Conecte-se agora

Gladson pede que setores passem a exigir carteira de vacinação: “Não precisa de decreto”

Publicado

em

O governador Gladson Cameli (Progressistas) solicitou nesta sexta-feira, 17, que os órgãos públicos privados passem a exigir a obrigatoriedade da carteira de vacinação.

De acordo com Cameli, não há necessidade do Poder Executivo ter que tomar uma atitude drástica nesse sentido. “Eu quero fazer um apelo, naturalmente, para que o Estado não tenha que decretar, os donos de bar, restaurantes, cinema e todas as áreas passem a cobrar a carteira de vacinação, vamos fazer isso juntos para que não seja preciso decretar, determinar ou tipo uma ditadura, pois eu não quero isso”, ressaltou.

Cameli destacou que o apelo é devido ao baixo índice de cobertura vacinal do público que precisa tomar a 2° dose. “Eu quero que as pessoas naturalmente se conscientizem das suas obrigações”, concluiu.

Acre 01

Alegando descaso da Polícia, família feita refém em assalto apura roubo de caminhão e de motos

Um dos veículos roubados foi visto em câmera de segurança circulando livremente em Rio Branco

Publicado

em

Após quase 30 dias de um assalto com reféns, uma família acreana que reside às margens da Rodovia AC-10, entre a capital e o município de Porto Acre, denuncia suposto descaso da segurança pública depois de passarem cinco horas nas mãos de assaltantes armados que invadiram a casa e fizeram quatro pessoas reféns, incluindo menores.

As vítimas afirmam que sofreram torturas física e psicológica, já que os criminosos exigiam dinheiro e armas de fogo. Os acusados fugiram levando dinheiro, uma caçamba avaliada em R$170 mil, duas motocicletas e joias. “Até hoje nada foi feito. Não aguento mais o descaso da polícia. Minha caçamba foi levada para a Bolívia e até hoje nada foi feito para recuperá-la”, lamentou o pai de família.

O pai de família contou que na manhã seguinte procurou a Polícia Civil onde registrou o ocorrido. Diante da demora das forças de segurança, ele mesmo passou a investigar e realizar buscas e descobriu que a caçamba havia sido levada para a Bolívia. “Ficou acertado que seria formada uma equipe para juntamente a polícia boliviana realizar buscas no outro lado da fronteira, já que existe um acordo entre as forças de segurança dos dois países. Até agora nada foi feito”, garante.

Com dificuldades para sustentar a família, já que a utilização da caçamba trazia a principal renda da casa, o trabalhador diz que não é mais nem recebido pela Polícia Civil. “Eu queria pelo menos uma satisfação por parte do secretário de Segurança Pública. Será que nem isso eu mereço?”, concluiu. Imagens de uma das câmeras de segurança instaladas na cidade provam que uma das motos roubadas circula livremente em Rio Branco.

O assalto aconteceu no último dia 26 de maio, quando os seis homens armados chegaram na casa e renderam todos da família. A caçamba roubada era o sustento da casa. Segundo as vítimas, dois assaltantes ficaram vigiando a família até dar tempo suficiente para que os cúmplices conseguissem cruzar a fronteira com a Bolívia com os veículos roubados.

Continuar lendo

Acre 01

Deputado Léo de Brito afirma que registro como negro no TSE não foi intencional

Publicado

em

“Recebi essa situação com surpresa. Sou um dos deputados que se identificou como branco, mas que houve um erro no registro dos dados do TSE em 2018”.

A afirmação é do deputado federal Léo de Brito (PT/AC) sobre constar entre os parlamentares que aparecem como negros ou pardos na Câmara Federal, segundo levantamento feito pela Folha de São Paulo.

Além disso, o parlamentar acreano assegura, em resposta enviada ao ac24horas, que o dado registrado de maneira equivocada não poderia beneficiá-lo quanto à repartição do Fundo Eleitoral por ser referente ao cadastramento para a eleição de 2018, quando a regra da divisão desses recursos por cotas raciais ainda não existia.

“Ademais, essa questão não trazia nenhum benefício (cota de fundo eleitoral, por exemplo) na eleição 2018. Essa regra só passou a vigorar em 2020”, garantiu.

De acordo com Léo de Brito, um novo registro, com as correções, deverá ser feito quando do registro de candidatura para eleição deste ano.

“Portanto, não existe qualquer possibilidade de me beneficiar de recursos do Fundo Eleitoral por critério de cotas raciais na eleição deste ano”, acrescentou.

O levantamento divulgado pelo jornal Folha de São Paulo mostra que o número de deputados federais que constam como negros ou pardos nos registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foge à realidade.

De acordo com a publicação da Folha, a disparidade entre a realidade e os dados oficiais existe porque a identificação racial ocorre por autodeclaração. Contudo, muitas vezes, o candidato não cuida da papelada para se registrar, ficando esse trâmite a cargo do partido, que pode cometer erros ao preencher a ficha no TSE.

Existe a possibilidade de a autodeclaração abrir espaço para fraudes em cima de ações afirmativas, pois a emenda à Constituição 111/2019 determina que, até 2030, os votos dados a candidatos negros deverá ser contado em dobro para fins de distribuição do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral.

Continuar lendo

Acre 01

“Até hoje Gladson só construiu casinha de Papai Noel”, diz Edvaldo em discurso na Aleac

Publicado

em

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse nesta terça-feira (21) que o governador Gladson Cameli vai completar quatro anos de governo e a única moradia que ele construiu foi a casinha do Papai Noel que ficou quinze dias em frente ao Palácio Rio Branco.

“Mas ele está tirando o sono de mais de 100 famílias”, disse o parlamentar alertando que o terreno ocupado pelas famílias no bairro Defesa Civil tem menos de 2 hectares e é público.

Em relação ao Iapen, Edvaldo disse ter abraçado a causa dos policiais penais com uma das primeiras conquistas do Brasil em momentos importantes. “Mas já assisti e vi algumas decisões desta Casa que salvaram vidas. Não botaram um punhal nas contas daqueles que expõem a vida, cuidam da vida dos outros e perdem até a própria família para cuidar dos outros”, disse, criticando a tentativa do governo em descartar os servidores.

Magalhães referia-se à efetivação dos provisórios do ISE, considerado algo inconstitucional, mas lembrou do precedente dos 11.000 servidores que até hoje estão trabalhando a partir de uma emenda da então deputada Naluh Gouveia, na época considerada ilegal.
Ele afirmou que estará junto com os servidores até que sejam atendidos.

Continuar lendo

Acre 01

Da base, Gerlen e Longo divergem sobre efetivação de provisórios do ISE na Polícia Penal

Publicado

em

A base do governo da Assembleia Legislativa está rachada na sessão desta terça-feira, 21, que analisa a Proposta de Emenda à Constituição que efetiva provisórios do Instituto Socioeducativo na Polícia Penal.

O deputado Gerlen Diniz (Progressista ) afirmou que a mão que afaga é a mesma que apedreja ao comentar a manifestação dos servidores do Iapen e ISE contrários à efetivação de temporários. Em outra situação, esse grupo aplaudiu os deputados e hoje “as mesmas mãos estão apedrejando”. Ele responsabilizou governos passados pelo problema que os deputados tentam resolver agora. “Tem servidor que há 27 anos é provisório”, disse, referindo-se à prorrogação infinita de contratos no ISE.

“Os provisórios podem ser demitidos a qualquer momento pois há em andamento um concurso para regularização do quadro e sem direito à verba rescisória”, disse Gerlen, afirmando que ampará-los é uma questão humanitária.

“Vamos dar as mãos a quem está pedindo”, disse Diniz elencando os benefícios já garantidos para os provisórios a partir das mobilizações da Aleac. “Há um grupo do ISE e Iapen que não recebeu auxílio-alimentação. PLs do governo, transformam esse benefício em auxílio-saúde para que eles possam ter direito. São 12 servidores do ISE a serem atendidos”, justificou.

Já o líder do governo na Casa, deputado Pedro Longo (PDT), disse que a etapa-alimentação será paga em breve aos servidores que não a receberam no ISE e Iapen. A matéria ainda não está pautada para votação. Longo foi realista quanto à PEC de Roberto Duarte. “Não há como transformar alguém que assina contrato provisório em efetivo, pois viola o princípio do concurso como forma de ingresso no serviço público”, disse, sob vaias dos servidores.

“Falo olhando nos olhos. Os senhores sairão daqui com a ilusão de que tiveram o assunto resolvido”, afirmou Longo dirigindo-se aos servidores provisórios do ISE presentes à sessão. “O tema será derrubado em ação judicial tamanha sua inconstitucionalidade. Não vou enganar ninguém”, finalizou o deputado.

Apesar do discurso contrário, Longo liberou a base do governo para votar como achar melhor.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Conteúdo protegido!