Conecte-se agora

MPE identifica problemas em unidades de saúde do interior do Acre e encaminha relatórios ao governador Tião Viana

Publicado

em

Os relatórios de vistorias realizadas pela Coordenadoria da Saúde do Ministério Público do Estado do Acre (MPE) mostram que hospitais e postos de saúde do Acre enfrentam problemas sérios, que vão desde a falta de condições estruturais até o reduzido número de profissionais. Os documentos são um resumo das atividades desenvolvidas por meio do projeto “Saúde para Todos”, que integra o Planejamento Estratégico do MPE.

Uma das atividades previstas no projeto é a realização de diligências que visam instruir os assessores que auxiliam os promotores com atuação na área de saúde, além de apurar possíveis irregularidades no setor de saúde.

O Hospital de Clínicas Raimundo Chaar, em Brasiléia, foi uma das primeiras unidades que receberam a visita das servidoras da Coordenadoria de Saúde, Marisete de Cássia Ligeiro Moraes e Marcela Braga, que identificaram problemas graves, como falta de equipamentos necessários para realização de exames. Na unidade, o aparelho de raio-x não está funcionando como deveria por falta de manutenção. Na mesma condição encontram-se os equipamentos de eletrocardiograma e monitor cardíaco- este último trata-se de um dispositivo eletrônico que serve para contar as batidas do coração. Além da carência de médicos, verificou-se que o lixo hospitalar é dispensando junto com o lixo comum.

Em Epitaciolância, no Posto de Saúde da Família Manoel Araújo da Costa, foram encontradas instalações em péssimas condições. Na sala onde são armazenados os medicamentos não há refrigeração e falta água nas torneiras. Também foram encontrados remédios com prazo de validade vencido, que segundo a direção do posto, seriam recolhidos pela Vigilância Sanitária. O PSF não oferece serviço odontológico, e quem precisa de dentista, se desloca para outro município.

Apesar de dispor de boas condições em termos de estrutura física, o Hospital Geral Manoel Marinho Monte, no município de Plácido de Castro, não oferece atendimento especializado por falta de médicos. O centro cirúrgico está fechado, por isso, nem uma simples cesariana pode ser feita. São realizados apenas partos normais. O hospital também não dispõe de equipamento de raio-x. Situação semelhante foi constatada no Hospital Geral Dr. Ary Rodrigues, em Senador Guiomard.

Em condição ainda pior encontra-se o hospital de Assis Brasil, onde o prédio está deteriorado, com problemas na instalação elétrica e hidráulica. O aparelho de autoclave, utilizado para esterilizar instrumentos cirúrgicos e odontológicos, está sendo usado para esquentar comida. “A unidade não tem nenhuma condição para funcionar”, disse a secretária-geral da coordenadoria de saúde, Marisete Moraes.

A diligência realizada em Assis Brasil apurou que as novas instalações do hospital estão prontas, mas ainda não estão em funcionamento porque a prefeitura estaria atrasando a pavimentação da rua de acesso, apesar dos insumos estarem comprados. “O que se entende é que pretende-se fazer a inauguração no período eleitoral para se obter vantagem política”, afirmou a procuradora de justiça, Gilcely Evangelista de Araújo Souza.

Na última sexta-feira foram visitados dois postos e o hospital geral de Tarauacá, onde as maiores deficiências são os médicos que não cumprem a carga horária de trabalho e o transporte dos pacientes, tendo em vista que ambulância está em péssimas condições. Por outro lado, o hospital é o único dos que foram visitados até agora que utiliza toalhas descartáveis, sabonete líquido, dentre outras medidas previstas no programa “Higienização das Mãos”, do Ministério da Saúde.

Relatórios serão entregues ao governador
O projeto “Saúde para Todos”encerrará suas atividades deste ano na primeira quinzena de dezembro, em Rio Branco, onde a Coordenadoria de Saúde vai promotores de Justiça do interior para discutir o Sistema Único de Saúde (SUS).

A procuradora de justiça Gilcely Evangelista, que esteve em Feijó e Tarauacá na semana passada, está em Cruzeiro do Sul para lançar o projeto no Juruá. A agenda prevê diligências e palestras sobre o SUS para conselheiros de saúde e promotores de justiça.

Gilcely Evangelista disse que um relatório sobre a situação das unidades de saúde visitadas por meio do projeto será entregue ao governador Tião Viana. “Além do governador, a secretária de Saúde Suely Melo e os secretários municipais das cidades visitadas também irão receber o relatório, e esperamos que medidas sejam tomadas para garantir o melhoramento dos serviços que são prestados nessas unidades”, destacou.

Agência de Notícias – MP/AC

Acre

Homem que divulgava blitz em WhatsApp é preso no Acre

Publicado

em

Um homem foi preso em flagrante nesta quinta-feira, 27,  pela Polícia Militar do Acre  quando parou próximo à uma blitz e divulgou em grupos de Whatsapp a operação policial que era realizada próximo ao Igarapé Preto, na cidade de Cruzeiro do Sul.

Segundo o artigo 265 do Código Penal, o  crime em questão é o de atentado contra o serviço de segurança pública, com pena prevista de reclusão de 1 a 5 anos e multa.

O comandante do Pelotão de Trânsito da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente Robson Belo, conta que ao ser indagado pelos policiais, o rapaz confessou o crime e mostrou as mensagem e os grupos em que postava os locais onde a PM faz as abordagens a motoristas. O militar avisa que os demais participantes dos grupos também serão investigados.

“Estamos realizando a operação Relâmpago II  com o intuito de melhorar a segurança viária e  somos surpreendidos por condutas como esta. Agora que tivemos acesso ao celular do rapaz, estaremos apresentando todos os números que estão nesses grupos para a investigação e punição dos envolvidos. Condutas como esta acabam por retirar a eficiência das operações e deixam os criminosos livres para circular” afirmou o tenente.

Ainda durante a Operação Relâmpago II,  a PM recuperou uma moto roubada e prendeu um homem com uma arma de fogo falsa, um simulacro.

Continuar lendo

Acre

Congelamento de ICMS dos combustíveis no Acre será mantido

Publicado

em

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) decidiu nesta quinta-feira (27) prorrogar até 31 de março de 2022 o congelamento do preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do ICMS sobre os combustíveis. No Acre, o governo já havia adiantado ao ac24horas que não descongelaria o imposto e referendou a medida, alinhada com o que propõe o governo federal, com o voto no Confaz.

A decisão do Confaz foi por unanimidade, com voto favorável dos 27 secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal. O congelamento do PMPF, que serve de base de cálculo do ICMS a ser recolhido sobre o preço final da gasolina, diesel e etanol, foi decidido inicialmente em 29 de outubro de 2021, em decisão do Confaz, com validade até 31 de janeiro. A decisão desta quinta-feira mantém inalterado por mais 60 dias o PMPF vigente em 1º de novembro de 2021, que terá sua validade estendida até 31 de março.

A questão dos preços dos combustíveis e o congelamento do PMPF tem sido amplamente discutida nos últimos dias. Nesta quarta-feira (26), o Fórum dos Governadores divulgou nota recomendando a aprovação do congelamento do PMPF como uma medida provisória para contribuir com o controle dos aumentos dos combustíveis. Os governadores defendem, porém, que sejam criadas soluções estruturais para a estabilização dos preços dos combustíveis, como um fundo de equalização de preços.

Os secretários de Fazenda, por meio do Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal, entendem que só o congelamento do ICMS não é suficiente para impedir os reajustes dos combustíveis, visto que os elementos centrais dos aumentos são a variação do dólar e a política da Petrobras de paridade com o mercado internacional do petróleo.

O Comsefaz apoia a criação do fundo de equalização como forma de evitar que os reajustes do barril de petróleo no mercado internacional sejam repassados para o preço final dos combustíveis, como tem ocorrido, gerando os aumentos frequentes.

Continuar lendo

Acre

Acre confirma 302 novos casos e uma morte por Covid-19 em 24h

Publicado

em

O estado do Acre confirmou 302 novos casos de infecção por coronavírus nesta quinta-feira, 27 de janeiro. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), o número de infectados subiu para 96.834 em todo o estado.

Um óbito foi registrado nesta quinta, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 suba para 1.861 em todo o estado. Trata-se de T.C.G, de 80 anos, natural de Rio Branco, que deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento do 2° Distrito no dia 24 de janeiro de 2022.

Até o momento, o Acre registra 271.692 notificações de contaminação pela doença, sendo que 174.487 casos foram descartados e 371 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 88.164 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 54 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Continuar lendo

Acre

Em ano de eleição, Gladson troca comando do PS e das UPAS

Publicado

em

O governador Gladson Cameli está fazendo mudanças na direção das principais unidades de saúde do estado meses antes das eleições de 2022. Após mudar a direção da UPA da Sobral nesta quinta-feira, 27, a próxima mudança é na gerência do Pronto-Socorro de Rio Branco.

Na maior unidade de urgência e emergência do estado, a médica Carolina Pinho, mesmo com uma gestão elogiada, vai ser trocada pela atual diretora da UPA Via Verde, Dora Vitorino, que se destacou na chefia da unidade quando a UPA, também conhecida como UPA do 2º Distrito, se tornou referência no combate à Covid-19.

Pelo que apurou o ac24horas é possível que haja também mudança na direção da UPA da Cidade do Povo. Das principais unidades de saúde do estado, apenas a Fundação Hospitalar deve manter a atual direção.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Content is protected !!