Conecte-se agora

Trânsito nas pontes entre Brasiléia, Epitaciolândia e Cobija é aberto e novamente fechado

Publicado

em

Autoridades dos dois países discutem últimos detalhes para o controle mútuo do tráfego na fronteira

Após quase seis meses de fechamento, em razão das medidas de controle da pandemia de covid-19, a tranca entre as cidades de Epitaciolândia, no Brasil, e Cobija, no lado boliviano, começou a ser liberada para o trânsito de pessoas e veículos por volta das 8h30 da manhã desta quinta-feira, 10, segundo vídeos que foram publicados nas redes sociais.

No entanto, os primeiros movimentos da reabertura estavam sendo restritos apenas à ponte Internacional, em Epitaciolândia. Em Brasiléia, a ponte Wilson Pinheiro seguia fechada até às 10 horas da manhã, sem uma informação precisa de liberação do tráfego também por esse acesso ao país vizinho.

De acordo com uma fonte consultada pelo ac24horas, a passagem de pessoas e carros entre as duas cidades começou com intensa fiscalização do lado boliviano, com exigência de documentos e controle de temperatura, enquanto que do lado brasileiro a entrada ocorria sem nenhum tipo de inspeção ou vistoria.

Ainda no período da manhã, o jornalista Alexandre Lima, do jornal o Alto Acre, informou por meio de um vídeo que, apesar de ter havido a reabertura no começo da manhã, com o acesso de pessoas para ambos os lados da fronteira, no lado brasileiro a liberação ainda não é oficial e havia o risco de novo fechamento.

Segundo o profissional de imprensa, uma reunião ocorria no gabinete da prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, com a presença de uma ministra boliviana, dos prefeitos de Epitaciolândia, Tião Flores, e de Cobija, Gatty Ribeiro, além de autoridades de saúde dos dois países.

Durante o encontro, a tranca na ponte Internacional foi novamente fechada enquanto os últimos detalhes para o controle mútuo do tráfego na fronteira fossem definidos, principalmente no que diz respeito aos procedimentos das equipes de saúde e o apoio das forças de segurança pública. A reunião na prefeitura de Brasiléia não havia terminado até o fechamento desta nota.

As negociações para a reabertura da fronteira ente os dois países ganharam força há duas semanas a partir da realização de algumas reuniões entre autoridades dos três municípios fronteiriços. No último encontro entre os prefeitos Fernanda Hassem e Tião Flores das cidades brasileiras, e Luís Gatty Ribeiro, de Cobija, foi definida a elaboração de uma portaria conjunta com regras para que a reabertura da fronteira pudesse ocorrer nesta semana.

Os efeitos da medida conjunta, no entanto, são restritos apenas aos moradores das três cidades fronteiriças. Dessa maneira, pessoas residentes em outros municípios acreanos ainda não poderão visitar Cobija turisticamente, assim como cidadãos bolivianos que entrarem no Brasil nesse período não poderão ultrapassar os limites das cidades vizinhas, como, por exemplo, ir a Rio Branco ou a Xapuri.

No último dia 26 de agosto foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria nº 419/2020-CC-PR/MJSP/MINFRA/MS, editada conjuntamente pela Casa Civil da Presidência da República, da Justiça e Segurança Pública, da Infraestrutura e da Saúde, prorrogando a restrição à entrada de estrangeiros de qualquer nacionalidade no país por rodovias, por outros meios terrestres ou por transporte aquaviário.

Porém, entre as exceções que constam na portaria do governo federal brasileiro está a de que não há impedimento para o tráfego de residentes fronteiriços em cidades-gêmeas, mediante a apresentação de documento de residente fronteiriço ou outro documento comprobatório, desde que seja garantida a reciprocidade no tratamento ao brasileiro pelo país vizinho.

A reciprocidade de que trata o documento brasileiro foi confirmada a partir da publicação do Decreto Supremo de Bolívia N° 4.314, de 27 de agosto de agosto de 2020, e da Resolução Multiministerial da Bolívia N°01/2020, de 1 de setembro de 2020, que autorizaram a entrada e trânsito de cidadãos bolivianos e estrangeiros, bem como a reabertura da atividade comercial nos municípios de Cobija, Guayaramerín, San Matías, Puerto Suarez e Puerto Quijarro.

Em comunicado enviado à imprensa, o delegado André Gustavo Veras de Oliveira, chefe da Delegacia da Polícia Federal em Epitaciolândia, ressaltou que fica permitido o tráfego de residentes fronteiriços nas cidades-gêmeas Epitaciolândia-Brasiléia-Cobija, mediante a apresentação de documento de residente fronteiriço ou outro documento comprobatório.

“Assim sendo, esclarecemos que a Portaria não permite a entrada de todo e qualquer estrangeiro, apenas o tráfego de residentes fronteiriços, ainda que a legislação do país vizinho seja mais abrangente. Ademais, ressaltamos que a continuidade dessa autorização depende da manutenção da reciprocidade no tratamento ao brasileiro pelo país vizinho”, explicou.

A expectativa é de que tudo se resolva ainda nesta quinta-feira, 10, e a fronteira seja definitivamente aberta, como reivindica a população dos dois países. Os efeitos do fechamento foram extremamente danosos para a economia das três cidades, especialmente para Cobija, onde a zona franca depende quase que totalmente dos turistas brasileiros.

Outras informações a qualquer momento.

Anúncios

Destaque 7

Lojas da Fricarnes farão delivery aos sábados, domingos e feriados

Publicado

em

Os clientes da Fricarnes podem contar com o serviço de delivery aos sábados e domingos, quando as quatro lojas estarão com o funcionamento suspenso por conta do novo decreto do governo para conter a pandemia de Covid-19 no Acre.

Durante a semana, o delivery continua funcionando normalmente para quem não quer sair do conforto e segurança do seu lar. A entrega é grátis nas compras à partir de R$ 30,00. Os pedidos devem ser feitos entre as 7h e 17h nas lojas Steak House e Boutique de Carnes, Sobral, Cidade Nova, Senador Guiomard e Brasiléia.

Durante a semana, o horário de funcionamento é das 8h às 20h na Steak House e Boutique de Carnes, localizada na rua Silvestre Coelho, 290, Bosque. Nas demais unidades, a loja funciona das 7h às 18h.

Nos itens, cortes nobres e tradicionais de bovinos, suínos e caprinos, bebidas diversas e temperos especiais. Além disso, o empreendimento entrega todo tipo de acessórios para churrasco, como carvão, louças, camisas, bonés, entre outros.

Abaixo os telefones para delivery e mais informações:

– Steak House e Boutique de Carnes: 99933-0824;

– Cidade Nova: 99992-2385;

– Sobral: 99952-0037;

– Senador Guiomard: 99208-6939 / 99232-0875

– Brasiléia: 99232-6492.

Continuar lendo

Destaque 7

Amigos e seguidores enviam mensagens de apoio a Gladson após diagnóstico de Covid-19

Publicado

em

Desde que anunciou que faria o exame de RT-PCR para verificar possível contaminação pelo novo coronavírus, o governador Gladson Cameli passou a receber inúmeras mensagens de acreanos pelas redes sociais. A maioria em tom de preocupação pela saúde do gestor. Após confirmação da Covid-19, amigos e seguidores lotaram a web com mensagens de apoio e boas energias para breve recuperação de Cameli.

O padre Massimo Lombardi, a ex-prefeita Socorro Neri e o ex-deputado Moisés Dinis estão entre as pessoas que escreveram pela saúde do governador. Os internautas se comovem pelo fato de Cameli ter atuado fortemente no combate do vírus em quase um ano de pandemia no Estado, estando na linha de frente da luta contra a Covid-19.

“Foram 11 meses de luta incansável pela vida dos acreanos, firme na defesa do isolamento social, uso de máscaras e da vacina”, comentou Diniz. Socorro Neri desejou plena recuperação da saúde do governador. “Ele, que tem sido muito firme no enfrentamento à pandemia, logo estará de volta ao front”. Padre Massimo revelou estar em oração pela saúde do governador.

Ele testou positivo nessa segunda-feira, 1º de março. Em comunicado na noite de ontem, Cameli afirmou que segue sem sintomas e que irá despachar da própria residência.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Continuar lendo

Destaque 7

Acre não terá pra onde enviar pacientes graves, diz Comitê

Publicado

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas 

Durante o anúncio da nova classificação de risco da pandemia de Covid-19 no Acre, realizada na manhã desta segunda-feira, 1º de março, o médico infectologista Osvaldo Leal, atual diretor do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into), levou ao Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 que é necessário que a população entenda a gravidade da situação em que se encontra o Estado em relação à pandemia.

Segundo Leal, a própria rede privada de saúde está sendo sentindo os efeitos do aumento da demanda por leitos para infecção de novo coronavírus. O médico esclarece que dinheiro ou transporte aéreo neste momento já não implica na situação, uma vez que a problemática agora é por leitos vagos em todo o país.

O cenário atual é de aumento em novos casos e internações, conforme observado nos indicadores. “Estou na frente do Into há quase um mês e os pacientes estão chegando cada vez mais graves”, disse Leal. O médico Thor Dantas complementou a fala do colega: “avião não vai resolver nosso problema, porque não teremos para onde mandar pacientes. Todos os estado passam por dificuldades, inclusive São Paulo, que está com lotação máxima”.

A dificuldade em remover pacientes infectados por Covid-19 pode ser ainda mais sentida por todos os hospitais do país, alegam os profissionais, caso a sociedade não obedeça as medidas sanitária que impedem a proliferação do vírus, como o uso de máscara, o distanciamento entre pessoas e higienização das mãos.

“Avião e dinheiro para enviar pacientes não são a solução. Agora, mais pacientes jovens estão sendo acometidos por Covid-19 e casos graves e de reinfecções nestas apareceram mais nesta segunda onda. Não é possível se sentir seguro só porque é jovem, tem dinheiro ou não é do grupo d risco. Todos estão suscetíveis neste momento”, finalizara os médicos do Comitê.

Continuar lendo

Destaque 7

Peru prorroga fechamento da fronteira e pode agravar crise

Publicado

em

O governo peruano anunciou por meio do presidente Francisco Rafael que irá prorrogar o Decreto de Emergência Sanitária a partir do dia 7 de marco, aumentando em mais 180 dias (seis meses) o fechamento das fronteiras deve agravar ainda mais a crise instalada no município de Assis Brasil, desta vez, por conta de centenas de caminhoneiros impedidos de atravessar a fronteira pelo fechamento da ponte binacional e, ainda, a presença de imigrantes na região.

Na manhã desta segunda-feira, 1º, os imigrantes foram para frente da prefeitura de Brasileia exigir uma posição da justiça brasileira. O prazo para que o Ministério Público Federal se manifestasse sobre o litígio terminou às 19h do último sábado (27).

Documentos anexados ao processo que corre na 2ª Vara da Justiça Federal do Acre, mostram que pelo menos 8 ministérios estão envolvidos na tentativa diplomática de resolver a crise. O juiz, Herley da Luz Brasil deve decidir ainda hoje sobre o desbloqueio ou não da ponte.

Antes de decidir, o juiz federal entendeu que “o caso se refere a litígio coletivo que envolve situação delicada, em razão da vulnerabilidade social e econômica de imigrantes e do momento histórico da pandemia da Covid-19”.

Centenas de caminhões, a maioria com combustível, estão impedidos de passar na ponte. Bolívia é o país mais afetado com o bloqueio do transporte e pode viver uma situação de desabastecimento.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas