Conecte-se agora

Casal indígena acusado de fraude chama cacique de “beberrão” e diz incentivar o turismo

Publicado

em

O casal Evandro Txadá Shawã e  Daosha Pássaro Alegre, que foi denunciado por lideranças indígenas ao Ministério Público Federal, Polícia Federal e Funai por fraude no uso do nome Shawandawa, afirma que  vai  processar o cacique José Maria por denunciação caluniosa e outros crimes.

Eles chamam o Cacique de “beberrão” e dizem garantem incentivar o empreendedorismo indígena e que o cacique, motivado pela esposa evangélica, se posiciona contra a tradição indígena, que inclui as medicinas sagradas, os rezos, os cantos e uso da Ayahuasca.

A denúncia apresentada por Anchieta Arara e pelo cacique José Maria é de que o casa atraiu índios das terras indígenas, abriu duas aldeias clandestinas nas proximidades de Porto Walter. Lá, estariam desenvolvendo um projeto de confecção de calçados que não beneficia de fato as mulheres. Também afirmaram que os R$ 102 mil ganhos pelo casal do Programa Caldeirão do Huck não foram  revertidos em melhorias para a comunidade “fundada” pelo casal.

LEIA TAMBÉM: >>>Índios do Acre denunciam que dinheiro ganho em programa da Globo nunca chegou na aldeia

>>>Calçados vendidos por casal de indígenas denunciados à PF custam R$ 300

Txadá Shawã e Daosha afirmam que se defenderão na justiça por meio do departamento jurídico do Instituto Arara Encantada, que tem como titular o advogado  Fernando Arruda Filho.

Eles ressaltam que bebedeiras e fanatismo religioso marcam a gestão do Cacique José Maria. “Vamos processar o  cacique José Maria Pereira por denunciação caluniosa. Ele está desconexo de sua própria realidade, indo de encontro com  as vontades sua própria gente, usos e costumes milenares da cultura indígena.  Além de seguidos episódios de abuso de bebidas alcoólicas relatado pelos aldeões”.

Segundo eles, não executaram o projeto de calçados na terra indígena e levaram consigo, alguns índios, porque o cacique não demonstrou interesse pelo negócio e por não terem liberdade de expressar a cultura devido o fanatismo da esposa do líder indígena.

“Tudo o que foi exposto por eles não  passam de mentiras, falácias e inveja, tendo como pano de fundo a intolerância religiosa, preconceito este , contra os costumes, tradições, contra os rituais ancestrais do seu próprio povo. Este pseudo-Cacique influenciado pela religião do homem branco, ridiculariza seu próprio povo, as medicinas sagradas, os rezos, os cantos sagrados, que devido a  conversão de sua esposa a Igreja Evangélica, passou a demonizar os Rituais Sagrados do uso da Ayahuasca, rituais até então, tradicionais da etnia Shawandawa”, relata.

Quanto aos R$ 102 mil, ganhos no  programa global,  Evandro e esposa, afirmam, sem apresentar provas,  que todo o dinheiro  foi revertido para o Instituto Arara Encantada que atende 5 famílias da aldeia Arara Encantada, no Bairro do Besouro, na cidade de Porto Walter.

“Nós fomos  convidados pela produção do Programa do Caldeirão devido ao trabalho social que desenvolvemos e o dinheiro do prêmio foi revertido para o Instituto Arara Encantada. O projeto das sandálias de látex foi apresentado ao Cacique beberrão, que virou as costas pra o projeto, nos obrigando a nos retirar da aldeia de origem e migrar para um lugar, uma terra doada, onde passamos  a desenvolver o trabalho sem a interferência maldosa dos religiosos fanáticos”, relataram.

Empreendedorismo indígena

O casal chama de empreendedorismo indígena a fundação de duas aldeias fora das terras tradicionais do povo Shawandawa, localizadas no Rio Cruzeiro do Vale.

Citam que qualquer lugar que habite um grupo de indígenas, recebe o nome de aldeia, não necessitando, para isso,  de autorização  de nenhuma instituição estatal. “Ainda mais se tal terra for propriedade privada”, pontuam.

Na aldeia urbana,  o casal já recebeu turistas brasileiros e estrangeiros. Eles chamam a região do Alto Juruá de Vaticano das Medicinas Sagradas e já divulgam para o período de 9 a 15 de novembro, um Encontro para o uso de medicinas da floresta, na Aldeia do Ramal do Besouro, em Porto Walter. No banner do evento, não divulgam o valor que será cobrado de cada participante.

“O Alto Juruá reúne várias etnias , que consagram e propagam ao mundo os benefícios das medicinas sagradas da Floresta, fomentando a economia local através do turismo, que trazem pessoas do Brasil e mundo todo para esta região, atraídos não só pelas belezas naturais , mas , principalmente pelas medicinas e cultura dos povos indígenas que ainda mantém suas tradições. O Instituto Arara Encantada  continuará sua luta pela dignidade da pessoa humana do Índio, criando oportunidades de crescimento para toda tribo Shawãdawa, incentivando projetos de empreendedorismo, empoderamento feminino, crescimento sustentável, demais projetos  que busquem a independência financeira para  povos indígenas, até então reféns do assistencialismo estatal”, destacam afirmando que os indígenas tem direito ao empreendedorismo e à propriedade privada.

Acre 01

Acre tem a 8ª maior taxa de inadimplência do Brasil, segundo último levantamento da Serasa

Publicado

em

O mais recente levantamento da Serasa, divulgado em setembro passado, indica que o crescimento da inadimplência no Brasil teve leve aceleração naquele mês, com aumento de 411 mil novos inadimplentes frente aos 340 mil registrados entre os meses de julho e agosto.

Crescendo pelo nono mês consecutivo, o indicador de inadimplência aponta 68,39 milhões de brasileiros com o nome restrito. Nesse cenário, o Acre aparece com a 8ª maior taxa de inadimplência do país e a 4ª quando considerados apenas os estados da Região Norte.

Segundo levantamento mensal, já são pelo menos 400 mil consumidores devedores no estado. A inadimplência significa o não pagamento de uma conta ou dívida. Além do Acre, outros quatro Estados da Amazônia Legal estão no “Top 10” com maior número de inadimplência registrada.

Os Estados da Amazônia Legal que dividiram o ranking com o Acre foram: Amazonas (51,50%), na primeira posição; Amapá (50,76%), em segundo lugar; Mato Grosso (48,70%), na quinta posição; e Roraima (46%), na 7ª posição. Todos estavam acima da média nacional, de 42,22% da população que deixou de pagar algum compromisso.

Na comparação com o levantamento do mês de agosto, o número de inadimplentes no Acre aumentou, já que, anteriormente, o Estado ocupava a 9ª posição, com 43,77%, ou seja, 396 mil pessoas. À época, o ranking ainda era liderado pelo Amazonas (51,44%), seguido do Amapá (50,79%), Mato Grosso (48,78%) ainda na quinta posição, e Roraima (46,17%) no sexto lugar.

Dados divulgados nesta semana pelo Banco Central (BC) sobre a tomada de crédito no país confirmam os dados da Serasa e mostram que a taxa de inadimplência está subindo, enquanto a fatia da renda que famílias brasileiras destinam ao pagamento de dívidas bateu em 28,7%, o patamar mais alto desde 2005, início da série.

Os indicadores em alta dificultam o crescimento da economia, por reduzir a capacidade de consumo das famílias. Preocupada com isso, a equipe de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva vem trabalhando num programa de renegociação de dívidas, o Desenrola Brasil.

De acordo com reportagem do jornal O Globo desta terça-feira (29), o projeto Desenrola Brasil ainda é incipiente, mas a ideia é focar nas famílias mais pobres, podendo ser voltado a quem ganha até três salários-mínimos, e incluir, além de contas de água, luz e outros serviços, redes de varejo e bancos.

Este ano deverá ser o segundo seguido em que a maior fatia da segunda parcela do 13º salário, paga em dezembro, será usada para a quitação de dívidas, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC). Até 2020, a principal parcela desses recursos ia para o consumo.

Continuar lendo

Acre 01

Ex registra boletim contra Rodrigo Damasceno, que afirma que acusação tem viés político

Publicado

em

O ex-prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, está sendo acusado de calúnia e difamação pela ex-esposa, Úrsula Prado, com quem ele disputa a guarda dos filhos na justiça.

A mulher registrou boletim de ocorrência, nesta sexta-feira, 25, na delegacia de Tarauacá, após Damasceno postar nas redes sociais print de uma conversa entre eles no WhatsApp.

A postagem expõe uma negativa de Úrsula para que o filho, Bernardo, assistisse a uma partida do Brasil na Copa do Mundo com o pai. Após a divulgação do diálogo, Rodrigo postou um vídeo no qual comenta a situação.

“E ai galera, bora torcer pelo Brasil! Tão falando para eu retirar a postagem sobre o Bernardo, mas quem vai falar por ele, se não vai ser eu, quem vai falar por ele?”, diz Damasceno, que chora em um trecho do vídeo.

Em seu relato à polícia, Úrsula diz que se sentiu extremamente ofendida com as postagens do ex-marido, que lhe fizeram parecer ser uma “péssima mãe”, motivo pelo qual requereu medidas contra Rodrigo, pela prática dos crimes de calúnia e difamação.

O litígio entre o casal não é recente. Consta que, em 2020, a justiça já havia deferido uma medida protetiva em favor da ex-esposa e até da mãe de Damasceno, Francisca Soares, por crimes de injúria e prática de ameaça psicológica.

Procurado pelo ac24horas, Rodrigo Damasceno afirmou que sobre os fatos de 2020 está buscando provar que houve deturpação ou manipulação dos fatos, que vazaram para a imprensa com uma velocidade fora do normal.

“E apenas publiquei o print da nossa conversa. Se ela foi insensível e grossa com as palavras, a responsabilidade é dela. Como pode ser calúnia e difamação se foram as palavras dela que foram reproduzidas?”, questionou.

Damasceno alega que há quase 1 mês sem ter acesso aos seus filhos (Malu e Bernardo) e que está tentando, via judicial, há mais de um ano o direito a ter a convivência com eles.

“O estopim foi o dia do jogo, mas como ela mesmo falou, libera os meninos quando quer, demonstrando que para isso me faz um favor. É certo um pai padecer dessa situação?”, voltou a perguntar.

Por fim, Rodrigo Damasceno afirmou que por trás da situação que ele enfrenta no litígio com a ex-mulher há um viés político. Segundo ele, a intenção é tirá-lo do debate político relacionado com sua intenção de ser pré-candidato à prefeitura de Tarauacá.

“Tentam me atingir e me tirar do debate político mais uma vez. Mas dessa vez não vou recuar em ser pré-candidato. A advogada dela no processo anterior é filha do Chico Batista, atual presidente da Câmara, e que foi acusado de nepotismo com a atual prefeita, Maria Lucinéia.

Como foi citada por Rodrigo Damasceno, a prefeita Maria Lucinéia foi contatada pela reportagem para se manifestar a respeito da relação que ele fez entre a questão com a esposa e uma possível intenção de prejudicá-lo politicamente.

“Essas declarações do Rodrigo Damasceno não têm sentido algum. Ele mesmo expõe a família dele e tenta me ligar de alguma maneira, sendo que eu não tenho nada a ver com seus problemas familiares. Se tem uma coisa que eu não admito na política é mexer com a família independente da ideologia ou do posicionamento”, disse.

“Ninguém nunca me viu em redes sociais ou em grupos de WhatsApp, falando da família de ninguém. Lamentável que tais declarações do Rodrigo são uma forma clara de tirar o foco de suas atitudes ao expor a sua ex-mulher e o seu filho nas redes sociais. Que Deus o abençoe!”, acrescentou a prefeita.

O ac24horas tentou manter contato com o presidente da Câmara de Tarauacá, Chico Batista, também citado por Damasceno, mas não conseguiu encontrá-lo até o fechamento desta publicação. O espaço permanece à disposição dele, caso deseje se manifestar.

Continuar lendo

Acre 01

Após reclamações do público, governo põe tenda em arquibancada da Concha Acústica

Publicado

em

Após uma série de problemas ocorridos na transmissão do primeiro jogo do Brasil na copa, a Secretaria de Turismo e Empreendedorismo do governo do Acre resolveu colocar uma tenda na arquibancada da Concha Acústica, no Canal da Maternidade, na manhã desta segunda-feira, 28.

Além disso, a transmissão do jogo, que havia sido feita pela internet na primeira vitória da seleção, agora é feita por meio digital com uma antena sincronizada diretamente à TV Globo, emissora detentora dos direitos de transmissão da Copa.

Assista ao vídeo:

play-rounded-fill
Continuar lendo

Acre 01

Acreanos vibram com segundo gol do Brasil em transmissão da Copa no Via Verde Shopping

Publicado

em

Centenas de acreanos que decidiram assistir a estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo 2022 no Via Verde Shopping, em Rio Branco, vibraram bastante com o segundo gol do time brasileiro contra a Sérvia na tarde desta quinta-feira (24).

Jovens, adultos e crianças se reúnem de forma pacífica na Praça de Alimentação do estabelecimento, onde foi montado um telão para a transmissão dos jogos.

As cores verde e amarela predominam e gritos de guerra fazem parte da comemoração. O segundo gol foi marcado no segundo tempo por Richarlison, o Pombo.

Veja o vídeo:

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.