Conecte-se agora

Inep divulga correções das redações do Enem 2021 

Na redação da edição mais recente da prova 22 estudantes alcançaram nota máxima

Publicado

em

As correções das redações dos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 foram disponibilizadas na Página do Participante, nesse domingo (10), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. 

O participante que acessar a página poderá verificar a pontuação alcançada em cada uma das competências avaliadas pelos corretores na redação do Enem e baixar um arquivo com a imagem da redação escrita no dia do exame. O processo é acompanhado em todas as suas etapas por mais de um profissional e segue os parâmetros estabelecidos pelo Inep. Os textos podem passar por até quatro correções para o cálculo da média final. 

A nota da redação pode chegar a 1000 pontos. Em 2021, 22 estudantes alcançaram nota máxima na redação da edição mais recente da prova. O exame possui cinco critérios que zeram a nota: fuga ao tema, extensão total de até sete linhas, trecho deliberadamente desconectado do tema proposto, não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa e desrespeito à seriedade do exame.

No Enem 2021 o tema abordado na redação da aplicação regular foi “Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil”. Já na reaplicação do exame, a redação foi sobre “Reconhecimento da contribuição das mulheres nas ciências da saúde no Brasil”, que também foi o tema da aplicação do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (PPL).

O Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e é uma das principais formas de ingresso para a educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (Prouni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

*Com informações do Inep

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Cotidiano

Energisa monta plano especial de atuação para o dia das eleições no Acre

Publicado

em

A Energisa montou plano especial de atuação para garantir que não falte energia nos locais de votação no primeiro turno das eleições, que ocorre em 02 de outubro. As ações de manutenção preventiva, ampliação de equipes e monitoramento em tempo real cobre as 2.124 seções eleitorais distribuídas nos 22 municípios do estado. De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, cerca de 588.433 eleitores estão aptos a votar.

O gerente de Operações da Energisa no Acre, Anderson Rodrigues, conta que o planejamento contou com ações para garantir o pleno fornecimento de energia, dos circuitos que fornecem eletricidade para os locais de votação, visando identificar possíveis necessidades de manutenção preventiva. “Como, por exemplo, a necessidade de substituição de algum componente como isolador ou cabo, ou até mesmo a poda de árvores que estejam próximas aos cabos. Dessa forma, diminuímos a possibilidade de faltar energia no momento da votação”, explicou.

A quantidade de equipes de manutenção de plantão também será ampliada e ficará a postos em pontos estratégicos para atender rapidamente qualquer ocorrência. Tudo será monitorado em tempo real no Centro de Operações Integrada da Energisa, localizado na capital, que vai manter canal direto de contato com os eletricistas nas ruas, call center e Tribunal Regional Eleitoral. “Do Centro de Operações temos uma visão geral do sistema elétrico do estado e podemos direcionar melhor os recursos. Até mesmo o clima será monitorado em tempo real para ajustarmos a estratégia de atuação caso um temporal ocorra”, afirmou.

Anderson lembra que as redes de energia são suscetíveis a ocorrências de falta de energia provocadas por fatores externos não previsíveis como, por exemplos, colisões de veículos contra postes, queimadas, pipas e até a intervenção por pessoas não autorizadas em fios de energia. Por isso, reforça a importância de a população observar os limites de velocidade das ruas, não realizar queimadas ou soltar pipas próximo as redes elétricas.

Continuar lendo

Cotidiano

Epitaciolândia está entre 100 destinos sustentáveis para o turismo no mundo

Publicado

em

Na última terça-feira, 27 de setembro, ocorreu a premiação dos 100 destinos sustentáveis pelo mundo e a cidade de Epitaciolândia estava concorrendo a esse prêmio enfatizando o case do Dr. da Borracha (Sr. José Rodrigues), que produz acessórios sustentáveis com elementos extraídos do látex de forma responsável no Seringal Nova Esperança, onde reside.

Epitaciolândia está entre os 100 destinos sustentáveis para o turismo no mundo, resultado obtido através da parceria entre a Prefeitura de Epitaciolândia, Fórum Empresarial de Inovação e Desenvolvimento do Acre e o DEL Turismo, sendo a primeira cidade na região norte com o selo TOP 100 Green Destinations.

Dez destinos brasileiros foram reconhecidos na lista dos TOP 100 Melhores Histórias de Destinos Responsáveis, idealizado pela organização holandesa Green Destinations.

Este ano, os destinos Epitaciolândia no Acre, Diamantina e Capitólio em Minas Gerais, Tibau do Sul (Praia de Pipa) e Tibau no Rio Grande Do Norte, Corguinho e Pedro Gomes em Mato Grosso do Sul e Bombinhas, Orleans e Itá em Santa Catarina foram nomeados.

A premiação aconteceu durante o Dia Mundial do Turismo, no primeiro dia do evento internacional de turismo sustentável, Green Destinations 2022, que conecta líderes globais em debates sobre turismo sustentável e premia anualmente 100 histórias de boas práticas que inspiram lideranças do turismo responsável a nível mundial. A seleção contempla destinos que estão progredindo em direção a uma indústria de turismo mais sustentável e responsável e é baseada em avaliações de Histórias de Boas Práticas. Os destinos selecionados, além de receberem visibilidade global, são elegíveis para indicação ao Green Destinations Stories Awards, divulgado na ITB Berlin, principal feira de turismo do mundo.

Continuar lendo

Cotidiano

Joabe Lira vai ter que explicar denúncia de faltas e viagem sem autorização de diretor

Publicado

em

O Ministério Público do Acre (MPAC) deu 15 dias para que o Secretário de Cuidados com a Cidade, Joabe Lira, apresente documentos que comprovem a frequência ao trabalho e a autorização de viagens do diretor de gestão do órgão, Wellington Divino Chaves Souza.

De acordo com o despacho da Promotora de Justiça, Laura Cristina de Almeida Miranda, o MPAC recebeu a notícia por meio da ouvidoria do órgão, onde Divino é denunciado por supostamente não frequentar o trabalho de forma assíduo e viajar para fins que não teriam relação ao trabalho na prefeitura e mesmo assim receber os salários de forma integral, o que foi chamado pela denúncia de “Danos ao erário público por inassiduidade habitual no exercício da função, viagens para fora do Acre sem autorização formal do prefeito, em detrimento da função pública”.

Wellington Divino é presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Acre e uma das viagens que teria ido sem autorização do município, de acordo com a denúncia, ocorreu em novembro do ano passado, em Caldas Novas (GO), onde teria participado do Encontro de Contabilidade da Amazônia Legal. Outra denúncia é a de que Divino usa espaço físico e equipamentos da prefeitura, na hora do expediente, para atribuições relacionadas ao CR/AC.

A representante do MPAC determina que em 15 dias, Joabe, como gestor da pasta, apresente esclarecimentos sobre a denúncia, ficha funcional, financeira e o ponto do servidor no período de janeiro de 2021 a março de 2022.

A reportagem do ac24horas procurou Joabe Lira que garantiu que irá responder ao MPAC. “Eu desconheço esse tipo de situação. Nós trabalhamos mais do que o horário normal. Essas denúncias tem como pano de fundo tentar atrapalhar a nossa gestão que vem dando resultados positivos. Vamos responder ao Ministério Público como temos feito com todas as outras denúncias”, explicou.

Wellington Divino foi procurado, mas não atendeu às ligações e mensagens da reportagem.

Continuar lendo

Notícias

O que pretende o patarateiro Psolista?

Publicado

em

No debate, de ontem, dia 27/09, interrompido por ordem judicial, da qual discordo assim como muitíssimos advogados e telespectadores, já se tinha, no curto tempo de duração, uma ideia do papel que desempenharia cada candidato. Um na defesa, quatro no ataque e um apitando o jogo. Não parecia haver novidade entre os políticos conhecidos, todos com larga experiência na vida pública. Com exceção de um de que trato.

Exibindo ar professoral e a pose de “eu sei porque estudei”, comum na academia onde “intelectuais” despejados em baciadas ostentam seus diplomas, o candidato com jeito de meretrícula em bordel recém-inaugurado, não gastou mais que dois minutos para acusar a “estupidez” de todo o resto. Estava para bedel da classe, apontando o dedo aqui e ali aos participantes do jogo.

Não que ele seja totalmente aléxico ou abléptico, mas suas ideias são abstrusas, o que não o impede de a todo momento emitir opiniões acrimoniosas. Muitas delas, aliás, próprias de um alarife alcachinado, tinham como objetivo levar seus opositores a um brete para imediata função. 

Como é um típico de um acabotinado, esteve sempre a exprobar os outros, aliás, com muita facilidade em vista de seu egotismo. Pelo menos na tela, o sujeito parece um catimbau, tem uma aparência de varapau cevado, um tanto proboscídeo, mas, pelo comportamento se acha airoso, gosta de exibir-se como se a labrostia fosse música nas oiças do telespectador.

Cedo levou uma invertida da deputada Mara Rocha que, educadamente (não deveria ter sido tão gentil) respondeu-lhe ao insulto mostrando-lhe de onde saem as hordas desgraçadas que migram para o Brasil e outros países. Elas desde a origem constituídas em tragédias humanitárias, dos regimes totalitários defendidos pelo pseudosófico mal-educado.

Bastaria uma olhada no PROGRAMA do seu próprio partido para o Psolista mal-acabado dar meia volta e desdizer o que já disse em termos de desenvolvimento econômico. Está tudo lá na extrema-esquerdopatia do século 19, que o ranheta parece ter esquecido ao trazer ao debate a luta de classes já sepultada depois de trocentas experiências mefistofélicas.

Às vésperas das eleições, entenda-se que o papel menoscabador mentecapto é, ao mesmo tempo, o de melieiro de uma esquerda que não se quer apresentar sem carapuça diante das ventas do eleitor e se tornar conhecido pela patuléia. No final, é tudo a mesma coisa. Como bem assinalou Bertand de Jouvenel, os intelectuais são majoritariamente de esquerda por três motivos: desconhecimento (nada sabem, então desprezam o funcionamento do sistema capitalista); soberba, (sem diploma, prêmios, graus etc., prolifera a ignorância) e ressentimento (se consideram mal pagos em relação à própria importância na sociedade – quem é um fazendeiro tosco, para ganhar mais que eu?)

Não à toa, todos os ditadores da história, sem exceção, se cercaram desses “intelectuais” que os bajulavam e davam sustentação “científica” a sua bilontrice. Não estão aí, os nossos “intelectuais” de mãos dadas como uma matula em volta do mofatrão safardana ex-presidiário? 

O meliante diz claramente que vai aumentar o Estado, que admira o Estado Chinês porque lá o povo obedece, que vai encantoar as igrejas, que vai internacionalizar a gestão da Amazônia, que vai enfraquecer o direito à propriedade, que vai censurar a mídia, que vai conter a polícia, que vai liberar aborto, drogas, pequenos criminosos e tudo quanto vier da choldra, e os “intelectuais” aplaudem, gritam, vociferam, extenuam-se avistando logo ali a realização de sua utopia decrépita. Não sem antes procurarem meios de afirmarem sua doxomania, e assegurarem um lugar bem pago ao lado do déspota.

Valterlucio Bessa Campelo escreve às sextas-feiras no site ac24horas e, eventualmente, no seu BLOG, no site Liberais e Conservadores do Puggina, na revista Navegos e em outros sites.

 

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.