Conecte-se agora

Palácio sinaliza Ruth Bernardino na Educação no lugar de Mauro Sérgio

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

Se a indicação de Nenê Junqueira para a Secretaria de Produção e Agronegócio (SEPA) surgiu como peça fundamental para “dinamitar” o apoio do MDB à reeleição do governador Gladson Cameli, a indicação para substituir o professor Mauro Sérgio na cobiçada secretaria de educação vem sendo trabalhada com delicadeza pelo Palácio Rio Branco.

A Casa Civil sabe que qualquer pedra mexida de forma errada no tabuleiro de xadrez visando as eleições do ano que vem pode ser um tiro no pé nas pretensões de reeleição do atual projeto político que já não conta com PSDB, PSL, PR e parte do MDB nesse debate.

O nome mais cotado e da preferência do governador Gladson Cameli é o da professora e ex-prefeita do município de Rio Branco, Socorro Neri, mas a indicação foi rejeitada pela base aliada da Assembleia Legislativa do Acre e da bancada federal em Brasília, devido a ex-gestora da capital permanecer filiada ao PSB.

Para alguns aliados a indicação da ex-prefeita para a educação indicaria total aproximação do governador Gladson Cameli com partidos da esquerda e o fim do palanque pró-Bolsonaro em 2022. De cara, o projeto de reeleição perderia apoio do senador Márcio Bittar e a ala emedebista que ainda navega na órbita do Palácio Rio Branco.

Esse tom também foi dado por deputados estaduais que ensaiaram até uma rebelião caso a nomeação da ex-prefeita fosse confirmada. Na bancada federal, deputados anunciaram fim do apoio à reeleição caso o nome de Neri fosse confirmado.

“O governador perderia pelo menos três aliados na Assembleia Legislativa e dois deputados federais em Brasília, além do senador Márcio Bittar. A sinalização já foi dada no corte de recursos de bancada esse ano”, disse um interlocutor do Palácio Rio Branco.

Em nota divulgada ontem (11), em sua rede social, Socorro Neri, demonstrou irritação com as especulações e descartou qualquer possibilidade de assumir cargo no governo atualmente. “Em janeiro decidi retornar à UFAC e, para minha honra, a reversão da minha aposentadoria foi deferida e publicada no Diário Oficial da União do último dia 6, pelo que serei sempre grata aos meus pares e à reitoria”, disse.

Com a negativa, o Palácio Rio Branco trabalha para colocar um nome neutro que seja de total confiança. O mais cotado é de Ruth Bernardino, coordenadora do núcleo de educação de Cruzeiro do Sul.

Embora seja prego batido e virado a ponta, a substituição do professor Mauro Sérgio deve acontecer após o seu retorno de férias. O atual secretário pediu licença para ajudar a cuidar do pai que foi infectado por Covid-19. Mauro retorna dia 20 para o Acre. O pai se recupera bem.

Para assessores próximos, o atual secretário tem revelado que não foi comunicado sobre sua exoneração do cargo. Mauro foi nomeado pelo governador Gladson Cameli em janeiro de 2019. Embora não tenha sido indiciado em nenhuma fase da Operação Pratos Limpos desencadeada pela Delegacia de Combate à Corrupção (DECOM), a manutenção do professor no cargo é insustentável.

Mesmo diante de todas especulações, o governador Gladson Cameli não fala oficialmente sobre o assunto. Nenhuma nota foi emitida pela assessoria do Palácio Rio Branco.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas