Conecte-se agora

A briga da oposição pelo segundo turno

Publicado

em

Eleição se decide na campanha. E, pesquisa não elege ninguém.  Que isso fique bem claro. Mas se balizando pelos números das pesquisas divulgadas até o momento, com quatro candidatos com dois dígitos na aceitação popular, não é demais se jogar com a hipótese de que a eleição para governador do estado este ano, deverá ser decidida num segundo turno. 

Não existe a possibilidade de uma junção da oposição no primeiro turno, mas no segundo turno, será inevitável que se unam em torno do nome que vai enfrentar o candidato palaciano. Não tenho dúvida que o governador Gladson Cameli estará num eventual segundo turno, o que ficará em disputa é qual o nome da oposição que estará na foto para lhe enfrentar. Segundo turno é uma outra eleição.

ERRO POLÍTICO

O MDB emitiu uma Nota assinada pela deputada Antônia Sales, em nome do MDB Mulher, nominando a  investida do PP contra o direito da senadora Mailza Gomes (PP) de ser candidata à reeleição, como um ato machista. O PP comete um erro político, deveria resolver os seus problemas no diálogo, a contenda transformou a senadora Mailza em vítima. Na política, quando alguém vira vítima, a opinião pública acolhe.

OUTRO ERRO DE CONDUTA

NÃO SEI quem é o autor da ideia de retaliar a senadora Mailza Gomes (PP), demitindo os seus indicados no governo. Outro erro de conduta. Vai chegar em Brasília, na direção nacional, com o argumento de perseguição.

VOCÊS QUE SE ENTENDAM

A BRIGA DO PP deveria ser um assunto interno do partido, extrapolou para a opinião pública, e não há mais como esconder. Não vai ter vencedor na história.

NADA FACTÍVEL

NÃO EMBARCO na corrente de que o governador Gladson não disputará a reeleição, não há nada factível que aponte na direção da desistência. A Operação Ptolomeu, não deve ter desfecho ao curto prazo.

VOLTO INSISTIR

E, VOLTO A INSISTIR em que, somente um ponto muito fora da curva na campanha pode impedir o Gladson de chegar no mais que provável segundo turno da eleição.

ESPAÇO SE OCUPA

AO COLOCAR o filho Fagner Sales (MDB) como candidato a deputado federal, o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) segue a teoria de que na política, se alguém não ocupar um espaço, o adversário ocupa. E, o espaço para Federal ficou vago com a candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ao Senado, na região do Juruá.

VAI CAIR NO COLO

A PACIÊNCIA DE JÓ do deputado Jenilson Leite (PSB) com o PT, faz sentido. Com o Jorge Viana (PT) sendo candidato a senador, o apoio dos petistas não tem outro rumo ao não ser o de vir cair no seu colo, cedo ou tarde.

TEM QUE MELHORAR A CHAPA

CASO a federação formada pelo PT-PV-PCdoB jogue com a possibilidade de vir a fazer dois deputados federais, tem que colocar mais candidato de densidade eleitoral na chapa. Essa composição da qual falam, no máximo elegerá um parlamentar.

INDICADOR SEGURO

QUANDO AS CRÍTICAS a um gestor diminuem, é um indicador certo de que começa a se recuperar na opinião pública. É o caso da administração do prefeito Bocalom.

ELES VÃO APARECER

A MARCHA PARA JESUS, que deve reunir amanhã, milhares de evangélicos em Rio Branco deve lotar, também, de políticos. Mas, gritar Aleluia, não dará a garantia a um desses políticos que, venha ser eleito.

VAGAS ABERTAS

QUATRO vagas de deputados ficarão abertas nesta eleição. Não serão mais candidatos à ALEAC, Jonas Lima (PT), Jenilson Leite (PSB), Meire Serafim (União Brasil) e Roberto Duarte (REPUBLICANOS). Jonas abandonou a política, Jenilson disputará o governo; e Meire e Duarte, sairão para Federal.

ANTIGOS NA ESPREITA

POR OUTRO LADO, vários ex-deputados estarão buscando retornar para a ALEAC. São eles: Gilberto Diniz, Leila Galvão, Manoel Machado, Eber Machado, Lourival Marques, Jamyl Asfury, Heitor Junior, Raimundinho da Saúde e Jairo Carvalho.

MUITO LAMENTÁVEL

O PREFEITO Tião Bocalom disse ontem ao BLOG lamentar que, os demais prefeitos do PP que receberam grandes aportes financeiros das emendas da senadora Mailza Gomes (PP), se voltem agora contra ela.

TUDO FAROFA

ESSA discussão sobre as urnas eletrônicas, é tudo farofa pré-eleitoral. Quem vencer a eleição para presidência vai assumir. Não há clima para golpe no país, os tempos são outros. Estamos num Estado de Direito.

DEVE REPETIR

AS PESQUISAS mostraram até aqui que, no estado, ainda que em índice menores do que o da sua eleição, a tendência é a vitória do Bolsonaro. Mas, os votos do Acre não têm nenhum peso numa eleição nacional.

NÃO HÁ O QUE DISCUTIR

ENQUANTO não se decidir em Brasília quem é que manda no PP, fica difícil o Gladson sentar e definir quem será o seu candidato a senador, na chapa do partido. Até lá continuará o mar de especulações.

NADA DEFINIDO

NO MDB, não há nada definido sobre quem será o vice da Mara Rocha (MDB), na disputa do governo. O partido busca um nome que complete a chapa no Juruá.

É APENAS UMA ELEIÇÃO

AOS defensores das candidaturas majoritárias, é sempre bom lembrar ser esta apenas e tão somente mais uma eleição. Esqueçam, pois, as ofensas, porque quem ganhar não vai nem se lembrar de quem brigou por ele.

NOME NA DISPUTA

Um nome que disputa com chance na boa chapa para a ALEAC do PSD, é o primeiro suplente de deputado estadual, Dr. Jeferson (PSD). Está bem articulado, e com a vantagem de ser uma figura muito conhecida e aceita.

SEMPRE NO ALTO NÍVEL

O DEPUTADO FEDERAL Flaviano Melo (MDB) é o nome mais longevo e de tradição na disputa por uma das oito vagas para a Câmara Federal. Flaviano é um vencedor. Foi prefeito da capital, senador, governador e cumpre vários mandatos na Câmara Federal. O que marca o perfil do velho lobo do MDB, é que só debate em alto nível. Conseguiu navegar sempre por todas as marés. 

JAMAIS ACONTECERIA

ESTA CONFUSÃO que está acontecendo no PP, jamais aconteceria no MDB. Lá, os seus dirigentes se reúnem, divergem, mas o que for decidido é acatado. Ou seja, é um partido que prima pela organização partidária.

FRASE MARCANTE

“Deixe no coração somente a paz”. Eloíza Ignácio.

Blog do Crica

Gladson diz que não vai aceitar pressão por candidatura única ao Senado

Publicado

em

ALIVIADO, descontraído, foi a sensação que passou hoje no início da tarde, o governador Gladson Cameli, ao falar ao BLOG sobre a nova regra eleitoral, pela qual na composição de partidos da sua chapa majoritária pode ter várias candidaturas ao Senado. “A decisão me tirou um peso das pressões sobre a escolha do candidato ao Senado. Quem quiser ser candidato ao Senado pelo meu grupo pode ser, que terá o meu apoio, não vou aceitar pressão de ninguém por candidatura única. Já disse na direção nacional do PP que, se a senadora Mailza quiser disputar o Senado, o caminho está livre. O que eu quero é o apoio de todos os candidatos ao Senado que são meus aliados. No bom sentido, quanto mais cabra mais cabrito”, desabafou o governador Gladson.

Sobre a escolha do candidato a vice-governador na sua chapa, Gladson voltou a usar o tom forte de que não coloca em discussão o assunto. “Quem vai escolher o vice vai ser eu, não vou aceitar injunção política, ganhando o governo eu quero é paz para cumprir um novo mandato. Por isso, o vice eu vou apontar”, destacou Gladson ao BLOG.

Comentando os boatos que poderia desistir da sua candidatura ao governo, Gladson se mostrou firme, ao falar que não existe nem em hipótese não disputar a reeleição. “Sou candidato à reeleição sim, mesmo com todos os problemas, mesmo com todas as injustiças, pressões de aliados, e quem vai dizer se me quer governando o Acre por mais quatro anos é o povo”, enfatizou. Também reclamou das intrigas internas dentro do governo e que, segundo ele só lhe trazem prejuízo administrativo. Voltou a dizer, num recado aos que tentam tumultuar o processo: “O vice eu escolho”, completou Cameli. Mais política no BLOG DO CRICA.

Continuar lendo

Blog do Crica

PEC eleitoreira do “me engana que eu gosto”

Publicado

em

ALGO COM QUE NÃO SE DEVE BRINCAR, é com o sonho das pessoas. Criar falsas expectativas, sabendo que o resultado não será satisfatório, é de uma maldade sem tamanho. Foi exatamente o que os deputados fizeram ontem na ALEAC, ao aprovar uma PEC de autoria do deputado Roberto Duarte (REPUBLICANOS), que não resiste a um sopro de legalidade na justiça, ao querer transformar contratos provisórios do Instituto Socioeducativo na Polícia Penal – ISE, em contração definitiva pelo estado.

 O deputado Duarte, um advogado renomado e experiente, sabe melhor do que ninguém que a sua PEC é inconstitucional e será derrubada na justiça. Só há uma maneira de se contratar servidor sem concurso público, que é a de revogar o artigo da Constituição Federal que faz essa exigência. 

Os servidores do ISE foram sim enganados na sua boa-fé pelos deputados. Quem se posicionou de maneira republicana sobre o assunto, foi o líder do Governo, deputado Pedro Longo (PDT): “Sabem que isso não prospera.

 A justiça deve derrubar isso em uma semana”. E, ele tem razão. Ou daqui uma semana, duas ou três, no momento que a arguição de inconstitucionalidade for colocada em pauta no tribunal, será acatada por unanimidade. Não existe brecha jurídica que consiga regularizar a situação dos servidores temporários do ISE. Os deputados deveriam ter dito isso a eles, falar a verdade de que, só podem entrar no serviço público através de concurso. Os funcionários do ISE foram usados como inocentes úteis pelos deputados que aprovaram a matéria. 

Como fizeram isso de olho nos votos desses funcionários, vão dar um tiro no próprio pé, porque quando a justiça derrubar a matéria, esses servidores que comemoraram a aprovação da PEC imaginando que as suas situações seriam resolvidas, com justa razão vão ficar com raiva do parlamento e não podem votar em nenhum deles. E, com razão.

GRANDE OPORTUNIDADE

O DEPUTADO Roberto Duarte (REPUBLICANOS), que é candidato a deputado federal, se for eleito, pode pegar a pauta de tentar acabar com a vedação pela Constituição Federal de só entrar no serviço público via concurso e liberar geral para a contratação sem concurso. Até lá, vale a proibição. E, não será por PEC estadual que vai mudar.

NASCEU VIRADO PARA A LUA

NA POLÍTICA, tem que também ter sorte. A liberação ontem pela justiça de que numa coligação majoritária pode haver mais de um candidato a senador, acaba com o crucial problema do governador Gladson Cameli, que agora poderá ter na sua coligação o Alan Rick (União Brasil), a Márcia Bittar (PL) e a Mailza Gomes (PP) como candidatos a senadores. Morreu a obrigação do candidato único. O Gladson nasceu virado para a lua, só pode ser. Quem é que poderia prever que, esta nova norma fosse aprovada na porta das convenções regionais? Traduzindo: nenhum de seus aliados poderá mais exigir ser o candidato único da sua chapa.

SAIA CANDIDATO

A NORMA aprovada dá agora a liberdade ao governador Gladson de não mais ficar contra a parede e ter de escolher só um de seus aliados de candidato ao Senado. E, dizer a quem o pressionar: – Saia candidato.

ACABA A BRIGA

A NOVA regra eleitoral também acaba o motivo da briga do governador Gladson de querer tirar a candidatura da senadora Mailza Gomes (PP) da sua chapa, para colocar outro nome no espaço. A política é um mar de surpresas.

JÁ DIZIA, O SAUDOSO FILÓSOFO DO ABUNÃ….

Já dizia o saudoso filósofo do Abunã, Rapirã e cercanias, ex-prefeito de Plácido de Castro, Luiz Pereira: “A política é dinâmica”.

NINGUÉM GANHOU NADA

E, também, na eleição para governador e senador ninguém ainda ganhou nada, um fato novo pode inverter a colocação dos candidatos. Como este fato novo na justiça eleitoral, que mudou completamente a prosa da vaga única para o Senado, nas coligações majoritárias.

NÃO VAI DEIXAR BARATO

A VEREADORA Michelle Melo (PDT) tem se mostrado uma política de posições firmes. Por isso, não creio que vá deixar barato se a sua candidatura a deputada estadual for vetada, como ameaça a cúpula do PDT. Vai defender a sua vaga na chapa como um espaço para a mulher.

NÃO HÁ MOTIVO PARA O VETO

CONVERSEI ontem, com um experiente político, sobre a situação do deputado Luiz Gonzaga (PSDB). “Não há motivo para o PSDB não lhe dar legenda. Nunca votou contra as orientações do partido; nunca foi aberto nenhum procedimento contra ele na Executiva, por um fato ilegal; é deputado de vários mandatos, por isso, não tenho dúvida que derrube o veto na justiça”. Foi o que ouvi.

CHEGA A SER PATÉTICA

NÃO SE CONHECE um caso de fraude desde a adoção das urnas eletrônicas nas eleições. E, agora, de forma politiqueira, querem contestar o modelo de votação. A falta de argumento contra chega a ser patética. 

PODE ATÉ ACONTECER, MAS É IMPROVÁVEL

PODE ATÉ acontecer de um nome da chamada terceira via vir a decolar, na disputa presidencial. Mas tudo caminha para a continuidade da polarização Lula x Bolsonaro, com o petista na frente em todas as pesquisas.

A MÁXIMA NÃO FUNCIONA

AS MULHERES são maioria no eleitorado acreano. Pela lógica, deveriam ser majoritárias nas casas legislativas, mas são minorias. No caso do Acre, parece que mulher não gosta muito de votar em mulher. Só pode ser isso.

ELEITORADO LIVRE

O CANDIDATO ao Governo, senador Sérgio Petecão (PSD), falou ontem ao BLOG, antes de embarcar para uma agenda intensa na região de Manoel Urbano e Alto Juruá, que na sua campanha não vai pedir voto para nenhum dos candidatos à presidência. “Quem quiser, que escolha livremente o seu candidato”, enfatizou Petecão.

FICA DIFÍCIL DE APONTAR

A CHAPA para deputado estadual do PSD tem em torno de dez candidatos com muito potencial de votos, por isso fica difícil apontar com uma certa exatidão, quais nomes ficarão com as possíveis três vagas a serem conquistadas.

SEMPRE EXISTEM AS SURPRESAS

EM TODAS as eleições sempre se elegem deputados, cujos nomes não estavam em nenhuma projeção para a ocupação das 24 vagas na ALEAC. Por isso, guardem pelo mínimo três vagas para os candidatos dos quais não se fala na mídia.

FIRME NA BATALHA

CONVERSO com pessoas das mais variadas cores políticas, e sempre procuro me informar sobre candidatos que podem surpreender. E, vez por outra é citado o nome da militante política Claudinha (REPUBLICANOS), firme na batalha por uma vaga na ALEAC.

FRASE MARCANTE

“O cara só é sinceramente ateu quando está muito bem de saúde.” Millôr Fernandes.

Continuar lendo

Blog do Crica

Márcio Bittar, um nome de muitas interrogações

Publicado

em

DEPOIS que não conseguiu ver a sua candidata Márcia Bittar (PL), ser anunciada pelo governador Gladson Cameli, como a escolhida ao Senado na chapa palaciana, o senador Márcio Bittar (MDB), entrou em um período de mutismo político. Mas este silêncio deverá ser quebrado ao longo desta semana, quando retornar ao estado e anunciar qual será o seu rumo. 

Os dias que vão anteceder a sua chegada serão permeados por muitas interrogações. Algumas dessas interrogações: Vai disputar o governo? Se juntará numa aliança com o MDB, num acordo que coloque a Márcia Bittar (PL) na chapa majoritária? Caso se confirme, oficialmente, o rompimento com o governador Gladson Cameli, levará na sua debandada o União Brasil, REPUBLICANOS e o PL, para formar uma frente com o MDB? Como fará para manter o comando do União Brasil, já que o governador Gladson declarou que o seu candidato a senador é o deputado federal Alan Rick (União Brasil)? 

Seja qual caminho decidir seguir, o senador Márcio Bittar (MDB) será um dos protagonistas na eleição majoritária deste ano. E é uma eleição, longe de já estar decidida.

ABSOLUTAMENTE, CERTO

O governador Gladson está, absolutamente, certo na sua decisão do vice da sua chapa ser da sua livre escolha e sem abrir discussão. Será a garantia de paz se ganhar.

É UM TREMENDA BOBAGEM

É UMA bobagem que o vice tenha que ter densidade eleitoral. Votasse no candidato a governador, não no vice. O que o nome do vice não pode, é ser inconfiável.

NOME DE VOTOS

O EX-DEPUTADO Josa da Farmácia, que se elegeu com uma excepcional votação, mas foi cassado; costura um acordo para apoiar o médico Fábio Rueda (União Brasil), no Juruá, a deputado federal. Josa tem eleitores cativos.

NUNCA SE VIU

NA ELEIÇÃO passada, e nem nas anteriores depois do fim da ditadura, não se viu os militares querendo palpitar na condução do processo eleitoral pelo TSE. Isso não vai mudar o voto de ninguém. Quem ganhar levará.

ESTÁ NA DISPUTA

O ISRAEL MILANI é um nome que brigará com boa chance na chapa a deputado federal, no Republicanos. Terá uma chapa completa de candidatos a deputados estadual, a mãe e candidata ao Senado, Vanda Milani; e a prefeita Fernanda Hassem, lhe apoiando. Não é pouco.

CHANCE ZERO

NA POLÍTICA, nada é definitivo. Mas quem circula próximo da senadora Mailza Gomes (PP) diz ser zero, a chance dela vir a disputar vaga na Câmara Federal.

BRIGA DE FOICE

SE O PDT resolver dar legenda à vereadora Michelle Melo (PDT) para ser candidata a deputada estadual, o partido terá uma chapa maluca, formada pelos deputados Luiz Tchê, Marcos Cavalcante, Pedro Longo e Chico Viga; Tom Sérgio (ou o deputado federal Jesus Sérgio) e pela própria Michelle. Briga de foice no escuro.

MELHOR PARA O PARTIDO

O MELHOR para o PSDB seria o presidente Correinha sentar com o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), conversarem; e chegarem a um denominador de interesse do partido, que passa pelo aceite à candidatura à reeleição do Gonzaga. Num partido, quanto mais deputados mais forte fica na foto.

DESENVOLTA E BOA IDÉIAS

A SENADORA Simone Tebet (MDB) deu ontem à Globonews uma entrevista desenvolta e com boas ideias. É a única mulher na disputa da Presidência.

ESTARIA ANUNCIADO

DEPENDESSE unicamente da vontade do candidato ao governo, deputado Jenilson Leite (PSB), este já teria anunciado o deputado Jonas Lima (PT) como seu vice.

DUAS IMORALIDADES

SUPLENTE de senador e reeleição, são duas imoralidades que deveriam estar fora do processo eleitoral do país.

FRASE MARCANTE

“Ame a vida e os bons amigos, pois a vida é curta e os bons amigos são poucos”. Autor desconhecido

PT, PRESENTE!

COM A DEFECÇÃO DA PREFEITA Fernanda Hassem (PT), ainda assim o partido não ficará sem candidato a deputado estadual, em Brasiléia. O núcleo duro petista vai apoiar a candidatura do ex-vereador Joãozinho (PT).

SEMANA DECISIVA

A SEMANA SERÁ DECISIVA, nesta briga do PP. Os grupos antagônicos que brigam pelo comando, formados pelo governador Gladson Cameli e pela senadora Mailza Gomes (PP), se reúnem com a direção nacional até quinta-feira, em Brasília, para saber quem leva a parada.

NÃO É DO SEU CARÁTER

PASSO longe de me afinar ideologicamente com o deputado federal Léo de Brito (PT), mas não é do seu caráter se declarar “negro,” para tirar proveito político.

DO JEITO QUE VIER, DOIS PAUS

CASO o PDT negue legenda para a vereadora Michelle Melo (PDT) disputar um mandato de deputada estadual, ainda assim não resolverá a carência da sua capenga chapa a deputado federal, que sem ela, tende zerar.

UM NOME NA DISPUTA

SEMPRE atuou nos bastidores de organização de candidaturas vencedoras, mas desta feita deverá disputar um mandato de deputado federal pelo MDB. Falo do Raphael Bastos (MDB), um nome qualificado.

CANDIDATURA CONFIRMADA

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha (MDB) confirmou ontem a sua candidatura a deputado federal. O MDB trabalha com a meta de eleger dois parlamentares.

SÓ VOLTA COM A DECISÃO

ALIADOS do governador Gladson dizem que, ele só retornará esta semana de Brasília, com a decisão da direção nacional do PP, sobre quem comandará a sigla.

NOVELA CHATA

É bom mesmo que essa novela chata tenha um capítulo final, até porque o grande prejudicado é o partido.

Continuar lendo

Acre

Michelle Melo terá legenda negada para disputar vaga na Aleac

Publicado

em

A VEREADORA Michelle Melo (PDT), foto, lançou ontem a sua candidatura a deputada estadual pelo PDT, causando um alvoroço entre os candidatos do partido. O BLOG tem informações de fontes de dentro do partido de que, caso ela insista nessa candidatura, a Executiva pedetista vai lhe negar legenda. Querem que cumpra o compromisso de sair para deputada federal, sob o argumento que se recuar, o PDT, dificilmente, elegerá alguém para a Câmara Federal. Segundo esta fonte, já foi feita até uma consulta jurídica sobre a situação, que deu direito ao PDT de não ser obrigado a lhe dar legenda, já que ela não é deputada, mas vereadora. Michele pensa diferente. Falou ontem ao BLOG que é vereadora, está filiada, e não há nenhum impedimento de lançar a pré-candidatura a deputada estadual. Para ela, é decisão tomada. O presidente do PDT, Emylson Faria, se disse surpreso com o anúncio da candidatura da vereadora Michelle à ALEAC. Revelou que tem um encontro marcado para a próxima quarta-feira, em Brasília, com ele, a vereadora Michelle Melo (PDT), o deputado federal Jesus Sérgio (PDT), o presidente nacional Carlos Lupi, para discutirem a chapa para deputado federal, por isso só quer se pronunciar a respeito depois desse encontro. Perguntado se a vereadora Michelle não for ao encontro, já que definiu pela candidatura a estadual, o presidente Emylson Farias foi lacônico: “Sou do tempo que quando se a palavra se cumpre”.

JESUS APAVORADO
O BLOG tem informações de que o deputado federal Jesus Sérgio (PDT) ficou apavorado com o lançamento da candidatura da vereadora Michelle Melo (PDT) a deputada estadual, porque a sua reeleição fica comprometida, já que sem a vereadora, o PDT teria uma chapa muito fraca. Parte dele a pressão para que o PDT pressione a vereadora Michelle a recuar da decisão.

CANDIDATOS À ALEAC TAMBÉM PRESSIONAM
Quem também integra a frente de pressão para impedir a vereadora Michelle (PDT) de ter a legenda negada para deputada estadual, são os candidatos a deputado estadual. O argumento principal é que, com a sua entrada muda a regra do jogo e ela tiraria uma das vagas do grupo.

OU TUDO OU NADA
O GRUPO do PP que quer tirar a senadora Mailza Gomes (PP) da presidência do partido, e impedir que dispute novo mandato, vai embarcar amanhã para Brasília, para tentar convencer a direção nacional a fazer a mudança.

MUITO CONFUSO
NÃO DÁ nem para se tirar uma opinião sobre que grupo sairá vencedor desta briga, o quadro é muito confuso. O certo é que o impasse está trazendo prejuízo ao PP, que até o momento está sem um presidente nomeado.

ERA PARA SÓ FALAR EM DEUS
OUVI ontem de Pastor evangélico importante, uma espécie de revolta pelo fato de alguns colegas terem desvirtuado um movimento que deveria ser apenas religioso, como a Marcha para Jesus, para um ato de apoio ao Bolsonaro. E, atribuem a isso, o fato do público presente ao ato ficar abaixo do esperado pela direção.

DEFESA DA SIMONE
O MDB vai exigir dos seus candidatos lealdade na campanha, na defesa da candidatura da senadora Simone Tebet (MDB) para a presidência da República. O tom deverá ser dado pelo presidente Flaviano Melo (MDB).

ASSUNTO PENDENTE
CONTINUA um assunto pendente dentro do grupo palaciano, sobre que candidato o Gladson Cameli vai apoiar para o Senado. A sua preferência é pelo deputado federal Alan Rick (União Brasil). Também está no jogo a candidatura da Márcia Bittar (PL). Mas nada vai avançar antes de se saber quem ficará com o comando do PP.

NÃO PODE FICAR NOS MEDALHÕES
VEJO como importante para qualificar o debate político as candidaturas ao governo do David Hall (AGIR) e do Nilson Euclides (PSOL). A política não pode viver somente de medalhões, porque caso contrário não oxigena o poder.

CANDIDATOS DEFINIDOS
O PREFEITO Tião Bocalom tem dois candidatos que deve apoiar nesta eleição, já definidos: o senador Sérgio Petecão (PSD) para governador e para senadora a Mailza Gomes (PP). Argumenta que, é leal a quem lhe foi leal.

EMPURRAR ATÉ A CONVENÇÃO
O Jorge Viana (PT) vai disputar o Senado, é assunto fechado. Mas vai empurrar o anúncio até as convenções regionais de julho, quando a decisão será oficializada.

APOIO IMPORTANTE
ESTÁ quase fechada em Brasiléia, a parceria para eleição entre o ex-vereador Joelso Pontes e o ex-prefeito Deda, para o apoio à reeleição da deputada Maria Antônia (PP).

NÃO VEJO NENHUM RECUO
MUITOS são os comentários de que o governador Gladson pode não disputar a reeleição. Mas não vi até o momento o mínimo indício de que isso possa ocorrer.

MULHERES DO PSD
Lene Petecão, Rosana Nascimento, Jezuíta Arruda, Dra. Suelen, são os nomes postos de mulheres que vão disputar vaga de deputada federal pelo PSD, nesta eleição.

VAGA FICA ABERTA
O MDB deve deixar aberta a vaga de vice na chapa da Mara Rocha (MDB) ao governo, na esperança de uma aliança com o senador Márcio Bittar (União Brasil), que neste caso indicaria o nome para ocupar o espaço.

ACABOU A ATOLAGEM
AS NOVAS regras eleitorais, que proíbem as coligações proporcionais, obrigam os partidos a terem chapas próprias e bons candidatos para a ALEAC e Câmara Federal. Acabou a mamata de candidato se eleger deputado, com mixaria de votos, encangado em coligações, como na última eleição. Agora, é café no bule.

FRASE MARCANTE
“O amor é invisível e entra e sai por onde quer, sem que se peça conta dos seus atos”. Miguel de Cervante.

BOM DOMINGO A TODOS

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados

error: Conteúdo protegido!