Conecte-se agora

Tem dinheiro em caixa  

Publicado

em

O Governo do Acre publicou no último dia 27/11, por exigência legal, os componentes do Relatório Resumido da Execução Orçamentária do 5° Bimestre de 2020. Nosso objetivo hoje é comentar os números apresentados, comparando-os com aqueles apresentados no mesmo período de 2019.

Impostos e taxas em recuperação

 Conforme o demonstrativo, até outubro de 2020, os impostos e as taxas arrecadadas pelo tesouro estadual totalizaram R$ 1, 479 bilhão. Para o mesmo período de 2019 foram arrecadados R$1,534 bilhão correspondendo a uma queda de 3,6%. Em função dessa queda, em 2020, as Transferências Constitucionais e Legais do estado para os municípios foram de somente de R$309 milhões, inferior aos R$ 327 ocorridos em 2019, ou seja, 5,5% a menos, foram R$ 18 milhões de reais que deixaram de ir para os municípios.

Ajuda da União salvou a queda do FPE

Com R$ 209 milhões a menos, uma queda de 7,6% (R$ 2,741 bilhões em 2019 e R$ 2,532 bilhões em 2020), o FPE, a principal fonte do custeio, não fosse o socorro do auxílio financeiro aos estados prestado pelo Governo Federal para suprir a crise causada pela pandemia a crise financeira estaria instalada. Classificado como outras transferências correntes, o estado recebeu até outubro, R$ 1,051 bilhão. No mesmo período do ano passado o transferido foi somente R$ 307 milhões, ou seja, o governo federal socorreu o estado em mais de R$ 744 milhões, o que evitou a crise.

Graças ao auxílio financeiro da união, a previsão atualizada da receita anual em outubro estava em R$7,275 bilhões, 11,8% maior que a previsão em outubro de 2019. Dessa previsão de 2020, R$ 5,670 bilhões já tinham sido disponibilizados (realizadas), ou seja 78% do previsto, estável em relação ao percentual de realização da receita de 2019 que foi de 78,6%. 

Execução das despesas ficou em 67,1% do disponível

Em relação às despesas, a dotação atualizada até outubro era de R$ 7,469 bilhões, um aumento de 13,4% em relação a outubro de 2019. Da dotação disponibilizada, somente 76,6% tinha sido empenhada (em 2019 foi de 71,8%) e 67,1% as despesas executadas (liquidadas), em 2019 este percentual tinha sido de 72,7%.

Gasto mínimo em educação e saúde dentro da normalidade

Pela legislação vigente, o total dos impostos arrecadados e das transferências recebidas, os estados têm que, no mínimo, gastar 12% em saúde e 25% em educação. Até outubro de 2020, em saúde já tinham sido gastos $ 531milhões, o que corresponde a 14,4% dessas receitas. Na educação o gasto já era de R$ 834 milhões correspondendo a 22,59%. Nos relatórios de outubro de 2019, esses percentuais eram de 12,91% em saúde e 21,45% em educação. Portanto não vejo problemas para que o governo estadual alcance o mínimo.

Déficit previdenciário aumentou 16,6% em 2020

Enquanto as receitas previdenciárias, até outubro, foram de R$ 374 milhões as despesas alcançaram R$ 879 milhões. O déficit previdenciário que no mesmo período de 2019 tinha sido de R$ 433 milhões, em 2020 já alcançaram R$ 505 milhões, um crescimento de 16,6%. Portanto, em 2020, uma média de R$ 50,5 milhões já saem da caixa do tesouro para complementar o pagamento de aposentados e pensionistas.


Verificou-se uma redução significativa, principalmente no pagamento dos juros da dívida em 2020. Enquanto em 2019 o estado desembolsou, no período, aproximadamente R$ 199 milhões para pagamento de juros da dívida, esse ano o valor caiu para R$ 98 milhões, uma redução de 39%. Houve queda também nas amortizações da dívida que saiu de um desembolso de R$ 212 milhões em 2019 para R$ 189 milhões, redução de 22%. Os dois juntos totalizaram uma redução de 22,8% no desembolso, em relação a 2019, totalizando quase R$ 85 milhões.

Investimentos aumentaram quase 90%, mas correspondeu a execução de somente 15,2% do orçamento disponível

Apesar da execução dos investimentos ter saído de R$ 67 milhões em 2019, para R$ 126 milhões no mesmo período de 2020, um crescimento de quase 90%, quando se mede o percentual da execução frente ao orçamento disponível, o nível de execução ainda é muito baixo. Em 2019 esse percentual era de 12,5% e, em 2020 alcançou 15,2%. Conforme os relatórios ainda existem mais de 700 milhões para a improvável execução nos últimos 2 meses do ano.

Concluo fazendo um resumo do cenário da execução orçamentária e fiscal do governo estadual até o quinto bimestre do ano: 

– Em primeiro lugar, destacar a importância do auxílio emergencial do governo federal que compensou a queda do FPE e das receitas próprias. O auxílio foi o responsável, em um ano de crise, o estado aumentar as suas receitas em mais de R$ 700 milhões em relação ao exercício de 2019. 

– A redução do desembolso para o pagamento dos juros e para amortizar o principal da dívida foi também muito importante para atenuar a crise fiscal. Aparentemente fruto de uma renegociação com as fontes financiadoras permitiram que esse desembolso ficasse em R$ 85 milhões menor que o mesmo período de 2019, significando um alívio adicional, mesmo que momentâneo, para o caixa do tesouro. 

– O Déficit previdenciário continua a subir. O desembolso mensal para compensar o déficit chegou, em média, a mais de R$ 50 milhões/mês.

– O percentual de gasto das despesas dos recursos disponibilizados foi de somente de 67%, medidos pelas despesas liquidadas. Mais uma vez a execução dos projetos de investimentos, orçados em mais de R$ 832 milhões de reais, ficaram muito abaixo do desejável (15,2%). Pela importância que o investimento desempenha no ambiente econômico é uma péssima notícia.

Os números indicam a existência de dinheiro em caixa. As autoridades estão anunciando um esforço grande para a realização de um vasto programa de obras públicas para 2021. Notícia muito salutar, para tanto, para que os efeitos dos investimentos sejam revigorantes para a economia é preciso preparar a máquina pública para que os empregos sejam gerados e a renda seja ampliada na nossa economia.  


Orlando Sabino escreve às quintas-feiras no ac24horas.

Na rede

Parceria entre governo e Mâncio Lima investe mais de R$ 230 mil na agricultura familiar

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Acre apresenta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave, diz Fiocruz

Publicado

em

Continuar lendo

Cotidiano

Justiça decide que governo tem 45 dias para apresentar projeto de implantação de CEI

Publicado

em

Continuar lendo

Acre 01

Com direito a moqueca e carne de sol, PP convida deputados para chapão da morte em 2022

Publicado

em

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas