Conecte-se agora

Réveillon 2022: os destinos mais procurados pelos brasileiros

Publicado

em

Em um cenário diferente do ano passado, quando a pandemia da Covid-19 atingia um dos seus pontos mais altos, 2021 trouxe mais esperança em vários setores. Um deles, que ficou por meses operando de forma extremamente reduzida, foi o do turismo.

Ao longo do ano e com a aceleração da vacinação, os números começaram a se movimentar e o otimismo tomou conta de todos os players que o compõe o mercado. Os turistas, enfim, estavam voltando a circular.

Em novembro, no entanto, a descoberta da nova variante do coronavírus, Ômicron, trouxe mais uma vez insegurança, com cidades e capitais brasileiras cancelando a festa de Réveillon. Presente em mais de 50 países, ainda há pouca informação sobre sua letalidade.

Agora, com a chegada de dezembro, mês de férias, confraternizações e festas, não é difícil encontrar quem já não esteja planejando uma viagem. Um levantamento feito com base nas pesquisas de usuários do KAYAK, metabuscador de viagens, entre 1 de outubro e 22 de novembro, aponta um aumento significativo por viagens internas entre 27 de dezembro e 3 de janeiro.

Os voos domésticos mais requisitados, por ordem, são: Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Salvador (BA), São Paulo (SP), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Florianópolis (SC), Porto Seguro (BA), Natal (RN) e João Pessoa (PB). A Cidade Maravilhosa, primeira colocada, tem expectativa de preencher 100% dos hotéis, segundo informou a Associação Brasileira de Indústrias de Hotéis.

O exterior também é alvo dos brasileiros, que procuram aproveitar a oportunidade das fronteiras abertas. No mesmo período da pesquisa, entre os voos mais procurados estão: Lisboa (Portugal), Buenos Aires (Argentina), Cancún (México), Miami (Estados Unidos), Paris (França), Orlando (Estados Unidos), Santiago (Chile), Nova York (Estados Unidos), Madrid (Espanha) e Montevideo (Uruguai).

Já a empresa Decolar fez um levantamento que mostra o crescimento de 63% na busca por passagens aéreas para o fim do ano como um todo (Natal e Réveillon). Recife, Rio de Janeiro e Nova York estão no pódio dos mais procurados pelos clientes.

“Com a flexibilização das restrições, o avanço da vacinação e as divulgações sobre as medidas de segurança no turismo, as pessoas estão mais confiantes para viajar. Observamos esse movimento se ampliando nos últimos dias, com aumento em torno de 60% nas buscas para o período do Natal e de 116% para o Ano Novo. As pessoas estão se programando com mais antecedência e planejando viagens mais celebrativas e de autoindulgência”, diz Bruna Milet, diretora global de publicidade e institucional Brasil da Decolar.

Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis, Recife e Salvador lideram, respectivamente, a lista para a virada do ano. Na procura do Natal, as cinco cidades mencionadas se repetem, mas em outra ordem de prioridade: em primeiro lugar Recife, seguido de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Florianópolis.

Mesmo com as restrições e burocracias para entradas impostas, os destinos internacionais seguem entre os top 10 de buscas de passagens aéreas na empresa, como Estados Unidos e Argentina. Para o Réveillon, Nova York, Orlando, Paris, Cancún e Buenos Aires são as cinco primeiras cidades do “ranking”.

Outra empresa referência no mercado de viagens, a Booking.com também revelou quais os destinos mais procurados na plataforma para as festas de fim de ano. Levou em conta as buscas realizadas entre 1 e 24 de novembro de 2021, para estadias entre 23 de dezembro de 2021 e 6 de janeiro de 2022.

As cinco cidades mais buscadas para o período foram de praia e estão localizadas nas regiões sul e sudeste do Brasil. São elas: Ubatuba (SP), Rio de Janeiro (RJ), Florianópolis (SC), Guarujá (SP) e Balneário Camboriú (SC).

A paixão dos brasileiros pelas praias não é novidade: outro levantamento recente da empresa, realizado em território nacional, demonstrou que até mesmo as sensações mais associadas às férias pelos turistas do país estão relacionadas ao litoral, como ouvir os sons das ondas ou sentir o cheiro do mar.

Além das cidades, a análise também revelou os cinco estados do Brasil mais buscados para o período de fim de ano. São eles, por ordem: São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais.

O setor em 2021

A alta na procura de viagens foi percebida durante todos os meses de 2021. A impressão do aumento do movimento em aeroportos, rodoviárias e estradas foi comprovada em números quando, ao longo dos feriados do ano, o Ministério do Turismo registrou a movimentação de milhões de brasileiros, que representou um crescimento expressivo em relação às mesmas ocasiões de 2020.

Em setembro deste ano, quando os números da pandemia no país abaixaram consideravelmente, o movimento de retomada começou a ganhar mais força.

No feriado do dia 7 de setembro, por exemplo, o Ministério do Turismo estimou que mais de 1 milhão de pessoas passaram pelos aeroportos do país. No feriado prolongado de 12 de outubro, o número cresceu um pouco: mais de 1,7 milhão de pessoas passaram pelos principais terminais aeroportuários. Na ocasião, os principais destinos turísticos do Brasil registraram taxas de ocupação acima dos 75%. Os destaques foram para Porto Seguro (BA), Ilhéus (BA), Jericoacoara (CE) e Porto de Galinhas (PE) que tiveram mais 90% de seus hotéis ocupados pelos turistas.

Já no feriado de Finados, no dia 2 de novembro, além do setor aéreo, que ultrapassou a marca de 2,1 milhões de passageiros, a hotelaria nacional também teve saldo muito positivo. Isso porque, os hotéis dos principais atrativos do país registraram taxas de ocupação acima dos 75%. Destinos como Foz do Iguaçu (PR), Poços de Caldas (MG) e Tutóia (MA) – porta de entrada para os Lençóis Maranhenses – atingiram ocupação máxima no período.

Por vias terrestres, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestres de Passageiros (Abrati), o feriadão de 12 de outubro teve uma alta de 30% na procura por viagens de ônibus em relação ao 7 de setembro. A estimativa era de que o setor terminasse o mês de outubro com números superiores aos registrados antes da pandemia, ultrapassando a marca de 2,7 milhões de passageiros transportados no período.

Caso fosse confirmada a expectativa, representaria um crescimento de 157% em relação ao mês de outubro de 2020, quando foram computados 1,07 milhão de viajantes nas rodovias do país. CNN Viagem & Gastronomia entrou em contato com a assessoria da Associação para confirmar se a expectativa se concretizou, mas ainda não obteve resposta.

O futuro otimista

Olhando para frente, o setor como um todo enxerga os próximos meses como muito promissores, e pesquisas comprovam que há, de fato, motivos para isso. Quase 60% dos viajantes latino-americanos já pretendem viajar entre novembro de 2021 e fevereiro de 2022, de acordo com a Interamerican Network, agência de comunicação especializada em viagem, vem investigando os hábitos dos viajantes desde o começo da pandemia da COVID-19.

Já a pesquisa anual da Booking.com sobre “Previsões de Viagem” apontou que quase dois terços (63%) dos turistas globais querem compensar o tempo de férias que perderam neste período de pandemia.

Com os números da pandemia cada vez mais estabilizados (e com a torcida reforçada para que continuem assim), aos poucos, a vida do viajante vai retomando e os planos sendo feitos com mais segurança. Para quem ainda não se sente seguro em viajar, planejar faz parte do processo.

“Viajar melhora nossa qualidade de vida e atua diretamente em nossa saúde mental, reduzindo de forma direta o stress, a tristeza e até depressão. Ao viajar, você se torna psicologicamente mais saudável e se torna dono do seu tempo, sem pressões cotidianas, fazendo o que quiser e na hora que quiser. Viajar é ter a possibilidade de viver novas experiências, de estar em contato com o novo e isso expande nosso aprendizado e causa essa sensação boa.”, ressalta a psicóloga Gabriela Adriani.

“Mas quem pensa que isso só acontece no dia em que você embarca ao destino está enganado. A viagem começa exatamente no momento em que você inicia o seu planejamento. É muito saudável fazer planos. É por meio dele que podemos fugimos da realidade e sonhar, na esperança de que tudo o que estamos vivendo vai passar em sua totalidade”, finaliza.

Fonte CNN

Destaque 6

Custo da construção sobe 0,10% em setembro, diz FGV

Publicado

em

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 0,10% em setembro. O resultado está abaixo do que foi registrado em agosto, quando subiu 0,33%. No ano, o índice acumula avanço de 8,91% e de 10,89% em 12 meses.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), que divulgou os números hoje (27), em setembro de 2021, o índice teve alta de 0,56% no mês e de 16,37% no acumulado de 12 meses.

Os resultados indicam ainda que a taxa do índice relativo a materiais, equipamentos e serviços caiu de 0,14% em agosto para -0,06% em setembro. Já o índice referente à mão de obra variou 0,26% em setembro, depois de avançar 0,54% em agosto.

Materiais, equipamentos e serviços
Depois de subir 0,03% em agosto, a taxa referente a materiais e equipamentos, no grupo materiais, equipamentos e serviços, recuou 0,14% em setembro. “Três dos quatro subgrupos componentes apresentaram decréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de -0,08% para -0,42%”, informou.

A taxa referente a serviços passou de 0,68% em agosto para 0,34% em setembro. “Neste grupo, vale destacar o recuo da taxa do item refeição pronta no local de trabalho, que passou de 1,54% para 0,07%”, completou.

Mão de obra
A taxa relativa ao índice da mão de obra variou 0,26% em setembro. Em agosto tinha registrado alta de 0,54%.

Capitais
Ainda em setembro, três capitais tiveram queda nas taxas de variação: Brasília, Recife e São Paulo. Em movimento contrário, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre registraram alta nas suas taxas de variação.

Continuar lendo

Destaque 6

Pesquisa Atlas para presidente: Lula tem 48,3%; e Bolsonaro, 41%

Publicado

em

Pesquisa Atlas sobre a eleição presidencial, divulgada nesta terça-feira (27), traz o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente, com 48,3% das intenções de voto no primeiro turno, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), com 41%. O primeiro turno das eleições está marcado para 2 de outubro.

Depois aparecem Ciro Gomes (PDT), com 3,5%; Simone Tebet (MDB), com 2,1%, Felipe D’Avila (Novo), com 1,3%; e Soraya Thronicke (União Brasil), com 1%.

Vera Lucia (PSTU) marca 0,2%; José Maria Eymael (DC) e Padre Kelmon (PTB) ficam com 0,1%. Leonardo Péricles (UP) e Sofia Manzano (PCB) não pontuaram.

Os que dizem que irão votar em branco, anular ou não sabem em quem votar somam 2,3%.

A pesquisa coletou respostas de 4.500 pessoas via web entre os dias 22 e 26 de setembro. Os entrevistados são recrutados organicamente durante a navegação de rotina na web em territórios geolocalizados em qualquer dispositivo (smartphones, tablets, laptops ou PCs).

A margem de erro do levantamento é de um ponto percentual. O levantamento tem 95% de confiança. Ou seja, se 100 pesquisas fossem realizadas, ao menos 95 apresentariam os mesmos resultados dentro desta margem.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-02714/2022.

Também foram testados três cenários de segundo turno. Confira abaixo os resultados.

Primeiro turno

Intenção de voto estimulada para presidente

  • Lula (PT) — 48,3%
  • Bolsonaro (PL) — 41%
  • Ciro Gomes (PDT) — 3,5%
  • Simone Tebet (MDB) — 2,1%
  • Felipe D’Avila (Novo) — 1,3%
  • Soraya Thronicke (União Brasil) — 1%
  • Vera Lucia (PSTU) — 0,2%
  • José Maria Eymael (DC) — 0,1%
  • Padre Kelmon (PTB) — 0,1%
  • Leonardo Péricles (UP) — 0
  • Sofia Manzano (PCB) — 0
  • Branco/Nulo/Não sabe — 2,3%

Segundo turno

Intenção de voto estimulada para presidente

Cenário 1

  • Lula (PT) — 51,3%
  • Bolsonaro (PL) — 43,7%
  • Branco/Nulo/Não sabe— 5%

Cenário 2

  • Lula (PT) — 47,1%
  • Ciro Gomes (PDT) — 28,8%
  • Branco/Nulo/Não sabe — 24,1%

Cenário 3

  • Bolsonaro (PL) — 41,8%
  • Ciro Gomes (PDT) — 40,6%
  • Branco/Nulo/Não sabe— 17,6%
Continuar lendo

Destaque 6

Beneficiários com NIS de final 7 recebem hoje o Auxílio Brasil

Publicado

em

A Caixa Econômica Federal paga hoje (27) a parcela de setembro do Auxílio Brasil aos beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 7. Esta é a segunda parcela com o valor mínimo de R$ 600, que vigorará até dezembro, conforme emenda constitucional promulgada em julho pelo Congresso Nacional.

A emenda também liberou a inclusão de 2,2 milhões de famílias no Auxílio Brasil. Com isso, o total de beneficiários subiu para 20,2 milhões neste semestre a partir deste mês.

O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Em janeiro, o valor mínimo do Auxílio Brasil voltará a R$ 400, a menos que uma nova proposta de emenda à Constituição seja aprovada. Tradicionalmente, as datas do Auxílio Brasil seguem o modelo do Bolsa Família, que pagava nos dez últimos dias úteis do mês.

Confira o calendário

Final do NIS jun jul ago set out nov dez
1 17/06 18/07 18/08 19/09 18/10 17/11 12/12
2 20/06 19/07 19/08 20/09 19/10 18/11 13/12
3 21/06 20/07 22/08 21/09 20/10 21/11 14/12
4 22/06 21/07 23/08 22/09 21/10 22/11 15/12
5 23/06 22/07 24/08 23/09 24/10 23/11 16/12
6 24/06 25/07 25/08 26/09 25/10 24/11 19/12
7 27/06 26/07 26/08 27/09 26/10 25/11 20/12
8 28/06 27/07 29/08 28/09 27/10 28/11 21/12
9 29/06 28/07 30/08 29/09 28/10 29/11 22/12
0 30/06 29/07 31/08 30/09 31/10 30/11 23/12

Benefícios básicos

O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga um emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas, científicas ou acadêmicas.

Podem receber os benefícios extras as famílias com renda per capita de até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e até R$ 200, em condição de pobreza.

Agência Brasil elaborou guia de perguntas e respostas sobre o Auxílio Brasil. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para integrar o programa social, os nove tipos diferentes de benefícios e o que aconteceu com o Bolsa Família e o auxílio emergencial, que vigoraram até outubro do ano passado.

Auxílio Gás

Neste mês não há pagamento do Auxílio Gás, que beneficia famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Como o benefício só é concedido a cada dois meses, o pagamento voltará em outubro.

Só pode receber o Auxílio Gás quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Continuar lendo

Destaque 6

Prazo de entrega de declaração do ITR acaba nesta sexta-feira

Publicado

em

Os proprietários rurais de todo o país precisam ficar atentos. Acaba nesta sexta-feira (30), às 23h59min59s, o prazo de entrega da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) 2022. O envio começou em 15 de agosto. Segundo o balanço mais recente da Receita Federal, 4.725.521 contribuintes tinham entregado a declaração até o início da tarde de hoje (26).

Neste ano, a Receita Federal espera receber de 5,84 milhões a 5,9 milhões de declarações. Na comparação por estados, a Bahia tem o maior número de declarações enviadas até agora: 953.620. Em seguida, vêm Minas Gerais (763.142) e Rio Grande do Sul (501.518).

Devem preencher a declaração do ITR pessoas e empresas que são proprietárias rurais, titulares do domínio útil ou possuidoras de qualquer título de imóvel rural. Quem perder o prazo está sujeito a multa de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o imposto devido. A multa será lançada de ofício.

O contribuinte deve elaborar a declaração por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR, disponível na página da Receita Federa e transmiti-la pela internet.

O valor do imposto pode ser pago em até quatro parcelas mensais, sendo que nenhuma pode ter valor inferior a R$ 50. Imposto abaixo de R$ 100 deve ser pago em quota única. Tanto o pagamento em uma só vez quanto o da primeira quota devem ser feitos até o último dia do prazo de entrega da declaração.

O produtor rural pode tirar dúvidas sobre o preenchimento da declaração nos Núcleos de Apoio Contábil e Fiscal (NAF), mantidos por diversas instituições de ensino superior em parceria com a Receita Federal. As orientações são fornecidas de forma virtual e gratuita. A lista dos NAF em todo o país pode ser acessada neste endereço.

Além das orientações, o produtor rural pode obter esclarecimentos sobre o ITR na própria página da Receita Federal, que preparou um questionário com as principais perguntas e respostas sobre o preenchimento e a entrega do documento.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.