Conecte-se agora

Aberta a temporada do jogo de 2022

Publicado

em

O ACRE respira política. Mal terminou a eleição municipal e já começaram os movimentos para a disputa do Governo e Senado, em 2022. O senador Márcio Bittar (MDB) confirmou ontem ao BLOG DO CRICA de que, trabalha para a formação de uma frente política para a eleição de 2022. A aliança que está na sua cabeça seria formada pelo MDB, REPUBLICANOS, PTB, PL, PSL e PSDB. Neste sentido, já conversou com os emedebistas da cúpula, Aldemir Lopes, Adalberto Ferreira, Vagner Sales, deputada federal Jéssica Sales e Roberto Duarte. E, também entabulou conversa com o vice-governador Major Rocha (PSL), com segmentos do PSDB; e com a ex-deputada federal Antônia Lúcia (PL). Este bloco formado, somaria uma força com um senador, três deputados federais, vários deputados estaduais e prefeitos. Na visão de Bittar, o grupo estaria aberto para discutir o apoio à reeleição do governador Gladson Cameli, do senador Sérgio Petecão (PSD), ou mesmo uma candidatura própria ao governo. Esta aliança só teria uma restrição: não apoiaria nenhum candidato majoritário que tiver ao seu lado o PSB, PDT, PV, PT, PSOL, PT e PCdoB. “No palanque não há vaga para partidos de esquerda, já que o candidato a presidente será Jair Bolsonaro”, destacou Bittar ontem ao BLOG DO CRICA.

ENGENHARIA COMPLICADA

OLHANDO para o quadro acima o senador Márcio Bittar (MDB) teria que ter mais que simples argumentos políticos para convencer o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) sentar numa mesa em que esteja o governador Gladson Cameli. Missão difícil. 

NÃO SE PRONUNCIA

POR ENQUANTO, o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo não se pronunciou sobre este desenho eleitoral proposto pelo senador Márcio Bittar (MDB), para 2022.

DO OUTRO LADO DA RUA

DO OUTRO lado da rua tem outro grupo formado pelo PSD e PP, com a senadora Mailza Gomes (PP), prefeito eleito Tião Bocalom, James Gomes (PP), deputado José Bestene (PP), unido em torno da candidatura ao governo do senador Sérgio Petecão (PSD).

SEM MUITOS CAMINHOS

O GOVERNADOR Gladson Cameli tem em princípio dois partidos ao seu lado, o SOLIDARIEDADE e o DEM, dos deputados federais Vanda Milani e Alan Rick, e precisa ampliar a aliança para 2022.

SEM INTERMEDIÁRIOS

AS CONVERSAS que o governador Gladson Cameli terá que travar para montar uma base de apoio à sua reeleição, terão que serem feitas pessoalmente, é um jogo sem vaga para intermediários.

DESCARTE CERTO

DENTRO deste contexto, o Gladson  não tem outra saída a não ser banir do seu palanque a coligação que apoiou a prefeita Socorro Neri, formada por PSB-PDT-PV, caso queira montar um bloco de apoio, com aliados da campanha passada ao governo.

NÃO PERDERIA NADA

TAMBÉM não perderia nada com o descarte. Em janeiro a Socorro Neri não será mais prefeita, e ela fora do poder, o PSB murcha. Também não sofreria dano se afastando do PDT e PV. Ficar com a esquerda seria prejuízo para reeleição do Gladson.

MEDIDA NATURAL

HÁ TAMBÉM um aspecto a ser ressaltado nisso tudo, o PSB, o PDT e o PV estarão em 2022 no palanque do candidato a presidente da esquerda, e contra a candidatura do Bolsonaro.

NENHUMA NOVIDADE

E, não seria novidade se no plano nacional em 2022, o PSB-PT-PCdoB-PV-PDT, estiverem no mesmo palanque para presidente.

FECHADO CONTRA O GLADSON

SOBRE POSTAGEM ONTEM DO BLOG da existência de grupos dentro do MDB, o ex-prefeito Vagner Sales mandou nota dizendo que discorda que isso implique em desunião. Garante que ao final todos se unem. E, ressaltou que, estes grupos já têm uma decisão tomada: a de não apoiar a reeleição de Gladson Cameli.

NÃO PASSOU BATIDO

NÃO PASSOU batido do BLOG a notícia de que o governador Gladson Cameli esteve nesta sua passagem por Brasília, conversando com a direção nacional do PSDB. No prato principal esteve a sua possível filiação nos tucanos. Busca novas opções.

QUESTÃO SÉRIA

O GOVERNADOR Gladson Cameli teria que se filiar a um partido que lhe desse paz e a garantia de apoio à sua reeleição. E, no PSDB, com a deputada federal Mara Rocha, teria uma desafeta.

ALERTA VÁLIDO

O DEPUTADO Pedro Longo (PV) não está sendo alarmista quando coloca no debate a possibilidade de acontecer em Rio Branco, uma ação armada para assalto a bancos. Estamos numa fronteira porosa. Não seria novidade, já ocorreu assalto a banco em Feijó.

QUER SER FISCALIZADO

NO ENCONTRO que teve com os vereadores eleitos, o prefeito eleito Tião Bocalom tomou uma posição inusitada, mas salutar: não dará cargos para vereador colocar afilhado, porque quer ser fiscalizado. Não lembro de nada parecido nos últimos 20 anos.

JV GOVERNADOR

O DEPUTADO FEDERAL LÉO DE BRITO (PT) já abriu o jogo no seu partido, quer o ex-senador Jorge Viana (PT) candidato a governador em 2022. Contaria com os prefeitos Bira Vasconcelos, Fernanda Hassem, Isaac Lima; e o recém-eleito Jerry. Uma aliança frágil para uma disputa deste porte, com o PT desgastado e fora do poder nos maiores colégios eleitorais.

NOME MUITO FORTE

O PT terá um nome forte seja para deputado federal ou para deputado estadual, em 2022: o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre. Mesmo fora do poder, ele continua popular.

PONTO POSITIVO

O PT tem um ponto positivo em relação aos partidos tradicionais, não dá espaço para adversários. O deputado federal Léo de Brito (PT), contratou para seu gabinete duas mulheres de DNA petista competentes. Andréia Forneck para a Comunicação e Raquel Moreira para chefia de gabinete. Mandato se faz com bons assessores.

CLAMANDO NO DESERTO

ATÉ AQUI o senador Márcio Bittar (MDB) está clamando só no deserto pela ligação Cruzeiro do Sul-Pucallpa. Não houve até hoje uma defesa partidária das siglas anti-PT, a favor dessa obra.

FRASE MARCANTE

“Sem o grão de areia não haveria o deserto”. Ditado árabe.

Blog do Crica

Uma briga política e ambiental 

Publicado

em

O CONFRONTO ABERTO, com trocas de acusações pesadas constantes, entre o senador Márcio Bittar (PSL) e o ex-senador Jorge Viana (PT), embutem dois componentes básicos. O primeiro é que nas eleições do próximo ano, ambos estarão brigando pelo mesmo espaço, a única vaga disponível ao Senado em disputa. 

Bittar, com a sua candidata a senadora Márcia Bittar (sem partido) e o Jorge Viana buscando retomar o mandato de senador, que perdeu na eleição de 2018, e com ideologias diferentes: Márcio é um conservador e um direitista extremado; Jorge Viana um esquerdista extremado e convicto. Estão em polos políticos antagônicos. E não fica só no campo da política a divergência entre eles: as suas ideias são conflitantes, quando se trata da questão ambiental.

Bittar acha que o homem não é o responsável pelas mudanças climáticas; que a Amazônia não pode ficar intacta e com uma população empobrecida, e, é pelo fim do teto atual do desmatamento permitido. 

Jorge Viana é uma antítese deste pensamento, acha que se ganha mais tendo a floresta em pé; mas, não tem conseguido explicar como foi que os governos petistas que mandaram no estado por 20 anos, não conseguiram transformar a sua tese em riquezas para os chamados povos da floresta. É dentro destes dois contextos que deve ser travada a guerra mais feroz para ficar com a vaga do Senado, em disputa na eleição de 2022. Será uma das tônicas da eleição. Esperem uma campanha de mais agressões.

PARA O BOM ENTENDEDOR…

A CARTA de liberação do MDB para o deputado Roberto Duarte (MDB) não pode ser vista como apenas um documento formal e jurídico, no seu teor está explícito um recado ao parlamentar do tipo “já vai tarde”, quando diz que, ele não se enquadra nas diretrizes políticas.

FLAVIANO MELO FURIOSO

QUEM esteve com o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo (MDB), conta que, ele considera Duarte um ingrato, ao não reconhecer a briga que teve, o empenho, na defesa da sua candidatura a prefeito de Rio Branco. E, mais furioso ainda pelo fato dele estar indo se juntar a um adversário, no caso o senador Márcio Bittar (PSL).

MALAS PRONTAS

Jairo Carvalho, Moisés Diniz, Élson Santiago, Nelson Sales, Alysson Bestene, Israel Milani, são até aqui os nomes conhecidos da equipe do Gladson, que devem deixar o governo para disputar mandatos de deputados. A lista pode crescer com a secretária Socorro Neri.

DEFENSOR INTRANSIGENTE

O deputado Daniel Zen (PT) tem sido um defensor intransigente de que os funcionários de apoio da secretaria estadual de Educação recebam também abono salarial, tal como vai acontecer com os professores.

DEBATE ACIRRADO

ESTE é um debate que deve ser acirrado na Assembleia Legislativa, quando o projeto enviado pelo governo passar a ser discutido nas comissões e no plenário.

ANDAR NO FIO DA NAVALHA

O governador Gladson vai andar no fio da navalha sobre a polêmica da legalidade do pagamento do abono para o pessoal de apoio da Educação. Se não se equacionar este ponto, agradará os professores, mas desagradará os servidores de apoio, que são em grande número. Há posições divergentes, com correntes que dizem que isso pode ser feito, e outras que não pode, porque não se enquadram com membros do magistério. Vai ferver.

PSL MULHER

A candidata ao Senado, Márcia Bittar, prepara uma grande festa do “PSL Mulher”, para encerrar as suas atividades políticas do ano. Está fechando 2021, com muitos apoios conquistados á sua candidatura ao Senado.

AINDA DEVE GANHAR

AS pesquisas apontam que o presidente Jair Bolsonaro tende a ganhar novamente no estado, mas não com a estupenda votação de quando se elegeu. Só que, o peso eleitoral do Acre numa eleição presidencial, ele é pífio.

NÃO TEM MILAGRE

NA QUESTÃO da escolha do candidato ao Senado na chapa do governador Gladson, só lhe resta estas opções: anunciar a senadora Mailza Gomes (PP) como ocupante do espaço ou então lhe convencer a não ser candidata. Não há outra maneira de colocar um outro nome na chapa, se não tiver o aval da sua desistência; até porque, ela é a presidente do PP. E, dará cartas no partido. O Gladson é do PP e não pretende deixar a sigla.

NÃO HÁ EMPECILHO

COMO não existe nenhuma denúncia formalizada pelo MP, sobre a acusação de assédio sexual, não há empecilho a que o Frank Lima volte para o comando da secretaria municipal de Saúde. Basta o Bocalom querer.

NADA QUE MUDE O QUADRO

ATÉ o fim do ano não há nada que indique o acontecimento de um fato novo que possa mudar a configuração do quadro político, para a composição das chapas dos candidatos a governador e a senador.

ATÉ A PRORROGAÇÃO

A OPOSIÇÃO vai esperar primeiro o Gladson decidir quem será o seu vice e o nome a senador da sua chapa, para então anunciar com que roupa vai para a eleição. Aposta na pescaria de nomes que se sentirão descontentes, por não estarem na chapa majoritária do governo. 

É BOM FICAREM DE OLHO

A PRIMEIRA coisa que o candidato a deputado estadual tem de olhar é se a chapa pela qual pretende disputar a eleição, na sua soma, tem condições de eleger quantos para a ALEAC. Se for uma chapa repela, o candidato pode ter 4 mil votos e ficar de fora. Não tem coligação proporcional. Findou o papo de se eleger com 2 mil votos.

CANDIDATO PELO PSD

O VICE-PREFEITO de Cruzeiro do Sul, Henrique Afonso, tem reiterado que não sairá do PSD, e disputará uma vaga de deputado federal pelo partido. Em abril, se saberá.

MDB ENCASQUETOU

O MDB se encasquetou e decidiu que a candidatura da deputada federal Jéssica Sales (MDB) para o Senado, é questão prioritária no partido. Tem projeto para lhe tornar mais conhecida na região do Vale do Acre.

FORA DO MANDATO

TRÊS prefeitos vão deixar os seus mandatos no próximo ano, para disputarem vagas no parlamento. Mazinho Serafim (Sena Madureira), que será candidato a deputado federal; e Tanízio de Sá (Manuel Urbano) e Isac Piyãko (Marechal Thaumaturgo), candidatos a deputado estadual.

FRASE MARCANTE

“Sob a mais livre das constituições, um povo ignorante é sempre escravo”. Antoine de Caricat.

Continuar lendo

Blog do Crica

Uma mulher no jogo do poder

Publicado

em

A RECENTE declaração do governador Gladson Cameli citando a secretária de Educação, Socorro Neri, foto, como estando na sua pauta dos nomes favoritos para ocupar o espaço da vice na sua chapa da reeleição, motivou uma série de debates políticos nos bastidores. Até aqui, o governador tinha apenas enumerado o secretário Alysson Bestene, como favorito à indicação de 9%, numa escala de 1 a 10. Conversei ontem com figuras próximas ao governador, e foram taxativas de que a escolha se dará entre os dois nomes. Está descartado o governador ceder a qualquer pressão ou chantagem partidária sobre o nome do vice. E, uma boa parte defendendo que a Socorro Neri seja a vice, por também ser da extrema confiança do Gladson; e seria uma forma de projetar o prestígio às mulheres, maioria no eleitorado acreano. Essas mesmas fontes sustentam que, neste caso haveria uma priorização de eleger o Alysson para a Câmara Federal, pelo PP, contando com o apoio do grupo do deputado Nicolau Junior (PP), no Juruá. Dentro desta equação a secretária Socorro Neri se filiaria a um partido que não seja o PP, para não gerar a antipatia e flanco para críticas, de uma chapa puro-sangue do PP. Estamos perto de saber se as pedras serão mesmo estas. Se a Socorro deixar a secretaria até o início de abril de 2022, prazo para desincompatibilizações de quem vai ser candidato, será um claro sinal de que teremos uma mulher no jogo do poder na disputa do governo. Para não ter erro, é bom marcar 50% de chance para o Alysson Bestene ser o escolhido; e, 50% para a Socorro Neri.

A CABEÇA DO GLADSON
JÁ dá para conhecer um pouco da cabeça do governador Gladson. Não é de aceitar pressão de partido político; costuma tomar decisões próprias. Um exemplo foi a escolha da Socorro Neri como a sua candidata à PMRB, contrariando todas as expectativas dos seus aliados.

QUEREM DERRUBAR O VELHO BOCA
O PREFEITO Tião está mal de assessoria política (se é que aceita a sugestão de alguém), jamais poderia ter fechado a porta da prefeitura para não ouvir as reivindicações das categorias funcionais da PMRB. Deveria de pronto ter aberto conversas com as categorias; mas só depois de ser muito achincalhado no carro de som é que abriu a negociação. Tem assessor querendo derrubar o velho boca. Na radicalização, quem perde sempre é o gestor.

CONVERSAR NÃO FAZ MAL
O PRÓPRIO prefeito deveria ter estado na conversa com as categorias; explicar que, legalmente, este ano não pode conceder reajuste, e marcar uma data para a discussão sobre um novo PCCR, em 2022. Conversar não faz mal. E, nem tira o pedaço de ninguém.

CASA COM OS FILHOS
SÃO vergonhosos os salários bases dos médicos e dentistas. Foi uma herança que recebeu das gestões do PT. Isso é verdade. Mas, na administração pública, quem casa com a viúva, cria os filhos. Antes de pensar em ponto eletrônico, que ele pense em resolver essa situação. É a velha história de cumprir deveres antes de exigir direitos.

CARAPUÇA NO AR
NA POLÍTICA, os recados costumam vir nas entrelinhas das declarações. Não passou esquecida a afirmação do governador Gladson de que, não aceitará faca no pescoço para a escolha do candidato ao Senado da sua chapa. A carapuça ficou no ar.  Este, é um bode na sala do Gladson.

APARENTEMENTE
PELA última pesquisa nacional o Lula continua favorito, com o Bolsonaro em segundo. A surpresa foi o ex-Juiz Moro, aparecendo em terceiro com 10%. Um número considerável na largada de quem nunca foi político.

ADORA UM TIRANO!
O PRESIDENTE eleito da Nicarágua, Daniel Ortega, um tirano de uma republiqueta de bananas; antes da sua eleição mandou prender os jornalistas que o criticavam e os candidatos a presidente pela oposição. E, vem o Lula fazer a defesa de Ortega se eternizar no poder, comparando-o com uma das maiores democratas do mundo, a respeitável ex-chanceler alemã Ângela Merkel, que ficou anos à frente da Alemanha. Comparação tosca. Aliás, o Lula adora um tirano!

CARNAVAL COMPROMETIDO
MAIS de 50 cidades de São Paulo cancelaram o carnaval. A prefeitura de Belo Horizonte também vai no mesmo caminho. É um tema para o debate. A cobertura vacinal em boa parte do país é muito baixa. Vamos ver como será por aqui.

FÉ, WENDY!
VAMOS fazer uma corrente de pensamentos positivos pela recuperação do deputado Wendi Lima. Fé, Wendi!

CONVERSA MÉDICA
ENCONTREI ontem com dois amigos médicos, que me fizeram a observação de que uma cirurgia bariátrica, que é de grande porte, de alta complexidade, só poderia ser autorizada para uma unidade de saúde que tivesse uma UTI completa. E que, cabe à ANVISA fiscalizar. Como sou leigo, não opino, apenas registro o comentário, sem fazer relação com casos reais.

REAÇÃO DA CHAPA
FONTE não se revela, mas ouvi ontem de um pré-candidato a deputado federal do PSL, de que o vice-governador Rocha vai “quebrar a cara” se pensa que vai entrar na chapa para se beneficiar, e diz que poderá haver uma rebelião dos candidatos, para não lhe aceitar.

O GRANDE JÁ É GRANDE
O secretário de Agricultura, Nenê Junqueira, tem sido ativo na função e, mais ativo, na defesa das pautas do agronegócio. E esquece do grosso dos que atuam na agricultura, que são os que estão na agricultura familiar.

FAZENDO O REGISTRO
O professor Alcione reclamou não aparecer no BLOG, na relação dos candidatos a deputado pelo PSD. Fica feito o devido registro. O resto é com ele e com os eleitores.

CONVERSA CONGELADA
O GRUPO político de uma das candidaturas ao Senado ligada ao governador Gladson Cameli procurou o senador Sérgio Petecão (PSD), querendo uma conversa política para formar na sua chapa. Petecão empurrou para 2022.

ESPERAR O DESFECHO
O SENADOR Márcio Bittar (PSL) vai esperar a decisão do governador Gladson Cameli sobre quem será seu companheiro para o Senado, para depois se pronunciar. O governador sabe o que pensa o Bittar sobre o assunto.

DEIXA A VIDA ME LEVAR
O CANDIDATO ao governo, deputado Jenilson Leite (PSB), continua peregrinando pelo estado, conversando e conversando, vendendo seu peixe. Está naquela da música do cantor Zeca Pagodinho… Deixa vida me levar…

O PARÂMETRO É OUTRO
A CANDIDATURA do Jorge Viana (PT) ao Senado não deve ser vista apenas pelo parâmetro do nicho de votos petistas, os votos do JV ultrapassam os muros do partido.

FRASE MARCANTE
“Um político divide os seres humanos em duas classes: instrumentos e inimigos”. Friedrich Nietzsche.

Continuar lendo

Blog do Crica

Jéssica Sales: “minha candidatura é para valer”

Publicado

em

A DEPUTADA FEDERAL Jéssica Sales (MDB), foto, falou ontem ao BLOG de que as suas andanças pelos bairros, rios, ramais, conversas com instituições, isso não pode ser confundido com campanha eleitoral antecipada para o Senado; por ser este o seu modo de fazer política, mas que isso acontecerá na hora certa, no próximo ano, e ressalvou que, a sua candidatura a senadora em 2022, “é para valer.” Para Jéssica, tanto faz o governador Gladson Cameli anunciar neste ano ou no próximo quem será o seu candidato a senador na sua chapa da reeleição, porque a sua decisão de disputar a única vaga do Senado está tomada.  Cita como critérios para alguém postular uma candidatura majoritária, o trabalho e a apresentação de resultados. Quanto ao acordo feito com o deputado federal Alan Rick (DEM) e com a senadora Mailza Gomes (PP), de que o que estiver melhor nas pesquisas apoiará os demais, revelou que depois desta conversa não aconteceu um novo encontro, mas será normal que ocorra mais na frente. Jéssica liderou a corrida para o Senado na última pesquisa divulgada. A sua candidatura tem o apoio das cúpulas nacional e estadual do MDB.

FESTA NO BOI CAGÃO
O SENADOR Sérgio Petecão (PSD), candidato ao governo, vai fazer no próximo dia 18, na “Fazenda Boi Cagão”, uma grande festa para a apresentação de todos os seus candidatos a deputados, com caravanas de todo estado.

FESTA DA MÁRCIA
A candidata ao Senado, Márcia Bittar, também prepara uma festa política a acontecer até o fim de dezembro, quando reunirá na capital os dirigentes dos partidos que lhe apoiam; a militância, para mostrar a força do grupo do senador Márcio Bittar (PSL). A sua candidatura vai acontecer em qualquer cenário que se formar em 2022.

PAPAI NOEL
ESTE projeto que o governador Gladson Cameli está encaminhando hoje para a ALEAC, dando 15 mil reais de bônus aos professores, será um substancial Papai Noel. E, com reflexos políticos positivos para sua candidatura à reeleição.

MANDATO ITINERANTE
A SENADORA Mailza Gomes (PP) montou um gabinete itinerante para levar aos lugares mais distantes do estado, uma prestação de contas do que tem feito no mandato, e onde destinou os recursos de suas emendas.

CADASTRO DE RESERVA
PELA primeira vez o governador Gladson explicou juridicamente (deveria ter feito antes), a questão do cadastro de reserva, de que só pode fazer convocações quando houver vacância e não furar o teto da Lei de Responsabilidade Fiscal, ou comete crime de responsabilidade. E, o seu CPF vai para a lata do lixo.

PASSA POR BRASÍLIA
O Gladson é candidato à reeleição. O PP, seu partido, deve indicar o vice do presidente Bolsonaro, fato que o leva a reivindicar ter o presidente no seu palanque. Só que, a deputada federal Mara Rocha vai se filiar ao PL, partido ao qual Bolsonaro se filiará, e, ela é candidata a governadora. Para que palanque vai o Bolsonaro? Isso será decidido nas cúpulas do PL e do PP, não passa por aqui.

NÃO GANHOU NADA
NA POLÍTICA, cada passo deve ser medido. O que ganhou a deputada federal Mara Rocha (PSDSB) ao armar aos gritos um barraco na votação do PSDB, contra o governador Dória, e bradando que ela é Bolsonaro?

LONGE DE SER VERDADE
A SUA alegação de que o governador Dória colaborou para a derrota do seu candidato à PMRB, Minoru Kinpara, está longe de ser verdade. O Minoru foi prejudicado por uma campanha antecipada, e não ter conseguido furar o seu teto dos votos da classe média. Foi derrotado pelo andar de baixo do eleitorado, onde sempre teve dificuldade de penetrar. Isso foi o que lhe derrotou.

FAVAS CONTADAS
ESQUEÇAM o governador Gladson anunciar este ano quem será o candidato a senador da sua chapa. Tem um problema do qual não pode fugir: para anunciar um nome que não seja do PP, terá que primeiro convencer a senadora Mailza Gomes (PP) a desistir de concorrer. É a candidata natural. Sem isso, fica de mãos amarradas.

ESTOU NESTE BARCO
O VEREADOR Pedrinho Oliveira (PSD) mostrou revolta ao não ver seu nome relacionado como candidato a deputado estadual do partido. Diz lamentar ter gente trabalhando contra, mas diz que, só não será candidato “se Deus não quiser”. Deu o recado: – estou neste barco.

CHAPA FAMILIAR
Pelo visto, a chapa do PSD está se tornando familiar, já que a vereadora Lene Petecão (PSD), irmã do senador Sérgio Petecão (PSD), também é candidata. Pedrinho Oliveira é sobrinho do Petecão. Ou o Petecão resolve este perrengue, ou vai carimbar a chapa do PSD de ser familiar.

MANSÃO DESABANDO
PARA o deputado Daniel Zen (PT) a mansão política do presidente Bolsonaro está desabando. “O navio está afundando, e os ratos, como sempre, são os primeiros a pular fora”, citou. Bolsonaro foi um desastre na COP-26. Enquanto o mundo discutia as mudanças climáticas, o Bolsonaro foi visitar ditadores árabes. E, o Lula recebido em toda Europa com honras, acrescentou o Zen em sua postagem.

COISAS DIFERENTES
NA SUA POSTAGEM, o deputado Daniel Zen (PT) ressaltou ainda não ser contra que venham recursos para o estado, mas por meio republicano, e não para alimentar esquemas por meio das emendas do relator.

NÃO TEVE PEDIDO
O governador Gladson Cameli deixou o senador Márcio Bittar (PSL) numa saia justa, ao declarar na entrevista de ontem ao ac24horas que, o Bolsonaro não pediu apoio para nenhuma candidatura ao Senado. Bittar disse várias vezes ter havido este pedido a favor da Márcia Bittar.

GRANDE SURPRESA
A ENTREVISTA de ontem do Gladson no ac24horas trouxe uma única novidade, a de que, além do secretário Alysson Bestene; o nome da secretária Socorro Neri está no páreo para ser o vice da sua chapa. Quem acompanha este BLOG deve se lembrar que citei, ser o nome da Socorro, defendi por importantes setores palacianos.

NINGUÉM ESPERAVA
GLADSON já tinha deixado o mundo político estupefato, quando contrariando todas as lógicas apoiou a Socorro Neri para a PMRB. E, na campanha ambos se tornaram próximos, fato que o levou a lhe nomear secretária de Educação. O surgimento do nome da Socorro como vice está dentro deste contexto.

PROBLEMA A RESOLVER
O PSD tem um problema a resolver na sua chapa de candidatos a deputado estadual. Tem 42 nomes relacionados, para apenas 25 vagas.

FRASE MARCANTE
“Errar é humano. Culpar outra pessoa é política.” Hubert H. Humphrey.

 

 

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson tem vice 99% definido

Publicado

em

PERGUNTADO ontem pelo BLOG DO CRICA sobre o nome do vice que lhe acompanhará na chapa da reeleição, o governador Gladson Cameli falou que, numa escala de 1 a 10, o secretário de articulação política Alysson Bestene, tem 9% de possibilidade para ser o escolhido. Indo para uma escala de 1 a 100 nesta proporção, teria então 99% de chance de ser ungido. 

Gladson não pretende colocar este espaço na sua chapa em discussão com os partidos que lhe apoiam. “Meu vice, eu escolherei”, tem reiterado afirmações neste sentido. A experiência de aceitar um nome oriundo de indicação partidária se transformou numa bola de neve de problemas de relacionamento com seu vice Major Rocha, que acabou por romper a relação política, e hoje são adversários ferrenhos. 

Não quer repetir este cenário de intrigas. Está naquela do ditado de que, o “gato escaldado, tem medo de água fria”.  Além da sua declaração ao BLOG sobre o nome da sua preferência, o governador Gladson Cameli em todos os seus deslocamentos para fora do estado, leva Alysson, a quem chama carinhosamente de “meu porquinho”. Ele é tido como o secretário mais próximo do governador Gladson Cameli, junto com a secretária Silvânia Pinheiro.

A INFLUÊNCIA É ZERO

É tão verdadeira a tese de que o vice do Gladson tem de ser escolhido pelos partidos de apoio para ganhar a eleição, como uma nota de 500 reais. Não será dando este passaporte de escolha para um partido que, poderá ou não influenciar, na sua vitória ou derrota. O eleitor não vota nunca focando no vice, mas no candidato ao governo. Não necessariamente o indicado tem de ser o secretário Alysson Bestene, mas sim alguém que não seja por injunção partidária, mas da sua extrema confiança. O resto é perfumaria barata. Confiar em indicação de partido é dormir o mandato com porco-espinho na cama.

SEM CANDIDATO AO SENADO

AINDA durante a conversa com o BLOG, o governador Gladson Cameli falou que, o prazo que deu até o fim de dezembro, não foi para ele anunciar o candidato ao Senado da sua chapa; mas para os partidos chegarem a um nome de consenso. O seu compromisso não é individual; não tem candidato definido; mas será quem conseguir a unidade em torno do nome. É o que diz.

NÃO VAI CONSEGUIR

ATÉ aí morreu Nero. A questão é que até o momento nenhum dos cinco candidatos a senador do seu grupo se mostrou disposto a abrir mão da candidatura. Tem ainda o problema do seu partido, o PP, ter uma senadora, Mailza Gomes (PP), que trabalha por um novo mandato.

CONTINUA VALENDO

COMO não se falou mais no assunto, cabe a pergunta: o acordo fechado entre os candidatos ao Senado Jéssica Sales (MDB), Alan Rick (DEM) e Mailza Gomes (PP), de que, o que aparecer melhor nas pesquisas será o nome apoiado pelo grupo, ainda está valendo? E, isso acontecerá este ano, ou em 2022?  Pergunta fica no ar?

MONTADAS POR ADVERSÁRIOS

O PREFEITO Tião Bocalom disse ontem ao BLOG que, não se preocupa com os resultados negativos da sua gestão nas pesquisas, por conhecer o modus operandi dos seus adversários, para lhe desgastar. Lembrou com ironia a eleição municipal, em que os institutos de pesquisas o colocavam sem chance, atrás do deputado Roberto Duarte (MDB), candidato do MDB à PMRB, e se elegeu.

PRAZO FATAL

SOBRE se o ex-secretário de Saúde, Frank Lima, afastado devido a acusação de assédio sexual, voltará ou não ao cargo, disse que recebeu o relatório da comissão administrativa que apurou o caso; vai ouvir a Procuradoria do município, e após o dia 27 deverá tomar uma decisão a este respeito.

 COMEMOROU COMO SUA VITÓRIA

O EX-SENADOR Jorge Viana (PP) teve forte atuação nos bastidores, cabalando votos de advogados filiados ao PT, simpatizantes, e dos que trabalharam no seu governo,  para o genro Rodrigo Aiache; que disputou e venceu a eleição para presidir a OAB-AC. Comemorou a vitória do genro como se fosse sua. Nada ilegal. Mas mostra que, no Acre, a política se faz presente até em campeonato de dominó. Na OAB não poderia ser diferente. O acreano respira política. Não vai haver nenhum demérito.

VOCÊS ACHAM QUE, EU VOU ME ENGANAR?

O SENADOR Sérgio Petecão (PSD) respira tranquilidade no tocante a não ter aparecido bem nas pesquisas. “Eu sei como são feitas, por isso não me preocupo. Vou ganhar uma das eleições mais fáceis que disputei, ou vocês acham que digo isso para me enganar? Aguardem”, diz um otimista Petecão.

O JOGO ESTÁ FEITO

A POSIÇÃO nacional do PSB condicionando a aliança com o Lula, ao apoio do PT a seus candidatos a governador, não mexe no quadro político do estado. Jenilson Leite (PSB) ao governo, e Jorge Viana (PT) ao Senado; é uma simbiose que já existe, falta apenas ser oficializada.

PP ENGROSSOU O PESCOÇO

 O PP sob a presidência da senadora Mailza Gomes (PP), se fortaleceu em todo o estado; com diretórios funcionando, e ganhando a eleição para prefeito nos dois maiores colégios eleitorais, Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

REFLEXO DAS AÇÕES

A QUEDA no número de homicídios no estado tem dois vetores, que não podem deixar de serem apontados: o forte investimento do governador Gladson Cameli na Segurança; e o bom trabalho, do secretário Paulo César.

NÃO TEM MUITA ESCOLHA

NESTA questão de contratação de concursados o governador Gladson Cameli não tem muito espaço de manobra. Caso contrate, ele vai furar o teto da Lei de Responsabilidade Fiscal, e poderá ser acionado por improbidade administrativa. Faltou ser incisivo neste ponto. A questão não é querer ou não, é a ilegalidade.

ANOTEM

OS DEPUTADOS FEDERAIS do chamado “Centrão”, é o Lula ganhando a eleição que, no outro dia estarão todos dando vivas e, declarando apoio ao petista. Anotem.

A DISPUTA DOS REJEITADOS

 VEJA da semana trouxe uma matéria, com um dado interessante: a eleição para presidente será uma disputa dos rejeitados. Bolsonaro, o campeão, com rejeição próxima dos 70%. Lula é rejeitado por 39% do eleitorado. E, Sérgio Moro, que tem cerca de 61% de rejeição. Pode ser uma disputa para saber quem os brasileiros odeiam menos.

FRASE MARCANTE

“As aves cantam mesmo quando o ramo se parte, pois sabem que têm asas”. Salvador Diaz Mirón. 

Continuar lendo

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados