Conecte-se agora

A nova advocacia empreendedora

Publicado

em

*Por Gilliard Nobre Rochai

Gilliard Nobre Rocha

Gilliard Nobre Rocha

 Nos idos anos de 2004, quando concluía o curso de direito na Universidade Federal do Acre (UFAC), ser advogado por essas bandas era a escolha óbvia de quem não tivesse sucesso na aprovação em algum concurso público.

Não era para menos, afinal o próprio curso, em certa medida, “dirigia” os alunos à carreira pública. Lembro que nossos professores mais notáveis eram, em sua esmagadora maioria, membros do Judiciário ou do Ministério Público. Natural que os alunos se sentissem atraídos pela estabilidade existente nessas carreiras.

Na contramão dessa tendência, e embalado por anos de experiência na iniciativa privada, resolvi tentar a carreira na advocacia, logicamente sob os mais diversos avisos e tentativas de dissuasão por parte de amigos e familiares.

Nada óbvio, só prestei dois concursos públicos em toda a vida, sendo aprovado em ambos. Um deles foi para servidor nível médio do Tribunal de Justiça do Acre, quando ainda estava na faculdade, o qual decidi não assumir quando convocado (já estava formado e absolutamente decidido a investir na advocacia). O outro foi para professor substituto do próprio curso de direito da UFAC, experiência que guardo no coração, e que foi uma virada de chave na minha carreia de advogado.

Nos meus primeiros anos de trabalho, senti o total desamparo sofrido pelos advogados que já militavam há anos, e entendi o porquê do imenso desestímulo que recebi em minha escolha pela advocacia.

A advocacia no Acre era totalmente desprovida de qualquer representatividade. Apresentar-se como advogado do Acre era motivo de piada para os profissionais de outros estados. E a OAB/AC… Bem, que OAB/AC? Ela simplesmente não passava de uma bagunçada sala no Fórum Barão do Rio Branco.

Tudo concorria para uma breve experiência profissional. Mas, como eu disse, eu estava decidido!

Fui à luta! Convenci meu então sócio que precisávamos dar foco empresarial ao escritório. E fui investindo em meu aprimoramento profissional, sempre com visão empreendedora – na época, rara em nosso segmento.

Neste período, vi a OAB/AC surgir como hoje a conhecemos. E com a nova OAB/AC, vi surgir também uma nova geração de advogados. Jovens advogados e advogados já experientes, que começaram a perceber que a carreira na advocacia exigia muito mais que o conhecimento do direito. Era preciso ter visão empreendedora!

Mas, qual curso de direito preparava o estudante para ser empreendedor? Até hoje, empreendedorismo não faz parte da ementa das faculdades.

Para preencher essa lacuna, a OAB/AC foi – e tem sido – fundamental!

“Curso de Iniciação à Advocacia”, “Curso de Prática na Advocacia Tributária”, “Advocacia do Zero”, com ênfase em gestão de escritório e posicionamento de mercado, são apenas alguns dos mais diversos treinamentos voltados para o cotidiano da advocacia, e que vêm sendo ofertados pela OAB/AC na última década.

Isso sem mencionar os mais diversos congressos, conferências e simpósios, que disseminam o conhecimento no meio profissional. E eu falo de conhecimento mesmo, maciço! Até o jusfilósofo alemão Robert Alexy já tive o prazer de ver no Acre, graças a uma exitosa parceria entre a OAB/AC e outras instituições de nosso estado. Não é pouca coisa, não!

Tudo isso, fruto de muito trabalho e doação de diversos e abnegados advogados, como Erick Venâncio, Marina Belandi, Thiago Poersch, André Marques e Fernanda Catarina (dentre outros). Profissionais de diversas áreas da advocacia, de histórias de vida diferentes, mas que se uniram em prol da advocacia acreana.

Amparada pela representatividade de uma OAB/AC forte, a nova advocacia empreendedora encontrou o seu espaço. E se antes era óbvia a escolha pelo concurso público, hoje é cada vez mais pujante a escolha pela carreira na advocacia. Que o digam os mais de 3.000 advogados inscritos em na Seccional do Acre e as centenas de escritórios de advocacia muito bem montados não apenas em Rio Branco, mas em várias cidades do interior.

A tecnologia também incentivou o empreendedorismo na advocacia, derrubando fronteiras e encurtando distâncias. As novas tecnologias têm contribuído para o aprimoramento da profissão.

Em poucos dias, a OAB/AC realizará sua Conferência Estadual, com o tema “Advocacia 5.0 e Novas Tecnologias”, e contará com a participação de palestrantes de diversos lugares do Brasil. A contemporaneidade deste tema demonstra que a advocacia acreana vem sendo munida com ferramentas atuais, que a colocam em patamar de igualdade com profissionais de todo o Brasil.

Ser advogado no Acre não é mais motivo de vergonha, mas sim de orgulho!

Dificuldades? Sempre existirão. Concorrência? Será cada vez maior e mais bem preparada. Morosidade processual? Claro, pois estamos falando de Brasil. Mas a nova advocacia empreendedora não se deixa abalar por problemas, nem se acomoda em lamentos nas redes sociais.

A nova advocacia empreendedora vai à luta, e vence!

i*Advogado. Secretário-Geral Adjunto e Corregedor-Geral da OAB/AC.

Acre

Fernanda Hassem entrega cestas básicas e kits para 200 famílias

Publicado

em

A Prefeitura de Brasiléia, em parceria com o Poder Judiciário, através da Comissão Econômica Para a América Latina e o Caribe (CEPAL), realizou nesta sexta-feira, 27, entrega de 200 cestas básicas e kits bebês, destinadas às famílias em situação de vulnerabilidade social, e grávidas que são acompanhadas pelas Unidades Básicas de Saúde do município.

A Prefeita Fernanda Hassem participou da atividade, que aconteceu na quadra do bairro Ferreira Silva e contou com a presença do Presidente da câmara de Brasiléia, Marquinhos Tibúrcio, vereador Elenilson Cruz, secretários e equipe municipal, além dos contemplados pela ação.

Grávida de seis meses do segundo filho, a dona-de-casa Eliane da Silva, moradora do bairro Francisco José Peixoto, foi uma das contempladas com o kit bebê. “Estou muito grata por receber o kit para o meu bebê, que vai nascer daqui há dois meses, eu ainda não tinha quase nada, mas hoje ganhei roupinhas, manta, banheira, fralda, foi de grande ajuda para mim”, comemorou Eliane.

O Presidente da Câmara de Brasiléia, Marquinhos Tibúrcio prestigiou a atividade e parabenizou a parceria com o Judiciário. “Parcerias como essa são fundamentais para o desenvolvimento do município. Hoje foram beneficiadas muitas pessoas através da união de dois poderes tão importantes, que é o Executivo e o Judiciário”, disse o presidente.

A Prefeita Fernanda Hassem comemorou a parceria. “Queremos agradecer ao Poder Judiciário, através da CEPAL, que disponibiliza convênios importantes para que possamos beneficiar as famílias e grávidas, com nossa contrapartida, pudemos contemplar mais 100 famílias com cestas de alimentos. No final do ano passado nossa equipe beneficiou, diretamente, 500 famílias com as cestas básicas. As grávidas que realizam regularmente o seu pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde também receberam uma importante ajuda, que foi o kit bebê. São ações que nos deixam com o coração grato e motivados a trabalhar muito mais pela nossa população”, afirmou a Prefeita.

Continuar lendo

Acre

Gonzaga propõe parceria com ISE para capacitar menores

Publicado

em

O deputado estadual Luiz Gonzaga (PSDB) se reuniu nesta sexta-feira (27) com o presidente do Instituto Socioeducativo do Estado do Acre (ISE), Coronel Mauro César, para tratar sobre a capacitação e ressocialização de menores infratores no estado do Acre.

Gonzaga colocou à estrutura da Assembleia Legislativa (Aleac), através da Escola do Legislativo, à disposição do ISE para ofertar cursos profissionalizantes aos adolescentes infratores que desejam entrar no mercado de trabalho.

“Precisamos dar opção para que esses adolescentes busquem uma formação para, em seguida, conseguir um emprego. É dessa forma que vamos diminuir a violência e impedir o ingresso de menores de idade em organizações criminosas”, disse o parlamentar.

O parlamentar também se prontificou a conversar com empresários locais e Federação das Indústrias do Acre para contratarem adolescentes que buscam formação dentro do ISE como forma de incentivar os menores a buscarem trabalho e abandonarem o mundo do crime.

“A Aleac e o ISE estão fazendo a sua parte em ofertar a esses adolescentes formação, agora cabe ao mercado usar a mão de obra desses acreanos que as vezes optam por práticas ilegais por não encontrarem oportunidade de trabalho e por enfrentarem o preconceito”, concluiu.

Continuar lendo

Acre

Caixa Economica Federal abre 18 vagas de estágios no Acre

Publicado

em

Com vagas para níveis médio, superior e técnico, a Caixa Econômica Federal abriu inscrições no processo seletivo para estagiários. As inscrições ocorrem até 24 de fevereiro. Ao todo 18 estudantes serão selecionados.

Para participar, o candidato deverá acessar o Site do CIEE https://pp.ciee.org.br/vitrine/processos-seletivos/publico localizar na lista de “PROCESSOS SELETIVOS” o logotipo da CAIXA, clicar no link e informar a localidade.

Os horários dos estágios serão de 04h ou 05h diárias, que correspondem a 20h ou 25h semanais e os salários variam de R$ 400 a R$ 1000, além de auxílio transporte de R$ 130.

As fases do processo será composta por prova online e Entrevista Estruturada na Unidade da CAIXA somente para os candidatos de Nível Superior.

Para estudantes de cursos superior, é preciso estar no 3º semestre para os cursos com duração de 3 anos ou 3 anos e meio ou no 5º semestre para os cursos com duração de 4 ou 5 anos.

Já para alunos de nível médio, é obrigatório ter no mínimo 16 anos completos e estar estudando a partir do 1º ano do ensino médio ou da educação profissional técnica de nível médio

Confira a lista de graduação necessárias para o nível superior:
– Pedagogia, psicologia, serviços sociais, ciências sociais, ciências políticas (do 3° ao 7° semestre);
– Arquitetura e urbanismo (5° ao 9° semestre);
– Engenharia Civil, Elétrica, Mecânica, Agronomia, Ambientou ou de Telecomunicação (5° ao 9° semestre);
– Direito (5° ao 9° semestre).

Nível técnico:
Técnico em administração, técnico em comércio, técnico em contabilidade, técnico em finanças, técnico em logística, técnico em marketing, técnico em recursos humanos, técnico em secretariado, técnico em seguros, técnico em serviços públicos, técnico em vendas, técnico em segurança do trabalho.

Nível médio:
ENSINO MÉDIO REGULAR E EJA.

Veja aqui o edital completo.

Continuar lendo

Acre

Australiano faz tatuagem “O Acre existe” em seu último dia no Estado

Publicado

em

O Influenciador australiano, Simon Gurney, que está no Acre em sua primeira viagem ao Brasil, prometeu e cumpriu na última quinta-feira, 26, homenagear o Estado com uma tatuagem.

Apaixonada pela terra amazônica, as belezas naturais e a receptividade do povo, como assim declarou, ele resolveu deixar marcado em seu corpo a frase “O Acre Existe”.

“Agora meu corpo virou prova que o Acre existe. Agora sou acreano do pé rachado”, declarou Simon nas redes sociais, informando que este é o seu último dia no Estado.

Partindo para seu próximo destino, nesta sexta-feira, 27, o australiano que tem mais de 179 mil seguidores no Instagram, agradeceu a todos por tudo que viveu em Rio Branco e não revelou para onde está indo.

“Adorei tanto minha estadia aqui, conheci tanta coisa, lugares, comidas e pessoas. Mas hoje continuo na minha missão de conhecer todo os estados do Brasil de ônibus”, declarou.

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

error: Este conteúdo é protegido.