Conecte-se agora

Aluno soldado da PM denuncia afogamento e ameaças de morte

Publicado

em

O aluno soldado do 5º pelotão do Curso de Formação de Soldados (CFSD) da Polícia Militar do Estado do Acre, João Paulo de Oliveira Silva Bortolozo, de 30 anos, é mais um a denunciar ao ac24horas supostas agressões físicas, afogamento, estrangulamento e ameaças de morte sofridas durante o treinamento realizado nas dependências do Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Cieps), em Rio Branco.

Além desta, outras denúncias já foram divulgadas contra um possível excesso no modo de operação aplicado na formação dos alunos. Segundo João Paulo, mesmo sem seu desligamento ter sido publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE), na manhã do dia 18 de setembro, após quatro dias de exercícios intensos – atividade de praxe da instituição – o jovem alega ter começado a sofrer tentativa de intimidação por parte dos instrutores. Na ocasião, eles teriam avisado  João Paulo de que o mesmo iria desistir do curso.

“Eles pediram para mim sair que eu não ia aguentar. Aí viram que não conseguiram me tirar no cansaço, aí me levaram para correr uma marcha de 11 km com uma mochila nas costas, eu corri esses 11km. Quando terminou a corrida no BOPE, eles me colocaram para fazer mais exercício e eu nada de desistir. Um deles [instrutor] disse que iria fazer eu desistir. Ele, três caras e uma mulher, me pegaram e me levaram para dentro do mato, aí pediram para assinar a folha de desligamento, mas, eu falei que não”, contou.

João Paulo disse que o que era para ser um sonho, começou a virar pesadelo. Após sua negativa em desistir, o aluno conta que os militares, que ele prefere não revelar os nomes, tentaram lhe afogar em um rio. “O cara me deu uma gravata e pulou comigo dentro do igarapé, me afogando. Quando eu ‘tava’ para morrer mesmo, eu gritei que iria assinar. Aí me tiraram de dentro d’água. Quando me tiraram, eu não quis assinar mais. Falei que não ia mais assinar o documento de jeito nenhum, aí foi na hora que o cara me deu um soco no meio dos peitos, bem no estômago, nas costas e uma mãozada no meio da minha cara. Eu me arriei no chão, aí mesmo assim não ia assinar, aí falaram que iam me jogar na água de novo, me agarrei nos paus, fiquei segurando, e eles me puxando, me puxando. Até que eles conseguiram me soltar, aí quando eu vi que ia para dentro da água de novo, aí resolvi assinar”, revelou.

Após a suposta tentativa de homicídio, o aluno contou que devido aos acontecimentos teve convulsão e precisou ser atendido por uma equipe médica presente no local. O atendimento demorou mais de uma hora. “Fiquei todo torto, tipo epilepsia, aí desmaiei. Só lembro que acordei dentro da ambulância, nem médico tinha, tinha dois policiais enfermeiros. Passei mais de hora ruim dentro da Samu, com oxigênio, monte de coisa, aí esperaram eu melhorar o dia todinho”, relembrou.

Bortolozo citou ainda que durante os dias de treinamento sofreu algumas ameaças de morte. “Eles me ameaçavam também durante as instruções, diziam que poderia acontecer algo comigo na minha volta para casa às 22 horas, que eu poderia pegar um tiro na estrada e ninguém saberia quem foi”.

Ministério Público deve entrar no caso

Após a ocorrência dos fatos, João Paulo resolveu procurar a delegacia de Polícia Civil para registrar Boletim de Ocorrência sobre o caso. Em seguida, fez o exame de corpo e delito.

O aluno soldado destacou que prestou denúncia formal na Defensoria Pública e na Secretaria de Direitos Humanos. Ele foi informado que a defensoria deverá encaminhar a ocorrência ao Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC). “Eu quero que a justiça seja feita e que eles se responsabilizem pelo que fizeram comigo. Era um sonho ser policial, estudei por meses. Eu perdi meus direitos em um emprego que estava há 7 anos, agora estou desempregado. Tenho família e não sei o que fazer. Caso eu volte para o curso, não sei o que pode acontecer comigo lá dentro. Eles podem fazer pior”.

Em virtude de todos os fatos vivenciados pelo militar, ele alega que procurou um psicólogo, pois estava com dificuldades para dormir. “Devo passar agora por um acompanhamento. Me acordo no meio da noite sonhando com o que aconteceu”, comentou.

A reportagem procurou a assessoria do Comando da Polícia Militar, que informou que deve se pronunciar sobre o caso no decorrer do dia por meio de nota.

Acre

Auditoria do TCE avalia retorno às aulas presenciais no Acre

Publicado

em

Auditores de controle externo do Tribunal de Contas do Estado do Acre estão realizando inspeções em algumas escolas públicas avaliando o andamento da aulas presenciais. Itens como estrutura física, segurança, merenda e protocolo de higiene da Covid-19 estão em análise.

“Desta forma, o TCE poderá neste momento orientar os gestores e coibir práticas ilegais com o erário público”, disse Elis Damasceno, auditora do Tribunal.

Nesta primeira fase algumas escolas são visitadas e foram escolhidas por amostragem levando-se em consideração o risco e a relevância. As informações colhidas passam a compor um relatório de inspeção e em caso de irregularidades, a fiscalização poderá resultar em autuação. O TCE não informou quando divulgará o relatório.

Continuar lendo

Acre

José Adriano conclama união pelo desenvolvimento do Norte

Publicado

em

No 1º Jantar das Lideranças do Norte, presidente da FIEAC destaca importância de agregar interesses públicos, privados e da sociedade para avanço da Região

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o mundo está se voltando para o Pacífico no que diz respeito à rota comercial com países asiáticos. Considerando isso e também a proposta de criação da sub-região de desenvolvimento Amacro, que compreende os estados do Amazonas, Acre e Rondônia, e a nova lei das Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs), o Acre passa por um novo contexto de oportunidades que se conectam com a Região Norte e o Brasil.

Foi justamente para chamar a atenção de todos para esse novo momento que o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), José Adriano, decidiu conclamar todas as federações do Norte e lideranças empresariais e políticas para uma grande união pelo desenvolvimento da Amazônia.

“Nosso propósito é encontrar uma forma de agregar os interesses públicos, privados e da sociedade, visando à melhoria da qualidade de vida de toda a nossa população. Conto com vocês na busca incessante pelo desenvolvimento do Acre e da Região Norte”, declarou José Adriano, em seu discurso no 1º Jantar das Lideranças do Norte, realizado na noite da última quarta-feira, 1º de dezembro, em Rio Branco.O evento fechou um dia intenso de atividades que começou com a Reunião da Ação Pró-Amazônia, seguida da Outorga dos Prêmios Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente. Autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além de importantes representantes da classe empresarial do Acre e da Amazônia Legal participaram do encontro.

Durante o jantar, o empresário também fez um relato dos diversos avanços obtidos em sua gestão à frente do Sistema FIEAC, destacou o importante apoio que tem recebido da sua Diretoria, bem como da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e enalteceu o empenho dos colaboradores da FIEAC, IEL, SESI e SENAI no Acre.

“A FIEAC tem mostrado sua força a cada pleito, a cada campanha solidária, a cada iniciativa abraçada por uma diretoria aguerrida e envolvida com as lutas e bandeiras de colegas que se sentem representados por uma entidade de grau superior, acessível e verdadeiramente idônea. Defendemos interesses não somente de pessoas jurídicas, mas de milhares de famílias que dependem do pleno funcionamento de uma economia livre”, acentuou José Adriano.

Presente no encontro, o presidente da Ação Pró-Amazônia e da Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero), Marcelo Thomé, elogiou a atuação de José Adriano em defesa dos interesses da classe empresarial e do crescimento da Amazônia. “É uma liderança movida a propósitos e que cumpre, com maestria, a missão de apoiar o Acre na agenda do desenvolvimento econômico e fortalecimento da indústria”, assinalou.

Já o governador Gladson Cameli enfatizou a importância da parceria do poder público com uma iniciativa privada forte. “O protagonismo tem que ser de todos nós”, acrescentou. Por sua vez, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, disse que o estado tem um potencial enorme, mas é preciso dar segurança jurídica para que os empresários possam investir mais e, consequentemente, ampliar a geração de emprego e renda.

Também estiveram no evento os presidentes das Federações das Indústrias do Amazonas (FIEAM), Antônio Carlos da Silva; do Maranhão (FIEMA), Edilson Baldez; de Roraima (FIER), Izabel Itikawa; o presidente da Federação de Agricultura do Acre (Faeac), Assuero Veronez; o presidente do TCE/AC, Ronald Polanco; o presidente do TRE/AC, desembargador Francisco Djalma; o deputado estadual José Bestene; além de outras lideranças políticas e empresariais do Acre.

Continuar lendo

Acre

Sem mortes, Acre tem apenas dois novos casos do coronavírus

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informou nesta sexta-feira, 3 de dezembro, o registro de 2 novos casos de infecção por coronavírus, elevando o número de infectados para 88.225, em todo o estado.

Segundo o boletim, nenhuma notificação e óbito foi registrada nesta sexta-feira, 3 de dezembro, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 suba para 1.848 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 250.984 notificações de contaminação pela doença, sendo que 162.711 casos foram descartados e 48 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. Pelo menos 86.136 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 5 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Continuar lendo

Acre

“Censura”, diz Sérgio sobre fala de Bocalom contra “Papai Noel Gay”

Publicado

em

O ex-presidente da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), Sérgio de Carvalho, reagiu às declarações do atual prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, acerca do veto ao projeto cultural do “Papai Noel Gay”, que foi apresentado na instituição. As declarações de Sérgio de Carvalho foram publicadas em suas redes sociais nesta sexta-feira (03).

Em entrevista ao jornalista Luís Carlos Moreira Jorge, o querido Crica, Bocalom afirmou que irá instituir uma comissão para vetar a captação de recursos para o projeto.

Para o ex-presidente da FGB, as declarações do prefeito de que intervirá na comissão mostram uma atitude inédita e autoritária, visto inclusive, como “censura”, de acordo com o ex-gestor do órgão.

“Se o prefeito Bocalom interferir na seleção dos projetos da Fundação Garibaldi Brasil e pedir o arquivamento da proposta “Papai Noel Gay”, como se pronunciou, irá ferir o Sistema Municipal de Cultura e passar por cima, de forma arbitrária, inédita e autoritária, do Fórum de Cultura e de todos os participantes que indicaram a Comissão de Avaliação. Será CENSURA! Que nunca aconteceu em toda a história da FGB”, afirmou.

Em outro trecho, Sérgio afirmou que cabe unicamente à Comissão de Avaliação, indicada pelo Movimento Cultural, a seleção dos projetos por seu mérito técnico e qualidade artística. Segundo ele, a interferência abre precedentes terríveis, ameaçando futuramente qualquer projeto com temas LGBTQIA+, de Cultura afro-brasileira ou indígena, frente ao fundamentalismo religioso que assombra os poderes.

“É inaceitável um projeto ser desclassificado desta forma. Um desrespeito à toda comunidade artística. É autoritarismo puro. Não conheço o proponente nem o teor do projeto, nem sua qualidade artística. Entretanto, arquivá-lo, unicamente por seu título é ditatorial. É um erro. Coloco-me solidário ao proponente e aos avaliadores e espero que a FGB não cometa o crime de censurar um artista pelo título de seu projeto. Posiciono-me porque a Censura deve ser sempre combatida. Sempre! Qualquer projeto precisa ser avaliado pelos processos legais do Sistema Municipal de Cultura, somente é cabível desclassificação se ele ferir as regras do Edital e do Sistema. Qualquer outro motivo é censura e homofobia”, encerrou.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas