Conecte-se agora

Conheça o Neto, trabalhador que teve casa destruída pelo fogo e vive de doações

Publicado

em

O videomaker Kennedy Santos resolveu contar a história do Neto, morador do beco Mangueiral, bairro Boa União, na região da Baixada da Sobral, que teve sua residência consumida pelo fogo no último domingo, 20, em Rio Branco.

Visivelmente emocionado, o morador, que residia no local alugado, conta que é uma ‘situação muito triste’ presenciar as chamas destruindo os bens conquistados ao longo da vida. “Foi 5 minutos e já era toda as partes materiais, porque, graças a Deus, ele nos deixou a vida”, relatou o proprietário do imóvel.

A casa incendiada fica em em meio a outras 8 residências – sendo 4 da mesma família. No dia do acidente, Neto falou que não estava com seus dois filhos – o que evitou a possibilidade de uma tragédia muito maior. Segundo ele, momentos antes, estava em seu vizinho, quando foi avisado do fogo. Diante da situação, todos os momentos da localidade começaram a ajudar a conter as chamas. Clicianne, irmã do morador atingido, disse que Neto perdeu 100% dos bens materiais. “Deus deixou ele vivo porque ele é bom, mas perdeu roupas, cama. Hoje ele está vivendo com doações”, ressaltou.

Neto relembrou que no dia do incêndio, os moradores solicitaram o chamado da equipe do Corpo de Bombeiros, no entanto, os militares não compareceram ao local.

Contudo, o episódio não mexeu apenas com o psicológico do morador, dona Francisca, vizinha de Neto, disse que teve medo do fogo atingir sua residência e também acabar perdendo seus bens. “Eu acho que eu desmaiei, quando vi, já tinha gente perto de mim”, contou.

Neto, após o incidente precisa de ajuda para reconstruir a vida e sua residência e, por essa razão, necessita de doações de madeiras e telhas. Além disso, quem se propuser a ajudar, pode também, doar roupas móveis.

Assista ao vídeo:

video
play-rounded-fill

Kennedy Santos

Shopping Popular: “As vezes não ganho nem o dinheiro do almoço”

Publicado

em

Construído com o propósito de abrigar quase 500 comerciantes que ganhavam a vida no centro de Rio Branco vendendo os mais variados produtos em barracas improvisadas e de forma irregular, o Shopping Popular Aquiri sempre foi visto pelos comerciantes como fantasia.

Passado mais de um ano, o que era apenas desconfiança se tornou realidade. Hoje, o local é desprezado pelos clientes e algumas lojas não vendem o suficiente para se quer, manter com dignidade os donos dos empreendimentos.

Como o caso da camelo Maria José, que tem como única fonte de renda a venda no local, mas com a baixa procura e para não passar por necessidade, precisou inventar uma nova estratégia.

“Eu produzo, pego os meus materiais e saio para vender em outro lugar”, afirmou.

Já a comerciante, Francisca Lima, sua realidade é um pouco mais difícil. “Passo o dia aqui e as vezes não ganho nem o dinheiro do almoço”, comentou

A situação de conflito levou o videomaker do ac24horas, Kennedy Santos, até a área para conversar com alguns dos poucos lojistas que ainda não desistiram, mas que também não aceitam as taxas e cobranças da nova empresa que administra o espaço.

“Com essa mudança de permissionário para locatário muda tudo, porque fizemos investimento, parcelamos de várias vezes e vai ocasionar que não teremos clientes o suficiente para ter lucro e pagar o que se deve”, disse o empresário Aldair Oliveira.

Santos caminhou pelos corredores e conversou com diversas pessoas, entre elas a nova a nova administradora, Fabíola Moreira, que explicou o porque dos valores que serão cobrados.

“A prefeitura desde a inauguração do shopping, vem arcando com todas as despesas, entre funcionários, segurança, matéria de limpeza, luz e água e isso é um gasto enorme. Pelo tamanho daqui, gasta-se pelo menos R$ 150 mil mensais. E agora vamos assumir todos esses custos. Então as pessoas tem que entender que o shopping precisa de orçamento”, apontou.

A obra custou aos cofres públicos mais de R$ 22 milhões, começou em 2013 e foi concluída em 2020, mas possui problemas de infraestrutura, como a cobertura, que não auxilia na proteção contra o sol e chuvas. De acordo com a nova administração, já está sendo feito um planejamento para esta mudança.

Assista ao vídeo completo:

video
play-rounded-fill
Continuar lendo

Acre 01

Sem condições de pagar aluguel, família de Rio Branco sobrevive em barraco dentro de matagal

Publicado

em

Uma mulher grávida com três filhos menores, um pai de família sem emprego fixo, que por falta de opção, mora em um barraco construído em uma área de floresta da capital, Rio Branco. Parece roteiro de cinema, mas é uma história real, e o Videomaker do ac24horas, Kennedy Santos, esteve lá e mostra esse dia a dia da família com exclusividade.

Na reportagem, Kennedy pede permissão para entrar no barraco, construído ao lado do Igarapé São João Batista, à base de PVC, lona e madeira velha. O local é insalubre, não tem banheiro e água encanada.

A reportagem do ac24horas foi informada que a Secretaria de Assistência Social foi até a família e disponibilizou o aluguel Social, mas como a família não tem o dinheiro para o primeiro pagamento, não teve como sair do mato.

Assista o vídeo na integra:

video
play-rounded-fill

Continuar lendo

Kennedy Santos

Conheça a história de quatro mulheres da roça que sustentam filhos da produção de farinha e goma

Publicado

em

Videomaker do ac24horas Kennedy Santos, foi até a comunidade Baixa Verde, na BR-317, para mostrar o trabalho de quatro mulheres que acompanhadas dos filhos, vão à roça todos os dias da semana.

Maria, Helena, Comadre e Bia são mulheres com perfis parecidos. Chefes de família nascidas e criadas na roça, e que nunca tiveram vida fácil. O videomaker acompanhou o plantio da mandioca, colheita e produção da goma. Kennedy mostra também a torragem do produto para fabricação da farinha.

A área de terra de um pouco mais de 1 hectare é próspera. Parece pequena, mas é de onde a família tira boa parte da renda que alimenta toda a família.

A agricultura familiar é responsável por fornecer, aproximadamente, 70% dos alimentos à população brasileira.

Assista ao vídeo:

video
play-rounded-fill
Continuar lendo

Kennedy Santos

Boleira supera dificuldade, falta de emprego e se torna um exemplo de negócio de sucesso

Publicado

em

Sabe aquela história da vida chegar em um ponto em que você não vê mas alternativa? Pois esse é o exemplo de Karla Rayssa.

Com dificuldades financeiras, ela decidiu que iria vender bolo, fazia os produtos em pequena quantidade e saía no comércio oferecendo seus bolos.

Recebeu muitos não, mas foi resiliente. Hoje, virou um caso de superação, sua empresa fabrica 600 bolos todos os dias e trabalha com pequenos comércios em bairros espalhados pela capital acreana e até municípios vizinhos.

Karla atende 50 comércios que comercializam seus bolos, a produção é grande, a cada 40 minutos sai uma “fornada” com 60 bolos prontos.

O videomaker do ac24horas apresenta a história de sucesso da mulher que mudou de vida e que hoje já tem cinco outras funcionárias.

“A falta de oportunidade existe, mas a gente tem que correr atrás, eu, antes de ser empresária, fui garçonete, frentista e até Uber”, afirma Karla.

Assista ao vídeo:

VÍDEO BOLEIRA
play-rounded-fill
Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.