Conecte-se agora

O nó cego na disputa do Senado

Publicado

em

PRÓXIMO a entrar no ano eleitoral de 2022, e continua a confusão no grupo palaciano para a escolha do candidato ao Senado, na eleição do próximo ano. Os cinco postulantes ao senado não mostram até um momento nenhum sinal de que vão recuar, e todos eles afirmando que têm a promessa do governador Gladson Cameli de que integrarão a chapa da sua reeleição no espaço do Senado. 

Como no mesmo espaço não cabem cinco corpos, e existe apenas uma única vaga para senador, quatro vão ficar pendurados no pincel sem escada para se apoiar. O que mais complica essa situação é que o governador não definiu ainda um critério, ou vários critérios, para balizar quem será o seu companheiro de chapa. Será quem estiver melhor nas pesquisas? Uma pesquisa faltando 11 meses para a eleição, serve de critério justo? O escolhido será aquele que conseguir juntar ao seu lado o maior número de partidos lhe apoiando? Tudo isso está no ar, porque até aqui não houve uma reunião do governador com os candidatos do seu grupo para definição de parâmetros de seleção de uma candidatura única. 

O senador Márcio Bittar (PSL) diz que há um compromisso do governador Gladson junto ao presidente Bolsonaro, para que a escolhida seja a Márcia Bittar (sem partido), e cobra esta promessa para um anúncio ainda este ano. A senadora Mailza Gomes (PP) joga com as teses de ser a presidente do PP; já estar no mandato, ter carta branca da direção nacional para buscar a sua permanência, e por isso promete levar a sua candidatura adiante. A deputada federal Jéssica Sales (MDB) aposta nas suas fichas que as pesquisas vão lhe apontar como a única que pode derrotar o ex-senador Jorge Viana (PT).

 O deputado federal Alan Rick (DEM) é outro que acredita que as pesquisas que virão o colocarão como o nome de maior densidade para o Senado no grupo do governador. A deputada federal Vanda Milani (PROS) fala ter o apoio da grande parte dos prefeitos e crê que, na campanha, o seu nome vai decolar na frente dos demais. Outro impasse é que o senador Márcio Bittar (PSL) defende que o governador Gladson anuncie em dezembro o seu candidato a senador. 

As demais candidaturas querem que isso só aconteça em abril, quando se terá o quadro definitivo sobre a troca de partidos por deputados, e tendo até lá várias pesquisas para servir de base e dar um norte da candidatura mais forte. No canto do ringue está o governador Gladson Cameli. Não lhe resta uma escolha a não ser a de nocautear quatro dos candidatos e levantar a mão de um como vencedor da luta. Não é uma situação cômoda.

PEÇA PRINCIPAL

O DEPUTADO José Bestene (PP) é a peça principal dentro do PP na articulação da candidatura da senadora Mailza Gomes (PP). É o principal incentivador que fique na disputa. Foi quem segurou a candidatura do Bocalom.

PASSA UMA PÉSSIMA IMAGEM

O VEREADOR se notabiliza por suas posições de independência no mandato. Quando assim não age, passa uma péssima imagem para a população. Foi o caso dos vereadores que brecaram informações sobre as obras da PMRB nos ramais. O próprio Bocalom não disse que quer transparência? Querem ser mais reais que o rei? 

PARA VALER OU RETÓRICA?

O GOVERNADOR GLADSON disse em entrevista coletiva que todos os secretários que querem ser candidatos em 2022, devem entregar os cargos até o final de dezembro. Logo vamos saber se foi para valer ou foi retórica.

PUXADOR E CAMPEÃO

O SENADOR Petecão (PSD) está eufórico com o trabalho do prefeito Mazinho na articulação da candidatura a deputado federal. Na avaliação de Petecão, Mazinho não será só um puxador de votos, mas o mais votado para a Câmara Federal.

SÉRIAS DIFICULDADES

O QUE JÁ TINHA comentado aqui, está se concretizando. O PSDB está com séria dificuldade para montar a sua chapa para a ALEAC, tendo dois deputados: Luiz Gonzaga e Cadmiel. Ninguém quer ser bucha de canhão.

QUEIXA GERAL

A MAIOR QUEIXA dos dirigentes de partidos sobre a seleção de nove nomes para montar chapas para deputado federal e que, não é fácil encontrar três mulheres com densidade eleitoral comprovada para fechar a cota feminina. Não pode ser só figurante.

SONHO DESFEITO

O SONHO do União Brasil, resultante da fusão DEM-PSL, de ser o maior partido do Brasil, está sendo desfeito bem antes da sua oficialização. Os deputados bolsonaristas da sigla, em grande número, vão com o Bolsonaro para o PL.

SEM GRANDE EXPRESSÃO

NO PLANO nacional, o PL é um partido forte, mas o mesmo não ocorre no Acre; onde é um nanico. Deve tomar impulso com a filiação do grupo da deputada federal Mara Rocha, a ocorrer no início de abril de 2022.

FATO POSSÍVEL

O VICE-GOVERNADOR Rocha vai se filiar ao União Brasil, e não é descartado ser candidato a deputado federal. A conversa que terá com o presidente da nova sigla, Luciano Bivar, será decisiva, e pode envolver o comando no estado. Na política, não costumo duvidar de nada.

SEM OUTRO CENÁRIO

NÃO vejo outro cenário que não seja o do deputado Jenilson Leite (PSB) como candidato a governador e o Jorge Viana (PT), como candidato a senador. É o jogo.

TESE COMPLICADA

HÁ no grupo do governador Gladson Cameli quem defenda que, ele reúna os candidatos ao Senado para a busca de um consenso de uma candidatura única no seu grupo, e que isso não acontecendo, que diga que apoiará a todos. Acho complicado, a política não funciona assim.

TEMPO INTEGRAL

POR ENQUANTO, o ex-prefeito Marcus Alexandre (PT) tem feito campanha para deputado estadual somente nos finais de semana; só entrará em tempo integral, quando se afastar da função no Tribunal de Justiça, em abril.

NÃO HÁ CONVICÇÃO

PERGUNTEI ontem a um amigo do PT se o ex-prefeito Raimundo Angelim (PT) será candidato a deputado federal, obtendo a resposta: “Se fosse na Loteria Esportiva, marcava triplo. Mas, se tivesse que marcar uma só opção, marcaria que não será”.

CANDIDATURA CERTA

O DIRIGENTE DO MDB, ex-prefeito Mauri Sérgio, é um dos mais empolgados com a candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) para o Senado. Acha que é a única que poderá derrotar o ex-senador Jorge Viana.

FRASE MARCANTE

“Obstáculos são aquelas coisas medonhas que você vê quando tira os olhos do seu objetivo”. Moahmed Hussein.

Blog do Crica

Mailza rebate Gladson e diz que tem garantias que comandará o PP

Publicado

em

O ANÚNCIO FEITO ontem pelo governador Gladson Cameli ao ac24horas de que assumirá a presidência da executiva regional do PP, foi rebatido pela senadora Mailza Gomes (PP), que falou ontem ao BLOG que permanecerá no comando partidário, e enviou a mensagem: “Boa Noite Luís Carlos. Realizei uma gestão transparente e sempre orientada pela Executiva Nacional que, reconhece meu trabalho e acredita na manutenção da Executiva existente. Sendo assim, irei liderar o processo eleitoral no estado com responsabilidade e sob a orientação da Executiva Nacional”. 

Liguei para o vice-presidente do PP, prefeito Tião Bocalom, para saber a sua opinião, e foi textual: “Tenho a garantia do presidente Ciro Nogueira que a Mailza continuará na presidência estadual do PP e eu na vice-presidência”. 

Político da oposição próximo ao presidente do PP, Ciro Nogueira, contou ao BLOG que falou ontem à noite com o dirigente nacional, e este afirmou que a senadora Mailza Gomes (PP) continuará a presidir a sigla no estado. 

Em Brasília, permanecem integrantes do grupo que quer derrubar a Mailza da presidência do PP, formado pelo deputado José Bestene (PP) e os membros do diretório, Lívio Veras e Alysson Bestene, brigando para voltar a Rio Branco com a executiva do PP completamente modificada. A decisão ficou para sair por todo dia de hoje, para se saber quem ficará com o conturbado espólio do PP.

QUAL SERÁ A REAÇÃO DO GLADSON?

A PERGUNTA acima sobre qual será a reação do governador Gladson se não conseguir a presidência do PP, é de difícil resposta. Mesmo se perder a disputa, vai apoiar a Mailza Gomes? É um cenário complicado.

AFLIÇÃO DO NOIVO

O CANDIDATO ao governo, deputado Jenilson Leite (PSB), encarna a aflição do noivo que está no altar e a noiva (PT) não sinaliza que horas ela vai chegar para o enlace matrimonial.

PORTO SEGURO

O PRESIDENTE do PP, deputado Nicolau Júnior, tem sido um porto seguro para o governador Gladson Cameli. Todos os projetos, inclusive, os mais polêmicos, tiveram a condução equilibrada do Nicolau e foram aprovados na ALEAC. E tudo na base do diálogo até com a oposição.

NÃO QUER CALAR

A PERGUNTA que não quer calar é o motivo do deputado Nicolau Júnior (PP) não ter virado um conselheiro do governador Gladson, porque se tivesse acontecido, por certo muitas das confusões do governo não teriam ocorrido. Até porque ele é um conciliador nato.

MUITO PRÓXIMOS

O SENADOR Márcio Bittar (União Brasil) e o vice-governador Major Rocha (MDB) estão muito próximos, e têm se falado rotineiramente sobre a sucessão estadual.

NADAR DE BRAÇADA

CASO a deputada federal Jéssica Sales (MDB) seja mesmo candidata a senadora, vai abrir um vácuo grande nos votos do Juruá para Federal, e a candidata Keiliane Cordeiro (REPUBLICANOS), pode nadar de braçada neste espaço. Ela está forte na disputa dentro do partido.

O ELEITOR QUER OUVIR PROPOSTAS

SALVO uma ou outra estocada, o nível das manifestações dos candidatos a governador, está num patamar de respeito. Tomara que não descambe para a baixaria na campanha. O eleitor quer ouvir propostas factíveis.

NÃO ABRE MÃO

É UM ERRO de avaliação aliados pensarem que podem colocar o governador Gladson na parede, e vetar o nome que escolher para ser o seu vice. O Cameli está certo em não aceitar pôr em discussão esta escolha.

CHAPA COMPLETA

DOS GRANDES partidos apenas o PSD está com chapa completa, com o senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo, o advogado João Tota Filho (PSD) de vice, e a deputada federal Vanda Milani (PROS) para o Senado.

CHAPA ENCRENCADA

A CHAPA para deputado estadual do REPUBLICANOS é muito forte, com cinco nomes de favoritos para disputar duas vagas, a saber: Tadeu Hassem, Jairo Carvalho, Eber Machado, deputado Vagner Felipe e Clodoaldo Rodrigues.

JOGO DE CENA

A DECISÃO do prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha, de reduzir o seu salário e dos ocupantes dos cargos de confiança, é jogo de cena; o valor do desconto é irrisório para o tamanho dos problemas do município.

A BURRA SECOU

O que acontece é que os prefeitos caíram na real, a burra de dinheiro que vinha por conta da pandemia, secou, e agora terão de conviver com a baixa realidade financeira.

DEBATE NO NINHO TUCANO

O PRESIDENTE do PSDB, Correinha, não crê que a direção nacional vai impor a candidatura do deputado Luiz Gonzaga, e vai colocar o assunto em debate na chapa de candidatos à ALEAC; se a inclusão foi aceita irá acatar, caso contrário vai debater na justiça.

LÓGICA DOS VOTOS

O DEPUTADO Luiz Gonzaga (PSDB) vem de cinco mandatos e sempre bem votado. A sua inclusão na chapa significaria que o PSDB teria a chance de fazer mais deputados. Não adianta ter um monte de candidato sem voto para fazer figuração. Assim é a matemática política.

RESULTADO ZERO

A CPI do transporte público na Câmara Municipal de Rio Branco vai chegar a um resultado zero. Vai sair um relatório que, talvez, só seja lido pelo Relator da matéria.

SUPERFATURAMENTO

DIRIGENTES do PP jogam com a contabilidade de cada um dos cinco parlamentares da chapa, chegar aos 10 mil votos, o que daria 50 mil votos de largada. É uma conta que está altamente superfaturada.

QUE CONFUSÃO!

Falando nisso, o PP se transformou num ninho de confusão, não se sabendo quem de fato vai comandar o partido na eleição, se o Gladson ou a Mailza.

PASTORES VÃO SE POSICIONAR

UM GRUPO grande de pastores evangélicos prepara um movimento para manifestar apoio público à candidatura da senadora Mailza Gomes (PP).

O QUE EMBUTE A BRIGA

O PRINCIPAL motivo da briga no PP é que o governador Gladson não quer a Mailza Gomes (PP) ocupando a vaga ao Senado na sua chapa, onde quer colocar o deputado federal Alan Rick (União Brasil), de seu candidato.

OUTRA FRENTE DA BRIGA

A ESCOLHA do deputado federal Alan Rick (União Brasil) pelo governador Gladson, para ser o candidato ao Senado na sua chapa, criou uma nova frente de disputa. O presidente do União Brasil é o senador Márcio Bittar, que tem na Márcia Bittar (PL) a sua candidata a senadora, e quer o partido lhe apoiando, sob o argumento dela ser a candidata do presidente Jair Bolsonaro.

EM CAMPANHA

O DEPUTADO federal Alan Rick (União Brasil) tem dado entrevistas e falado ter a garantia da direção nacional do União Brasil de que, será o candidato ao Senado da sigla.

ENTROU EM MUTISMO

NO MEIO deste tiroteio político está o senador Márcio Bittar (União Brasil), que vê escapar entre os dedos a possibilidade de indicar a Márcia Bittar (PL) de candidata ao Senado na chapa do Gladson, e entrou em mutismo.

OPÇÕES PARA O MÁRCIO

CASO se mantenha o desenho do senador Márcio Bittar (União Brasil) ficar fora de indicar a Márcia Bittar na chapa do governador Gladson Cameli, vão lhe restar as alternativas de se dedicar apenas à campanha da ex-mulher e dos candidatos a deputado federal do União Brasil, REPUBLICANOS e PL, e sair candidato ao governo.

FRASE MARCANTE

“o Brasil progride à noite, enquanto os políticos estão dormindo”. Elias Murad.

Continuar lendo

Blog do Crica

Jorge Viana não desistiu do governo

Publicado

em

O EX-SENADOR JORGE VIANA (PT), continua com o sonho na sua agenda de disputar o governo do estado. Deverá empurrar até próximo das convenções partidárias, em julho, a sua decisão oficial a que cargo sairá candidato. Se o cenário for favorável, pode resolver disputar o governo, foi o que revelou ontem em uma conversa com o BLOG. 

Está percorrendo os municípios, fazendo reuniões, ouvindo vários segmentos, sobre a sua candidatura. “A aceitação está muito boa”, falou JV. Ontem, estava em Cruzeiro do Sul. Uma pesquisa do PT que está em campo deverá nortear a sua posição política para esta eleição. Tudo isso pode ser traduzido da seguinte forma: a tendência natural é a candidatura ao Senado, mas se acontecer algum ponto fora da curva com o governador Gladson no desfecho da Operação Ptolomeu, pode colocar o Palácio Rio Branco na sua mira política.  É aguardar, o tempo é o senhor da razão.

FICA DE MÃOS ATADAS

RETARDAR até julho a decisão sobre a que mandato disputará a eleição, como projeta Jorge Viana, deixa até lá a candidatura do deputado Jenilson Leite (PSB) ao governo de mãos atadas, emparedada, sobre alianças.

NÃO PERDEU O OTIMISMO

O CANDIDATO a deputado federal Pedro Valério (União Brasil), mesmo tendo ficado fora da direção partidária, avalia que pode sim se eleger, por ter o apoio das bases partidárias, nos municípios onde a sigla tem diretórios. Valério é da antigo na política, sempre de mãos limpas. 

BASTIDORES FERVEM

EMISSÁRIO de uma parlamentar de partido aliado do governador Gladson, tentou indicar o primeiro suplente na chapa do Jorge Viana ao Senado. Os bastidores fervem. Com aliados assim, o Cameli não precisa de oposição. Ainda vai acontecer coisa do arco da velha.

CONFIRMA O QUE PUBLIQUEI

O ADVERSÁRIO direto do governador Gladson, na disputa do governo, é o senador Petecão (PSD). O que vi ontem, só confirma o que venho colocando aqui neste BLOG.

ENTROU ÁGUA NO CHOPP

NÃO conseguiram tirar a senadora Mailza Gomes (PP) da presidência do partido. Entrou água no chopp que estava gelando para a comemoração. Mailza mostrou prestígio com a direção nacional. É uma política de sete vidas.

FICA FORTALECIDA

COM O FRACASSO da investida por parte do grupo do PP que quer a sua cabeça, a Mailza ficou fortalecida para continuar disputando um novo mandato de senadora.

VENCEU A PARADA

O DEPUTADO Luiz Gonzaga (PSDB) conseguiu a garantia da direção nacional tucana de que, ele terá legenda para disputar a reeleição, o que era vetado pela direção regional. Jogou na mesa ter cinco mandatos de deputado.

NAS MÃOS DA MICHELLE

O FUTURO do PDT na disputa da Câmara Federal se encontra nas mãos da vereadora Michele Melo (PDT). Se ela não for candidata a deputada federal, dificilmente, o partido elegerá alguém para a Câmara Federal. É o jogo.

AUTORIDADE NÃO SE TERCEIRIZA

O GOVERNADOR Gladson precisa aprender rápido que, autoridade não se debate e nem se terceiriza, se exerce. É o caso da escolha do candidato a vice-governador.

BOBAGEM SEM TAMANHO

A ELEIÇÃO para governador para ter sucesso não precisa estar colada a este ou àquela liderança partidária. Quando o eleitor vota para governador, vota na pessoa, no carisma, não importa quem esteja na sua aliança. E, pensar diferente, é de uma bobagem sem tamanho.

QUE HOUVE, SEU ZÉ?

NÃO se viu um vereador do PDT no ato de anúncio do apoio do partido à candidatura do governador Gladson. Nem o deputado Chico Viga apareceu. O que houve, seu Zé?

FOCO PRINCIPAL

O SENADOR Márcio Bittar (União Brasil) deveria focar todo o seu empenho nas alianças em torno da candidatura da Márcia Bittar (PL) ao Senado. Escolha de vice não é da sua competência, e não se pode projetar apoio para uma candidatura ao governo em 2026, que não se sabe nem como estará o quadro político.

MUDA TODA A PROSA

O LULA lidera todas as pesquisas para a presidência. A se manter isso e ganhar a eleição muda toda a configuração do cenário político no estado, porque o PT no comando do país, fortalecerá o partido para as eleições que virão.

CONHEÇO UM POUCO DO PT

COM O LULA na presidência, as forças regionais farão tudo para brecar a liberdade que os parlamentares bolsonaristas têm nos ministérios para liberar recursos. O PT não dá água a pinto de adversário e criará dificuldades para a governança do futuro governador do estado. Conheço um pouco do PT. Sabe exercer a autoridade.

CHAPA FRACA

ATÉ as cabeças mais lúcidas do PP avaliam que, a chapa do partido para deputado federal não é forte, e se eleger alguém será com muita dificuldade. Não era para acontecer isso com uma sigla que está no poder.

PERÍODO SABÁTICO

O SENADOR Márcio Bittar (União Brasil) entrou num período sabático de evitar declarações à imprensa. Quer deixar o barco andar para saber em que porto deve ancorar. O certo é que o quadro para a escolha do candidato ao Senado na chapa do Gladson, a cada dia fica mais confuso. Há momentos na política que o silêncio é necessário. Neste ponto o Márcio agiu correto.

FRASE MARCANTE

“A corrupção política é apenas uma consequência das escolhas do povo” Laércio Monteiro.

Continuar lendo

Blog do Crica

A eleição majoritária no Acre é paroquial 

Publicado

em

A ESTATÍSTICA MOSTRA que, a eleição presidencial não tem influência nas disputas, no estado, para governador e senador. O Lula foi um dos presidentes que mais liberou recursos para o estado, mas perdeu a eleição no Acre, para os então candidatos José Serra (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB), que não tinham uma ruela liberada para os acreanos.

 Com o Jair Bolsonaro no auge da popularidade, na primeira disputa do mandato, o seu candidato a governador Coronel Ulysses, teve uma fraca votação; e o Bolsonaro teve aqui uma estupenda votação. Lembro que na última candidatura do Jorge Viana (PT), este chegou com a conversa que iria colocar o desgastado presidente Michel Temer (MDB) nos adversários, e perdeu a eleição. 

Por isso, é bom os candidatos a governador e a senador não se entusiasmaram muito com o poder de transferência de votos do Lula e nem do Bolsonaro. Tratem de cair nos grotões se quiserem se eleger. A eleição majoritária, no Acre, sempre foi paroquial. A força aqui ainda é da comadre e do compadre, para chegar ao Palácio Rio Branco.

SANGUE NOVO NA POLÍTICA

QUEM resolveu entrar na política, é o empresário do ramo de Turismo, Rizomar Araújo. Será candidato a deputado federal pelo PSB, na chapa do candidato ao governo Jenilson Leite (PSB). Sangue novo na política.

MIL VOTOS DE LAMBUJA

SOBRE nota no BLOG de que o deputado Gerlen Diniz (PP) tende a ser o mais votado para a ALEAC, em Sena Madureira, o prefeito Mazinho ligou ontem, para contestar: “Meu candidato a deputado Gilberto Lira dá mil votos de lambuja e ainda será mais votado que o Gerlen, e aceito apostas”. As cartas estão na mesa.

TÁTICA ERRRADA

O VAZAMENTO das conversas no jantar na casa do ex-chefe do gabinete civil, Flávio da Silva, no último fim de semana, da fala do senador Márcio Bittar (União Brasil) de que vetava o governador Gladson de indicar o ex-chefe da Casa Civil, Rômulo Grandidier para vice, soube que foi recebido com desagrado pelo governador, que já disse não aceitar ingerência para a escolha do vice.

NÃO É MAIS AMADOR

O SENADOR Márcio Bittar (União Brasil) não é mais nenhum amador em política, para estar fazendo movimentos errados. Ou ele imaginava que num jantar com sete pessoas, jornalista presente, a fala não iria vazar? É natural que brigue pelo espaço da Márcia Bittar, mas querer atravessar o samba querendo palpitar na escolha do vice, é querer dar um pulo maior que as pernas.

CONVERSA LONGA

COMO UMA COISA puxa a outra, o senador Márcio Bittar (União Brasil) e o vice-governador Major Rocha (MDB) tiveram na noite de ontem uma longa conversa. Estamos longe de ter ainda um quadro definitivo sobre a sucessão.

QUADRO MUITO CONFUSO

O QUADRO está muito confuso. O deputado federal Alan Rick (União Brasil) é o preferido do governador Gladson para apoiar ao Senado. Alan diz ter a garantia de apoio da direção nacional. Só que o presidente do União Brasil, no estado, é o senador Márcio Bittar, cuja candidata ao Senado é a Márcia Bittar (PL). Ponha nebulosidade nisso.

NÃO ESQUEÇAM DA MAILZA

E, TEM um componente que embola ainda mais o jogo: a senadora Mailza Gomes (PP) já disse que não retira a sua candidatura a mais um mandato. E, desse modo o Gladson não pode colocar outro nome ao Senado na sua chapa.

NÃO DESCARTOU

NA conversa de ontem entre o senador Márcio Bittar (União Brasil) e o vice-governador Major Rocha, Bittar não descartou disputar o governo. Vamos ver se não é uma fala na emoção e se vai mesmo concretizar a ameaça. Só vou crer depois do anúncio oficial.

NÚMEROS QUE SE REPETEM

NO CENÁRIO de todas as pesquisas realizadas até aqui, o Lula aparece ganhando do presidente Bolsonaro no primeiro e no segundo turno. Não creio em complô dos institutos de pesquisa.

JOGO DE CENA

Vejo mais como jogo de cena o retardamento do anúncio do Jorge Viana de que será candidato ao Senado, e que o PT apoiará o deputado Jenilson Leite (PSB) para o governo. Este desfecho parece ser inevitável.

POR TUDO O QUE O ZEN FEZ

PARA o PT ter candidato a prefeito da capital o deputado Daniel Zen (PT) se sacrificou; na ALEAC, e a cara e a voz do PT, por tudo isso a sua reeleição deveria ser prioridade para a direção regional do partido. Até pela qualificação.

ENTUSIASMADA

UMA das vozes mais entusiasmada no ato político do PSD, no fim de semana, na capital, foi a da ex-deputada Maria das Vitórias (PSD), cujo filho João Tota (PSD) será candidato a vice-governador na chapa do Petecão.

MAS ANDA MUITO

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) não tem falado, ultimamente, sobre política, mas tem andado muito em visitas pelo interior jogando a tarrafa para pegar votos.

NÃO SERÁ UM PASSEIO

O PDT poderá fazer um deputado federal, mas a sua direção não fique sonhando com uma campanha fácil e, com essa fantasia de candidato da chapa ter 20 mil votos.

CONTINUA ESTADUAL

A DEPUTADA Antonia Sales (MDB) não fez nenhum movimento para disputar uma vaga na Câmara Federal, a tendência é que dispute a reeleição e seja a grande puxadora de votos do partido para a ALEAC.

NUNCA ESCONDEU DE NINGUÉM

O GOVERNADOR Gladson nunca escondeu de ninguém que, o nome preferido para ser o seu candidato a senador é o do deputado federal Alan Rick (União Brasil).

CENTRO ARRUMADO

NÃO TENHO andado pela periferia, mas no centro a cidade está arrumada, com as ruas e as praças limpas. Há de se reconhecer este ponto no trabalho do Bocalom.

LEMBRAR SEMPRE

QUANDO se fala em candidaturas ao Senado há de se lembrar sempre que, temos na disputa um quadro altamente qualificado, o do advogado Sanderson Moura (PSOL).

FRASE MARCANTE

“A impaciência é uma das faces da estupidez”. Do saudoso ex-deputado federal Ulysses Guimarães (MDB).

Continuar lendo

Blog do Crica

Petecão, Kassab e a festa do Boi Cagão

Publicado

em

O SENADOR SÉRGIO PETECÃO (PSD) deu ontem na Fazenda Boi Cagão, uma prova de força política ao reunir uma multidão, com candidatos e delegações de todos os municípios, para referendar numa apresentação informal, a sua chapa puxada por ele para governador, o advogado João Tota (PSD) de vice, e a deputada federal Vanda Milani (PROS) para o Senado. Um fato que pode ser destacado é que não foi uma festa com a presença das camadas das elites, mas do povão. Ao trazer para a solenidade o ex-ministro e presidente do PSD, Gilberto Kassab, Petecão mostrou por outro lado o seu prestígio com a direção nacional, que tem a sua candidatura como prioritária, afinal, ambos são amigos de muito tempo.

A forte presença popular leva no sentido de que o senador Sérgio Petecão (PSD), que é muito forte numa campanha, deverá ser um os que vai chegar no segundo turno. Anotem, para conferir no seu devido tempo: o senador Sérgio Petecão (PSD) vai quebrar a banca de institutos de pesquisas que o colocam com baixa aceitação popular. O jogo não começou, de julho em diante é que se vai saber quem é que tem café no bule. Treino é treino, jogo é jogo.

BOM PAPO E HUMILDE

CONVERSEI ontem por um bom tempo com ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo. Gilberto Kassab. Bom papo e humilde. Se disse entusiasmado com a festa na Boi Cagão. Sobre a política nacional, Kassab não vê chance para uma candidatura da terceira via decolar e nem indício de mudança na polarização entre Lula e Bolsonaro. Kassab é uma das lideranças políticas das mais expressivas no plano nacional, uma espécie de guru dos bastidores.

CHEGA NO SEGUNDO TURNO

NA VISÃO de Gilberto Kassab, o senador Sérgio Petecão (PSD) vai para o segundo turno e ganhará a eleição.

CONTINUA EMBOLADA

A SITUAÇÃO na chapa majoritária do governador Gladson Cameli continua embolada. Não se sabe, oficialmente, quem será o seu candidato ao Senado, e querem até vetar que ele indique um nome de livre escolha para vice. 

NÃO ACONTECE NEM NA TERRA DO NUNCA

NOS MEUS MUITOS janeiros, nunca vi assessores de um governador se reunirem para deliberar num jantar que, o governante não tem o direito de escolher o seu candidato a vice-governador e vetar nome. Isso não acontece nem na Terra do Nunca das histórias infantis do Peter Pan.

ESTOU VENDO AGORA

É VIVENDO e aprendendo, estou assistindo este filme cômico agora, na sucessão do governador Gladson. Só falta pedirem ao Gladson para entregar a sua cadeira e a caneta, para sentarem e assinarem atos de demissão e contratação. Estão querendo ser mais real que o Rei.

SETE VIDAS

A SENADORA Mailza Gomes (PP), volto afirmar, deve ter sete vidas, porque perdi as contas das investidas para lhe impedir de disputar um novo mandato de senadora, mas ela continua firme no propósito da sua candidatura.

TEM DIREITO

NÃO ENTRO no mérito se vai ganhar ou perder a eleição, não tenho bola de cristal, mas ela tem o direito de postular ser candidata. A senadora Mailza tirou o PP do zero, e fez do partido o grande vencedor do último pleito.

RETARDAR AO MÁXIMO

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) vai retardar ao máximo o anúncio da sua candidatura, quer ver primeiro o resultado do julgamento dos recursos do governador Gladson Cameli, na Operação Ptolomeu.

TOLERÂNCIA ZERO

A EXECUTIVA do MDB vai fechar questão para os candidatos a deputado em torno das candidaturas da Mara Rocha (MDB) ao governo e da Jéssica Sales (MDB) de senadora. O candidato que apoiar o governador Gladson Cameli, o Jenilson Leite ou o Sérgio Petecão, por exemplo, será acionado por infidelidade partidária e perderá a legenda. O MDB está correto na sua posição.

NADA MAIS NATURAL

NADA MAIS NATURAL que a Márcia Bittar (PL) seja candidata ao Senado, defenda as ideias da direita, que seja bolsonarista, na política tem que se ter lado. A avaliação fica para o eleitor, que dirá se acompanha ou não a candidata.  Que seria do amarelo, se todos só gostassem do vermelho? Deixemos as urnas falarem.

DOBRADINHA DE SENA

ANTAGONISTAS na política, a candidata a deputada federal Meire Serafim (União Brasil), apoiada pelo prefeito Mazinho Serafim deverá ser a mais votada em Sena Madureira. E, para deputado estadual o deputado Gérlen Diniz (PP) deverá ser o mais votado à ALEAC.

PARA TODOS OS GOSTOS

SÃO CANDIDATAS a deputada federal a Dra. Suelen (PSD), Jezuíta Arruda (PSD), Lene Petecão (PSD), Rosana Nascimento (PSD), Perpétua Almeida (PCdoB), Nazaré Araújo (PT), Antonia Lúcia (REPUBLICANOS), Meire Serafim (União Brasil), Charlene Lima (PL), Socorro Neri (PP), Michele Mello (PDT) e Keiliane Cordeiro (REPUBLICANOS), nomes e ideologias para todos os gostos.

O AGRO É TECNO, O AGRO É POP, E VAMOS SABER SE TEM VOTO.

 SERIA bom para o debate de ideias, que o pessoal do agronegócio mantivesse as candidaturas ao governo e para senador. O agro é tecno, o agro é pop, e se saberia se teria votos no estado.

O TRISTE FIM

O PSDB, que já foi um partido de alta expressão nacional, se encontra hoje definhado e virou um puxadinho da fracassada terceira via, que até o momento não decolou.

SEM CONVERSA

LIGUEI para o deputado federal Flaviano Melo (MDB) e perguntei se procediam os boatos de que poderia haver uma aliança com o governador Gladson, e como resposta me mandou uma foto sua em campanha, em Acrelândia, ao lado da Mara Rocha.

FRASE MARCANTE

“Não existe amizade na política, existe o jogo de interesses.” Do anedotário da política mineira.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados

error: Conteúdo protegido!