Conecte-se agora

Professores na internet debatem sobre “História e Rede Pública de Ensino” 

Para educador do ensino fundamental II, deficiência na leitura atrapalha o entendimento da disciplina

Publicado

em

Em meio a tantos acontecimentos marcantes na História do Brasil e do mundo, como a pandemia, o conflito no Afeganistão e a inflação que assola o território nacional, por exemplo, repassar os fatos de maneira didática para que os mais jovens possam compreender o cenário e criar uma visão crítica é um desafio para os educadores que já enfrentam nas salas de aula outras barreiras como a deficiência na interpretação de leitura e dados.

Para o professor Matheus Buente, que leciona a disciplina de História para turmas do 6º ao 9º ano da rede pública de educação, o ensino da sua matéria enfrenta problemas parecidos com os de Língua Portuguesa. “Nossa deficiência na formação de leitores e escritores afeta diretamente a aprendizagem de hoje, uma vez que a leitura e interpretação são partes fundamentais do processo”, justifica o educador. Para ele, o ensino da História nas escolas deve dar mais atenção aos fatos locais, que geram identificação e valorizam a região em que o estudante vive. 

Em paralelo à atividade nas salas de aula, Matheus é comediante acostumado a contar piadas há sete anos nos palcos, mas há assuntos que ele não vê graça. “Creio que o maior desafio, enquanto professor, seja combater a naturalização do fascismo que ocorre hoje em dia. Muito provavelmente esse não será um desafio para a minha geração de historiadores mas, sim, para a próxima, que terá um distanciamento maior do momento histórico, o que costuma colaborar bastante para uma análise do ocorrido. Serão páginas tristes nos livros”, opina.

Essa abordagem é apenas um dos temas que serão debatidos pelo professor Matheus Buente no podcast Sala dos Professores, que terá como tema “História e Rede Pública de Ensino”. O bate-papo será transmitido ao vivo no YouTube, nessa segunda-feira (13), às 16h. Posteriormente o conteúdo é disponibilizado no Spotify

Organizado e apresentado pela professora de redação Carol Silveira, em parceria com o Educa Mais Brasil, o podcast foi criado para ser uma representação virtual da sala dos professores, local de diálogo entre os docentes e troca de experiência. De forma leve e descontraída, professores de todo o país interagem com os participantes que se apresentam na Sala dos Professores. 

“Por mais que a gente tenha questões em comum, como a precariedade e desvalorização, a gente tem indivíduos com trajetórias muito pessoais e únicas. Então, quanto mais a gente conhece outras realidades de professores no Brasil, mais a gente conhece sobre educação porque é o professor que faz essa educação acontecer, argumenta a professora Carol Silveira. 

Apresentado semanalmente, toda segunda-feira, agora em novo horário, às 16h, o podcast já contou com a participação de Alan Miranda, que é ator e diretor, falando sobre humor e educação; da professora Luísa Menezes, falando sobre a pressão estética que as professoras sofrem em sala de aula; do professor Daniel Pinheiro, que é especialista em formação de professores no âmbito tecnológico, falando sobre desafios nesse período de pandemia, de aula on-line; do psicólogo Davi Ferreira, abordando a saúde mental dos professores, dentre outros convidados. 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Acre

Jéssica Ingrede acompanha treino do Brasil e tira foto com jogadores

Publicado

em

Cobrindo os bastidores da Copa do Mundo, a acreana Jéssica Ingrede compareceu com o time de influenciadores da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no treino da seleção brasileira, que ocorreu nesta terça-feira, 6.

A blogueira aproveitou o momento para tietar os jogadores e tirou fotos com Thiago Silva, Pedro Guilherme, Fabinho, Alex Sandro, entre outros e não perdeu as esperanças de encontrar com Neymar. “O grande dia vai chegar, fé”.

Após o treino, Ingrede aproveitou a folga do goleiro Weverton e saiu com ele e sua família em um shopping do Catar.

Continuar lendo

Destaque 2

Preço da gasolina no Acre deve baixar nos próximos dias

Publicado

em

A partir desta quarta-feira (7), o preço médio de venda de diesel da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,89 para R$ 4,49 por litro, uma redução de R$ 0,40 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, R$ 4,04 a cada litro vendido na bomba.

Para a gasolina, o preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,28 para R$ 3,08 por litro, uma redução de R$ 0,20 por litro.

Ainda não é possível saber o percentual de queda no Acre, mas qualquer valor que seja terá interrompido uma sequência de ao menos quatro aumentos seguidos no preço da gasolina e diesel.

“Estamos aguardando as distribuidoras repassarem os descontos, acredito que no decorrer da semana isso possa acontecer, dai cada posto revendedor deverá analisar e tomar sua decisão quanto aos preços ao consumidor final. Lembrando que nós do sindicato não intervimos ou opinamos nessas questões de preços por não ser nossa atribuição”, explicou o presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Acre, Delano Lima.

Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, R$ 2,25 a cada litro vendido na bomba.

Essas reduções acompanham a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio.

“De forma a contribuir para a transparência de preços e melhor compreensão da sociedade, a Petrobras publica em seu site informações referentes à formação e composição dos preços de combustíveis ao consumidor”, diz a empresa.

Continuar lendo

Extra Total

Governo investe R$ 87 milhões para pagamento de abono salarial para quase 15 mil servidores da educação

Publicado

em

O governo do Acre anunciou nesta terça-feira, 6, o pagamento do abono salarial para quase 15 mil servidores da educação – há exemplo do que ocorreu no ano passado.

No entanto, o secretário de educação, Aberson Carvalho, revelou que, ao invés de mais de R$ 160 milhões pagos em 2021, o governo deverá investir cerca de R$ 87 milhões esse ano. “O valor não é igual ao do ano passado porque esse ano não tivemos pandemia. Vale ressaltar que nunca houve pagamento de abono, apenas no governo Gladson”, declarou.

De acordo com a gestão estadual, o valor será proporcional ao vencimento de cada profissional e equivalente ao 13° salário. Porém, só terão direito ao benefício, professores em atividade, diretores, coordenadores pedagógicos e de ensino, coordenadores administrativos, secretários escolares, docentes e especialistas em educação nas funções de assessoramento pedagógico, supervisão, inspeção, suporte técnico, coordenação de núcleos, centros, modalidades de ensino e programas da rede estadual de ensino.

O governador Gladson Cameli destacou que o benefício é mais uma demonstração de respeito da atual gestão com os profissionais responsáveis por levar ensino de qualidade para mais de 140 mil acreanos, nos 22 municípios. “A educação é um dos pilares do governo do Acre. Sabemos que a construção de um estado melhor e com mais oportunidades depende do trabalho destes servidores. Nada mais justo que valorizá-los pelos esforços e a dedicação que eles têm com os nossos estudantes”, ressaltou.

A vantagem financeira também contemplará professores e especialistas em educação cedidos em regime de colaboração técnica para outras redes públicas de educação básica, trabalhadores em educação nas funções de assistente educacional, técnico, apoio administrativo e operacional, mesmo que emprestados em regime de colaboração técnica para outras redes públicas de educação básica. O abono será depositado, integralmente, na mesma data do pagamento do salário de dezembro dos servidores estaduais.

Continuar lendo

Cotidiano

Pastor que pregou no Acre é preso no Pará por estuprar enteadas

Publicado

em

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na manhã desta terça-feira, 6, Jacundá, ao oeste do Pará, o pastor Gilmar Monteiro Marcelino, de 55 anos, por acusação de estupro de duas enteadas em Porto Velho (RO).

De acordo com a PRF, o Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) da PRF recebeu uma denúncia anônima, de que um foragido da justiça estaria na condição de passageiro em um ônibus interestadual com rota pela rodovia BR-230.

A ação ocorreu devido a queda de uma ponte que liga o município de Marabá (PA) a Novo Repartimento (PA), o ônibus seguia pela PA-150 no município de Jacundá (PA), momento em que foi abordado pela equipe para a averiguação da denúncia. O ônibus realizava o itinerário São Luís (MA) – Santarém (PA).

Durante os procedimentos de fiscalização, a equipe localizou um mandado de prisão pendente de cumprimento em desfavor de um dos passageiros, expedido no estado de Rondônia.

Em seguida, o passageiro foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Jacundá (PA) para a realização das medidas cabíveis. A prisão teve o apoio da Polícia Penal de Sena Madureira (AC).

O mandado de prisão havia sido expedido em 19 de dezembro de 2019. O evangélico ficou bastante conhecido em Sena Madureira pelas pregações que fazia em via pública. Este ano, foi descoberto que o suposto pastor tinha um mandado de prisão expedido em dezembro de 2019 pela acusação de estuprar duas enteadas.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.