Conecte-se agora

Mâncio Lima está com surto do tipo mais agressivo da malária

Publicado

em

A prefeitura de Mâncio Lima emitiu Nota alertando os moradores para um surto de casos de malária falciparum nas localidades Tonico, Vinte e Batoque. As autoridades avisam que em caso de sintomas, as pessoas procurem as unidades de saúde para diagnóstico e tratamento gratuito.

Segundo o coordenador setor de Endemias da secretaria Municipal de Saúde, Francisco Melo, de janeiro até setembro deste ano, o registro médio mensal foi de 10 casos deste tipo de malária no município, porém em outubro, até esta quarta, 20, haviam 65 casos já diagnosticados deste tipo especifico.

Melo cita que várias medidas estão sendo tomadas para conter o surto, como busca ativa de pessoas nestes locais para a realização do teste rápido, borrifação intradomiciliar, que é uma técnica de controle vetorial; Instalação e reposição de mosquiteiros impregnados nestas localidades, além de ações de educação em saúde.

” Quanto mais cedo identificamos casos, mais rápido cortamos o ciclo de transmissão. É importante salientar a importância dos moradores e pacientes buscarem o diagnóstico. A malária só existe porque existem pessoas infectadas como fonte de infecção. Muitas vezes as pessoas não sentem sintomas, ou acham que é dengue, ou COVID, e demoram a buscar diagnóstico para malária. Nesse tempo, acabam infectando muitos mosquitos, que então infectam novas pessoas”, destaca.

A falciparum, que atinge o cérebro, é o tipo mais agressivo e grave da malária. Se multiplica rapidamente na corrente sanguínea, destruindo de 2% a 25% do total de hemácias (glóbulos vermelhos) e provocando um quadro de anemia grave. Já o tipo vivax da malária, segue em redução em Mâncio Lima.

Redução geral de malária em Mâncio Lima

Em 2006, Mâncio Lima teve o maior surto de malária de sua história, com 15.524 casos da doença, mas nos últimos anos o mal está sob controle, segundo Francisco Melo.

De janeiro a setembro de 2020, o registro foi de 1.278 casos de malária no município, sendo 422 falciparum. De janeiro a setembro de 2021 foram 711 casos de malária, sendo 94 falciparum. Uma redução de 44%.

“Nosso objetivo é seguir nesta redução de casos de malária em Mâncio Lima e por isso estamos fortalecendo as ações de prevenção e combate à doença”, relata Francisco Melo, lembrando que o aumento de casos aconteceu próximo do local onde é executado um plano de manejo madeireiro, no Ramal do Tonico.

Na rede

Saúde garante que até final do ano Cruzeiro do Sul terá exame de ressonância magnética

Publicado

em

Na primeira visita que faz à Cruzeiro do Sul desde que assumiu a secretaria de Saúde do Estado, o médico Pedro Pascoal afirmou que até o final deste ano Cruzeiro do Sul contará com um equipamento para a realização de exames de ressonância magnética.

Pascoal também anunciou, sem citar data, a implantação de um centro de hemodinâmica e realização de cateterismo no próprio município. Atualmente, todos os pacientes com necessidades desses exames são enviados para Rio Branco.

“Já existe dotação orçamentária para o aparelho de ressonância e está em fase de licitação. Até o final do ano tudo deverá ter sido concluído para a instalação do equipamento. Esta e outras ações têm o objetivo de reduzir o Tratamento Fora do Domicílio – TFD de Cruzeiro do Sul para Rio Branco”, citou.

Com os gestores locais da saúde, também tratou da elevação da cobertura vacinal, a realização do programa Saúde Itinerante para indígenas, o levantamento para habilitação de leitos e a continuidade do programa de realização de cirurgias eletivas.

“Nesta região vamos fortalecer os serviços, descentralizar os atendimentos, investir na contratação de especialistas, aquisição de equipamentos e valorização de profissionais, entre outras medidas. Queremos dar autonomia à regional”, concluiu.

Continuar lendo

Na rede

Homem é suspeito de matar cachorra envenenada em Cruzeiro do Sul; veja video

Publicado

em

A babá Gabriele Silva Sales, de 20 anos, denunciou nessa terça-feira, 7, na Delegacia de Polícia Civil de Cruzeiro do Sul, o vizinho que, segundo ela, matou seu cachorro envenenado no bairro Aeroporto Velho. O caso aconteceu no final da tarde de segunda-feira (6).

Nas imagens das câmeras de segurança de uma residência é possível ver quando o homem se aproxima do local e joga algo que tem nas mãos no quintal de Gabriela. A cadela morreu logo depois. Na casa havia três cachorros, mas só a cadela Pipoca morreu com o veneno jogado pelo vizinho, que não teve o nome divulgado.

“Não há como negar porque as câmeras filmaram ele jogando o veneno. A minha cachorra Pipoca morreu em seguida agonizando, sofrendo. É muito triste um ser humano fazer isso com um animal dentro do quintal da gente. A gente nem conhece esse homem, nem sabe o nome dele, mas acreditamos que ele queria matar todos os cachorros, mas como a Pipoca era a mais esperta, ela provavelmente comeu sozinha e rapidamente morreu”. A mulher diz que voltará à delegacia nesta quarta-feira “para oficializar tudo com o escrivão”.

Em vídeos gravados por Gabriela, quando sua mãe e a tia confrontam o homem, ele se defendeu dizendo que os animais invadiam o quintal dele. O homem estava com a mesma roupa em que aparece no vídeo do envenenamento. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Crime

Em setembro de 2020, a Lei n° 14.964, alterou a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, e aumentou as penas para crimes de maus-tratos aos animais quando se tratar de cão ou gato. A pena é de reclusão, de 2 a 5 anos, multa e proibição da guarda.

video
play-rounded-fill

Continuar lendo

Na rede

Nomes para ocupar chefias do Dsei e Funai seguem indefinidos no Acre

Publicado

em

Mais de um mês após a posse do presidente Lula, os nomes para ocupar cargos relacionados aos indígenas seguem indefinidos no Acre. Ainda não foi escolhido quem ocupará a direção da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), nem dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dsei). A certeza é de que, a exemplo da Ministra dos Povos Originários, Sônia Guajajara e da presidente da Funai, Joenia Wapichana, os cargos agora serão ocupados por indígenas.

No Vale do Juruá, que tem a maior concentração de povos originários e terras indígenas, vários deles, com apoio da Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira – COIAB, se articulam para assumir a gestão dos dois órgãos. Mas ainda não há nada certo e os funcionários de carreira estão à frente das chefias enquanto os nomes não são anunciados.

Nessa terça-feira, 7, a ex-chefe do Dsei, Iglê Monte, foi nomeada para a direção da Maternidade de Cruzeiro do Sul. O funcionário Deusdeth, que deveria assumir, está de férias e quem está no comando é Paulo Roberto Rodrigues da Silva, servidor de carreira do Dsei. “Nossa função, que é garantir a Atenção Básica de Saúde nas terras indígenas segue sendo executada normalmente”, pontua ele.

O ex-prefeito de Marechal Thaumaturgo, Isaac Piãnko, do povo Ashaninka, é um dos cotados para o Dsei, mas não sabe ainda se assumirá o cargo. “Ainda não foi escolhido quem vai ser”, cita Piãnko, que conta com a força do senador Sérgio Petecão, do PSD, partido pelo qual Piãnko tentou recentemente uma cadeira na Câmara Federal. Ele teve 3.567 votos e é o 1º suplente do partido.

Valdenice Silva de Souza, do povo Nukini, Nedina Luiza Alves Yawanawa, do povo Yawanawa e Mário Gerson, do povo Kaxinawa, disputam o cargo com o político.

A Funai de Cruzeiro do Sul tem como gestor atual o servidor da casa Jairo Lima. Para o cargo, foi indicado pelos povos indígenas, Eldo Shanenawa.

Quase 20 mil indígenas na regional do Juruá

O Vale do Juruá tem a maior quantidade de terras indígenas e de indígenas do Acre com população de 19.208 de 162 aldeias, distribuídas em 21terras indígenas, situadas nos municípios de Feijó, Jordão, Tarauacá, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves e Mâncio Lima, totalizando uma extensão territorial de 216.146 km2.

Concentra uma população pertencente a 14 diferentes povos: Ashaninka, Jaminawa-Arara, Noke Koi (Katukina), Shawãdawa (Arara), Puyanawa, Madijá (Kulina), Kuntanawa, Apolima-Arara, Jaminawa, Huni kuĩ (Kaxinawa), Nawa, Nukini, Yawanawá e Shanenawa, bem como um grupo de Indígenas de Recente Contato (IRC).

Continuar lendo

Na rede

Navio Hospitalar Dr. Montenegro chega nesta quarta (8) para 20 mil atendimentos no Juruá

Publicado

em

O Navio de Assistência Hospitalar Doutor Montenegro, da Marinha do Brasil, chega em Cruzeiro do Sul nesta quarta-feira, 8 e na quinta-feira, 9, o secretário estadual de saúde, Pedro Pascoal, terá reunião com a equipe da embarcação. O objetivo do secretário é alinhar os atendimentos de saúde que serão prestados à população dos municípios do Vale do Juruá por meio de convênio entre a Marinha do Brasil e governo do Estado.

Anualmente os profissionais de saúde da Marinha garantem consultas médicas, atendimento odontológico, cirurgias de pequeno porte, exames clínicos, laboratoriais, pré-natais, mamografia e raio-X, além de palestras educativas, distribuição de medicamentos e atenção farmacêutica aos moradores da região.

Ainda não há a confirmação se a equipe vai começar o atendimento em Cruzeiro do Sul e subindo o Rio Juruá até Marechal Thaumaturgo, ou se a rota será feita ao contrário, começando do alto Rio e baixando, passando por Porto Walter e Rodrigues Alves, até voltar à Cruzeiro. A definição se dará de acordo com o volume de águas do Rio Juruá, levando em conta a previsão de chuvas, de modo a garantir a navegabilidade do Navio Hospital no manancial.

A operação, ocorrerá até o dia 23 de maio, contando com com 85 militares. Destes, 27 compõem a equipe de saúde que deverá realizar 20 mil atendimentos durante os 125 dias da operação.

Esta será a 23° missão do Navio no Vale do Juruá. A embarcação foi feita na gestão do governador Orleir Cameli e entregue à Marinha do Brasil.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.