Conecte-se agora

Quem vai juntar os cacos para o Palácio Rio Branco? 

Publicado

em

O GOVERNADOR GLADSON CAMELI chegou ao governo num arco de alianças com o MDB, PSDB, PSD e PP, para falar nos partidos mais fortes da sua coligação. A lógica era de que, este mesmo bloco fosse para a eleição municipal em torno de uma única candidatura a prefeito de Rio Branco. 

Mas, a lógica nem sempre funciona na política. E, o que se viu foi um samba com tamborim furado. O PSDB buscou um candidato que foi adversário na campanha para o governo, o ex-petista Minoru Kinpara. 

A dupla PSD-PP, lançou o Tião Bocalom, que também não apoiou o Gladson na sua eleição. E o Gladson Cameli, por sua vez, colocou mais pimenta na maluca mistura, que foi o de ter como sua candidata a ex-prefeita Socorro Neri, que estava no palanque do seu adversário Marcus Alexandre (PT). 

O candidato do MDB, deputado Roberto Duarte, era o único nesta cena que esteve com o Gladson na sua campanha ao governo, mas ao se eleger virou o mais duro crítico do governador. Resumindo: o grupo que esteve unido em torno da candidatura do Gladson Cameli para o governo, implodiu na última eleição municipal. Não se vê até o momento um movimento de uma nova aglutinação para a eleição do próximo ano. Pelo contrário, o espatifado aumentou o número de cacos.

Por isso, estarem todos no mesmo palanque para a eleição de governador em 2022, virou uma engenharia complicada e enigmática. Fica assim, impossível dizer com que roupa os grandes partidos da direita irão para a festa do Palácio Rio Branco na sucessão estadual do próximo ano. Quem vai juntar os cacos? É uma pergunta que não pode calar. É de difícil resposta.

QUADRO DESOLADOR

EM UM VÍDEO que detona o presidente Jair Bolsonaro, pela sua inércia no combate ao Covid; o prefeito Bocalom pela violência contra os Garis, o deputado Daniel Zen (PT) também traçou um quadro desolador do sistema de saúde das unidades do interior, que entraram em colapso. Pede mais ações céleres e eficazes por parte do governador Gladson, sob pena do quadro se agravar mais.

LEVADO A SÉRIO

O RELATÓRIO da visita de um grupo de deputados de vários partidos aos hospitais do interior é isento politicamente, e deve ser levado a sério pelo governo. É visto como uma contribuição para a correção de rumos na pandemia.

ALGUÉM PODE ME EXPLICAR?

ALÉM de agradar ao senador Márcio Bittar (MDB), os assessores políticos (sic) do governador Gladson Cameli poderiam explicar o que ele ganha com a troca do secretário Edivan Maciel, que vinha dando certo?

O JOGO É POLÍTICO

O JOGO num governo não é só de gestão, mas também político. Nada contra a qualificação do pecuarista Neném Junqueira, mas o que a sua escolha para secretário de Agricultura somará na gestão e na política, ao governo do Gladson? Nada! Ao contrário, gerou revolta na classe produtora, e pauta negativa desnecessária ao governo, onde tudo estava calmo.

DIREITO INDISCUTÍVEL

CABE ao Gladson Cameli escolher quem quer ou não quer como seu secretário, nem se discute. Mas, para quem pensa na reeleição tem de medir os reflexos políticos.

EU PENSEI QUE ERA OBRIGAÇÃO

UMA FIGURA QUE circula nos meios palacianos revelou ontem que, a troca se trata de afagar o senador Márcio Bittar (MDB), por ter conseguido recursos extras na ordem de 500 milhões de reais ao estado, como Relator do Orçamento da União. Eu pensei que, quando alguém se elege a um cargo federal, tem a obrigação de conseguir recursos para o seu estado. Ou não?

NÃO DEIXA O PSDB

O EX-CANDIDATO a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara, não vai deixar o PSDB. Foi o que disse ontem ao BLOG DO CRICA. Sobre 2022, falou que estará ao dispor do partido para ser candidato ou não, e que vai aguardar. 

CHEGA PARA LÁ

A DEMISSÃO do diretor do Detran, Luiz Fernando, pode ser vista como um pontapé inicial de rompimento do governador Gladson com o senador Sérgio Petecão (PSD).

INDICAÇÃO PARTIDÁRIA

A INDICAÇÃO de Luiz Fernando foi decidida numa reunião do PSD, e referendada pelo senador Sérgio Petecão (PSD). O BLOG tem informação que vêm novos cortes em cargos do PSD. Ninguém no PSD quis se pronunciar a respeito.

GRANDES ORADORES

AO LONGO da minha cobertura da ALEAC conheci grandes oradores na tribuna. Poderia destacar vários, mas vou citar apenas dois, que eram ouvidos em silêncio pelo dom da oratória: Alberto Zaire (MDB) e Carlos Simão (ARENA). Travavam um debate duro e de alto nível.

AFASTAMENTO NATURAL

O SENADOR Petecão (PSD) ainda não se manifestou de forma clara se será ou não candidato a governador em 2022. Mas, se ele for candidato, e o Gladson partir para a disputa da reeleição, é natural o rompimento político.

ACABA A DISCUSSÃO

A DECISÃO da ex-prefeita Socorro Neri de levar para a justiça o contexto da legalidade do pagamento dos Garis, acabará com a dúvida de quem está com a razão no caso.

NÃO VAI MUDAR DE OPINIÃO

CONVERSEI ontem com um secretário próximo do prefeito Tião Bocalom, e este garantiu de que, este vai manter a postura de não querer um líder e nem base de apoio na Câmara Municipal de Rio Branco. Vamos ver no que dará.

NEM SINAL

O GOVERNADOR Gladson Cameli continua afastado do PP, o que levanta dúvidas se vai reativar mesmo a sua ficha no partido, ou se irá para uma outra sigla em 2022.

TECLA GASTA

VOLTO a bater na tecla gasta de que, enquanto o  Gladson não se posicionar na sucessão estadual, o jogo não se inicia. Sem saber qual será seu rumo, nada anda.

VIVEM NA IDADE MÉDIA

ONTEM, foram registradas 12 mortes pela Covid, o que soma no total 1.156 óbitos. Não tem leito de UTI, faltam leitos normais, o sistema de saúde entrou em colapso, e os que vivem ainda na Idade Média, nas trevas da ciência, continuam a brincar de cloroquina e ivermectina.

A LUTA É PELA VACINA

NÃO HÁ outra luta a ser travada que não seja a de que venham mais vacinas para imunizar os acreanos. A questão é que o governo federal levou a Covid na brincadeira, não se habilitou a contratar a compra de vacinas no início da pandemia. Não fosse o governador Dória bancar a Coronavac, o Brasil seria um cemitério da Covid bem maior do que é hoje. Não há o que contestar.

SEMPRE TEM A PRIMEIRA VEZ

CONFESSO ser a primeira vez que vejo um prefeito de Rio Branco dispensar o apoio dos vereadores, ao ponto de nem vir a indicar um líder. Acho que não dará certo, mas pode ser que eu esteja errado e o prefeito Bocalom esteja certo.

ATRASO MENTAL

TOLICE, as críticas de mentes atrasadas, com o fato da deputada federal Jéssica Sales (MDB) ter pedido a sua namorada em casamento. Só diz respeito a ambas.

TEMPOS DE LUTAS

O Sérgio Taboada foi um político em tempos de lutas contra a ditadura e governos autoritários. Foi um ícone do PCdoB, depois se desencantou com o partido e com a política, e cumpriu apenas o mandato de deputado estadual. O BLOG envia à sua família votos de pesar.

DADO COMO CERTA

UM VELHO amigo da cúpula do PSDB revelou numa conversa de que a saída da deputada federal Mara Rocha (PSDB) é dada como certa, e vê no fato, a oportunidade do PSDB se aproximar novamente do governo do estado.

FRASE MARCANTE

“É preciso lembrar à Igreja que ela não é senhora nem serva do Estado, mas a consciência dele.” Martin Luther King.

Anúncios

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.