Conecte-se agora

Em busca de recolocação profissional, brasileiros estão aderindo aos cursos profissionalizantes

Publicado

em

Apesar do avanço, o número ainda é inferior ao de outros países

Houve aumento na procura por cursos profissionalizantes no Brasil, de acordo com o mais recente dado do Censo Escolar da Educação Básica, elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ao passo que aumentou, também, o número de estudantes que não estudam nem trabalham, o que os inserem no grupo chamado de “nem-nem”.

O número de nem-nem atingiu recorde no último trimestre, superando números de jovens desempregados e sem vínculo estudantil nos últimos oito anos, segundo dados da pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A pesquisa indica que o aumento é motivado pelo desemprego.

De acordo com o levantamento da FGV, os maiores percentuais desse grupo, no último trimestre de 2020, estavam entre mulheres (31,29%), pretos (29,09%), moradores do Nordeste (32%) e de periferia das maiores metrópoles brasileiras (27,41%), chefes de família (27,39%) e pessoas sem instrução (66,81%).

Para conseguir um rápido retorno ao mercado de trabalho, muitas pessoas buscam os cursos profissionalizantes, o que explica o aumento na procura por essa modalidade de ensino nos últimos anos. Apesar do avanço, o número ainda é inferior ao de outros países como a Alemanha. 

O que são cursos profissionalizantes 

Os cursos profissionalizantes são voltados para o rápido ingresso no mercado de trabalho e, normalmente, são oferecidos junto ou após o ensino médio. Essa modalidade de ensino capacita aluno para uma determinada profissão, por isso as aulas são focadas em uma área e possuem curta duração.

Por meio de um curso profissionalizante é possível seguir carreira em uma área sem o ensino superior, se profissionalizar e atualizar os conhecimentos para se inserir no mercado de trabalho. 

Dentre os cursos profissionalizantes que estão em alta no Brasil, destacam-se:

-Ajudante de laboratório

-Confeitaria

-Eletricista

-Atendimento e Recepção em Hotelaria 

– Informática

-Marcenaria

– Cozinheiro

Duração dos cursos profissionalizantes

Como os conteúdos são voltados para a prática, os cursos profissionalizantes têm duração média de um a dois anos. Contudo, independentemente do tempo de cada curso, todos possuem grade curricular elaborada pelas empresas, a fim de garantir a sintonia entre os estudantes que entram no mercado de trabalho e as corporações.

Os cursos profissionais são comumente indicados para quem quer conseguir o primeiro emprego, assim como para quem já tem experiência e quer mudar de área. Em alguns casos, a remuneração das profissões técnicas pode ser maior do que as de ensino superior.

Curso profissionalizante x graduação

O que diferencia um curso profissionalizante de uma graduação são o foco na área de atuação, o tempo de formação e o nível de escolaridade.

Para começar uma graduação o estudante precisa ter concluído o ensino médio. Já o curso profissionalizante dispensa essa exigência.

Além disso, para fazer faculdade é preciso prestar vestibular ou fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o que não é necessário para o curso profissionalizante.

Outro quesito que deve ser levado em consideração na escolha é o tempo de duração de cada curso. Enquanto é possível concluir um curso profissionalizante em até dois anos, na faculdade o período de formação é a partir de quatro anos. 

Outra diferença está na abordagem dos conteúdos. Na graduação, o foco é abrangente e dividido entre teórico e prático. Na profissionalização, as aulas costumam ser mais práticas com foco no mercado de trabalho.

Bolsas de estudo para cursos profissionalizantes

Uma das maiores diferenças entre o curso profissionalizante e a graduação está no preço. As mensalidades de uma faculdade nem sempre são acessíveis para todos os estudantes. Nessa comparação, os cursos profissionalizantes são mais procurados por terem preços mais baixos. É possível fazer um curso profissionalizante pagando R$24, por exemplo, em cursos on-line com bolsas de estudo do Educa Mais Brasil.

Se o interesse é mesmo a graduação, também é possível economizar na mensalidade por meio de bolsas de estudo para o ensino superior oferecidos por programas de inclusão educacional.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Acre 01

Indicadores apontam que Acre deve retomar economia em médio prazo, diz Fecomércio

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

O Sistema Fecomércio-Sesc-Senac no Acre apresentou nesta quarta-feira, 16, o resultado do estudo recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referente à Pesquisa Mensal do Comércio. No Acre, segundo o consultor da Fecomércio, Egídio Garó, os números surpreendem, já que entre março e abril, os indicadores foram positivos e acenam uma retomada econômica em médio prazo.

O volume de vendas no varejo restrito no estado foi de 18,5% e na receita nominal de vendas de 25,3%, o que representa uma pequena recuperação se comparado ao mês de fevereiro. “No varejo ampliado, o volume de vendas foi de 9,8% e a receita nominal de vendas de 22%. O mês de abril já foi mais animador, cuja expectativa de recuperação ocorre após a flexibilização do horário de funcionamento, agora mais longo, e da circulação dos consumidores. Nesse mês, o volume de vendas do comércio varejista restrito cresceu 41,3% e a receita nominal de vendas acompanhou a mesma tendência; 49,2%”, disse Garó.

Conforme os dados, o volume de vendas no varejo ampliado em abril também apresentou saldo positivo, indicando um crescimento de 47,4%, enquanto que a receita nominal de vendas apresentou uma elevação de 57,4%, ainda de acordo com o consultor. “Esses números apontam para uma recuperação gradual da atividade produtiva no País, notadamente na atividade industrial, que permitiram o ressuprimento dos estoques, uma melhoria na variedade de produtos oferecidos, associado às promoções diferenciadas praticadas pelos empresários do comércio varejista”.

Garó comentou também que ainda não se percebe um aumento na diversidade dos produtos por conta da inauguração da Ponte do Abunã, em Rondônia. “O que deve ocorrer em médio e longo prazo, por conta da redução dos custos envolvidos nos transportes como: diminuição do consumo de combustível, a diminuição do tempo gasto anteriormente com a travessia, os custos da própria travessia e a eliminação do seguro fluvial”, finalizou.

Continuar lendo

Destaque 3

Acordo que pôs fim à greve da Saúde prevê realização de concurso até o final do ano

Publicado

em

Foto: Jardy Lopes

Na tarde desta quarta-feira, 16, os servidores do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) decidiram suspender a greve que estava em vigor desde a última segunda-feira (14).

O comando de greve da saúde esteve reunido com o secretário de saúde, Alysson Bestene, e receberam a contraproposta do governo. Após a reunião, os representantes apresentaram aos servidores sendo aprovada por unanimidade.

Ao ac24horas, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e vereador de Rio Branco, Adailton Cruz (PSB), afirmou que a categoria conquistou avanços apesar de não terem conquistado o objetivo final que era a reformulação total do PCCR para corrigir todas as perdas salariais.

“Teve alguns avanços considerados, por exemplo, concurso público de até 1 mil vagas até o final do ano, correção inflacionária, revisão do PCCR e o teto da insalubridade para todos os servidores e pra quem não ganha é R$ 325,00 até o final do ano.. De certa forma, houve alguns avanços, não era o que queríamos, o que queríamos era reformular o plano para repor as perdas totais, mas devido ao recuo de 2020/21 já é alguma coisa pra quem não tinha nada. O movimento apesar de tudo saiu vitorioso”, afirmou.

O ac24horas teve acesso a contraproposta do governo que aponta nove encaminhamentos que foram aceitos pelos servidores.

1 – O primeiro trata dos servidores que não são beneficiados pelo adicional de insalubridade e nos casos em que o adicional não atingir o teto de R$ 325,00, estes receberão o auxílio temporário de emergência em Saúde (ATS) no valor do teto de insalubridade de R$ 325,00 de julho à 31 de dezembro de 2021, independente da lotação.

2 – O segundo tratou do laudo técnico das condições do ambiente de trabalho (LTCAT), com cronograma e com a participação dos sindicatos da saúde com direito ao contraditório e a revisão até o dia 30 de setembro com encaminhamento à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) no primeiro trimestre de 2022.

3- A publicação de edital de concurso público efetivo na área de saúde até o final do ano, considerando as vacâncias.

4 – Abonar as faltas dos servidores que aderiram à greve.

5 – Encaminhamento para a Aleac no primeiro trimestre de 2022 da correção inflacionária pelos índices do IPCA, dos períodos de 2020/21 e 21/22.

6 – Análise da possibilidade da correção inflacionária pelos índices de IPCA dos anos 19/20 nos termos permitidos pela legislação.

7 – Etapa alimentação será definida, com os valores até 30 de setembro de 2021 e encaminhada para aprovação da Aleac no primeiro trimestre de 2022.

8 – Mesmo diante dos impedimentos para encaminhamento à Aleac, a conclusão da revisão do PCCR até 30 de setembro de 2021.

9 – O governo reavaliará o impedimento para a concessão da licença prêmio e 6 parte aos irregulares, se comprometendo a finalizar a reanálise da impossibilidade em 60 dias.

Continuar lendo

Cotidiano

MPF instaura inquérito para apurar ‘racismo’ praticado por apresentadores de podcast

Publicado

em

Na edição do Diário Eletrônico desta quarta-feira, 16, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para apurar a ocorrência de racismo contra indígenas praticado pelos apresentadores do “Trio Submundo”, no início de junho.

O programa é apresentado pela internet em formato de podcast, exibido por meio de plataformas de vídeo e redes sociais.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão, Lucas Costa Almeida Dias, relata que lideranças indígenas do Acre apresentaram denúncia ao MPF, por meio de publicações em redes sociais, informando que, durante a apresentação de um programa via Internet, que se intitula Podcast Submundo, os três apresentadores proferiram ofensas racistas contra os povos indígenas.

Segundo o órgão controlador, após análise do vídeo com os comentários proferidos pelos apresentadores, constatou-se a veiculação de discurso de ódio feito pelos apresentadores com nítida discriminação em razão da etnia da pessoa que foi objeto da matéria, ofendendo-a na matriz de sua identidade.

O procurador frisou que são nítidos o desprezo demonstrado pelos apresentadores contra os indígenas. O MPF alega que o trio violou direitos fundamentais do indígena retratado na matéria e de toda uma coletividade, formada por pessoas etnicamente identificadas como indígenas, bem como infringiu deveres e obrigações previstos em tratados internacionais, princípios e valores éticos e sociais presentes na Constituição Federal e, por fim, normas do ordenamento jurídico brasileiro.

Diante da denúncia, todos os fatos colhidos na instrução do inquérito, como a proporção do dano causado pela publicação na rede mundial de computadores, e a repercussão disso, servirão para embasar a proposição de ação civil pública contra os três investigados, além do encaminhamento da documentação à Polícia Federal para a instauração de inquérito policial.

Continuar lendo

Cotidiano

“Enquanto as covas do cemitério aumentam, o tomógrafo do Juruá se encontra na caixa”, diz Jéssica Sales

Publicado

em

Essa foi a sensação vivida pela deputada Jéssica Sales (MDB) ao visitar o Hospital Regional do Juruá e se deparar com o novo aparelho de Tomografia Computadorizado encaixotado há quatro meses, quando deveria estar em plena atividade auxiliando no diagnóstico de doenças de centenas de pacientes de Cruzeiro do Sul e do Vale do Juruá, como é essa a finalidade. O aparelho de Tomografia Computadorizado foi adquirido por meio de recurso de emenda parlamentar de autoria da deputada Jéssica Sales no orçamento de 2020, para melhorar a estrutura da regional. Para se ter uma ideia, a parlamentar destinou na ocasião o montante de R$ 16 milhões para a compra de equipamentos e materiais permanentes de uso hospitalar, dentre esses, o aparelho de tomografia computadorizado, que ainda aguarda a sensibilidade da Secretaria de Saúde (Sesacre) para entrar em atividade.

“Mais uma vez eu peço a sensibilidade do Governo do Estado para que seja resolvida essa situação insustentável”, disse a deputada Jéssica Sales. De acordo com as informações, a justificativa dada pela Sesacre, é que será necessária a construção de um espaço para acomodar o equipamento.

“Quero acreditar, no entanto, que o governador Gladson Cameli não é sabedor dessa situação. Aqui é a terra dele, o povo dele. Ele fez um hospital de campanha em 45 dias. Qual a dificuldade para montar o tomógrafo? Já se passaram quatro meses, as covas aumentando no cemitério e o aparelho na caixa. Nada justifica “, indagou.

Jéssica Sales disse ainda que, como médica, tem se preocupado muito com a Saúde no Juruá e no Estado do Acre e não medirá esforços para continuar cobrando um tratamento humanizado para a população, assim como, buscando recursos federais para um atendimento com qualidade às famílias mais necessitadas.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas