Conecte-se agora

Os caminhos de Gladson Cameli

CERTA FEITA perguntei ao governador Gladson Cameli o motivo pelo qual resolveu apoiar a prefeita Socorro Neri (PSB) para mais um mandato, deixando de lado candidatos aliados da sua última campanha. Deu suas explicações, mas nenhuma convincente, afinal, a Socorro foi vice na chapa do Marcus Alexandre (PT), partido que prometeu varrer do mapa da sua administração. E teria que estar no palanque de algozes quando disputou o governo.

Que a Socorro é uma gestora séria – um dos seus argumentos – não se discute. Se discute é que este apoio explodiria sua base, como explodiu com a derrota da sua candidata.

Então, desisti de entender este ato do Gladson em se afastar dos aliados.

Agora, para recompor antiga aliança e disputar a reeleição lhe custará muito mais problemas de que, se não tivesse apoiado a Socorro Neri.

O correto era ter ficado como magistrado, não apoiado ninguém, já que tinha vários aliados na disputa. Foi lhe sugerido isso, mas o Gladson é um político que age pela emoção e não pela razão.

Não tivesse apoiada a Socorro, não teria sido derrotado, e não precisaria compor mais nada para disputar a reeleição. Só que levou a birra ao extremo, e agora o buraco ficou mais embaixo.

Para repactuar espaços no governo, terá de sentar com um grupo fortalecido, que venceu a eleição, com o prefeito do maior colégio eleitoral, Tião Bocalom (PP), o deputado José Bestene (PP), a senadora Mailza Gomes (PP) e o senador Sérgio Petecão (PSD).

Pela informação que tenho é que, uma das exigências iniciais é ele se afastar do PSB. Trazer a Socorro ou um aliado dela para dentro do governo soaria como provocação.

Não sei onde é que esta repactuação vai chegar, mas sei que o único caminho para o Gladson Cameli ter sossego para disputar a reeleição em 2020, é uma recomposição dos espaços dentro do seu governo.
É o jogo.

CORTAR NA CARNE

UMA COISA é certa, num novo cenário, que agregue o grupo vencedor o governador Gladson Cameli vai ter que reduzir na sua gestão o tamanho do espaço de partidos que saíram derrotados, sem cacife para ter secretarias e centenas de cargos de confiança.

MUITO SIMPLES

É muito simples, cada partido deve ter espaço no governo de acordo com o seu tamanho. Assim é que as coisas funcionam.

NADA REPUBLICANA

NÃO foi republicana a declaração do prefeito eleito Tião Bocalom (PP) de refutar montar uma equipe para uma transição com a equipe da prefeita Socorro Neri. O ato faz parte da liturgia de qualquer troca de governo. Se não tiver contente com os dados que lhe forem passados, que faça auditagem. A eleição acabou. Até porque, ele vai precisar de dados para começar a governar.

NÃO É ACRELÂNDIA!

MESMO PORQUE, a prefeitura de Rio Branco não é a prefeitura de Acrelândia. Aqui, é a capital, os problemas são muitos. E terão de ser enfrentados já no primeiro dia de gestão, sem rompantes.

PRATO QUE SE COME FRIO

AO postar a música “Vou Festejar” da sambista Beth Carvalho, que tem o refrão: “Chora\não vou ligar\chegou a hora\pode chorar… para comemorar a derrota da prefeita Socorro Neri (PSB), o ex-prefeito Marcus Alexandre, confirma o velho ditado de que “a vingança é um prato que se come frio”. A Socorro chegou a ponto de bloquear seu celular para não falar com ele.

COMEMORAÇÃO FOI GERAL

CONVERSEI ontem com cardeais petistas, eufóricos e comemorando derrota da prefeita Socorro Neri, para mais um mandato. Eles, votaram no Tião Bocalom (PP) de nariz tapado.

BALA TROCADA

O COMENTÁRIO era de que bala trocada na política não dói. Lembraram terem sido expurgados da PMRB e ainda serem taxados de propor coisas ilícitas. Não havia como não comemorar, disse um deles ontem ao BLOG DO CRICA.

NÃO DAVA PARA GANHAR

NO DIA DA ELEIÇÃO dei uma volta de carro por algumas seções eleitorais. Nas que passei vi fiscais do 40, ligados ao Bestene, ao Petecão, ao PSDB, todos infiltrados e eleitores do Tião Bocalom.

A QUE PONTO CHEGOU

VEJAM a que ponto chegou a falta de comando da campanha prefeita Socorro Neri (PSB). Quando pediram que as secretarias do governo mandassem nomes para serem fiscais, a maioria enviou nomes que votariam no Tião Bocalom. A história me foi contada às gargalhadas ontem pelo autor de uma dessas listas.

NÃO HOUVE ENVOLVIMENTO

FICOU CLARO que, o apoio do governo à Socorro Neri (PSB) ficou mais na ação pessoal do Gladson do que do governo como um todo. Um ou outro secretário botou a cara de fora. Explica-se: o governo tem secretário e cargos de confiança indicados por quem apoiava o Bocalom. E que jamais votariam na Socorro Neri.

NÃO PERSEGUIU

MAS RESSALTE-SE QUE, o governador Gladson marcou um ponto nesta eleição. Mesmo apoiando a Socorro Neri não promoveu caça às bruxas dentro do governo contra quem apoiava o Bocalom. Um ou outro aloprado, chegou a propor perseguições.

VIRADA ERA FICÇÃO

NÃO SEI se a Socorro Neri chegou em algum momento imaginar que poderia virar o jogo no segundo turno. Como é inteligente, acho que não. Ela esteve cercada de quem não era do ramo político. São os chamados “corneteiros”, que vivem de palpitar ao vento.

O JOGO SERIA OUTRO

A SOCORRO NERI teve dois momentos que desperdiçou: quando foi convidada pelo Gladson Cameli a se filiar no PP, e quando foi convidada para se filiar no PSD do senador Sérgio Petecão (PSD). Tivesse ela aceitado, a candidatura do Tião Bocalom nem existiria.

AVALIAÇÃO DO ZEN

O deputado Daniel Zen (PT) avalia que os grandes perdedores da eleição foram o governador Gladson e o vice Rocha, porque estão no poder e os seus candidatos á PMRB foram derrotados.

ESPAÇO DE MANOBRA

O FUTURO prefeito Tião Bocalom vai ter um espaço de manobra para formar uma base majoritária na Câmara Municipal de Rio Branco, que pode chegar a dez vereadores. Sem problemas.

SEM CONVERSA SOLITÁRIA

O SENTIMENTO no grupo que esteve no apoio à candidatura do Tião Bocalom é de que, qualquer conversa política com o Gladson não será solitária, mas tem que envolver o novo prefeito, a senadora Mailza Gomes (PP), o deputado José Bestene (PP) e o senador Petecão (PSD). Afinal, chegaram ao pódio da eleição.

SABIA DA DIFICULDADE

O GOVERNADOR Gladson Cameli não foi tomado de surpresa com a derrota da prefeita Socorro Neri (PSB). Já no final do primeiro turno chegou a prever que sua vitória seria difícil.

FALTA DE HABILIDADE

ESCUTEI também de assessores mais próximos do governador Gladson Cameli que membros do comitê político da prefeita Socorro Neri colocaram entraves a um trabalho conjunto, por isso se afastaram da campanha. Ficaram apenas no apoio formal.

CURIÓ DE MUDA

O SENADOR PETECÃO (PSD) está igual curió de muda, não dá um pio sobre 2022. Principalmente, se o assunto for candidatura ao governo. Lúcido, Petecão quer ver antes o cenário a se formar.

NÃOCOMBINOU COM AS URNAS

O DEPUTADO Jenilson Lopes (PSB) fez uma leitura correta ao trocar o PCdoB pelo PSB. Apostou tudo numa vitória da Socorro Neri (PSB), o que lhe daria cacife para almejar o Senado, Câmara Federal, ser um Vice, mas esqueceu de combinar com as urnas.

PREFEITURA ENXUTA

NUM ASPECTO, o prefeito eleito Tião Bocalom (PP) não poderá reclamar da prefeita Socorro Neri: pegará uma prefeitura enxuta, saneada, sem grupos de esquemas, pronta para ser tocada logo.

GRANDE ERRO

VOLTO a bisar que o problema da prefeita Socorro Neri foi não aliar a sua boa gestão à política. Em alguns momentos tomou decisões pela emoção, não formou uma base de aliados sólidos.

NUNCA FOI PROTAGONISTA

NÃO SEI o que viu no PSB, para permanecer no partido, acho que o conselho de alguns que a cercavam a cegaram. O PSB, é só ver os anais, nunca foi protagonista na capital nas últimas décadas.

PROBIDO E INDICAR VICE

O DEPUTADO LUIZ TCHÊ (PDT) levou o seu partido a sair mais forte da eleição municipal, com duas prefeituras. Belo trabalho. Mas na questão de indicar vice é um pé gelado. Os dois vices que o PDT indicou, para o governo e PMRB, foram para a balsa.

ENGRADECE MAIS A VITÓRIA

A VITÓRIA do Tião Bocalom para a PMRB ficou mais engrandecida, porque derrotou uma adversária de mãos limpas. E a gestão da Socorro não foi algo desastroso nestes dois anos.

FRASE MARCANTE

“Um inimigo é muito; cem amigos é pouco”. Ditado alemão.

Acre

Deputado Roberto Duarte visita zona rural e recebe reivindicações

Publicado

em

O deputado estadual Roberto Duarte visitou nesta sexta-feira, 30, alguns ramais da zona rural do Baixa Verde. Na oportunidade, ele prestou conta do mandato e ouviu as reivindicações dos moradores e produtores.

“Precisamos fortalecer a zona rural. Como eu sempre falo, um campo fraco, uma cidade pobre; um campo forte, uma cidade rica. Todos sabemos quais as necessidades dos produtores rurais. O atual governo defendia tanto o fortalecimento do agronegócio, mas até agora só vimos propaganda”, disse Duarte.

Durante as conversas, os produtores rurais destacaram as principais necessidades, que já são conhecidas por todos, como, por exemplo, ramais trafegáveis, assistência técnica, acesso ao crédito e mecanização.

“Faço questão de destacar a propriedade do senhor Donizete e da D. Adriana. Mesmo com toda dificuldade, eles conseguem plantar melancia, milho, macaxeira, limão, laranja e com a venda desta produção eles sustentam dignamente a família. São exemplos como este que nos inspiram e reforçam a necessidade de valorizarmos e investirmos na zona rural”, comentou o parlamentar.

Em cada visita, o deputado Roberto Duarte prestou conta do seu mandato, destacando algumas propostas que foram sancionadas pelo Governo do Acre nos últimos dias, em especial: 1) a Lei do IPVA (Lei Complementar 388), que proíbe o Estado de apreender, remover, recolher ou reter veículos com o IPVA atrasado; 2) Lei dos maus-tratos animais (Lei nº 3.757), que determina que os agressores de animais deverão custear recuperação e tratamento veterinário; 3) Lei da fibromialgia (Lei nº 3.752), que determina atendimento prioritário às pessoas com fibromialgia; 4) Lei da assistência farmacêutica (Lei nº 3.764), que determina instalação de assistência farmacêutica nos municípios do Acre.

“Na póxima semana, retornaremos com as sessões na Assembleia Legislativa, após o recesso parlamentar. Aproveitei esses dias para percorrer o nosso estado para ouvir a nossa população e prestar conta do nosso mandato na capital, na zona rural e no interior do Acre”, disse Duarte.

Continuar lendo

Acre

Folha extra paga VDP a 131 profissionais da educação do Acre

Publicado

em

Uma folha suplementar começou a pagar nesta sexta-feira (30) valores remanescentes do Prêmio de Valorização do Servidor (VDP) de 2018 e 2019.

Ao todo, 131 profissionais da educação contemplados, totalizando R$ 254.560,00 em depósitos.

Em entrevista aos órgãos oficiais de comunicação, o governador Gladson Cameli disse que sua bandeira pós-Covid-19 será a da valorização do servidor público.

No mês de junho, o governo relata que realizou o pagamento do prêmio para mais de 20 mil trabalhadores, em um total de R$ 17 milhões em investimentos.

Continuar lendo

Acre

Sessões da Aleac continuarão sendo realizadas de forma online

Publicado

em

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), baixou uma Resolução 224/2021, informando que apesar da mudança para a faixa amarela em relação ao nível de atenção na transmissão da Covid-19 no Estado, o fato não significa que houve o rompimento da cadeia de transmissão do vírus. Portanto, o retorno das sessões no próximo dia 03 de agosto continuará sendo realizado através da plataforma virtual YouTube.

A Mesa Diretora reitera que é dever da Aleac priorizar o direito à vida, com a consequente retomada gradual e responsável das atividades presenciais. Também que muitos servidores foram acometidos pela Covid-19 e, infelizmente, alguns faleceram, o que fortalece a decisão de manter as sessões remotas até que haja mais segurança para os trabalhadores.

As sessões seguirão sendo realizadas de forma virtual e transmitidas através do endereço eletrônico: https://m.youtube.com/aleactv. Também está mantida a suspensão do acesso de usuários e visitantes nas dependências da sede da Aleac, salvo em situações excepcionais, mediante prévia autorização da Mesa Diretora ou da Secretaria Executiva.

Durante a vigência da Resolução, será permitido o ingresso de apenas um servidor por estrutura de gabinete nas dependências do prédio, devendo o titular do gabinete informar o nome do servidor à Secretaria Executiva.

Continuar lendo

Acre

Pelo segundo dia seguido, Acre não registra mortes por Covid-19

Publicado

em

Em boletim divulgado nesta sexta-feira, 30, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) informou o registro de 55 novos casos de infecção por coronavírus, sendo cinco confirmados por exames RT-PCR e 50 resultados por testes rápidos, fazendo com que o número de infectados salte para 87.128 nas últimas 24 horas.

Pelo segundo dia seguido, nenhuma notificação de óbito foi registrada nesta sexta, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 permaneça em 1.798 em todo o estado. Segundo o boletim, 36 seguem internadas entre leitos de enfermaria e de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em todo o Acre.

Até o momento, o Estado registra 238.802 notificações de contaminação pela doença, sendo que 151.647 casos foram descartados e 27 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou do Centro de Infectologia Charles Mérieux. 83.218 pessoas já receberam alta médica da doença.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2021 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.