Conecte-se agora

Oposição define hoje na Aleac a “CPI da Educação”

Publicado

em

A OPOSIÇÃO deve se reunir hoje na Assembleia Legislativa, para discutir a abertura da “CPI da Educação”. Um fato novo nas investigações policiais, que envolve uma suposta participação do secretário Mauro Sérgio, na combinação de resultados de licitações na sua secretaria, é o motivo pelo qual se pautará a oposição para pedir a abertura da CPI. 

O deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse ontem ao BLOG DO CRICA trabalhar com nove assinaturas para o pedido de abertura da CPI, uma a mais do que o número mínimo, que é de oito adesões ao requerimento de instalação. 

O pedido deverá ser puxado com a assinatura do deputado Daniel Zen (PT), que se aprovado, deverá ser apresentado na mesa diretora da ALEAC. “Entre hoje e amanhã, resolvemos esta questão”, previu Edvaldo. 

O líder do governo, Pedro Longo (PV), avaliou ontem ao BLOG que a base do governo não teme a CPI, mas é contra porque o caso já está judicializado, e as investigações em curso. “Acho que a CPI é mais um movimento político da oposição, sem sentido, desnecessária”, aduziu. 

Longo destacou ainda que todas as providências foram adotadas pelo governador Gladson, inclusive, determinando uma auditoria “pente fino”, para esmiuçar todos os contratos da Educação. Uma CPI, neste estágio, ao ver do líder do governo, não acrescentaria nada. Negou também haver fato novo, porque o depoimento no qual se apega a oposição já está no bojo da apuração. A CPI passou a ser a principal pauta do Legislativo no decorrer da semana.

PEDIU PARA ASSINAR

O DEPUTADO Neném Almeida parece que quer mesmo distância do Palácio Rio Branco. Procurou a oposição para dizer que ele quer assinar o requerimento da CPI.

VIDAS EM APOSTA, COM A PALAVRA, O MP!

O PREFEITO de Cruzeiro do Sul, Zequinha, resolveu de uma canetada abrir o comércio nos sábados, domingos e feriados. É, como dar um tiro no escuro numa multidão, poderá acabar acertando alguém. Com a palavra, o MP!

ROLETA RUSSA

NÃO SE BRINCA de roleta-russa numa pandemia, na beirada próxima das 1.400 mortes. Nos casos de abrir o comércio para agradar o empresariado, na capital, o MP tem sido rigoroso na defesa dos protocolos da pandemia 

BOAS NOTÍCIAS

BOAS notícias do governo em tempo de pandemia: o governador Gladson vai antecipar a primeira parcela do 13º salário dos servidores em julho, e iniciou o pagamento da ajuda de 150 reais às famílias de baixa renda.

O QUE MAIS?

FOI divulgado que Senador Guiomard é a segunda cidade onde mais se vacinou contra a Covid-19. Esperava-se bem mais que isso da prefeita Rosana Gomes nos 100 dias.

FALA EQUIVOCADA

NO DIA que assumir o governo, por um dia que seja, o vice-governador Rocha pode sim demitir ou nomear quem bem quiser no governo. O governador Gladson equivocou-se na sua fala, ao contestar este direito.

MUNIÇÃO DE GRAÇA

E, o governador Gladson, também se equivoca em estar respondendo às provocações do vice Rocha, porque esta é uma munição que lhe interessa para continuar a briga.

PEDRA EM CIMA

O GLADSON não devia esticar esta corda, a decisão mais sensata que poderia ter tomado; não tomou até aqui, que era pôr uma pedra em cima deste debate com o seu vice. Toda a vez que responde ao Rocha, aviva a discussão.

ERA PARA TER MEDO

GATO escaldado era para ter medo de água fria. É melhor o Ney Amorim (PODEMOS) se acomodar na disputa para  deputado federal, do que ir ao suicídio para o Senado.

SEM BASE ELEITORAL

O PODEMOS é um partido sem bases eleitorais na maior parte do estado. E, o novo presidente Ney Amorim (PODEMOS), tem que começar do zero na maioria dos municípios.

SITUAÇÃO DIFÍCIL

DEPOIS deste depoimento de um policial que servia na Educação, de que as licitações eram de cartas marcadas, e com a anuência do secretário Mauro Sérgio, ainda que, ele deva ser ouvido, tem direito, fica difícil mantê-lo.

NÃO É ANTECIPAR JULGAMENTO

NÃO HÁ como acusar o secretário Mauro Sérgio de qualquer ilícito na Educação, mas o seu afastamento seria a medida acertada, enquanto perdurar a investigação.

NÃO ENTRO NO MÉRITO

QUANTO ao mérito sobre os escândalos levantados até aqui na Educação, deixo para a justiça, tenho por prática jornalística não antecipar julgamento de nenhum caso.

MUITO SIMPLES

O ARGUMENTO que uso, é simples: se antecipar uma condenação antes dos acusados terem direito de defesa, depois a justiça absolve, e não há como reparar o mal da publicação. Me limito a dar o fato e pedir providência, fazendo meu papel de jornalista. O resto é com a justiça.

NÃO HÁ COMO

AGORA, neste caso da Educação não há como não divulgar a sucessão de escândalos sendo levantados naquela pasta.

INDO PARA A POLÍTICA

UMA FIGURA palaciana expressiva me disse ontem que, não coloca na sua contabilidade de 2022, o apoio do prefeito Tião Bocalom ao governador Gladson Cameli, acha que colar no prefeito seria desgaste, e também ele apoiará a candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD).

AINDA ACREDITA

UM DOS POUCOS que vejo crer numa boa gestão do prefeito Tião Bocalom é o senador Sérgio Petecão (PSD), que ainda aposta que, o Boca reverte a impopularidade, e chegará em 2022 por cima da carne seca. É aguardar!

APOIO GARANTIDO

O PREFEITO Mazinho tem dois apoios garantidos para a sua campanha a deputado federal. O prefeito de Manuel Urbano, Tanízio de Sá; e, o de Santa Rosa, Tamir de Sá.

NADA DE NOVIDADE NO FRONT

ADALBERTO ARAGÃO com seu vice Airton Rocha; governador Nabor Júnior com a vice Iolanda Fleming; Edmundo Pinto com o vice Romildo Magalhães, brigaram feio em seus governos. Não tem nada de novidade no estado, a briga de governador com vice, Gladson e Rocha entram apenas para a estatística das brigas políticas.

 FRASE MARCANTE

“A população acreana não quer saber de CPI, quer saber quando vai tomar a vacina”. Frase do deputado Pedro Longo (PV), líder da base do governo Gladson na ALEAC.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.