Conecte-se agora

Bolsonaro manda exonerar esposa e indicado de Flaviano no governo

Publicado

em

Na reta final da campanha para a presidência da Câmara, o governo federal deu início a retaliações e retirou cargos de deputados aliados a Baleia Rossi (MDB-SP), candidato com discurso de independência do Planalto. A ideia é pressionar para que parlamentares votem em Arthur Lira (PP-AL), aliado do presidente Jair Bolsonaro. Deputados terem sido informados que indicados seus em postos na administração federal foram exonerados nos últimos dias, entre eles o deputado federal do Acre, Flaviano Melo (MDB-AC).

Melo perdeu dois indicados no estado que mantinha desde o governo Temer. Foram exonerados neste mês Jorge Mardini Sobrinho, superintendente do Iphan, e Luciana Videl de Moura, da Secretaria de Patrimônio da União (SPU). Luciana é esposa do deputado.

“São da época do Temer. Ninguém mexeu neles e eles ficaram lá. Nem perguntei o motivo, porque eu sou do MDB e o MDB da Câmara não é da base do Bolsonaro, mas também não ia mandar (os indicados) saírem. Me disseram só que foi ordem do Palácio”, diz Flaviano.

Até há poucas semanas, o governo vinha adiando a tática de tirar cargos de aliados de Baleia Rossi para evitar um confronto direto. Um levantamento chegou a ser feito sobre quantos cargos tinham deputados de cada grupo, mas o plano era deixar essa relação de nomes em banho-maria até a eleição. Nas últimas duas semanas, porém, com a polarização da disputa, integrantes da Secretaria de Governo mudaram de ideia e as exonerações começaram. A votação na Câmara está marcada para a noite da próxima segunda-feira e deve invadir a madrugada.

Anúncios

Acre

Pandemia fechou 240 lojas varejistas no Acre em 2020

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

De acordo com levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o saldo entre aberturas e fechamentos de loja com vínculos empregatícios no comércio varejista brasileiro ficou negativo em 75,2 mil unidades no ano passado.

O Estado do Acre perdeu 240 lojas nesse ano, tudo por conta da pandemia. As perdas do Acre só não são maiores que Roraima e Amapá, e São Paulo é o que Estado mais afetado com mais de 20 mil lojas fechadas.

Em nível de país, foi a maior retração na quantidade de estabelecimentos com estas características desde 2016 (-105,3 mil), quando o setor ainda sofria os efeitos da maior recessão da história recente do país.

Naquele ano –2016 – o volume de vendas do comércio varejista, medido através do conceito ampliado (apropriando os dados dos segmentos automotivo e de materiais de construção), encolheu 8,7% em relação a 2015, de acordo com a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – o pior ano do setor desde o início dos levantamentos mensais no ano 2000.

Nas contas do Ministério da Economia, o Acre mais tem aberto que fechado empresas.

Continuar lendo

Acre

Após vazante, Rio Acre volta a se aproximar dos 13 metros na Capital

Publicado

em

Depois de passar a última semana apresentando vazante na capital acreana, o Rio Acre voltou a elevar o nível das águas nesta segunda-feira, dia 1º de março. Apesar de ter amanhecido o dia mais baixo, com 12,46 metros, o manancial já apresentava 12,60 metros por volta das 15 horas de hoje, uma elevação de quase 15 centímetros durante o dia.

De acordo com o boletim divulgado pela Defesa Civil de Rio Branco, mesmo com a subida repentina, o rio continua fora das cotas de transbordamento e de alerta, que são de 13,50 metros e 14 metros, respectivamente.

A elevação do nível do rio pode ter se dado pela incidência de chuva na região, que segundo o Coordenador Municipal de Defesa Civil de Rio Branco, Major Cláudio Falcão, já era esperada pelos órgãos de controle. De ontem para hoje, a capital acreana teve 14,90 milímetros de chuva.

Continuar lendo

Acre

Pedro Longo é escolhido como o novo líder do governo na Aleac

Publicado

em

Após reunião com integrantes que compõem a base do governo na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), os parlamentares convidaram o deputado Pedro Longo (PV) para ser o novo líder. Gerlen Diniz (Progressistas) destacou que a nova escolha é extremamente capacitada para o posto.

O presidente da Aleac, deputado Nicolau Júnior (PP), agradeceu Gerlen Diniz pelo empenho durante o tempo em que o mesmo ficou como líder do governo na Casa. Ele também desejou sucesso ao novo ocupante do posto, deputado Pedro Longo.

“O deputado Gerlen tem feito um excelente trabalho e ficamos muito felizes por isso. A escolha do novo nome foi um consenso de todos. O deputado Pedro é um intelectual, com uma carreira jurídica impecável, uma pessoa extremamente preparada. Estamos unidos sempre em busca pelo melhor para o Acre. Desejo sorte a ele e que Deus abençoe sua caminhada”, disse.

Gerlen Diniz, que atuou por dois anos na liderança do governo, foi quem sugeriu que a vaga fosse ocupada por Pedro Longo, pontuou que é importante passar o posto para outra pessoa a partir de determinado momento. Ele enalteceu a capacidade técnica do colega e lhe desejou sucesso.

“Desde o inicio do mandato tenho ocupado esse cargo, mas chega um momento em que você tem que passar o bastão e o deputado Pedro Longo é extremamente capacitado, terá meu integral apoio. Quando o parlamento vai bem, quem ganha é a sociedade. Tenho certeza que ele vai desempenhar um excelente trabalho”, afirmou.

O novo líder do governo na Aleac, deputado Pedro Longo, agradeceu pelo seu nome ter sido aclamado pelos demais colegas, e assegurou que vai fazer o melhor para que os projetos do executivo sejam bem recebidos na Casa Legislativa.

“O deputado Gerlen entendeu que era um momento de renovação e, após uma reunião,  a base me convidou. Me sinto honrado com essa responsabilidade, o governador tem feito um trabalho muito bom e me dedicarei inteiramente para que os projetos do governo sejam bem recebidos no Poder Legislativo”, pontuou.

Continuar lendo

Acre

Prefeito de Manoel Urbano por três mandatos morre vítima da Covid-19

Publicado

em

O município de Manoel Urbano está de luto. Morreu em Rio Branco nesta segunda-feira, 1, o ex prefeito Admilson Mendes de Araújo, aos 82 anos, vítima da Covid-19.

Admilson, foi prefeito por três mandatos e é considerado um dos desbravadores, da região do Purus, no Acre.

A primeira vez que foi prefeito foi entre anos de 1976 a 1978. Seu segundo mandato compreende os anos de 1979 a 1993 e a última vez que administrou Manoel Urbano foi de 1993 a 1996.

Admilson, além de um grande legado, deixa filhos, netos e bisnetos.

O prefeito Tanizio de Sá decretou luto oficial por três dias. “Manoel Urbano perde um grande homem. Neste momento queremos nos solidarizar com a família pela perda”, disse.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas