Uma tendência oriental vem se consolidando e atraindo cada vez mais clientes na capital acreana. A venda de mini-bolos originários do Japão com frases românticas ganhou uma roupagem mais cômica e divertida quando chegou ao Brasil, em meados de 2021. Seguindo essa onda, quatro sócios acreanos decidiram inovar e trazer a moda dos bentô cakes (bolos na marmita) para Rio Branco há cerca de oito meses e fizeram da confeitaria Blossom um verdadeiro fenômeno, principalmente na internet.

Antes da confeitaria ser o sucesso que é atualmente, carregava o nome ‘Aquele Brownie’ e comercializava apenas esse tipo de doce em uma residência. As vendas serviam como complemento na renda do casal Bárbara Sheli e Jhony Damasceno. Até então, o negócio era entre Bárbara e o marido na venda de brownies, que começou assim que a pandemia do novo coronavírus se instalou no estado. Quase um ano depois de pegarem gosto pela confeitaria, ambos fizeram um curso de produção de bolos, em janeiro de 2021, e mudaram definitivamente seus rumos profissionais.

Os mini-bolos são divertidos e são dados como presente de aniversário e outras datas comemorativas – Foto: Sérgio Vale

Depois dos brownies, o casal começou a vender bolos “normais”, contemporâneos. Nesse momento, tiveram conhecimento sobre a novidade que estava virando febre fora do país. “Acredito que fomos os primeiros a fazer bolos estilo bentô aqui na cidade, tanto que quando começamos a fazer, quase não encontramos referência brasileira nesse estilo em nossas pesquisas. Os sites que falavam desses bolos eram sempre em idiomas coreano ou inglês”, diz a Bárbara, que largou o Direito quando se viu apaixonada pela confeitaria e passou a viver de suas produções artesanais.

Jhony trabalhava no setor financeiro e perdeu o emprego na pandemia. Então, uniu na confeitaria a oportunidade e necessidade de criar um novo ramo profissional. Já Bárbara, se surpreendeu consigo mesma. “Quando meu estágio acabou, tive que fazer uma escolha. Me vi apaixonada por uma nova área, não imaginava que eu estava quase formando e vi na confeitaria uma área promissora para nós e que nos identificávamos”.

No dia 2 de junho de 2021 foi a primeira vez que o casal publicou a foto de um bentô cake nas redes sociais e desde então os pedidos só aumentam. “Nos apaixonamos pelos bolos e pesquisando referências e novidades, descobrimos o bentô. Pensamos que seria muito legal trazer para cá. Um bolo individual pode ser engraçado e ninguém tinha esse costume aqui. De início, as pessoas já gostaram e foi uma loucura. Com essa primeira publicação, já tivemos um engajamento muito grande na rede social”, explica a confeiteira.

Surpreendendo clientes

Nesse momento, a Blossom ainda era ‘Aquele Brownie’ e a confeitaria bem pequena, com poucos seguidores na internet. “Fazíamos dois bolos bentô por dia e para mim já era o auge”, brinca Bárbara. Hoje, a confeitaria atende em média uma produção de 15 bolos diariamente. “Infelizmente a gente não consegue atender todo mundo que vem falar com a gente fazer pedido porque é um trabalho manual, totalmente artesanal e a gente fica um pouco limitado”.

O bentô cake é um bolo diferente do tradicional, o que colaborou para surpreender as pessoas e chamar atenção de novos clientes. “Apesar de ser pequeno, é um mini-bolo muito bonito. Os clientes podem pedir frases com teor engraçado, escrever recados como se fosse um cartão. Agora, ao invés de a pessoa escrever num papel, escreve num bolo e se torna um recado comestível”.

A maioria dos clientes que procuram esse estilo de bolo em Rio Branco são aqueles que curtem comédia e conhecem os memes da internet. Tem ainda os apaixonados que gostam de se declarar, comemorar aniversário de casamento, mesversários de namoro ou até aproveitam para fazer pedido de namoro por meio dos bolos.

Bárbara e Jhony fizeram curso de bolos festivos contemporâneos altos, com design mais moderno. Quando enveredaram para os bentô, receberam inúmeros elogios pois, além de pequenos, eram extremamente saborosos. “Eles são feitos com massas amanteigadas. Fazemos o recheio com nossos melhores ingredientes. O cliente consegue personalizar, não é um bolo pronto, a gente tem o cardápio e o cliente monta o bolo, a decoração, por isso que é um pouco limitado para aceitar pedidos, porque é completamente personalizado”.

Mudança e sociedade

Há apenas dois meses eles mudaram para um ponto físico pela primeira e criaram a Blossom confeitaria. O casal percebeu que quando inseriram o bolo no cardápio, o nome ‘Aquele Brownie’ já não abrangia mais, nem conseguia alcançar os clientes que eles procuravam. Foi então que procuraram um publicitário para ajudar a fazer o novo nome da marca.

Em setembro de 2021, publicaram a alteração do nome da confeitaria para Blossom, que significa florescer. “Esse significado combina muito com a gente, porque estávamos passando por uma transição, uma mudança de etapa, e também tem um granulado que se chama blossom, então tem tudo a ver com a gente”.

Em outubro de 2021, o casal de arquitetos Vanessa da Costa e Arthur Nunes propuseram a sociedade a Bárbara e Jhony. A ideia era poder abrir um lugar físico para que as pessoas possam conhecer a qualidade dos bolos produzidos. “O brownie também é maravilhoso, mas me apaixonei pelo bolo. O de massa de baunilha com recheio de ninho e frutas vermelhas foi o que eu provei, e desde então não consigo comparar com outro bolo”, conta Vanessa.

Os arquitetos perceberam que o negócio da confeitaria era muito promissor. “Desde o começo o produto deles (Bárbara e Jhony) era diferenciado. Entramos como sócios e deu super certo. Estamos gostando muito e ver que os clientes vêm e voltam outras vezes, além de trazerem novos clientes, é muito satisfatório”, contam, que decidiram diversificar a renda com o ramo da confeitaria.

“Na pandemia a gente percebeu que não dá para você atuar só com um nicho de negócio. Já éramos clientes deles desde quando a confeitaria se chamava ‘Aquele Brownie’. Eles começaram a fazer os bolos, experimentei e achei muito bom. A gente já estava pensando em escalonar um negócio quando Arthur sugeriu que a gente ficasse pedindo os bolos para ver se a qualidade seria a mesma. Até que conversamos para propor a sociedade”, relata a arquiteta.

Inspiração

Bárbara jamais pensou que fosse gostar de empreender, inclusive tinha um certo preconceito até se descobrir nessa área. Para ela, a qualidade e o acabamento dos produtos o fazem ser sempre melhores. “Hoje vendemos 15 bentôs por dia. A gente mantém o padrão de qualidade sempre. É bom ter quantidade, mas a gente sempre prefere manter a qualidade, tanto que não abrimos exceção para mais pedidos. Muita gente implora, mas se eu sei que não vamos conseguir entregar na mesma qualidade, prefiro não aceitar o pedido. Até porque quero que o cliente venha e volte outras vezes pela qualidade”, destaca a confeiteira.

Arthur conta que como sócio, faz um planejamento já pensando na expansão da confeitaria Blossom. “Pensamos no futuro. Daqui três ou quatro anos a gente pensa em fazer o crescimento do negócio, que é abrir uma loja nova, fazer uma expansão dessa loja aqui também, trabalhar com maquinário diferenciado, fortalecer o marketing, que ajuda muito nas vendas e quem sabe abrir franquias”.

Em pouco tempo atuando, a Blossom já recebeu diversos convites de franquia para fora do Acre. “Tem muitas pessoas de fora, como São Paulo, Ceará, pedindo franquia”, salientam. Após o surgimento do empreendimento local, outras confeitarias se inspiraram e passaram a também comercializar o bentô em Rio Branco. “Depois que fizemos um bento com a frase ‘Xô, gripe do meu amor’, em 3 de janeiro, viralizou e explodiu a procura por esse mini-bolo. Atingimos mais de 7 milhões de contas no Instagram com essa publicação e muita gente começou a se inspirar nesse bolinho e ficamos mais conhecidos”, relembram.

Vanessa afirma que quando pensaram na Blossom, já foi em como se ela fosse se tornar uma franquia, com arquitetura marcante e diversos elementos. “O balcão é personalizado. Acredito que temos que trabalhar com produtos diferenciados, que é como a gente começou, e tentamos estar a frente nisso e na técnica. A gente sempre busca estar atrás de mais especializações, de se qualificar e eu acho que o sol brilha para todos”, comenta Bárbara sobre concorrência.

Quatro sócios estão à frente da confeitaria Blossom e planejam fazer franquia do negócio – Foto: Sérgio Vale

Os sócios explicam que quando não dão conta de receber muitos pedidos, acabam indicando alguém que também esteja fazendo os bolos. “Trabalhar com essa parceria também é importante. Manter sempre o profissionalismo e manter nosso diferencial, que é o acabamento”. Para Vanessa, a experiência conta muito também. “Não é só um bolinho, é a ideia de ganhar algo diferenciado. Tudo que está no bolo, foi pensado por um propósito e é comestível. Temos um tipo exclusivo de cobertura, outros tentam fazer o mesmo bolo, mas com outro tipo de ingrediente. A nossa cobertura é de buttercrem, que é a base de manteiga, e dá uma ótima qualidade no acabamento”.

A confeiteira Bárbara ressalta que o bolo tem um valor sentimental para as pessoas e que não produz apenas um mero produto. “A comida tem um valor totalmente afetivo atrelado, então é muito legal poder participar de um momento como esse, fazendo um bolo que além de bonito, a pessoa tem uma experiência positiva quando come. É um momento que fica marcado e liga ao lado emocional e sensível das pessoas. É muito legal estar presente nesses momentos especiais”, conclui.

Previous
Next
error: Este conteúdo é protegido.