Conecte-se agora

Gladson dança forró durante solenidade de aniversário de 83 anos do município de Feijó

Publicado

em

No início da noite desta terça-feira, 21, o governador Gladson Cameli (Progressistas) chegou para participar das festividades no município de Feijó que comemora o 83º aniversário do município na Praça Beira Rio.

No entanto, como de costume, o chefe do executivo acreano resolveu, mais uma vez, quebrar o protocolo e dançou com uma moradora da região, o tradicional forró pé de serra. O ato rendeu aplausos do público presente e do locutor da solenidade, que no decorrer da dança, elogiou a postura peculiar de Cameli.

play-rounded-fill

Aniversário de Feijó

Historicamente, a cidade foi habitada originalmente pelas etnias Jaminawa, Kaxinauwá e Chacauwá, o município de Feijó, no interior do Acre, completou 83 anos de emancipação política nesta terça-feira, 21.

A desbravação das terras iniciou no final da década de 70, com a chegada de nordestinos à foz do Rio Envira. Lotes e seringais foram sendo demarcados com o passar dos anos, depois de intensos conflitos entre os recém-chegados e os nativos.

Entretanto, o local só se tornou município a partir do decreto 968 de 21 de dezembro de 1938. Na época, Epaminondas Martins era o governador do Acre. Raimundo Augusto de Araújo foi o primeiro prefeito feijoense.

Atualmente, a terra do Açaí tem uma população estimada em 34.986 habitantes, de acordo com o último senso de 2021 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – sendo o quinto município mais populoso do estado. Sua área é de 24 202 km² – um dos maiores municípios brasileiros em território.

Cotidiano

Acreano irá disputar Pan-americano infantil de Taekwondo em outubro na Colômbia

Publicado

em

Após vencer o Brasileiro de Taekwondo, realizado em junho em Santa Catarina, o acreano Bryan Adrian, de 11 anos, foi convocado pela Confederação Brasileira para disputar o Campeonato Pan-Americano de Taekwondo Infantil e Grand Slam, em Sogomoso Boyaca, na Colômbia.

Também conhecido como Pequeno Tigre, Bryan participará da competição que acontecerá nos dias 12 e 14 de outubro, representado o país na categoria infantil.

Antes disso, o atleta deve lutar no Pan Am Series III, durante os dias 14 a 18 de setembro, em São Paulo. Sua participação garante vaga no Pan-Americano de 2023, além de conquistar a Bolsa Atleta Internacional, que serve como um incentivo e estímulo as práticas esportivas para competidores que possuem classificações mundiais ou Sul-Americanas.

“O Bryan tem tudo para conseguir esse feito, ele que com apenas 11 anos, já entrou para a seleção brasileira, e isso é algo que começou há tempos, com um trabalho bem sólido. ‘De vagarzinho’ estamos chegando lá. Agora ele já é um atleta de nível de Seleção e o nosso foco é as olimpíadas de 2028”, disse mestre Levy Azevedo, pai de Adrian e presidente da Liga Acreana de Taekwondo.

Com passaportes nas mãos, os dois agora buscam investimentos para conseguir chegar até os próximos combates e, trazer a medalha para o Acre.

“O que a gente ainda está tentando conseguir é patrocínio, para as passagens, hospedagem e estadia. Porque no campeonato na Colômbia a confederação não irá bancar, mas nos próximos irá. E aí vai ser mas fácil, mas nesse estamos correndo atrás para fazer de tudo para levar ele”, explicou Levy.

Continuar lendo

Cotidiano

Desembargador determina que nome do ex-prefeito seja retirado da lista de inelegíveis

Publicado

em

O desembargador Júnior Alberto da segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJ-AC), concedeu uma liminar para a retirada do nome do ex-prefeito de Acrelândia, Vilseu Ferreira da Silva, da lista de inelegíveis do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Eleito em 2008 ao cargo majoritário em Acrelândia, Vilseu foi cassado no ano seguinte por compra de votos pelo Tribunal Eleitoral do Acre (TRE). Recorreu ao TSE, que manteve a decisão. Já em 2013, o ex-gestor foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) por pagamentos irregulares a professores com recursos do Fundeb.

Quanto aos crimes imputados, a defesa alegou que em uma análise sumária do aparato probatório, é possível extrair argumentos acerca da prescrição das condenações por ressarcimento ao erário determinada nos acórdãos do TCE, um proferido no ano de 2013 e outro no ano de 2015, contudo, as prescrições das condenações ao ressarcimento do erário já foram discutidas nos autos de execução fiscal e já foram reconhecidas. “Os acórdãos do TCE não se limitavam a condenar o requerente ao ressarcimento ao erário, mas a condenação nesse caso obriga ao TCE/AC encaminhar a Justiça Eleitoral a lista daqueles que tiveram as contas rejeitadas perante o órgão, nos termos da alínea g do inciso I do artigo 1º da

Lei de Inelegibilidades (Lei Complementar nº 64/1990)”, diz o pedido da defesa.

A resolução n.º 108/16 do TCE/AC1 – que estabelece procedimentos para elaboração e envio da lista de Acórdãos e Pareceres Prévios à Justiça Eleitoral em anos de eleições -, sendo que em ambos os fundamentos é estipulado que a regra vale por oito anos contados da data da decisão.

No entanto, para que a limitar fosse deferida em favor do ex-gestor público, a lei destaca que existem dois critérios: a primeira, consistente na possibilidade de se atribuir efeito suspensivo ao recurso, é aplicável ao caso em que o provimento recorrido possua caráter positivo, ou seja, que defira determinada providência contra a qual o recorrente se insurja e cuja eficácia entenda que deva ser obstada. Já a segunda, é referente à concessão de efeito ativo, se consubstancia na antecipação de tutela, total ou parcialmente, na hipótese em que a decisão recorrida possua natureza negativa, materializando indeferimento de providência requerida pelo agravante perante o juízo de primeiro grau, ou quando, sendo positivo o provimento de primeira instância, pretenda o recorrente a sua alteração em caráter emergencial.

Com base nos argumentos da defesa, o magistrado solicitou que o TCE não enviasse o nome de Viseu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). ” Em face do exposto, em juízo de cognição sumária, concedo a medida liminar para determinar ao Tribunal de Contas do Estado do Acre TCE/AC, que se abstenha de incluir o agravante Vilseu Ferreira da Silva na lista de inelegíveis a ser enviada à Justiça Eleitoral ano de 2022, referentes ao acórdão nº 8.463/13 Processo nº14.068.2010.70 e acórdão nº 9.132/2015 Processo nº 13.866.2010-30-TCE e, caso já tenha enviado, promover a sua exclusão, sem prejuízo de reapreciação da matéria na análise de mérito do presente recurso”, diz trecho da decisão judicial.

Continuar lendo

Cotidiano

Tribunal de Justiça do Acre inaugura pedra fundamental da usina fotovoltaica

Publicado

em

Nesta terça-feira, dia 16, o Tribunal de Justiça do Acre realizou a aposição da pedra fundamental da sua primeira usina fotovoltaica. Em 120 dias, serão instaladas na Cidade da Justiça de Rio Branco 1.150 placas solares, as quais devem produzir 56 mil quilowatts de energia limpa mensalmente.

Estavam presentes na cerimônia a presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, a corregedora-geral da Justiça em exercício, desembargadora Eva Evangelista, o superintendente da Central de Processamento Eletrônico (Cepre), desembargador Samoel Evangelista, os juízes auxiliares da Presidência, Leandro Gross e Andrea Brito, bem como representando o governo do Estado, o secretário de Infraestrutura, Cirleudo Lima e os representantes da empresa Ourolux, responsáveis pela obra, Igor Torres e Jobson Carvalho.

“Nós precisamos proteger o meio ambiente e esse é um bom propósito. Eu acredito no trabalho de todos, porque todos estamos envolvidos em um grande sonho de deixar um Poder Judiciário cada vez melhor, não só com profissionais de qualidade, mas também com ambientes melhores”, enfatizou a presidente.

A usina fotovoltaica é uma escolha pela sustentabilidade, como esperado de um tribunal situado na Amazônia brasileira. O investimento de 3,1 milhões é fruto da parceria com o governo do Estado. O espaço livre situado atrás do Fórum dos Juizados Especiais terá o terreno adequado para a implantação das placas solares, essas atenderão aos prédios da Cidade da Justiça.

Continuar lendo

Cotidiano

Boatos sobre carro preto que rapta crianças deixa pais apreensivos no interior do Acre

Publicado

em

Não chegou a gerar uma onda de pânico, mas muitos pais têm manifestado apreensão com seguidos boatos veiculados por meio de grupos de rede social de que pode haver um carro preto, sem especificação de marca ou modelo, no qual ocupantes estariam tentando raptar crianças em Xapuri.

Um áudio em que uma mulher não identificada relata que sua filha quase foi sequestrada por pessoas que estariam em um carro preto, mas imediações da igreja de São Sebastião, no centro da cidade, reforçaram o medo e a preocupação de pais e responsáveis de menores a ponto de a polícia se manifestar.

O delegado titular de Xapuri, Gustavo Neves, disse que a polícia não pode descartar nenhum tipo de informação que apareça, relacionada à segurança pública, como falsa, mas garantiu que não existe, até o momento, nenhum indício de que os boatos possam vir a ter qualquer fundamento.

“Não há nenhum registro de pai, responsável ou qualquer outra pessoa, de que alguma criança está desaparecida na cidade ou que houve tentativa de sequestro, como afirmam os boatos. Pode aparecer vir a aparecer, não podemos descartar, mas até o momento não há nenhum fundamento nisso”, afirmou.

O tenente Roberto Farias, comandante da Polícia Militar em Xapuri, também falou a respeito do assunto e creditou o fato às fake news que são propagadas na internet, apesar de garantir que a corporação estará sempre atenta a qualquer fato que seja concretamente noticiado às autoridades no município.

“Isso está se avolumando e causando medo nas pessoas. São fake news que se espalham e causam terror na população. Já falamos com o delegado e não existe nada de concreto com relação a isso. Mesmo assim, nossas equipes estão na rua e até o momento tudo está transcorrendo dentro da tranquilidade”, garantiu.

Os boatos a respeito de um carro preto que rapta crianças são antigos a ponto de terem se tornado uma lenda urbana em muitos estados do Brasil mesmo antes de a internet existir e o termo “fake news” ser conhecido. Apesar disso, as pessoas ficam muito assustadas e muita gente chega a ter crises de pânico quando rumores desse tipo ganham grande proporção.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.