Conecte-se agora

Ageac limita transporte de cães e gatos com peso de até 10 quilos e 3 animais por viagem

Publicado

em

Pela primeira vez, a Agência Regulamentadora de Serviços Públicos do Estado do Acre (Ageac) regulamenta o transporte de animais em viagens intermunicipais. No Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira, 21, o órgão divulga a resolução n°75, que disciplina e regulamenta o transporte de animais domésticos e cães-guia no âmbito rodoviário intermunicipal.

Agora, fica limitado o transporte de cães e gatos com peso-limite de até dez quilos, exceto em caso de cães-guia. Também fica limitado o transporte de até três animais domésticos por viagem, que devem ser acomodados em caixas transportadoras com capacidade de suportá-los e oferecer segurança para si e demais passageiros.

Também é necessária a apresentação da carteira de vacinação atualizada com registros e datas e ainda atestado médico veterinário informando as condições de saúde. O não cumprimento dessas regras pode fazer com que o animal não embarque, nem seja transportado.

O transporte rodoviário é um dos mais utilizados para deslocamento de pessoas e animais. “A Ageac vem cumprindo seu papel como órgão regulador do sistema de transporte, beneficiando o setor e ao mesmo tempo alcançando os interesses da população. Com certeza tivemos um avanço”, diz a presidente da Ageac, Mayara Lima.

Cotidiano

Lideranças de denominações religiosas lançam manifesto “Acre: Vacina para Todos”

Publicado

em

Líderes de diversas denominações religiosas e membros da sociedade civil acreana participaram do lançamento nesta terça-feira, 15, do manifesto ”Acre: Vacina para Todos”, na Assembleia de Deus, localizada na Avenida Getúlio Vargas.

O Instituto Ecumênico Fé e Política elaborou um documento na qual as autoridades pedem que o imunizante seja liberado para o público geral. Participaram do ato, os deputados Jenilson Leite, Edvaldo Magalhães, Perpétua Almeida e Leo de Brito, promotor Sammy Barbosa do Ministério Público do Acre e dentre outros.

No documento, as instituições pedem aquisições de vacinas, implementação de uma ampla campanha de vacinação com a maior velocidade possível bem como de uma ampla campanha de conscientização para a vacina; distanciamento social e, quando necessário, medidas mais duras de restrição; auxílio emergencial e medidas de proteção dos empregos, inclusive com iniciativas complementares de proteção da renda das famílias pelos Estados.

O presidente do Instituto, padre Mássimo Lombardi, reforçou que um dos principais objetivos do movimento é também incentivar a população que já pode tomar a vacina procurar uma unidade de saúde e se imunizar.

“Não posso imaginar que uma pessoa que tenha fé diga que a vacina é fora do desígnio de Deus. Deus é o Deus da vida, ele coloca a inteligência nos pesquisadores para desenvolver a vacina. Tenho certeza que a vacina é um instrumento de Deus para nossa saúde e vida. Se você é um religioso, evangélico, saiba que é um dever seu se vacinar e divulgar a oportunidade de uma vacinação em massa”, afirmou.

Representando o comitê Acre sem covid-19, o médico infectologista Thor Dantas, cobrou vacinação mais rápida e afirmou que o Brasil vive a sua pior crise sanitária em 100 anos. O infectologista salientou que o negacionismo é tão perigoso quanto o vírus da covid-19 e reforçou que só a vacina dará fim à pandemia.

“Estamos vivendo um momento em que tá todo mundo morrendo da mesma coisa e isso não pode ser naturalizado. É algo único e é algo em termos sanitários que ocorre somente de 100 anos. Nesse esforço, temos que salvar o maior número de pessoas possíveis. “As vacinas são a melhor chance que temos para pôr fim à pandemia. O vírus é adversário e o negacionismo é o que nos expõem ao vírus. O negacionismo é o maior inimigo”, afirmou.

Continuar lendo

Cotidiano

“Um punhado de bravos que lutou para tornar esse pedaço de chão brasileiro”, lembra Vanda

Publicado

em

“Um punhado de bravos que lutou para tornar esse pedaço de chão brasileiro”, lembra a deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-Ac) ao falar dos 59 anos de elevação do Acre à categoria de estado. Para ela, todos os símbolos que representam a identidade acreana tiveram origem na revolução.

“É uma histórica rica em honradez e cultura que muito nos orgulha. Hoje é dia de lembrar dos seringueiros que se embrenharam nas selvas travando uma luta por cidadania verde e amarela”, acrescentou a deputada.

A deputada destacou ainda a batalha diplomática quando a luta para tornar o Acre estado não recorreu mais às armas. “Essa luta foi pelos direitos básicos e essenciais de qualquer cidadão brasileiro, pelo exercício da cidadania plena, foram mais de cinco décadas de resistência, uma história que não pode ser esquecida”, declarou.

Para a parlamentar o estado tem muito o que comemorar nos seus 59 anos não apenas pela diversidade histórica e cultural. Vanda Milani tem destacado o momento econômico que o estado vive. Para ela, as ações estruturantes preparam politicas capazes de reduzir desigualdades e contribuem para metas que estimulam o crescimento com geração de emprego e renda.

“A ponte sobre o rio Madeira, o Anel Viário entre as cidades de Epitaciolândia e Brasileia, o reconhecimento sanitário internacional que abriu o mercado para nossa pecuária são fatos importantes que mostram um novo momento econômico perseguido há muito, realidade nessa gestão, um marco nesses 59 anos.. Viva o povo acreano!”, concluiu a deputada.

Continuar lendo

Cotidiano

Escritor xapuriense lança livro que conta a história de sua família na Revolução Acreana

Publicado

em

O escritor xapuriense Milton Júnior acaba de lançar o livro “Duas Famílias e a Revolução Acreana”. A história narra a saga de sua família, materna e paterna, que chegaram ao Acre no início do Século XX e formaram uma das mais tradicionais famílias de Xapuri.

O livro de 372 páginas foi escrito em forma de cordel, outra paixão de Milton Júnior. Com muitas ilustrações, mostra a origem de sua família que surgiu em um povoado chamado Coroatá, no sertão maranhense, em 1884.

É de onde vem Manoel de França, avô materno do escritor, que foi auxiliar de Plácido de Castro durante a Revolução Acreana, tendo desempenhado, de acordo com o livro, papel importante na conquista do Acre, sendo no final do combate promovido a oficial do exército acreano.

O outro avô, Francisco Menezes, foi um personagem importante na história de Xapuri, exercendo importante destaque na edificação do que é hoje é a cidade de Xapuri.

Milton conta que antes de uma história sobre sua família, o livro é um resgate dos costumes, religiosidade e a luta árdua de milhares de nordestinos que vieram ao Acre para o trabalho nos seringais. “É a história da minha família, como é a história de tantas famílias acreanas. Creio que o grande barato do livro seja exatamente esse, das pessoas lerem, se identificarem e enxergarem sua própria família em cada página”, conta.

Ao manusear o livro, o leitor percebe, além da história, um produto produzido em um alto padrão de qualidade. Milton conta que contou com a ajuda da família para a confecção dos livros. “Minha família apostou nesse meu sonho e me ajudou a bancar a publicação. É a história da minha família, então queria que fosse algo de extrema qualidade”, afirma.

O livro é recheado de fotografias, onde leva o leitor a viajar pelo passado da família do escritor.

Milton Júnior tem 48 anos, nasceu em Xapuri , mas hoje mora em Rio Branco. Ainda adolescente, em 1987, lançou seu primeiro livro de poesias. É formado em Administração com habilitação em Análise de Sistemas e é especializado em Web Marketing.

O lançamento presencial do livro está marcado para o próximo dia 6 de agosto, aniversário da Revolução Acreana, na cidade de Xapuri. No entanto, o livro já está disponível para aquisição e os pedidos podem ser feitos por meio de contato com o próprio escritor pelo número 68 9 9606-6701.

Continuar lendo

Cotidiano

Jorge Viana e Marcus Alexandre visitam mercado Elias Mansour “de olho” em 2022

Publicado

em

Aproveitando o feriado de 15 de junho, data em que se comemora 59 anos de emancipação política do Acre, o ex-senador, Jorge Viana, visitou comerciantes da área central da cidade. Ele estava acompanhado pelo também ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre e pelo deputado federal (PT-AC), Leo de Brito.

A agenda teve início com café da manhã no Mercado Elias Mansour, depois seguiu com conversa com permissionários das pensões do Mercado Aziz Abucater e caminhada no Calçadão da Benjamin Constant e Shopping Popular.

Segundo Viana, as visitas servem para ouvir a população, saber dos seus anseios e se solidarizar nesse momento tão difícil.

“A gente tem que ter fé e esperança na prosperidade de nosso povo e também fazer por onde. O deputado Léo nos convidou, mesmo no feriado, para ouvir as pessoas. E aqui nós estamos encontrando bons e velhos amigos lembrando sobre as coisas boas que a gente viveu. Não é se mal dizendo que vamos prosperar, é tendo esperança, é pensando em dias melhores, é trabalhando que a gente vai conseguir vencer esses dias terríveis”, disse Jorge Viana.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Leia Também

Mais lidas