Conecte-se agora

Governo diz que vai adotar vacina que ficar pronta primeiro

Publicado

em

O Ministério da Saúde confirmou que tem interesse em adquirir a primeira vacina contra a Covid-19 que ficar disponível para atender à população, desde que tenha a eficácia comprovada.

Mas de acordo com o Hélio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, existem pontos importantes para se observar em relação a uma vacina para combater essa doença.

“Primeiro, o elemento da eficácia, se ela é capaz de gerar resposta imune ou não. Um segundo elemento muito importante é se quem produz a vacina tem capacidade produtiva de ofertar um número adequado de imunizantes que corresponda à expectativa do Brasil. O que é importante, é preciso deixar bem claro, é salvar o maior número de vidas o quanto antes”, explicou Angotti.

Por enquanto, a negociação mais avançada é em relação à vacina de Oxford, mas que ainda não está liberada para testes na população, apesar de ser uma das mais avançadas em termos de estudo. Por isso, atualmente há uma parceria para encomenda tecnológica dessa vacina, em conjunto com Biomanguinhos, para que o Brasil a produza.

De acordo com essa encomenda tecnológica, o primeiro lote dessa vacina deve estar disponível a partir de dezembro deste ano, com mais de 15 milhões de doses, e outro lote a partir de janeiro de 2021, com outros 15 milhões de doses. Além disso, o Ministério da Saúde está na tratativa de um contrato para receber mais 70 milhões de doses da vacina.

Assim que a vacina estiver disponível, será enviada aos estados, que por sua vez enviarão aos municípios. O valor estimado para a vacina é custo de produção por dose, que está em torno de US$ 2,50 (dois dólares e meio). Mas para a população brasileira será ofertada gratuitamente pelo SUS.

O Brasil possui o maior programa público de vacinação do mundo. Por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), anualmente, o Ministério da Saúde distribui mais de 300 milhões de doses de imunobiológicos nos mais de 42 mil postos públicos de vacinação de rotina em todo o país.

A pasta considera a vacinação uma medida de extrema importância para evitar casos, sequelas e óbitos por doenças transmissíveis, proporcionando qualidade de vida para toda a população. Por isso, o Ministério da Saúde afirma que a segurança das vacinas ofertadas pelo país seguem referências mundiais da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organização Pan Americana de Saúde (OPAS).

Apesar da boa notícia, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo de Medeiros, afirma que ainda é cedo para especular qual grupo da população vai ser vacinado contra o coronavírus.

“Nos pareceu extremamente razoável pensar em uma cobertura vacinal semelhante a que nós utilizamos para a Influenza. O que daria, mais ou menos, de 90 a 100 milhões de doses. Mas quando nós falamos isso, que é uma cobertura vacinal semelhante à da Influenza, quer dizer apenas ao quantitativo de doses e não especificamente que serão os mesmos grupos prioritários da Influenza que nós usaremos como grupos prioritários para a Covid”, destacou Medeiros.

Além disso, o Ministério da Saúde divulgou os números relativos à pandemia da Covid-19 no Brasil. De acordo com a nova atualização, o país registrou 3.164.785 casos de pessoas com a doença. O número de pessoas recuperadas foi de 2.309.477, o que representa 73% deste total. Enquanto isso, o número de mortes chegou a 104.201. Esses são dados baseados nas informações enviadas por estados e municípios.

Fonte: Brasil 61

Anúncios

Destaque 6

Acre tem alto índice de chuvas acumuladas e alerta de temporais

Publicado

em

O calor e a alta umidade do ar presente na atmosfera vão continuar favorecendo o crescimento de nuvens no Norte do Brasil, nos próximos dias, de acordo com previsão da Climatempo. Nesta quarta-feira, 24, o dia é de muita instabilidade com nuvens pesadas de chuva no Acre, boa parte do Amazonas, Rondônia, sul do Pará, centro-oeste do Tocantins, leste e norte do Amapá.

Nestas localidades, o tempo fica bastante instável com alerta para temporais. Nas demais áreas, o sol aparece no decorrer do dia, mas são esperadas pancadas de chuva de moderada a forte intensidade com raios e ventos. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, a cidade de Feijó, no Acre, já acumulou 193,2 milímetros de chuva, no período de 1º de fevereiro até essa terça-feira, 23.

Já o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) informou que em um período de 24 horas entre segunda e terça-feira, choveu 163 milímetros na estação centro, na cidade acreana de Jordão.

Em Rio Branco, o último balanço do governo estadual a partir das informações da defesa civil do município contabilizava 2,7 mil famílias atingidas, sendo 75 desabrigadas e 129 desalojadas.

O nível do Rio Acre recuou 23 centímetros nas últimas 24 horas (de terça, 23, para esta quarta, 24). A previsão é que amanhã (25/2) ele retroceda um pouco mais, mas ainda assim fique acima dos 14 metros, mínimo necessário para que as águas voltem para dentro das margens.

Calamidade Pública

O Ministério do Desenvolvimento Regional reconheceu o estado de calamidade pública em 10 municípios do Acre atingidos por inundações: Rio Branco, Sena Madureira, Santa Rosa do Purus, Feijó, Tarauacá, Jordão, Cruzeiro do Sul, Porto Walter, Mâncio Lima e Rodrigues Alves.

Com o decreto de calamidade reconhecido, o governo do Acre já pode solicitar recursos federais para ações de socorro e assistência à população e para o restabelecimento de serviços essenciais em áreas afetadas.

A Defesa Civil Nacional está apoiando o estado do Acre desde o início da última semana, com a coordenação do monitoramento realizado pelas agências federais responsáveis.

Enfrentamento de desastres naturais

O Governo Federal disponibilizou R$ 450 milhões para o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) apoiar estados e municípios no enfrentamento aos desastres naturais que vêm ocorrendo pelo País.

O crédito extraordinário foi autorizado na noite da última segunda-feira, 22, por meio de Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro. Os recursos serão destinados a localidades que estão enfrentando desastres, a exemplo dos estados do Acre e de Minas Gerais.

O repasse poderá ser utilizado para ações de socorro, assistência às vítimas e restabelecimento de serviços essenciais, que são coordenadas pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do MDR.

Continuar lendo

Destaque 6

Presidência confirma lote com 21 mil doses de vacina para o Acre

Publicado

em

A assessoria do governo do Acre confirmou na manhã desta quarta-feira, 24, que o lote total de vacinas transportadas no avião do presidente Jair Bolsonaro é de 21,9 mil doses, sendo 8,4 mil do Instituto Butantan e 13,5 mil da AstraZeneca/Oxford. Inicialmente, a informação que circulava era de 14 mil doses.

Desde a segunda etapa de distribuição das vacinas contra o coronavírus, foi definido um Fundo Estratégico para a região Norte, destinando 5% do total de doses de vacinas para os estados em cada fase. Nesse novo lote, o Acre terá 10% das doses do Fundo Estratégico, ampliando a imunização para pessoas entre 70 e 84 anos.

No início de fevereiro, o Ministério da Saúde acompanha a situação do Acre. Equipes das secretarias de Atenção Primária (SAPS), de Atenção Especializada (SAES) e de Vigilância em Saúde (SVS) fizeram visitas técnicas em Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Tarauacá, fazendo o acompanhamento das atividades realizadas pela vigilância epidemiológica local, bem como a assistência aos pacientes diagnosticados com dengue.

Continuar lendo

Destaque 6

Gladson faz selfie com Bolsonaro em avião antes de decolar ao Acre

Publicado

em

O governador Gladson Cameli, convidado pelo presidente Jair Bolsonaro para embarcar em Brasília para o Acre, onde cumpre agenda nesta quarta-feira (24), fez selfie antes de decolar a bordo do avião presidencial na manhã de hoje em Brasília.

A imagem mostra ao fundo o presidente Jair Bolsonaro, os senadores Marcio Bittar (MDB-AC) e Sérgio Petecão (PSD-AC) e, ainda, Onyx Lorenzoni, que assumiu recentemente a Secretaria-Geral da Presidência.

A previsão é que a aeronave presidencial pouse por volta das 8h30 no aeroporto internacional Plácido de Castro em Rio Branco. O presidente e o governador Gladson Cameli fazem sobrevoo a áreas alagadas em Rio Branco e Sena Madureira.

O ac24horas apurou que antes de chegar ao Acre, o avião presidencial fará sobrevoou sob a ponte do Rio Madeira, que está em fase final de conclusão. Essa é uma das pauta em que o presidente deverá também fazer um anuncio hoje.

O prefeito Tião Bocalom e a senadora Mailza Gomes também consta na lista da comitiva que chega em Rio Branco acompanhado do presidente. O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello também está a bordo juntamente com mais outros 5 ministros.

Uma entrevista coletiva está confirmada para acontecer na sala de embarque internacional. Participam o presidente Jair Bolsonaro e o governador Gladson Cameli.

Continuar lendo

Destaque 6

Acordo põe Supermercados e lojas de material de construção fechados nos finais de semana

Publicado

em

Um acordo que ainda está em processo de negociação entre empresários e o governo do Acre e antecipado por ac24horas, pode começar a ter validade já a partir da próxima segunda-feira, dia 1 de março, onde restaurantes poderão abrir as portas e funcionar com 20% das suas capacidades até às 22 horas. Em linhas gerais, o comércio em geral abrirá durante a semana, de segunda a sexta-feira, e fecharão as suas portas no sábado, domingo e feriados, conforme proposta inicial do Palácio Rio Branco.

Mesmo na bandeira vermelha, escolas particulares poderão ter aulas presenciais com até 30% da capacidade. O comércio em geral poderá funcionar somente oito horas por dia. De acordo com o apurado, bares e academias poderão voltar a funcionar no dia 9 de março, com 20% das suas capacidades. Conforme a reportagem antecipou, Supermercados ficarão fechados aos sábados, domingos e feriados. Somente postos de gasolina que prestam serviço ao governo e farmácia estarão autorizados a funcionar.

Para que o acordo seja concretizado, tudo dependerá também da quantidade de vacinas que o presidente Jair Bolsonaro deverá anunciar na agenda que cumprirá nesta quarta-feira, 24, no Acre. A expectativa do governo é que o governo federal envie 400 mil doses, quantidade suficiente para imunizar todas as classes prioritárias.

Ao ac24horas, o presidente da Associação Comercial do Acre (Acisa), Marcello Moura, defende com ressalvas a proposta. “Estamos trabalhando num meio termo para evitar o desemprego, mas também que o número de infectados e óbitos pelo covid-19 diminua. Sou a favor que o comércio todo fique aberto. As pessoas precisam comer, pagar as suas contas”, disse o empresário, dando a entender que o acordo ainda não foi fechado e que poderá ser alterado.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas