Conecte-se agora

Gladson reafirma que assumirá o PP e diz que Mailza será presidente de honra

Publicado

em

Em agenda realizada na manhã desta quinta-feira (26), o governador Gladson Cameli reafirmou a repórteres que realmente assumirá o comando do Progressistas no estado e disse que a atual dirigente partidária, a senadora Mailza Gomes, será a presidente de honra.

Ao Blog do Crica, a senadora garantiu que permanecerá no comando partidário no Acre sob as bênçãos do presidente nacional da sigla, Ciro Nogueira. O atual vice-presidente do partido no estado, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, também disse ter essa garantia.

Aos jornalistas, Cameli tentou desconversar chamando a atenção para a importância da agenda da qual participava, mas terminou enfatizando que “o governador e quem vai disputar a reeleição é ele”, além de ter exposto que a decisão de assumir o comando do partido não foi dele, mas da “maioria”.

O governador também disse que Mailza permanecerá [politicamente] ao lado dele como presidente de honra. “Ela estará junto comigo porque não temos por que não temos por que para estarmos separados. Perguntado se ela ficaria ao lado dele como candidata ao senado, ele afirmou que não. “Ela estará ao meu lado como quem me apoia”, respondeu.

Por fim, o governador afirmou que não haverá briga por conta desse “consenso” e que até o dia 5 de agosto muita coisa pode acontecer. “Vou dizer que hoje está tudo certo, uma chapa montada? Depois de uma semana acontece uma coisa aí e muda tudo. Eu tenho que governar, eu não estou querendo antecipar a eleição”.

Destaque 2

Acre registra mais 300 casos de Covid-19 nesta sexta

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), informa que foram registrados 300 casos de coronavírus nesta sexta-feira, 1° de julho. O número de infectados é de 126.495 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 332.227 notificações de contaminação pela doença, sendo que 205.708 casos foram descartados e 24 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 123.159 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 2 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Nenhum óbito foi notificado nesta sexta-feira, 1° de julho, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 permaneça em 2.004 em todo o estado.

Continuar lendo

Destaque 2

Casos de Covid-19 aumentam quase 3 vezes no Acre e força retomada de restrições

Publicado

em

A média móvel de casos de Covid-19 no Acre subiu drasticamente neste mês de junho, confirmando que o Estado vive a 4ª onda da doença.

No dia 1º de junho, a média móvel dos últimas 14 dias era de 9,86 casos e no dia 25/6 saltou para 24 casos/últimos 14 dias. Os dados são dos painéis do Ministério da Saúde e mostram que quase triplicou a média.

Para se ter uma ideia do crescimento, o relatório do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) mostra que de 12 a 18 de junho foram registrados 76 casos e de 19 a 25/6 foram 249 novos casos no Acre.

Apesar desse recrudescimento, as internações são as menores desde o início da pandemia e há meses não há registro de mortes decorrentes do novo coronavírus -tudo por conta da vacina, que deve ser tomada e reforçada para praticamente todas as faixas etárias.

Mas o quadro é preocupante. Há confirmação de fechamento de escolas em Rio Branco e até no interior por causa da nova onda. O Instituto Federal de Educação retomou aulas remotas após 20 profissionais testarem positivo em Rio Branco. O ensino presencial será retomado na próxima segunda-feira, 3 de julho.

O Governo do Acre voltou a alertar para cuidados sanitários, reforçando, por exemplo, que o uso de máscara é obrigatório em hospitais e unidades de saúde. Ainda não se fala em cancelar eventos ou retomar medidas mais restritivas.

Continuar lendo

Destaque 2

Câmara aprova subsídio de Bocalom de quase R$ 8 milhões a empresa Ricco Transporte

Publicado

em

Foi aprovado na noite desta quinta-feira, 30, em sessão extraordinária na Câmara Municipal de Rio Branco, um Projeto de Lei Complementar do Poder Executivo que concede subsídio de quase R$ 8 milhões para a empresa Rico Transporte. O PL obteve 11 votos favoráveis e 4 contrários – sendo os vereadores Emerson Jarude, Fabio Araujo, Hildegard Pascoal e Michele Melo.

Antes de ser aprovada no plenário da Casa Legislativa, a matéria acabou sendo apreciada com parecer jurídico da Procuradoria da Câmara. No entanto, desde que chegou no parlamento, o PLC foi alvo de uma série de manifestações – tanto contrárias como favoráveis. Os vereadores Adailton Cruz (PSB) e Lene Petecão (PSD) defenderam a proposta em prol da população.

Já os vereadores Emerson Jarude (MDB) e Michelle Melo (PDT) foram contra a proposta de subsídio. Segundo eles, o PLC só beneficia a empresa Ricco Transporte.

Além do subsídio, os vereadores aprovaram também, o projeto de lei que reajusta o plano de carreira dos servidores do Poder Legislativo. O presidente da Câmara, vereador N Lima (Progressistas) declarou que o salário dos servidores estava defasado há 10 anos. A matéria, em sua integralidade, foi aprovada por unanimidade.

O que diz o PLC

O texto da proposta aponta que o aporte financeiro visa garantir a permanência da empresa operando o sistema coletivo na capital. O montante total é de R$ 7,9 milhões. O PL dispõe sobre a manutenção da tarifa no valor de R$ 3,50 (três e cinquenta centavos), em todos os veículos que operam no Sistema Integrado de Transporte Urbano de Rio Branco – SITURB e Terminais Urbanos, dispõe ainda, sobre a subsídio no valor de R$ 1,45 (um real e quarenta e cinco centavos), por cada passageiro transportado no SITURB.

O texto afirma que pelos próximos 5 meses será de um repasse superior a R$ 1,5 milhões a Ricco – com um total de 2 milhões de passagens em Rio Branco.

Continuar lendo

Destaque 2

N. Lima diz que Ricco deve ser responsabilizada caso deixe de operar o transporte coletivo em Rio Branco

Publicado

em

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, N Lima (Progressistas) afirmou que defende que a empresa Ricco Transporte poderá ser responsabilizada, judicialmente, caso deixe de operar o sistema de transporte coletivo na capital.

Segundo o parlamentar, a empresa pode ser acionada na justiça assim que deixar a cidade. No entanto, o capitão defende que o projeto que propõe repassar R$ 7,9 milhões precisa ser aprovado. “Temos que votar em favor da população”, comentou.

A empresa já avisou a prefeitura de Rio Branco que deverá deixar a cidade devido aos prejuízos financeiros – algo em média de R$ 40 mil por dia.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!