Conecte-se agora

Guedes defende ‘travar o resto todo’ do orçamento caso auxílio seja renovado

Publicado

em

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (26) que a estratégia da área econômica é levar adiante a vacinação em massa da população brasileira e aguardar a queda da taxa de mortalidade da Covid-19 e o retorno de um nível mais forte da atividade econômica, de modo que não seja preciso renovar o auxílio emergencial.

Segundo ele, porém, se a vacinação atrasar e a pandemia se agravar, e isso leve à necessidade de renovar o auxílio emergencial, os demais gastos do governo têm de ser contidos.

“Não pode ficar gritando guerra toda hora. Tem de ter muito cuidado”, disse Guedes, se referindo ao chamado “orçamento de guerra”, aprovado pelo Congresso no ano passado e que permitiu ao governo o investimento bilionário em ações de combate à pandemia, entre elas o pagamento do auxílio emergencial a trabalhadores informais.

“Quer criar o auxilio emergencial de novo, tem de ter muito cuidado. Pensa bastante, pois, se fizer isso, não pode ter aumento automático de verbas para educação, para segurança pública, pois a prioridade passou a ser absoluta, é uma guerra. Aqui é a mesma coisa, se apertar o botão ali, vai ter de travar o resto todo [do orçamento]. Então vamos observar a economia, a saúde, os dois andam juntos, e esperar pelo melhor”, completou.

Partido de oposição, e mesmo aliados do governo, têm defendido uma nova rodada do auxílio emergencial. O presidente Jair Bolsonaro, entretanto, têm dito que não será possível o pagamento do benefício em 2021 devido à disparada do endividamento público no ano passado.

Sem reajuste

Entre as medidas para cortar gastos em caso de renovação do auxílio, Guedes defendeu que servidores públicos continuem sem reajuste e que não haja aumento automático de verbas para educação e segurança pública.

“A classe política tem de assumir a responsabilidade pelos orçamentos. Se ela apertar o botão vermelho, de emergência, não é só pegar o dinheiro e sair correndo. Tem de fazer todo o protocolo de sacrifício por anos. Se você está em guerra, não tem distribuição de medalha antes da guerra acabar, ou seja, não pode ter aumento de salário enquanto não passar um, dois anos depois da guerra. Tem de pagar o custo da guerra, não pode empurrar isso para as futuras gerações”, disse..

Ainda comparando a pandemia com um cenário de guerra, ele afirmou que liberar uma nova rodada de auxílio emergencial, com alto impacto nos gastos públicos, seria igual disparar uma “bomba atômica”.

“Tem o botão vermelho. Se apertar, prepara, destruiu o outro lado, mas vai ter desastre ambiental para tudo quanto é lado, pois o outro lado também dispara. Vai ser o caos”, disse.

Para levar adiante esse plano, porém, Guedes afirmou que é preciso incluir na PEC do pacto federativo, que ainda não foi votada, uma “cláusula de calamidade pública”.

“É um caso agudo de emergência fiscal. Desindexa, desvincula, trava sua despesa lá, e em um ano ou dois, o aumento natural da receita resolve a situação”, disse.

Cotidiano

Roberto Duarte critica terceirização da saúde no Acre em protesto na Fundhacre

Publicado

em

A manhã desta terça-feira, 3, começou agitada com a manifestação de trabalhadores da Fundação Hospitalar do Acre – Fundhacre. O deputado estadual Roberto Duarte foi até o local para ouvir os colaboradores e fez uma transmissão ao vivo pelo seu facebook.

Na oportunidade, a enfermeira Natália, que trabalha na Fundhacre há 10 anos, explicou que o Governo do Acre está terceirizando o setor de material e esterilização do hospital, um dos mais importantes. “Isso é uma desvalorização com todos nós servidores. Nós somos contra. O SUS não aprova terceirização”, disse.

“Mai uma terceirização. Agora, é um contrato de quase R$ 10 milhões, por apenas um ano. Governador Gladson Cameli, olha o que vocês estão fazendo com a saúde do nosso estado e com o nosso SUS, que merece o nosso reconhecimento por toda importância, em especial, neste momento de pandemia contra a Covid-19”, disse Duarte.

Entenda o caso – Há alguns dias, o diretor da Fundhacre, João Paulo Silva, divulgou uma nota que confirmou a contratação da empresa. “De fato, foi feito um contrato com a empresa privada Bioplus Ltda, a qual irá assumir a gestão da Central de Material e Esterilização e do Centro Cirúrgico da Fundhacre, cujo contrato ocorreu de acordo com os requisitos do certame e dentro da legalidade, sem nenhuma prática ilícita”.

Continuar lendo

Cotidiano

Vereadores de Rio Branco retomam os trabalhos com sessões presenciais na Câmara

Publicado

em

Os vereadores da Câmara de Rio Branco retornaram nesta terça-feira, 03, após um ano e quatro meses as sessões presenciais. Durante esse período, o parlamento-mirim adotou as sessões online enquanto o Acre passava pelo momento de restrições devido a pandemia da covid-19.

A sede do Parlamento, que antes funcionava na rua Vinte e Quatro de Janeiro, na Seis de Agosto, passou a ser na rua Hugo Carneiro, no bairro Bosque. O local da galeria ficou extremamente apertado devido ao pouco espaço para a imprensa e para os assessores de cada vereador, que estavam no local.

As transmissões ao vivo das sessões continuam sendo feitas através dos canais oficiais da câmara, Facebook e Youtube. A outra novidade no retorno será o Painel Eletrônico para realização das votações plenárias. O novo recurso foi divulgado pelo presidente da Câmara antes do recesso dos parlamentares.

Continuar lendo

Cotidiano

Câmara de Bujari pode derrubar lei que proíbe ficha suja de trabalhar na prefeitura

Publicado

em

Vereadores do município de Bujari, no interior do Acre, deram um passo importante este ano para moralizar o serviço público municipal ao aprovar a Lei que proíbe quem tem processo no âmbito da administração pública de assumir cargo na prefeitura local. No entanto, ela pode ser anulada na sessão da Câmara de Vereadores desta terça-feira, 3, pelos próprios vereadores que a aprovaram.

A Lei da Ficha Limpa é de autoria dos vereadores Jairo Pinheiro, MDB, e Mariazinha (PSD) e foi aprovada por unanimidade, sancionada pelo prefeito Padeiro. Acontece que por mais que seja uma lei que aparentemente só traga benefícios ao município, Jairo acredita que a revogação atende a interesses de alguns parlamentares.

Segundo ele, alguns querem assumir cargos na atual administração, mas estão impedidos pela lei. “Alguns vereadores que não eram da base do prefeito pegaram cargos na prefeitura e resolveram articular para derrubar a lei. A população de Bujari está indignada porque sabe que essa lei ajuda a afastar os maus gestores da administração”, destaca.

Continuar lendo

Cotidiano

Terça-feira será de dia ensolarado e quente em todo o Acre, informa Sipam

Publicado

em

De acordo com o Serviço de Proteção da Amazônia (Sipam), esta terça-feira, 3, será de dia ensolarado e quente em todo o estado. Segundo o boletim, o céu varia de claro a parcialmente nublado e não há previsão de chuva em todas as regiões acreanas. Uma forte massa de ar seco predomina sobre o Acre e dificulta a formação de nuvens sobre o estado.

Confira as temperaturas em todas as regiões:

Alto Acre

Em Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri, as temperaturas oscilam entre a mínima de 16°C e a máxima de 33ºC.

Baixo Acre

Mínima de 17°C e máxima de 33ºC são as temperaturas registradas em Acrelândia, Bujari, Capixaba, Plácido de Castro, Porto Acre, Senador Guiomard e Rio Branco.

Vale do Juruá

Já em Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter e Rodrigues Alves os termômetros ficam entre 18ºC e 32°C.

Vale do Purus

Em Manoel Urbano, Santa Rosa do Purus e Sena Madureira faz entre 17º C e 32°C.

Vale do Tarauacá/Envira

Por fim, em Feijó, Jordão e Tarauacá a variação de temperatura fica entre a mínima de 19°C e a máxima de 32°C.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas