Conecte-se agora

Diário Oficial do Estado à gosto

Publicado

em

Pessoas com opiniões firmadas sobre determinados assuntos geralmente são antipatizadas. Isso é decorrência da natureza intolerante do ser humano em ser confrontado e de conviver pacificamente com opiniões divergentes.

De fato, a maioria aprecia apenas quando há concordância irrestrita sobre o ponto de vista delas ou naquilo que consideram como sendo verdades absolutas.

Como, sem falsa modéstia, integro a minoria que tem algumas convicções sobre temas sociais e políticos, sou também vítima do patrulhamento. Minhas participações em reuniões são tão curtas quanto voos de galinha.

Quando escrevo algo consonante com os leitores, até adversários, em seus círculos íntimos, abrem o baú de elogios. Caso contrário, o couro come.

Na política, principalmente: tente ser autêntico e prove dos amargos resultados de suas posições.

Raros, senão inexistentes, são os governantes que se distanciam da bajulação gosmenta.

Entre um parecer factível, sustentado em dados reais e uma puxada de saco de primeira categoria, o bajulado não conta nem até dois: a opção pela concordância falsa sempre vence de goleada.

Particularmente, nunca fiz cavalo de batalha em minhas percepções. Desde que os argumentos sejam convincentes , não as mantenho apenas por birra. Sempre fiquei de orelha em pé diante de elogios feitos por qualquer bobagem.

Quem logrou chegar a algum lugar de destaque não o fez meramente por ironia do destino. A sorte e as circunstâncias momentâneas podem até ter influenciado, mas a capacidade de discernir a distância entre o elogio sincero e a falsidade de conveniência tem importância capital.

Certa vez, participei de uma reunião na qual estava presente o então governador Romildo Magalhães. Confesso que fiquei horrorizado com o nível de puxasaquismo. Cá com meus botões, pensei: “não creio que esse cidadão ponha fé no que ele está ouvindo”. E o pior: ele estava e aparentava gostar.

Hoje em dia, um jovem que o vê de bermudas pelas ruas não acreditará que aquele cidadão seja dono do invejável currículo político de ter sido vereador e prefeito de Feijó duas vezes, deputado estadual por vários mandatos, agora torce para que o STF não julgue inconstitucional a pensão vitalícia de governador que recebe.

No Acre, observe que o exército de bajuladores passou por poucas modificações. O poder governamental tem o condão de transformar num passe de mágica “esquerda” em “direita”, adversário mortal em aliado incondicional.

Isso tudo, obviamente, com o tempero do Diário Oficial do Estado.


Luiz Calixto escreve todas às quartas-feiras no ac24horas.  

Destaque 6

Paulo Betti compara goleiro do Palmeiras com Bruno e é detonado

Publicado

em

Por

Continuar lendo

Destaque 6

Flamengo anuncia saída do técnico Renato Gaúcho

Publicado

em

Por

Continuar lendo

Destaque 6

Pix Saque e Pix Troco estão disponíveis a partir de hoje (26)

Publicado

em

Continuar lendo

Destaque 6

Comprovante de vacinação será obrigatório para cidadão acessar órgãos públicos no Acre

Publicado

em

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas