Conecte-se agora

Mais de 20 idosos do Lar Vicentinos vacinados com a 2ª dose estão com Covid-19 e 2 morreram pela doença

Publicado

em

Os 23 idosos que foram contaminados já receberam a 2ª dose da vacina contra a Covid-19 e apresentam sintomas leves da doença 

Dos 55 idosos moradores do Lar Vicentinos, em Rio Branco, 23 estão contaminados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) e dois morreram nessa semana por complicações da doença. A informação foi confirmada ao ac24horas pela responsável do Núcleo Estadual da Saúde do Idoso e enfermeira plantonista do abrigo, Ana Cristina de Oliveira.

Os exames de RT-PCR que confirmaram os resultados positivos em massa para a doença foram recebidos pela instituição na noite desse sábado (27). Destes, 13 são do sexo masculino e 10 do sexo feminino. Os 23 moradores já foram imunizados com a segunda dose da vacina contra o vírus, portanto, apresentam atualmente sintomas leves ou moderados da doença.

Os dois idosos que faleceram apresentando sintomas de Covid-19 só receberam o resultado positivo após o óbito. Estes, segundo a enfermeira do local, só tomaram a primeira dose da vacina. Um ficou internado na ala geriátrica da Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre) e o outro no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Conforme relatado pela equipe de saúde que atende no abrigo, os casos teriam sido constatados após um dos cuidadores do local ter sido infectado ao acompanhar o tratamento de um dos moradores que ficou internado com a doença. “A direção do Lar [Vicentinos] não disponibilizou um só cuidador para ficar com o idoso internado. Ela fez escala entre os cuidadores para ficar com os idosos”, explica Cristina.

O cuidador que se infectou ao cuidar do idoso com suspeita de Covid-19 só havia sido imunizado com a primeira dose da vacina contra o vírus. “Ele [cuidador] não tomou a segunda dose e está afastado e tratamento da doença”, garante a enfermeira.

Os 23 idosos ainda contaminados estão isolados no abrigo, afastados do restante dos moradores e apresentam quadro de saúde estável, apenas com sintomas leves.

Foto: Odair Leal/Secom

Destes, somente 2 foram para o Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into) por um curto período de tempo por apresentarem baixa saturação.

“O Estado já disponibilizou enfermeiros, técnicos em enfermagem e médicos para acompanhar os idosos desde que receberam a vacina. Eles são monitorados diariamente. A saúde estadual não tem medido esforços para cuidar dos idosos no Lar Vicentinos. Há equipes tirando plantão”, informou Ana Cristina.

Para a enfermeira, o que aconteceu foi uma espécie de surto. “Infelizmente, não foi identificado a tempo, pois ficamos aguardando o município fazer os exames, mas demoraram e o Lar teve de fazer os exames via rede particular para confirmar os casos”, destacou Oliveira.

Ela garante que nesta segunda-feira, dia 1º de março, equipes da Vigilância Sanitária do Estado vão ao Lar Vicentinos fazer inspeção. “O Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) foi acionado para fazer desinfecção do local. Haverá também orientação à equipe do abrigo e verificação da estrutura física que está isolando os moradores, além de dar suporte”.

Primeiro idoso vacinado

A primeira pessoa a receber a dose da vacina CoronaVac contra o coronavírus no Estado do Acre, o idoso José Marcelino de Oliveira, de 85 anos, que mora no abrigo, não está entre os infectados, conforme garantiu a enfermeira.

O que diz a prefeitura de Rio Branco

O secretário municipal de saúde em Rio Branco, Frank Lima, também confirmou que recebeu a informação de contaminação em massa nos idosos, inclusive, que recebeu pedido de auxílio para a testagem dos idosos. “Precisamos saber se eles realmente adquiriram [a doença] ou se é reação ao vírus. Vamos fazer uma investigação, ter contato com a Casa pra ter certeza dos resultados e colocar a Vigilância para poder fazer investigação sobre isso”, disse à reportagem.

Segundo Lima, é preciso descobrir o “fio da meada”. “Precisamos fazer todas as notificações para saber até onde está indo a eficácia da vacinação. É preciso uma investigação a fundo. Todos os idosos tomaram a segunda dose da vacina, mas não tem 15 dias que eles tomaram a segunda dose”, explica o secretário, salientando que o que cabe ao município e ao Estado é notificar os casos para haver investigação. “Nessa segunda-feira a Vigilância irá ao abrigo saber o que aconteceu”, finalizou.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas