Conecte-se agora

Suely Melo apresenta evolução do TFD nos sete primeiro meses da gestão de Tião Viana

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) apresentou na última semana, o relatório de atendimentos realizados pelo Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) de janeiro a julho de 2011.

O relatório dos sete primeiros meses apresenta dados consolidados indicando um crescimento importante em relação aos atendimentos prestados aos pacientes que necessitaram de atendimento fora do seu domicílio em 2010.

Participaram da apresentação a secretária de Estado de Saúde, Suely Melo, o secretário adjunto de Atenção à Saúde, José Amsterdam Sandres, a coordenadora da Diretoria Executiva da Sesacre, Celene Prado, a gerente do TFD, Ediná Monteiro, a gerente do Departamento de Vigilância em Saúde, Izanelda Magalhães, e assessores do gabinete do governador Tião Viana.

Durante todo o ano de 2010 foram registrados 4.530 novos processos intermunicipais, desses, foram atendidos 3.515, representando 77,59% de cobertura. De janeiro a julho deste ano os novos processos para tratamento fora de domicílio dentro do estado foram de 4.596, sendo que 2.492 já foram atendidos, mais 50% de cobertura, em apenas sete meses.

Já o demonstrativo dos processos interestaduais indica que, em 2010, 2.550 pacientes deram entrada para realizar procedimentos fora do estado e 2.107 foram atendidos. Em 2011, das 1.558 solicitações, 1.457 pacientes foram encaminhados para tratamento em outros estados.

Em 2010, foram investidos mais de R$ 3 milhões para atender 7.030 pacientes, juntamente com 4.920 acompanhantes, que fizeram tratamento de saúde na Capital do Acre. De acordo com o relatório, de janeiro a julho do ano corrente, os investimentos já passam de R$ 2 milhões, e os atendimentos foram de 4.984 pacientes e 3.483 acompanhantes.

Ainda no ano de 2010, para os pacientes que realizaram atendimentos nas unidades de referências em outros estados, foram gastos cerca de R$ 6 milhões, incluindo os acompanhantes – tanto para retorno, como para novas consultas. De janeiro a julho de 2011, o valor subiu para mais de R$ 7 milhões. Cada paciente e acompanhante representa para o cofre público um investimento de R$ 1.578,00, ao mês. Dependendo do caso, sai mais barato trazer o médico até o Estado do que deslocar o paciente.

“É importante destacar que do total de pacientes encaminhados todos os meses para Tratamento Fora de Domicílio, cerca de 40% vão realizar a primeira consulta, os outros 60% são pacientes que precisam fazer acompanhamentos periódicos”, esclarece a secretária de Estado de Saúde, Suely Melo.

Para a secretária, os custos de TFD são elevados, mas o Governo do Estado prioriza a saúde dos acreanos e vem trabalhando para ampliação e implantação de serviços de saúde para reduzir a necessidade de deslocamentos de muitos pacientes.

Ela destacou como exemplo os mutirões de cirurgias da equipe do Into que vem ao Acre de duas a três vezes por ano para realizar cirurgias de joelhos, quadril e coluna. A equipe do Hospital Real Português de Pernambuco, que é referência no país na área de cirurgia cardíaca, e vem realizando implantação e avaliação de marcapasso em mais de 150 pacientes.

Por último, ela lembra o programa Saúde Itinerante “Cuidando dos Seus Olhos”, que foi um “boom” na área de oftalmologia do Acre em mais uma iniciativa do governador Tião Viana. “Todos esses serviços oferecidos contribuíram para resolutividade do problema de saúde de muitas pessoas, além de diminuir a espera dos pacientes para atendimentos nessas especialidades”, diz a secretária.

A secretária finaliza dizendo que outros serviços com maior complexidade, como a cintilografia óssea, serão oferecidos no Acre pelo Sistema Único de Saúde (SUS), “a cardiologia é uma das maiores demandas do TFD, por isso estamos em fase de licitação de uma empresa para realizar esse procedimento aqui mesmo no estado, garantindo mais conforto e comodidade para os pacientes, que poderão fazer o tratamento perto da família”.

Para Ediná, o acréscimo na oferta de serviços do TFD foi possível devido à melhoria no acesso às ações de saúde. “O Governo do Acre vem priorizando as ações de saúde em nosso estado, oferecendo melhores condições aos pacientes, como por exemplo, a contratação de médicos para atuar nas unidades de saúde do interior. A elevação da oferta dos serviços facilita o diagnóstico e, por conseguinte, há um aumento nos números de pacientes referenciados”.

Ainda segundo a gerente, outro fator importante são as ações do Programa Saúde Itinerante que durante os atendimentos realizados nas localidades de difícil acesso identifica os pacientes com necessidades de transferência para tratamento ou continuidade de tratamento médico especializado, que não tem disponível em seu município de residência.

“É importante destacar que muitas vezes não há necessidade de deslocamento, pois a equipe do Programa Saúde Itinerante soluciona o caso no município de origem do paciente. Se não fosse o trabalho realizado por essa equipe, com certeza nossa demanda seria maior. O Saúde Itinerante é um divisor de águas na saúde do nosso estado”, enfatiza a gerente do TFD.

De acordo com Ediná, em junho deste ano, o Programa Saúde Itinerante realizou atendimento em Tarauacá, e muitos pacientes que estavam com processo de tratamento fora de domicílio formalizado tiveram seus casos resolvidos. Das 363 pessoas atendidas, 236 já aguardavam TFD. Após a ação da equipe 156 pacientes tiveram sua situação resolvida e somente 80 foram encaminhados para Rio Branco.

As especialidades com maiores demandas do programa de TFD no Acre são cardiologia, ortopedia, neurologia, oncologia. Cada paciente permanece em média de 5 a 15 dias nos locais de atendimento. A ajuda de custo para auxiliar o paciente no período em que está fora do estado é de R$ 300,00.

Sobre o TFD – O Tratamento Fora de Domicílio é um programa do SUS, destinado às pessoas que necessitam de tratamento especializado não disponível na localidade de origem. O paciente é encaminhado pelo médico da rede pública onde reside para um centro de maior recurso. O programa oferece consulta, tratamento ambulatorial, hospitalar e cirúrgico previamente agendado, passagens de ida e volta ao paciente e, se necessário, ao acompanhante, para que possa deslocar-se até o local onde será realizado o tratamento e retornar à cidade de origem, sendo também oferecida uma ajuda de custo.

Para ter acesso ao programa é necessário laudo médico, próprio do TFD, devidamente preenchido pelo médico solicitante, contato com o programa para providências e encaminhamentos e apresentação de documentação específica.

Mônica Araújo – Assessoria Sesacre

Acre

Conheça as candidatas ao título de mulher mais bonita do Estado

Publicado

em

Na noite desta sexta-feira, 17, foram apresentadas as seis candidatas ao título de Miss Acre. A promotora do evento, Meyre Manaus, volta com a edição do Miss Universo Acre, já que no ano passado, por conta da pandemia, o evento não aconteceu.

No Hotel Nóbile, o evento foi apenas para apresentação das candidatas para a imprensa, colunistas sociais e representantes de empresas que apoiam a realização do Miss Universo Acre.

Escolha para valer apenas no próximo dia 7 de outubro, às 21 horas, no Espaço Gran Reserva. Quem vencer, vai representar o Acre no concurso nacional.

Conheça as seis candidatas ao título:  Juliana Melo é de Cruzeiro do Sul e é formada em direito, Nayra Sthéphanny é representante de Xapuri no concurso, Vitória Brito, apesar de ser de Rio Branco, apresenta o município de Mâncio Lima, localizado no Vale do Juruá, Daniela Barivieri mora em Rio Branco, mas representa Brasileia no concurso. É funcionária pública e formada em análise de sistemas, Yasmim Valente, representa Rio Branco e conta que pesquisou muito sobre o mundo dos concursos de miss e Kailanny Neves representa Tarauacá, conhecida como a terra do abacaxi grande e da mulher bonita.

Continuar lendo

Acre

Acre mantém nota B e empréstimos seguem avalizados pela União

Publicado

em

Em 2020, estados e municípios, incluindo estatais, tiveram um superávit de R$ 42,9 bilhões, o maior resultado primário da série histórica iniciada em 2000, e terminaram o ano com um acréscimo de R$ 31,1 bilhões no estoque de caixa e equivalente de caixa.

Para o Acre, segundo o Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais divulgado nesta 3ª semana de setembro pelo Tesouro Nacional, uma boa notícia é que o Estado conseguiu manter, em 2021, nota B na Capacidade de Pagamento, feito que vem desde 2019.

A maioria dos Estados tem nota B. Dois estão em situação difícil, com nota C. Roraima e Rondônia estão entre os melhores, com nota A. Tendo em vista os tempos difíceis da pandemia da Covid-19, a nota foi bem recebida no governo. Em entrevista ao ac24horas, o secretário de Fazenda, Rômulo Grandidier, comemorou a nota:

“Mais uma vez apresentamos o bom resultado dos trabalhos que estamos realizando aqui na Secretaria da Fazenda. Dessa vez, em mais uma avaliação nos mantemos nossa capacidade de pagamento na nota B. O que consideramos ótimo, visto que, mesmo diante do cenário pandêmico, o Estado demonstra, mais uma vez, o seu compromisso em manter o cumprimento das regras de responsabilidade fiscal, além de honrar seus pagamentos”.

O diretor de Contabilidade da Sefaz, Eduardo Maia, a Capacidade de Pagamento do Estado realizada pela Secretaria do Tesouro Nacional visa apresentar de forma simples e transparente se um novo endividamento representa risco de crédito para o Tesouro Nacional. “A atribuição dessa nota indica que o Estado do Acre está apto para captar novos recursos de Operações de Créditos com a garantia da União e indica também a plena capacidade que o Estado tem de honrá-los”, disse Maia.

No agregado, os estados e o Distrito Federal apresentaram uma melhora de R$ 19,8 bilhões no resultado primário em relação ao exercício anterior, com um superavit de R$ 53,2 bilhões em 2020, o maior da série histórica. Esse resultado reflete um aumento de 6,8% das receitas primárias, enquanto as despesas cresceram 4,7% no período.

Já o resultado orçamentário, que é calculado pela diferença entre as receitas arrecadadas e todas as despesas empenhadas no exercício, manteve-se positivo em R$ 33,1 bilhões, um acréscimo significativo em relação ao resultado de 2019, de R$ 1,1 bilhão. Com isso, a necessidade de financiamento dos entes ficou negativa em R$ 17 bilhões, resultado inédito desde o início da publicação, em 2016.

Pelo lado da despesa, o destaque fica por conta da diminuição do ritmo do aumento do gasto com pessoal em 2020, ano em que 13 estados apresentaram redução real nessa rubrica. As maiores quedas foram observadas em Goiás (-7,9%) e Rio Grande do Sul (-5,2%), enquanto Alagoas e Paraíba apresentaram aumentos de 10,1% e 9,6%, respectivamente. De acordo com o documento, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Acre, Paraíba, Rio Grande do Sul, Amapá, Paraná e Sergipe apresentam alto comprometimento de suas receitas correntes líquidas (superior a 57%) com despesas com pessoal.

A melhoria nas contas dos Estados se reflete também no resultado da análise da capacidade de pagamento (Capag), classificação feita pelo Tesouro Nacional a partir da verificação de indicadores econômico-financeiros que refletem o grau de solvência e a saúde fiscal dos entes que querem contratar empréstimos com garantia da União. Para 2021, 20 estados receberam notas A ou B, que permitem ao ente receber garantias da União para novos empréstimos, contra apenas 10 em 2020.

Continuar lendo

Acre

Gestão do Hosmac é marcada por denuncias de assédio

Publicado

em

O Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) se tornou atualmente a unidade de saúde que mais necessita de forma urgente de uma intervenção do governo do estado. O hospital, que é de extrema importância para quem precisa de tratamento para distúrbios mentais no Acre, vive uma verdadeira e declarada guerra entre servidores que apoiam e os que são contrários a atual gestão, que tem Halisson Lima, como diretor do hospital. O mais sério é que os dois lados fazem graves acusações, que já estão, inclusive, na esfera judicial. No meio do fogo cruzado, ficam os pacientes, prejudicados pela troca de acusações.

De um lado estão os servidores que fazem graves acusações. O grupo de profissionais enviou uma carta endereçada ao governador Gladson Cameli com sérias acusações. A reportagem do ac24horas teve acesso ao documento e conversou com pelo menos três servidores, que pedem anonimato, mas que fazem parte do grupo que denuncia Halisson Lima.

Na carta, assinada por funcionários e familiares, o grupo solicita a intervenção do Hosmac e diz que há cerca de mais ou menos 2 anos a unidade vem passando por profundas mudanças, para pior. Denúncias graves de assédio sexual contra servidoras da unidade e ameaça de perda de contrato e até devolução de quem não cederia à suas investidas são expostas no documento. “O diretor usa de sua influência e de se dizer primo do governador para poder fazer atrocidades dentro da unidade”, diz a denúncia.

Os servidores afirmam que Halisson chegou a divulgar imagens pornográficas, onde aparece com mulher nua, em um grupo de whatsapp de servidores. Afirmam ainda que o diretor da unidade intimida os que são contra seu comportamento, coagindo quem pensa diferente dele, alguns funcionários estão adoecendo, com medo de deixar a unidade em que muitos trabalham há mais de 15 anos. Há 10 dias, parte do grupo foi recebido por uma comissão da Secretaria Estadual de Saúde onde puderam expor as denúncias contra a direção.

A reportagem procurou Halisson que se manifestou sobre as acusações. O diretor do Hospital se diz perseguido por ter feito mudanças na gestão do Hosmac que resultaram em perda de privilégios de servidores que não trabalhavam e que recebiam vantagens indevidas. Estou com minha consciência tranquila. Quem viu como era o Hosmac e é hoje sabe o que temos feito de melhorias para essa unidade de saúde. Eu sou perseguido apenas por fazer o correto enquanto gestor”, disse Halisson . O diretor comentou sobre as fotos enviadas ao grupo de whatsapp, “Fui inocente, achando que tinha amigos. Não era um grupo de servidores para assuntos de trabalho e sim entre amigos, onde todo mundo mandava esse tipo de conteúdo e não tinha nenhuma servidora envolvida”, explica.

Corte de privilégios, agressão e até investigação de apropriação de dinheiro de pacientes

De um outro lado, existem os servidores que apoiam a atual gestão e que denunciam que Halisson é vítima de uma perseguição de servidores por conta do corte de regalias. “Há uma panelinha dentro do Hosmac que desde o governo do PT faz o que bem entende dentro da unidade. Servidor que recebe plantão sem aparecer na unidade. O atual gerente mudou as rotinas. Tem profissional que bate em paciente e não é revelado”, afirma um servidor da área de enfermagem.

No entanto, há denúncias ainda mais graves. O ac24horas recebeu a informação de que foi descoberto o caso de servidor do Hosmac que teria a curatela de pacientes, receberia os salários de pacientes e não presta contas do recurso. A reportagem falou com duas famílias que teriam pacientes supostamente enganados por uma servidora. Os familiares confirmaram a situação, mas pediram para que os nomes dos envolvidos não fossem revelados no momento por se tratar de duas ações que já correm em segredo de justiça e temem ser penalizadas.

Existe ainda a denúncia contra um outro servidor que foi apurada pela atual gestão de que o profissional receberia “dinheiro por fora” para atender melhor pacientes com melhor situação financeira da família.

Tanto de um lado como outro, as denúncias são graves e merecem apuração célere por conta da Secretaria Estadual de Saúde e Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) por se tratar de pacientes especiais, que muitas vezes estão fragilizados e que se encontram no meio dessa “guerra” entre os servidores que denunciam e apoiam a atual gestão do Hosmac.

Continuar lendo

Acre

Aliança para o Senado em 2022 é o assunto do Boa Conversa

Publicado

em

O Boa Conversa, exibido pelo ac24horas, na noite desta sexta-feira, 17, abordou diversos assuntos que movimentaram a política acreana nesta semana. O quadro foi conduzido pelo jornalista, Marcos Venicios, e teve comentários dos colunistas políticos Astério Moreira e Leonidas Badaró.

No programa, os jornalistas comentaram a aliança formada entre os deputados federais Jéssica Sales (MDB) e Alan Rick (DEM) e a senadora Mailza Gomes (Progressistas) com o objetivo principal a construção do nome que será apresentado para concorrer a vaga ao Senado em 2022.

A aliança liderada por Gladson tem cinco postulantes para a única vaga ao Senado Federal. A deputada federal Vanda Milani e a ex-esposa de Márcio Bittar, a militante Márcia Bittar não participaram do encontro e não integrarão o grupo.

No segundo bloco, os analistas comentaram a repercussão do Projeto de lei de autoria do Poder Executivo que pede a autorização da Assembleia Legislativa para contratar operação de crédito externo junto ao Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata – FONPLATA, no valor de até US$ 51.250.000,00 de dólares americanos, o equivalente em Reais a cerca de R$ 260 milhões.

Por fim, o assunto encerrou com a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte coletivo de Rio Branco. A Comissão tem o escopo de investigar as causas dos problemas enfrentados no setor de transporte público de Rio Branco, bem como a condução do contrato de concessão firmado com as atuais empresas prestadoras de serviço.

A Comissão terá o prazo de 180 dias para desenvolver seus trabalhos e emitir relatório de conclusão.

Assista e compartilhe:

video

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas