Conecte-se agora

MP vai investigar envolvimento de servidor em cassino ilegal

Publicado

em

Com base no ofício nº 141/2021, o promotor de Justiça, Luís Henrique Corrêa Rolim, decidiu instaurar sindicância para apurar eventuais infrações disciplinares cometidas por Agileudo Fernandes da Silva, servidor do Ministério Público do Acre. A portaria foi publicada na edição do Diário Eletrônico desta quinta-feira (13).

A promotoria acatou pela investigação, devido ao episódio noticiado em boletim de ocorrência, oriundo da Polícia Militar do Estado do Acre, que informou que foi acionada, via Ciosp, para averiguar uma denúncia de jogos de azar, aglomeração de pessoas e descumprimento do decreto 8.147, que dispõe sobre as medidas restritivas, excepcionais e temporárias decorrentes do agravamento da situação epidemiológica. O caso aconteceu em Sena Madureira, interior do Acre.

Ao chegar no local, a PM flagrou várias pessoas jogando poker, dentre eles, Agileudo, em uma sala, onde tinha duas mesas, local onde foi constatado o cassino ilegal tendo em vista que o mesmo não tem licença, além de aglomeração de várias pessoas, que também estavam sem máscara.

Com base nas robustas denúncias, Rolin optou por instaurar uma Comissão Permanente de Sindicância e Processo Administrativo Disciplinar, para conduzir o procedimento na forma do art. 79, da Lei Estadual nº 2.993. “Estipular o prazo de trinta dias para a conclusão da Sindicância, com apresentação do respectivo relatório”, diz trecho do despacho.

Nas redes sociais, o servidor do órgão controlador aparece ao lado de mesa de jogos de azar, a prática é ilegal. Segundo o artigo 50 da Lei das Contravenções Penais: “estabelecer ou explorar jogo de azar em lugar público ou acessível ao público, mediante o pagamento de entrada ou sem ele, é contravenção penal sujeita à pena de prisão simples, de três meses a um ano, mais multa”.

Destaque 6

‘Culpada” por equipe perder prova, Gleici é eliminada do ‘No Limite’

Publicado

em

Por

No sexto episódio de “No Limite”, na noite de hoje, a tribo calango perdeu a prova de imunidade pela segunda vez seguida e Gleici Damasceno acabou se tornando a sexta eliminada do reality show da Rede Globo.

No portal da eliminação, a vencedora do “BBB 18” recebeu um total de três votos – Jéssica Mueller levou os outros dois votos – e deu adeus a disputa do prêmio de R$ 500 mil.

Em sua despedida, Gleici aconselhou os colegas da tribo calango a aproveitar ao máximo a experiência no reality show de sobrevivência no meio do mato.

Esse sonho acaba para mim, mas espero que vocês aproveitem ao máximo. Não vou esquecer de nada, vivi com muita intensidade e verdade. Saio do No Limite muito mais confiante em mim. Sei da força que está no meu coração e da vontade de ir até o final.

Situação dos grupos do ‘No Limite’
A tribo calango perdeu o seu quarto competidor com a saída de Gleici Damasceno. A equipe agora é formada por quatro membros: André Martinelli, Carol Peixinho, Jéssica Mueller e Kaysar Dadour. Mahmoud Baydoun, Angélica Ramos e Arcrebiano são os outros eliminados do jogo que pertenciam ao grupo.

Vencedores da prova de imunidade do 6º episódio, a tribo carcará tem seis participantes (Elana Valenaria, Gui Napolitano, Íris Stefanelli, Marcelo Zulu, Paula Amorim e Viegas) no jogo. O grupo perdeu os integrantes Lucas Chumbo e Ariadna Arantes.

Continuar lendo

Destaque 6

Casal quase é linchado por populares após roubo de celular

Publicado

em

Um casal de assaltantes, de 24 e 17 anos, foi preso e por pouco não foi linchado na noite desta terça-feira, 15, após roubar o celular de uma mulher no MAPI Laboratório Veterinário, localizado na avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco.

De acordo com informações da polícia, a vítima foi abordada em via pública pelo casal em uma motocicleta, a adolescente de 17 anos em posse de uma faca, desceu da moto anunciou o assalto. A vítima foi colocada escorada em um muro e teve seu celular subtraído.

No momento em que a mulher foi roubada, o marido da vítima que estava chegando no seu veículo percebeu a situação e derrubou os assaltantes da motocicleta. Populares que passavam no local, deram apoio à vítima e conseguiram prender os criminosos.

A Polícia Militar foi acionada, deu voz de prisão aos assaltantes e os encaminharam à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos. A polícia informou a reportagem do ac24horas que o casal já estava sendo procurado desde a semana passada por cometer roubos na região do Bosque.

Veja o vídeo:

Continuar lendo

Destaque 6

Desastres causaram quase R$ 2 milhões de prejuízos ao Acre

Publicado

em

Em muitas localidades brasileiras, a calamidade causada pela pandemia da Covid-19 somou-se aos efeitos adversos dos fenômenos naturais – inundações, alagamentos, deslizamentos, secas, incêndios florestais, entre outros. Com crescimento de mais de 68,5%, em relação ao ano anterior, as anormalidades causaram prejuízos econômicos de R$ 62,5 bilhões, entre janeiro e dezembro de 2020.

No Acre, os cálculos da Confederação Nacional de Municípios (CNM) indicam que os prejuízos chegaram a R$ 1.947.692,00, o menor valor entre os Estados que declaram prejuízo com desastres naturais no ano passado. Roraima não apresentou relato.

Em geral, as enchentes dos rios foram as causadoras desse prejuízo.

A constatação da CNM se dá por meio do estudo Danos prejuízos causados por outros desastres durante a pandemia em 2020. O diagnóstico não traz detalhes sobre os Estados, apenas um panorama geral da situação.

O mapeamento da entidade mostra ainda os malefícios humanos, materiais e ambientais dos desastres naturais, potencializados pela ação humana.

Foram 13.065 decretos de Situação de Emergência (SE) e, desses, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional (Sedec/MDR) reconheceu 9.348, 3.432 estão sob análise e apenas 285 decretos não foram reconhecidos. Os números mostram que 71,15% dos pedidos de anormalidade já foram reconhecidos pelo poder público federal.

Os desastres decorrentes de tempestades, ciclones, alagamentos, inundações, deslizamentos, entre outros, causaram a morte de 235 pessoas. O excesso de chuvas também deixou mais de 96.535 mil pessoas desabrigadas e 306.035 desalojadas. Sendo assim, somando todos os desastres que ocorreram em 2020, mais de 41 milhões de pessoas foram afetadas.

Continuar lendo

Destaque 6

Mãe de Gladson diz que não é hora de desobrigar uso de máscaras

Publicado

em

A mãe do governador Gladson Cameli, Linda Cameli, não gostou muito da ideia do filho em desobrigar o uso de máscaras. Nas redes sociais, Linda Cameli afirmou que esse não era o momento para retirar a obrigatoriedade do uso do equipamento e citou, por exemplo, a alta ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com pacientes internados por Covid-19.

“Eu acho que não é hora pra deixar de usar máscaras. Hospitais lotados. Essa doença é horrível”, escreveu.

O comentário ocorreu na página do ac24horas, após Gladson afirmar na manhã desta terça-feira, 15, que estuda a publicação de um decreto nos próximos dias para que os acreanos imunizados deixem de usar o equipamento de proteção individual facial.

“Eu aguardo um estudo se vai manter aquela programação da quantidade de vacinas. Estou pensando em adotar algumas medidas, como por exemplo a retirada do uso de máscaras”, explicou Cameli.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas