Conecte-se agora

Conversa entre médicos desmente Sesacre sobre apagão no Into: foi um “caos”

Publicado

em

Apesar de a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) ter garantido que o gerador de energia funcionou e que não houve nenhuma complicação pela queda de energia ocorrida na manhã desta sexta-feira, 19, um print obtido pelo ac24horas comprova que a situação no Hospital de Campanha do Instituto de Ortopedia e Traumatologia (Into) não foi de calmaria, como atestou a direção da unidade de saúde em nota enviada à imprensa.

Na conversa entre médicos num grupo de WhatsAapp, o médico Luis Fernando Castro diz que precisa de ajuda. Ao ser indagado, o profissional afirma que se trata de uma queda de energia. Ele diz que o oxigênio acabou e se refere a situação momentânea como “caos”.

Participam da conversa o médico Osvaldo Leal, um dos coordenadores da unidade de saúde, e Hilton Piccelli, diretor da Medial Saúde, empresa que administra o INTO.

Osvaldo Leal chega a perguntar se o gerador não entrou. Luis Fernando responde não saber, mas afirma que alguns pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) já estavam sendo ambusados, procedimento quando é usado instrumento chamado de ambu, para auxiliar pacientes na oxigenação.

Após saber que a reportagem teve acesso ao print, a gerente-geral do INTO, Lorena Seguel, mudou a versão apresentada anteriormente na nota e admitiu que pacientes da UTI foram ambusados.

“O que houve foi uma oscilação de oxigênio na hora que entrou o gerador. Essa oscilação faz com que dependendo da pressão que está sendo usada no paciente o ventilador diminua a frequência Nesse caso o médico faz o procedimento de mandar o oxigênio via ambu. Não foram todos os pacientes, apenas alguns”, diz Lorena.

Anúncios

Bombando

Anúncios

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas