Menu

Pesquisar
Close this search box.

Justiça manda Amado Batista pagar R$ 10 mil de pensão para ex-namorada

Imagem: Reprodução/Instagram/amadobatistaoficial
Receba notícias do Acre gratuitamente no WhatsApp do ac24horas.​

O Tribunal de Justiçado Tocantins determinou que Amado Batista, 73, pague uma pensão mensal no valor de R$ 10 mil para sua ex-namorada, Layza Bittencourt, 23.


O que aconteceu


Layza ingressou na Justiça para pedir o pagamento de pensão sob a alegação de que precisou abandonar a carreira durante o namoro. A jovem e o cantor viveram um relacionamento entre os anos de 2019 e 2023 e chegaram a morar juntos na época.

Anúncios


Namoro entre Layza e Amado chegou ao fim no final de 2023 e eles não tiveram filhos. Entretanto, a mulher entrou na Justiça para ter a união reconhecida e requerer a dissolução de união estável, com fixação de alimentos provisórios e alimentos compensatórios.


Layza diz ter largado a carreira devido a vida de luxo que Batista lhe proporcionava. Conforme o processo, o artista dava uma mesada de R$ 10 mil à jovem no período em que namoravam, o que a fez abdicar da própria carreira profissional para se dedicar a empresas do artista, além de ter mudado seu endereço para Goiânia.


A ex-namorada alega no processo que Amado Batista possui uma fortuna estimada em R$ 800 milhões, enquanto ela, supostamente, não teria condições de se manter. Para a Justiça do Tocantins, em decisão de março deste ano, diante dos fatos expostos, ficou presumido que Layza “necessita dos alimentos ora pleiteados”, sobretudo para “atender às despesas básicas” dela.


Defesa de Amado Batista recorreu da decisão. Os advogados do artista alegaram que eles só moraram juntos a partir de 2022 e a mesada só passou a ser paga naquele mesmo ano. A defesa ainda afirmou que após o término Batista disponibilizou um apartamento para a ex-namorada e manteve a ajuda financeira.


2º instância da Justiça do Tocantins manteve a pensão de R$ 10 mil estipulada em 1º instância, mas reduziu o prazo que o cantor deverá pagar o valor. A Justiça decidiu que o valor deve ser pago enquanto Layza não concluir a faculdade de medicina veterinária, em um prazo de até três anos, haja vista que ela iniciou graduação quando ainda namorava o famoso. A decisão foi publicada em 21 de junho.


Em nota, a defesa de Layza disse que não vai recorrer da decisão. A defesa de Amado Batista, entretanto, pode recorrer a outra instância, caso o cantor não queira pagar a pensão. Splash tentou contato com os advogados do artista para pedir um posicionamento, mas não obteve retorno. O espaço segue aberto para manifestação.


INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* Campo requerido