criação do fundo de equalização como forma de evitar que os reajustes do barril de petróleo no mercado internacional sejam repassados para o preço final dos combustíveis, como tem ocorrido, gerando os aumentos frequentes.

Continuar lendo

Acre

Acre confirma 302 novos casos e uma morte por Covid-19 em 24h

Publicado

em

O estado do Acre confirmou 302 novos casos de infecção por coronavírus nesta quinta-feira, 27 de janeiro. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), o número de infectados subiu para 96.834 em todo o estado.

Um óbito foi registrado nesta quinta, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 suba para 1.861 em todo o estado. Trata-se de T.C.G, de 80 anos, natural de Rio Branco, que deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento do 2° Distrito no dia 24 de janeiro de 2022.

Até o momento, o Acre registra 271.692 notificações de contaminação pela doença, sendo que 174.487 casos foram descartados e 371 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 88.164 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 54 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Continuar lendo

Acre

Em ano de eleição, Gladson troca comando do PS e das UPAS

Publicado

em

O governador Gladson Cameli está fazendo mudanças na direção das principais unidades de saúde do estado meses antes das eleições de 2022. Após mudar a direção da UPA da Sobral nesta quinta-feira, 27, a próxima mudança é na gerência do Pronto-Socorro de Rio Branco.

Na maior unidade de urgência e emergência do estado, a médica Carolina Pinho, mesmo com uma gestão elogiada, vai ser trocada pela atual diretora da UPA Via Verde, Dora Vitorino, que se destacou na chefia da unidade quando a UPA, também conhecida como UPA do 2º Distrito, se tornou referência no combate à Covid-19.

Pelo que apurou o ac24horas é possível que haja também mudança na direção da UPA da Cidade do Povo. Das principais unidades de saúde do estado, apenas a Fundação Hospitalar deve manter a atual direção.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Content is protected !!