Conecte-se agora

No Acre, homossexual diz que foi agredido pela própria família

Publicado

em

Um vídeo gravado por Roberto Castelo na noite deste sábado, 10, ganhou as redes sociais e se tornou motivo de discussão sobre um possível crime de homofobia. O homem de 37 anos, muito abalado, conta que tinha acabado de ser agredido por 7 pessoas da sua própria família apenas pelo fato de ser homossexual.

Chorando muito, com roupas rasgadas e hematomas visíveis pelo corpo, Roberto conta em um vídeo de pouco mais de 4 minutos que nunca teve uma família que o apoiou. “Eu não mereço isso, a minha família sempre me odiou, sempre me desejou o mal, desde criança eles fazem isso comigo, sempre praticaram bullying comigo e eu não sei mais o que fazer, vou virar um morador de rua, mas para casa eu não volto mais”, diz no vídeo.

Na manhã deste domingo, 11, Roberto voltou a falar sobre o ocorrido em uma rede social. “Violência doméstica pela família de monstros que eu tenho! Que Deus me proteja da minha família! Homofobia é crime e eu não posso mais me calar! Desde de criança nunca fui tratado como um membro da família! Mas tomarei minhas providências junto ao Ministério Público! Contra todas as pessoas que moram comigo e pedir pelo amor de Deus que essa despesa (sic) do meu irmão saia da minha casa! Porque quem casa quer casa! A mulher ama uma discórdia, levei 7 chutes na minha cara, na qual me protegi com as mãos pra não ficar com hematomas”, disse.

Em contato com o ac24horas, Roberto contou como aconteceu a agressão. Ele relata que tudo começou por conta de uma discussão por causa do volume do som. “Eu fui jantar e pedi para baixarem o som. A minha cunhada fez foi aumentar. Quando ela passou, eu apenas peguei no braço dela e pedi pra ela parar. Foi aí que ela já me empurrou e outras seis pessoas, todas da minha família, começaram a me agredir. Ligaram para a Polícia, que só ouviu o lado deles e eu fui levado algemado para a Delegacia. Quando saí, tinha um carro com três caras que me mostraram um revólver e disseram que tinham ido me matar à mando da minha cunhada”, conta.

Na manhã deste domingo, Roberto estava na Delegacia e afirmou que irá fazer um exame de corpo de delito e denunciar a agressão sofrida.
Roberto Castelo foi candidato a vereador de Rio Branco nas últimas eleições pelo PTB, mas obteve apenas 91 votos.

A reportagem não conseguiu contato com a cunhada e demais familiares de Roberto acusados de agressão e homofobia, mas garante o espaço, caso haja o interesse em se manifestarem.

video

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas